sábado, 7 de dezembro de 2019

MOMAD CAÇA MOSQUITOS COM GRANADA E PISTOLA

Que a Renamo Unida já não é partido que se preze todos nós moçambicanos lúcidos sabemos, pois, foi esta força política desorganizada nascida após o desaparecimento físico de Dhlakama que pariu os NYONGOS desta vida que dia e noite contestam a liderança do Ossufo Momad, acusando-o de estar a encaminhar toda uma Renamo para um poço chamado RUÍNA igual as grutas de Manica em Chimanimane.
Falar da Renamo hoje como partido, é o mesmo que ficcionar, pois, virou piada a nível nacional e até fora das nossas águas e céus.
Ossufo rumou para Holanda para estagiar na CADEIRA DE PERDOLOGIA ELEITORAL, LÁ APRENDERÁ OS MOLDES OCIDENTAIS DE COMO pERDER a derrota duma forma organizada igual ao espectáculo por eles proporcionado por terem rumado aos pleitos com um recenseamento viciado e excludente.
Mesmo que ele (Ossufo) complete o Globo com as suas viagens carrísimas tudo se arrendodará à zero devido a desorganização administrativa da Renamo, que por incrível que pareça confiou o Gabinete de Comunicação e Imagem à fantasmas cibernéticos como: Nita Hi Nomo, Nzeru, Mobana, Unay, todos com sérios problemas psicológicos e ortográficos...um partido não PARTIDO não cometaria o tamanho erro de outorgar uma instituição política para apologistas da desordem.
A Renamo está proibida de pegar em armas para reclamar quaisquer que for a causa, engomem as gravatas e as calças e vamos a mesa das negociações, o Governo para poupar a vida do POVo deu ao Momad a fortuna anual de 71.6 milhões de meticais, assim ele está com a boca cheia de açucar...onde há dinheiro e ambiciosos não há entendimento, portanto, houve o parto Nyongo, ele também quer a parte dele para "mamar a mola".
Se a Renamo voltar as matas será mais uma vez chamada de facção política igual as FARC da Colômbia.
Quanto a democracia que a Renamo Unida tanto roga ela não passa duma miragem, é falaciosa, manipulista e patética, uma vez que ela se assenta na chantagem ao Estado Moçambicano, para depois nós o pacato e sofredor povo pagarmos fortunas aos Falsos Apostólos da Democracia.
" a Renamo Unida é um partido de Camelos Velhos, não conseguirão atravessar o deserto, e morrerão mesmo antes de fazer 1km"
" Das armas a Renamo veio, das Armas a Renamo morrerá"


Todos moçambicanos, pelo menos os que acompanham de forma muito atenta o processo político nacional, já sabiam que existe uma máfia controlando o nosso aparelho do Estado.

Todos moçambicanos, pelo menos os que acompanham de forma muito atenta o processo político nacional, já sabiam que existe uma máfia controlando o nosso aparelho do Estado. Essa máfia começou a beneficiar-se dos recursos públicos no âmbito da criação de uma “burguesia” local. Na verdade dos que se beneficiaram, poucos devolveram (esta informação pode ser lida nos relatórios anuais de execução do Orçamento do Estado) e sequer implementaram projectos que alteraram a estrutura produtiva do país. Pelo contrário, ocuparam cargos públicos e pouco fizeram para o desenvolvimento do país, porque sempre estiveram preocupados com os seus próprios interesses. Aliás, esse grupo fez falir antigo Banco Popular de Desenvolvimento (BPD) que depois foi transformado em Banco Austral. A investigação sobre o rombo no Banco Austral levou ao assassinato de Siba Siba Macuácua, a 11 de Agosto de 2001, o que significa que essa máfia não só delapida o erário dos moçambicanos, impedindo que o país atinja os níveis de desenvolvimento que proporcione o bem-estar. Ao longo dos anos que seguiram à falência do Banco Austral, acompanhamos vários escândalos envolvendo servidores públicos, incluindo Presidentes de Conselhos Autárquicos e Ministros em pleno exercício, alguns dos quais foram à barra da justiça, que, entretanto, na maioria dos casos, terminou com penas cosméticas ou com penas suspensas devido aos recursos que demoram uma “eternidade” a ser decididos. O escândalo das dívidas, desvelado em 2016, veio mostrar com clareza que afinal o exemplo da má conduta dos servidores vem de cima. Como jovem que sou, sempre me perguntei: de onde vem tamanha ousadia desses senhores de fazer as coisas que fazem com a maior cara lavada! Hoje, está tudo cristalino: eles
