quarta-feira, 22 de maio de 2019

Sabe senhor Presidente, antes do senhor chegar a presidência eu nem conhecia FLORINDO, mas quando vi o senhor na presidência passei a conhecer o FLOR-LINDO nas nossas faras. Isso eu agradeço meu senhor.

Mano Azagaia - Povo no Poder
7 h
CARTA PARA PRESIDENTE FILIPE NYUSI
Excelência
Primeiro subscrevo desta maneira porque não tenho outra forma para fazer chegar está pequena carta, podendo desta feita sauda-lo.
Agradece por tudo quanto o senhor vem fazendo desde a tomada de posse, o senhor tem sido uma valia aos olhos dos teus companheiro e isso queremos agradecer.
Agradecer por colocar Moçambique na vista do Mundo, agradecer por sermos conhecido no Mundo como país que nem DEVE nada, agradecer hoje pela linda notícia do MEU TIO CHANG estar de voltas a terra em que lhe viu a nascer.
Já vivemos pessímos tempos do TIO CHISSANO, porque naquele tempo nem éramos conhecidos, tudo acontecia por aqui mesmo, e hoje quando estou de malas aviadas a Finlândia, Estados Unidos sou aplaudido por ser também igual ao senhor, e tenho recebido a devida atenção, onde um esquadrão de investigadores procuram estudar a minha personalidade, porque sabem que a minha saída do país deles pode trazem um FALTA num BEM TANGIVEL ou INTANGÍVEL que eles tem.
Também quero lhe agradecer muito por aqueles que nem tem vozes para tal, em agradecer pelas lindas coisas que temos vistos aqui em Moçambique sem precisarmos de sair para EUA, pelos lindos carros e luxuosos do meu irmão FLORINDO tem nos mostrado.
Sabe senhor Presidente, antes do senhor chegar a presidência eu nem conhecia FLORINDO, mas quando vi o senhor na presidência passei a conhecer o FLOR-LINDO nas nossas faras. Isso eu agradeço meu senhor.
O senhor nem sabe quão es FAMOSO por mundo fora, QUEM TE VIU, QUEM TE VÊ senhor presidente, mas uma e única coisa que tenho que te alertar é que o povo está mais feliz porque sabe que em OUTUBRO deste ano vai alegrar a sua família novamente, porque eles gostam de ver o senhor como PRESIDENTE dessa nação, razão pelo qual somos fies desde época do TIO MACHEL, quando tornou-se presidente da República Popular, mas agradecemos.
Não queremos esquecer também que o povo de CABO DELGADO, por coiscidência uma parte do teu tesouro quer agradecer muito pelas soluções que o senhor vem dando aquele povo que NEM MORRE, nem sofre ASSASSINATOS, eles pediram-me que enderessasse os agradecimentos ao senhor presidente, pela ajuda que vem fazendo a eles..
Um segredo senhor presidente! “ Este povo diz que vai pagar as dívidas ocultas, não fique preocupado com eles, eles estão a brincar com o senhor, kkk eu conheço-os bem!”. Por isso fique relaxado porque somos assim, gostamos de brincar um pouco com nosso lider...
Senhor presidente, queremos agradecer pelos LINDOS AVIÕES que o senhor TEM, e também agradecemos pelas BISCICLETAS que o senhor comprou para o povo de ZAMBEZIA, TETE, NAMPULA E NIASSA, tem sido lindo aqueles meios de transporte.
Com tantas coisas por falar, só posso terminar por aqui e que um dia o senhor não irá se arrepender de nada daquilo que eu disse porque somos quietos e atencioso por tudo aquilo que está acontecendo.
VIVA A #FRELIMO os QUE FAZEM... e os que FIZERAM...
DESPEDIDA
Bem Vindo Tio Manuel Chang, deixa que o povo fale, eles esquecem que tudo feito por senhor era para tornar Moçambique mais conhecido e famoso no mundo.. eles são ingratos... Povo Ingrato esse, e “NEM SABEM ESCOLHER POLÍTICOS”..
• Meu povo não se esqueçam do mês de Outubro deste ano temos que ELEGER OS QUE TORNAM FAMOSO NOSSO PAÍS, E QUE FAZEM DESSE PAÍS MUDANÇA...
Por: #Respeitem_Meus_Pensamentos (Crônica de Povo Inteligente)

Procurador dos EUA no caso das dívidas de Moçambique passa para Exxon


2019-05-22 07:53:35 (UTC+01:00)
O principal procurador da investigação dos Estados Unidos no caso das dívidas ocultas foi contratado em Abril como advogado de uma companhia petrolífera norte-americana, operadora de um projecto de exploração de gás natural liquefeito em Moçambique.
Matthew Amatruda, principal procurador do caso que incrimina o ex-ministro das finanças de Moçambique Manuel Chang e outros antigos membros do governo moçambicano, deixou de representar o governo dos Estados Unidos da América num tribunal federal de Nova Iorque e trabalha agora como advogado para a companhia norte-americana Exxon.

