domingo, 11 de junho de 2017

Pelo menos 79 mortos em cinco dias da ofensiva contra Estado Islâmico em Raqa, na Síria


Pelo menos 79 pessoas, das quais 16 crianças e nove mulheres, morreram na ofensiva terrestre contra o Estado Islâmico, na cidade síria de Raqa, informou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.
ZEIN AL-RIFAI/EPA
Pelo menos 79 pessoas, das quais 16 crianças e nove mulheres, morreram nos primeiros cinco dias da ofensiva terrestre contra o grupo terrorista do Estado Islâmico (EI), na cidade síria de Raqa, informou o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.
A ofensiva terrestre contra Raqa, principal reduto sírio do grupo extremista Estado Islâmico, começou na segunda-feira passada, sob o comando das Forças Democráticas da Síria (FSD), lideradas por milícias curdas e apoiadas pelos Estados Unidos.
A organização não-governamental (ONG) alertou que o número de vítimas está a aumentar, quer nos combates terrestres, quer nos bombardeamentos da coligação internacional, que causaram hoje a morte a 24 pessoas, incluindo cinco crianças e três mulheres.
O Observatório indicou ainda que, entre os mortos de um bombardeamento encontram-se quinze pessoas que estavam num cibercafé, entre os quais um ativista da própria ONG.
As Forças Democráticas Sírias (FDS), apoiadas por Washington, anunciaram na terça-feira o início da ofensiva contra Raqa, sete meses após terem desencadeado uma operação militar de envergadura que permitiu o controlo progressivo de vastas regiões em torno da cidade no norte da Síria, que por fim foi cercada.
Desconhece-se o número exato de civis que permanecem na cidade, que antes do conflito na Síria, tinha mais de 200.000 habitantes, segundo estatísticas oficiais.
A guerra da Síria começou em março de 2011 e já provocou mais de 300 mil mortos.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.