têm o exemplo dos seus superiores e aproveitam-se do facto de serem eles mesmos quem viabilizam as aldrabices dos seus chefes para tirar a sua parte. Há duas semanas, os moçambicanos acompanharam revelações que não só são bombásticas, para quem gosta de sensacionalismo, mas sobretudo vergonhosas e preocupantes, vindas do cérebro do calote das dívidas ilegais, o “jovem Jean Boustani”. É preciso não perder de vista que estas dívidas levaram o país a uma crise económica inesperada, face às oportunidades que se mostravam para o país mudar da posição dos mais pobres do mundo. Ouvir que o indivíduo que governou o país durante 10 anos, Armando Guebuza, de forma muito leviana, entregou a soberania do país nas mãos de estrangeiros, comprando “sonhos fabricados” com promessas de ganhos significativos, em pouco tempo e sem esforço, é por demais desolador. Sobretudo quando o mesmo indivíduo pede favores extras aos “vendedores de sonhos”. Afinal, é assim que os nossos dirigentes se relacionam com os chamados investidores? Não será por essa razão que bastas vezes ouvimos dizer que existem em carteira biliões de dólares em propostas de investimento que nunca se materializam? Do tipo, perante os investidores, os nossos dirigentes em troca do investimento de interesse público querem investimentos de interesse pessoal, como transformar os seus filhos em empresários, ampliar seus duvidosos impérios, entre outras coisas. Mas o mais estarrecedor e extremamente preocupante é saber que, nos próximos cinco anos, muito graças à fraude (ainda que se force a ideia de que os resultados reflectem a vontade do povo moçambicano) seremos governados por um indivíduo, no caso concreto Filipe Nyusi, que um ano depois de tomar posse disse que desconhecia a existência de dívidas ilegais. Mais tarde, quase recusou a realização de uma auditoria forense para investigar o caso, e findo o braço-de-ferro e feita
O Mestre pintor equacionava usar um trapo no lugar de uma esponja para criar um excelente efeito na pintura da parede que o esperava. Ao lado, o seu colaborador insistia que tudo dependia das opções em função das vontades do cliente. Criar efeito de pintura em parede não era propriamente um desafio, mas o Mestre sabia que a referida tarefa exigia um pouco mais de si. Olhou para o colaborador, seu ajudante. Reajustou a cadeira. Saborearam a refeição em silêncio, durante algum tempo, produzindo sons ásperos sobre os pratos. Os tilintares passaram a acompanhar a conversa quando o Mestre lançou o seguinte: - Acompanhaste as últimas sobre o Jean Boustani? O tipo é esperto, aceitou o cavalo oferecido pela justiça norte-americana e abandonou o tribunal numa de não culpado. - Sim, é o que mais se fala. ComparanProdutores de efeitos do: teremos o mesmo, caso Chang volte a Moçambique? Aqui não há cavalos. Mas, se o Boustani não é culpado significa que isso é uma mensagem muito clara para os culpados. Ele entrou no nosso País porque alguém lhe abriu as portas. Percebeu que o que fluía era a corrupção de alto nível, fragilizando a reserva moral e ética do Estado. - Quando falas de portas lembras-me de pernas. Por isso, enfiaram o País numa crise sem precedentes. O Conselho Constitucional declarou nulas as dívidas da Ematum; aos que o ignoraram nada aconteceu. Uma maravilha! Não entendo por que razão a oposição aceita e cumpre os acórdãos desse mesmo Conselho. Aliás, cumpre pela sua condição de oposição. - Mestre, os carros blindados que estão em alguns pontos estratégicos da cidade o que estão a ali a fazer? Alguns dizem que é porque o País está doente. Mas, não precisam de “calçar” a cidade. Dizem que os da cidade acomodaram-se no consumismo e só falam, reclamam que se fartam, mas têm muito medo do bastão da polícia, para não falar do poder de fogo. Medo doentio. Por isso, andam a quase 1km/hora debaixo de um controlo circular rondando os 100km/hora. - Nada de exageros, meu miúdo! É uma mensagem de prevenção. Não são tão inocentes, nem distraídos, ao ponto de não perceber que o assunto é gravíssimo. É uma mensagem que clarifica não só quem “está doente” como quem detém o poder neste momento das dívidas ocultas. Tanto mais que sabem que no seu seio há aqueles que não concordam com o que está a acontecer, não concordam que a Lei seja simplesmente cega para uns coitados e não para outros tão culpados e mafiosos como Boustani. Mas, isso de “País doente” não é de hoje. Viste a situação de fraude eleitoral e agora a fraude nos últimos exames… Epa, os putos copiaram que se fartaram. Ouve-se aqui e acolá que nos exames de Física e Matemática até copiaram a cotação que vinha no