A informação foi avançada pela Zitamar News, citada pela Lusa, que considera que a contratação de Amatruda "confere à Exxon uma potencial vantagem substancial para navegar (...) as águas da política moçambicana".

Para a publicação Zitamar, a contratação do antigo procurador Matthew Amatruda pode implicar que a nova empregadora, Exxon, tenha estado na origem de interesses para a abertura do processo judicial sobre os empréstimos ilegais a empresas moçambicanas num tribunal de Nova Iorque, em janeiro.

"Houve sempre ligações próximas entre o governo dos EUA e a ExxonMobil -- como foi claramente demonstrado com a atual administração, quando o Presidente nomeou o CEO da Exxon, Rex Tillerson, para secretário de Estado", escreve a publicação Zitamar.

Amatruda era o principal representante do governo dos EUA e principal procurador desde o início do processo, que veio a incriminar os moçambicanos Manuel Chang, Teófilo Nhangumele e António do Rosário de crimes como conspiração para cometer fraude eletrónica, conspiração para cometer o crime de lavagem de dinheiro, subornos ou corrupção.

Os procuradores federais (US Attorneys) têm o poder de decidir que casos e investigações têm prioridade nos tribunais.

"Não seria a primeira vez que os EUA eram acusados de flexionar o seu poder jurídico internacional de uma forma que beneficia negócios americanos no estrangeiro" pode ler-se também na publicação.

As leis dos EUA e Moçambique regulam que haja um período de adaptação quando um antigo funcionário público passa para uma empresa privada, com restrições aos contactos com antigos colegas.

A Exxon, em conjunto com outras companhias petrolíferas, recebeu autorização do governo moçambicano este mês para o desenvolvimento do projeto de exploração de gás natural Rovuma LNG, na bacia do Rovuma.

O ex-ministro das Finanças moçambicano Manuel Chang, três ex-banqueiros do Credit Suisse e um mediador da Privinvest foram detidos em dezembro a pedido da justiça norte-americana.

A investigação alega que a operação de financiamento de 2,2 mil milhões de dólares (1,97 mil milhões de euros) para criar as empresas públicas moçambicanas Ematum, Proindicus e MAM durante o mandato do Presidente Armando Guebuza é um vasto caso de corrupção e branqueamento de capitais. 

O país viu cortada a ajuda externa em 2016 depois de reveladas as dívidas.

O Produto Interno Bruto (PIB) do país está à beira de crescer com o início da exploração de gás natural ao largo da costa Norte (bacia do Rovuma) em 2022 e essas receitas têm sido apontadas como uma solução para pagar a parte dos credores.[CC]

O gangsterismo e a cúpula dos corruptos africanos venceram a batalha da guerra ideológica frente aos EUA

O gangsterismo e a cúpula dos corruptos africanos venceram a batalha da guerra ideológica frente aos EUA, há duas lições por tirar face a esse cenário. 1) o governo Sul Africano liderado por Cyril Ramaphosa fez tudo para procrastinar o assunto até depois das eleições. A sua dialética no seu discurso a quando da consagração da vitória do ANC, foi bastante claro, ao dizer que os EUA, não devem se intrometer nos assuntos africanos. Até aqui tudo bem, mas o mesmo governo se esqueceu quando ratificou a convenção de extradição juntos aos demais países, isso mostra que os líderes africanos não tem uma posição firme e de convicção e certeza de assuntos pelo qual eles mesmos ratificam, demonstra falta de seriedade por parte das lideranças africanas. 2) Moçambique e RSA, tem históricos quase que semelhantes sob ponto de vista de corrupção, isso se estende até as relações partidária da Frelimo e do ANC, as relações históricas pesaram muito mais no protecionismo de bando de cambadas e aloprados como esses, que primaram por blindar um ao outro, no sentido de que, uma mão lava a outra e juntos fazemos a diferença contra os que lutam para erradicar a corrupção nesses dois países. Exemplo prático da separação do poder é o Brasil, no qual sobre a matéria de extraditação cabe em última instância ao STF, e não ao ministro da justiça, pelo fato de ele ser nomeado, presume-se que ele não seja isento na sua decisão tal como é o caso do ministro sul africano. O tempo dirá a reação dos EUA e, vamos esperar momentos piores para esses dois países nos primximos anos.
Comentários
Escreve um comentário...

A opção selecionada é Mais Relevantes e alguns comentários podem ter sido filtrados.