segunda-feira, 26 de junho de 2017

Os objetivos estipulados pela Kroll Associates UK não foram atingidos

Os objetivos estipulados pela Kroll Associates UK não foram atingidos na sua plenitude, defraudando as expectativas de todo o povo em se encontrar e divulgar os verdadeiros culpados e responsáveis da contratação de dívidas ilegais, inconstitucionais e criminosas, um gigantesco “roubo” ao povo de Moçambique que irá comprometer o futuro de todos os moçambicanos.
Como representantes do povo na Assembleia da República de Moçambique não pactuamos com formas opacas e clandestinas de gestão do Estado, com um governo que coloca interesses de particulares acima dos do povo, nem com a utilização do dinheiro público para negócios privados e duvidosos, pois o governo da Frelimo coloca interesses de particulares acima dos do povo com a maior das impunidades.
É chocante, inaceitável e condenável que após longa espera dos resultados da investigação esta se mostre incapaz de expôr os verdadeiros responsáveis pelo escandaloso uso de garantias do Estado em clara violação da Constituição da República de Moçambique.
Na nossa interpretação, na falta do valor monetário ou justificativos válidos e comprovados para os supostos gastos efetuados pelas empresas PROINDICUS, MAM e EMATUM fica claro que houve inequivocamente um conjunto de ilícitos criminais como corrupção, burla aos Credores, ao Estado, gestão danosa, ou abuso de poder por parte dos dirigentes e membros da Frelimo.
É chocante que num país onde todos os dias se morre de fome e de doença, onde o Estado não tem recursos para cumprir com as suas missões mais elementares, se tenham “esfumado” dois mil milhões de dólares. Deverão estar nalgum lado, alguém os tem na sua conta bancária, mas será o povo de Moçambique a pagar uma dívida que não assume, comprometendo os seus recursos futuros e continuando o ciclo de pobreza e subdesenvolvimento que nos é imposto por uma elite política incompetente.
A Bancada da Renamo exige o apuramento integral dos indícios criminais agora identificados e a responsabilização dos envolvidos nas dívidas inconstitucionais. Aguardamos, com o maior interesse e urgência, pelo pronunciamento e acções de responsabilização a serem encetados pelo Ministério Público e demais órgãos de administração da Justiça a nível nacional e internacional.
Aguardamos igualmente pelas consequências políticas destes actos porque Moçambique não pode continuar refém de interesses económicos privados que instrumentalizam e desviam o Estado e o dinheiro do Povo.
Em democracia, ninguém está acima da lei.
Deputada Maria Ivone Soares
(Chefe da Bancada da RENAMO na Assembleia da República)

- O Relatório da Kroll não deixa dúvidas de que USD 500.000.000, (os quinhentos milhões de dólares) não foram usados para compra do equipamento militar...
- Exigimos o Ministério Público que use o seu profissionalismo e princípios éticos irrepreensíveis, a acelerar as investigações de modo a que no mais breve espaço de tempo, exare uma acusação em que os envolvidos sejam presentes no banco dos réus, por forma a serem exemplarmente responsabilizados civil e criminalmente, devolvendo desta forma a confiança de Moçambique;
- Que os seus bens sejam preventivamente arrolados e apreendido o património produto desta engenheira financeira ilícita e corrupta, congeladas as suas contas bancárias e repatriados todos valores e activos no estrangeiro;
- Que sejam tomadas as diligências necessárias para que se declare a inconstitucionalidade das resoluções da Assembleia da República que aprovaram a inscrição destas dívidas criminosas nas Contas Gerais do Estado 2014 e 2015, mesmo que esta ultima ainda não sejam publicadas no Boletim da Republica duma forma deliberada e de cumplicidade pela Assembleia da Republica.

Compatriotas,
O culminar deste relatório da Kroll veio dar razão ao MDM que duma forma incansável se bateu em sede da AR, na Comissão do Plano e Orçamento, na Comissão de Inquérito e no plenária, portanto nós, o povo moçambicano não devemos pagar um único centavo destas dívidas, por não nos pertencer.
Trechos da comunicação do Presidente do MDM hoje na conferência de imprensa em Maputo
GostoMostrar mais reações
Comentar
13 comentários
Comentários
Fernando Veloso
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
15
· 7 h
Tailor Ibraimo Taylor
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 6 h
Boaventura Changule
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 6 h
Sérgio Frederico Jamal Jamal
GostoMostrar mais reações
· Responder · 6 h
Antonio Henriques de Melo
Antonio Henriques de Melo Agora falta passar das palavras aos actos!!! Gostava dde poder acreditar !!!
GostoMostrar mais reações
· Responder · 5 h
Isabel Paunde
Isabel Paunde Creio que há dois temas cruciais neste país que carecem de debate aceso e urgente: os poderes do presidente da República e a independência do poder judicial. O povo tem que saber que é urgente retirar a maioria parlamentar a frelimo. Sem estas mudanças continuaremos condenados.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 5 h
Carvalho Geraldo Carvalho
GostoMostrar mais reações
· Responder · 4 h
Nosliw Oguh Enafla
Nosliw Oguh Enafla Eu acho que so com um outro governo tudo irá sair a limpo.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 4 h
Diniz Jumapili
Diniz Jumapili Força MDM
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 3 h
Climeton Simango
Climeton Simango Badidos e corruplo da frelimo ladroes ao povo
GostoMostrar mais reações
· Responder · 3 h
Catarina Mbunda
Catarina Mbunda Moçambique precisa de nos MDM ,so o MDM ira salvar o povo moçambicano,povo a escolha ceta dependera de nos
GostoMostrar mais reações
· Responder · 2 h
Job Mutombene Mutomoz
Job Mutombene Mutomoz Essa divida e deles
GostoMostrar mais reações
· Responder · 1 h
Linette Olofsson
Linette Olofsson Concordo Isabel Paunde, consta na proposta de Descentralização do MDM .

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.