guião de respostas que levavam, …para não falhar nada. Se isso for verdade, então, o exemplo veio de cima. Infelizmente, todos os finais de ano somos brindados com fraude académica, em massa, o que poderá pesar negativamente sobre o futuro. Estamos mal. O dedo indicador do ajudante ainda passou pelo centro do prato, provocando uma vigorosa reprovação por parte do Mestre. Levantaram-se e dirigiram-se ao local, ali perto, onde uma parede pálida esperava pelo efeito de pintura. Estavam muito claros quanto ao trabalho a fazer, Sabiam que não lhes sobraria tempo para falarem de dívidas ocultas, Boustani, Ematum, Conselho Constitucional, nem do tipo de funcionamento das nossas instituições de justiça e, muito menos, de outras pinturas e quadros afins. Um destes temas consubstanciaria o efeito de pintura caso o cliente concordasse.
a auditoria, de boca cheia, ele disse que havia fortes indícios criminais na contratação das dívidas da MAM, Proíndicus e EMATUM. Era óbvio que existia, apenas não tínhamos a noção do nível desses crimes. Nyusi, que é o Presidente da República de Moçambique, sempre insistiu, em nome de uma tal credibilização do Estado, que é preciso renegociar com os credores as dívidas ilegais e muito recentemente autorizou o Ministério das Finanças, liderado por Adriano Maleiane, a pagar 38 milhões de dólares (a custa de que sacrifícios e com autorização de que entidades?) da dívida da EMATUM. Filipe Nyusi, cujo envolvimento no processo das dívidas sempre foi esquivo, embora fosse inequívoca a sua participação e conhecimento detalhado sobre o processo, afinal, na altura da contratação das dívidas respondia pela pasta de Defesa Nacional, foi citado como tendo recebido pelo menos 1 (um) milhão de dólares norte-americanos (talvez isso explica os luxuosos veículos exibidos por um dos seus filhos e as viagens caríssimas expostas nas redes sociais pelo mesmo). Posto estes factos, tira-me o sono a seguinte pergunta: como seremos governados nos próximos cinco anos? Será que poderemos confiar num indivíduo que terá mentido para a nação inteira sobre uma dívida que conhecia e até teve beneficiação da mesma? Será que podemos confiar num indivíduo que de forma não transparente ordenou o desvio de 38 milhões de dólares norte-americanos, que poderiam ser utilizados para suprir necessidades concretas e urgentes dos moçambicanos, na saúde, na educação, em infra-estruturas, para pagar uma dívida que é ilegal e, sobretudo, declarada nula pelo Conselho Constitucional. Será que podemos confiar num indivíduo que fecha os olhos à Constituição da República, desobedecendo as decisões de um órgão de soberania como o Conselho Constitucional e violando grosseiramente o princípio de separação e interdependência de poderes, só para
forçar o Estado a assumir uma ilegalidade que tem rostos e endereços sobejamente conhecidos? Com que cara, Filipe Nyusi, que deverá, em breve, ser confirmado  Presidente para mais um mandato de cinco anos, irá garantir a constitucionalidade, legalidade (afinal o Presidente da República é o alto magistrado da Nação!) e respeito pelas instituições soberanas nacionais, se ele está implicado da forma mais nojenta num dos maiores escândalos financeiros do país? Está claro que não existem condições morais para Nyusi manter-se a frente da condução dos destinos do país. Se, realmente, Nyusi quer fazer Moçambique dar certo e mostrar respeito pelos cidadãos, que ele carinhosamente chamou de “patrão” e se ainda sobra alguma lealdade patriótica à Moçambique, o que melhor pode fazer é renunciar ao cargo e colocar-se a disponibilidade da justiça para ajudar a clarificar os contornos do seu envolvimento entre outros detalhes que se mostrem importantes. Se Nyusi não o fizer pela sua vontade, o Partido Frelimo, que é mais do que o seu Presidente e a Comissão Política, deve exigir a demissão imediata de Nyusi e responsabilização exemplar de todos os seus membros envolvidos no calote das dívidas. Esta é uma oportunidade ímpar para este partido que dirige o país há 44 anos, mostrar que está comprometido com o interesse nacional (conforme a alínea b) do número 2 do artigo 75 da Constituição da República) e que não alberga e protege lesa-pátrias. Se a Frelimo insistir em proteger os lesa-pátrias, não restará outra opção ao povo, senão libertar o país das mãos da máfia que o condena à degradação social, porque este é o ponto de não retorno. Os moçambicanos não podem continuar passivos perante esta degradação ética e moral da nossa governação, com consequências no bem estar colectivo.

Ver a diferença, em especial os "chicos espertos"


Vitor de Aroeira
E eu que pensava já ter encerrado o assunto Greta eis que me surge este magnífico texto...........
Diferença entre GRETA e MALALA.
"Nos últimos tempos duas meninas chamaram a atenção do mundo e ambas foram parar na ONU. Duas histórias muito diferentes e duas personalidades totalmente distintas. Uma falou com pleno conhecimento de causa e outra sem conhecimento algum. Uma trazia um sentimento nobre, palavras sensatas e um semblante humilde; a outra exibe uma face arrogante, um discurso malcriado e interesses ocultos nada admiráveis (e que por isso precisam permanecer ocultos).
A que surgiu mais recentemente, a sueca Greta, que nem completou o ensino médio, pretende dar ao mundo aulas de ecologia. A ela não faltou, jamais, qualquer suporte material, desde antes de nascer. Nascida num dos países mais ricos do mundo, nunca viu a miséria de perto, não faz a mínima ideia do que sejam as dificuldades da vida, mas do alto da sua ignorância quer ditar como a humanidade deve viver. O excesso de conforto material não evitou que a mocinha se transformasse num pequeno poço de revolta. Em tom quase histérico anuncia que estamos às portas de uma “extinção em massa”. Com o olhar injetado de ódio e rosto crispado, questiona, sabe-se lá quem: “vocês roubaram a minha infância e os meus sonhos!”.
Como assim? O que lhe faltou na sua infância? Pelo jeito, carinho da família ou dos amigos e uma educação que lhe abrisse os olhos para o fato (evidente) de que o mundo é complicado mesmo e que as coisas não se resolvem do dia para a noite. Talvez conselhos no sentido de não ser tão agressiva e rancorosa. Se foi isso que lhe “roubaram”, garota, procure os culpados na sua casa e na sua escola, não no resto do mundo. Ah,.... mas à escola a menina-que-sabe-tudo não vai mais, exatamente porque já sabe tudo....
Eu me pergunto: roubaram seus sonhos? Foi mesmo? Aos 16 bem vividos anos já não há mais com o que sonhar? Se alguém lhe “roubou” esses sonhos e você não tem mais nenhum, o problema está em você, não no resto da humanidade. Se você não sonha em ter uma profissão ou uma carreira, ganhar a sua vida, ter uma família e, quem sabe, colaborar para construir um mundo melhor, o problema está só em você, que espera que seus “sonhos” lhe sejam entregues sem esforço. Isso não vai acontecer, menina. Melhor se acostumar com a ideia, por frustrante que ela seja. Talvez até hoje seus pais e financiadores ocultos tenham feito o possível para realizar esses tais “sonhos”, mas à medida que o tempo passa, o esforço precisa, cada vez mais, ser seu mesmo. E não adianta inchar a veia do pescoço enquanto esbraveja na ONU, sob os aplausos de uma plateia de idiotas que, avidamente, tentam sorver os ensinamentos que você não tem para lhes oferecer, porque isso não vai trazer seus "sonhos" de volta.
A outra garota anda meio desaparecida, mas não pode, jamais, ser esquecida. Em tudo difere da petulante suequinha. Refiro-me à paquistanesa Malala. Ela, sim, teve a infância roubada (e quase a vida se foi junto). Malala nasceu nos confins mais atrasados do Paquistão, onde predominam costumes tribais e o fundamentalismo islâmico. Malala tinha um sonho, estudar, e foi esse sonho, tão singelo, que lhe tentaram roubar. Sofreu ameaças, levou um tiro na cabeça. Sua família teve que fugir do país e ela chegou entre a vida e a morte na Inglaterra (num antiecológico avião a jato, não num barco a vela), onde foi salva. Malala sobreviveu para contar a sua história, para prosseguir no seu sonho e para ajudar a fazer um mundo melhor, para si e para todas as mulheres que sofrem perseguições e discriminações e, com o seu exemplo, dar-lhes maiores oportunidades. Malala tinha mil razões para odiar e para se queixar, mas sua presença, por onde passa, transmite uma mensagem de serenidade e firmeza na defesa de ideais nobres. Malala não exala ódio, desejo de vingança, ao contrário, cativa pela sua modéstia e seu sincero desejo de fazer o bem.
O contraste entre as duas é brutal. Uma sempre teve tudo e acha que nada presta. A outra, teve uma origem extremamente humilde, não tinha sequer liberdade e quase perdeu a vida por um sonho tão modesto. Não se abateu, não se vitimiza e não se diz “roubada”. Malala quase morreu porque desejava estudar, mas foi em frente. Greta posa de vítima e não vai mais à escola porque, tolamente, pensa que já pode dar lições ao mundo".
- Isaac Averbuch -

Tenho a impressão de que estamos a lutar. Estamos divididos em gangs (dizia alguém).

We are fighting!
Tenho a impressão de que estamos a lutar. Estamos divididos em gangs (dizia alguém). Uns porque não engolem as falcatruas dos detentores do poder público que agem como inimigos do povo e as expõem, depois outros são mobilizados para atacar os críticos e os que teem capacidade crítica atacam os atacantes dos críticos e os amigos dos atacantes dos críticos atacam os críticos e todos os que o apoiam e defendem. Aí, quando já não há mais fôlego. .. O que acontece?
Porque estamos nisto?
Porque existe um grupo que nos quer convencer, desde 2016 (por isso atacaram o professor Macuana naquele ano) que não há nada de mal um grupo usar o nome do Estado e os instrumentos de gestão do Estado para benefício próprio. Que os But, Chopstick, os Crivo, Três Beijos, Professor , Papá, e companhia limitada não fizeram nada de mal.
Estão a tentar convencer-nos que nós é que estamos errados por não aceitar e ver com bons olhos o que aqueles fizeram. Estão a atacar-nos por não comprarmos os argumentos torpes e falaciosos de que a dívida ilegal e odiosa, apesar de tudo era necessária (resta saber para quê e porque não chegou a ser aplicado no que era "necessario").
Não é por acaso que se convocam juristas, historiadores, sociólogos, criminalista-jornalistas, cientistas, "tudólogos", "nadólogos", aspirantes a cargos públicos para fazerem a defesa dos inimigos do povo e o ataque caninos contra os que denunciam e criticam os inimigos do povo. E os incentivos para tais ataques (os ossos) são os recentes cargos que foram confiados a alguns integrantes muito activos e seniores da "gang".
Assim vai o país, num autêntico facismo. No lugar de debatemos os problemas e de compreendermos o descontentamento justo das pessoas, soltamos os cães.
A internet só veio tornar digital a violência que era feita na rua. E às vezes essa violência volta às ruas. O descontentamento não é virtual, é real, embora possa ser verbalizado virtualmente.
Estamos a virar estranhamente violentos. Olhemos à nossa volta. É só violência. Isso é um sinal que nos deve preocupar.
Yorumlar
  • Elídio Mavume #FAZ #SENTIDO.
    Vamos Voltar Aos Tempos Das Cartas. Éramos Confundidos Com Civilizados.
    Internet Não Está Dar Bons Resultados Cá Em Moz.
    1
  • Leovegildo De Martinho Pura verdade Fátima
  • Raul Brown Concordo plenamente...algumas figuras hoje são simplesmente "patetas"...
  • Nelsoncarlos Tamele Violentos porque somos famitos, e violentos pq a todo custo desejamos alcançar o poder e dele oprimir os famitos!
    Este é meu país, violento!
    3
  • Manuel Horacio Frengue "Tudólogos e nadólogos" grandes quadros esses.
  • Samuel O Proprio Wi Enquanto aguardo o seu parecer sobre o que esta acontecer na Escola secundaria da Matola, deixa me parabenizar pelo seu trabalho
    4
  • Dalmiro Joel "Tudólogos" e " Nadólogos" hahaha too deep. Com toda esta confusão como país não sei se estamos avançar ou recuar.
  • Milton Gruno O Pior dos "Nadólogos" é o "historiador" Gago
    7
  • Júlio Mutisse Fatima Mimbire entre os impropérios podemos encontrar o essencial que possa ser discutido e nos construir?
    1
    • Fatima Mimbire Júlio Mutisse se não conseguiste encontrar o essencial, talvez devemos ler de novo ou ignorar simplesmente. Não sei desenhar
      3
    • Júlio Mutisse Fatima Mimbire não me percebeste. Há muita pedra a ser atirada de um lado para o outro apenas porque um está de um lado e outro doutro. Apenas isso. Ninguém discute essências... Estamos a nos matar so
    • Fatima Mimbire Júlio Mutisse estou justamente a chamar atenção para isto. Porque estamos divididos? O que nos divide?
    • Júlio Mutisse Fatima Mimbire estamos demasiadamente zangados e indignados. Acho que na zanga e na indignação não nos damos tempo para ouvir e compreender o outro. Gritamos só. Não falamos e somos intolerantes ao pensar diferente.
      Não buscamos compreensão dos fenômenos, buscamos razão.
      2
    • Fatima Mimbire Podes fazer uma colocação melhor. Eu agradeceria imenso
    • Fatima Mimbire Júlio Mutisse estamos a atacar nos uns aos outros. Quem pára? Ou melhor... A quem interessa que assim estejamos??
    • Júlio Mutisse Fatima Mimbire estamos intolerantes ao pensar diferente. Queremos que todos se indignem do mesmo jeito.
      Queremos que todos sintam a dor dos calos da mesma forma como se o sapato apertasse em todos da mesma forma e no mesmo local.
      2
    • Júlio Mutisse Fatima Mimbire acho que não interessa a Moçambique pelo menos.
    • Augusto A. Mondlane Fatima Mimbire Não está a lutar contra Governo muito menos chamar ninguém de cão. Apenas ela se levanta por todos nós para revender nosso estado de Moçambique do buraco em que está a caminhar. Quem na verdade é moçambicano puro e limpo e com olhos abertos consegue ver que a situação em Moçambique está de mal a pior.
      Guebuza falou: Ninguém deve ser subordinado sim, mas isso só falou por falar, por que talvez sabia que não queria dividir o bolo com ninguém. Se fosse sério o que ele falou, o filho dele não teria se beneficiado de montantes de milhões enquanto né faz parte do governo. Muito dinheiro foi para os bolsos dos indivíduos que já vem sendo rico e os pobres que né consegue comprar né se quer um pão diário né emprego tem, lhes recai a responsabilidade de pagar essa gigante dívida! Reclamando isso significa odiar. Governo??? Não, não é odiar, mas sim defendendo os nossos direitos e que os que se beneficiaram desse dinheiro deveria eles pagar por que eles na verdade tem condições de pagar sem precisar nenhum outro moçambicano. Fátima estou longe de Moçambique mas estou nessa luta também. Te apoio !
    Yanıt yaz...
  • Canuma S. Canuma Tudo por dinheiro. E biblico. Outros comem a maça No's é que pagamos o pecado....! O tempo Sera responsavel.
    7
  • Edson Mandlaze Passemos a acção nos que ainda temos olhos pra ver...
    Começa contigo Mana Fátima,usemos o exemplos de países que a 100 anos estão 10vezes melhor que o nosso mais que exigem que se faca cumprir os seus direitos.. Potências Mundiais, seu povo vive muito melhor que o nosso,mais estão descontentes...
    #Acção

    #PalavrasChega
    1
  • Antonio Fernando Mimbirre O mais engraçado em torno de tudo é para onde tende tal caravana, ha um bichinho nos lideres Africanos, talvez utopico de que a morte das coisas nao existe! Estamos a lutar! E aos poucos vamos partilhando ideias e opinioes que libertam muitos! Ja la.se vão 44 anos estamos cada dia mais proximos do fim disto! Por vezes nao interessa como deva terminar, apenas que termine!!!*
  • Jaime Tembe teólogos e nadalogos
  • Ismael C. Gocaldas Estamos entregues bixarada.....
    1
  • Zefanias Sitoe No fundo esta publicação também acaba sendo mais um ataque, onde isto vai parar?
    1
    Yanıt yaz...

  • Raissone Farnela "Tudólogos", " Nadólogos'...até têm coragem de duvidar, de pôr em questão o obvio! Quando já não têm argumentos e vêm suas opiniões a serem profundamente rebatidas partem para o ataque de pessoas e poluem as redes sociais e outros meios de comunicação com insultos...os "ciber intelectuais" são venenosos, poluidores das nossas mentes...
  • Gilio Ayman Al-zawayir 🌀🌀🌀🌀🌀🌀🌀🌀
    🌀🔥🔥🌀🌀🔥🔥🌀
    🌀🔥🔥🌀🌀🔥🔥🌀
    🌀🔥🔥🔥🔥🔥🔥🌀
    🌀🔥🔥🔥🔥🔥🔥🌀
    🌀🔥🔥🌀🌀
    🔥🔥🌀
    🌀🔥🔥🌀🌀🔥🔥🌀
    🌀🌀🌀🌀🌀🌀🌀🌀
    🌀🌀🔥🔥🔥🔥🌀🌀
    🌀🔥🔥🔥🔥🔥🔥🌀
    🌀🔥🔥🌀🌀🔥🔥🌀
    🌀🔥🔥🌀🌀🔥🔥🌀
    🌀🔥🔥🔥🔥🔥🔥🌀
    🌀🌀🔥🔥🔥🔥🌀🌀
    🌀🌀🌀🌀🌀🌀🌀🌀
    🌀🔥🔥🔥🔥🔥🔥🌀
    🌀🔥🔥🔥🔥🔥🔥🌀
    🌀🌀🌀🔥🔥🌀🌀🌀
    🌀🌀🌀🔥🔥🌀🌀🌀
    🌀🌀🌀🔥🔥🌀🌀🌀
    🌀🌀🌀🔥🔥🌀🌀🌀
    🌀🌀🌀🌀🌀🌀🌀🌀
  • Francisco De Assis Cossa Muito triste o que está ancotecer, são nosssas esposas a serem insultadas, esposos, imagino quando nossos filhos visitam as redes sociais como se sentem ver seu pai sua mãe exposta com todos nomes pejorativos que certos titios, que antes eram vistos como referencias e hoje viraram bussais não sei em troca de quê, que legado esperamos deixar para nossos filhos? O pior outros ate são autores de Obras literárias, o que dizer de alguem que o professor vai lhe recomendar a ler livro dum titio que insulta minha mãe ou esposa? Vamos repensar....não deixemos que a fome nos leve ao cumulo de estupidez.
    4
  • Francisco Pacheco Antonio Chigogoro Atacantes intestinais
  • Mauro Jorge Realmente tamos fudidos Fátima .Com Jornalistas de meia tigela como o Borigis, só podemos estar nessa de violência virtual
    1
  • Joaquim Gove Eu acho que a Fátima Fatima Mimbire nesta publicação desfere mais um ataque e no início até julguei que questionasse anseasse por uma reflexão que nos levasse a ver a divisão em que estamos e os seus males. Mas, foi mais uma acção daquelas de que fala e acrescenta golpes. Enfim...

    Do mural do Ser - Huo em screenshot veja a parte em maiúsculas e diga se está tudo certo e bem feito...
    Görüntünün olası içeriği: yazı
    2
  • Alface Sousa Ouvi na stv que Mugabe chegou a comprar uma vila algures de hong-kong e assim k morreu com quem fica a Vila? Lideres africanos sao uma lastima. Vender a consciencia defendendo o errado é pior que uma pessoa que esta no hospital psiquiatrico. Quero dizer: estudou para nada!!
    5
  • Constantino Pedro Marrengula Fatima Mimbire, acho que não estamos a virar violentos. Sempre fomos violentos. Veja a nossa história, antes dos Mfecanes, etc. Veja como tratamos os que não tem poder, os que nao nos podem ser úteis, como a sociedade trata as minorias, as crianças, as mulheres, como sao treinados os polícias, etc. Nos tempos de menino, apoiavamos os nossos incitando para bater até morrer, bhana a fha lweyo. Na verdade, os meninos de ontem são os adultos, os mestres de hoje. Seguem a mesma lógica, bater o adversário até ter a certeza que nao pode levantar. A Questão não é procurar um ponto de entendimento com base em princípios razoáveis e aceitáveis para uma vida em comum. Não pode, por que isso é admitir perder. O que complica ainda mais, é que a luta é também sobre o poder e acesso a recursos. Num jogo de soma zero, a coisa só pode ficar ainda mais violenta, porque o ganho de um é a perda do outro. Os marxistas já diziam que o ser social determina a consciência social.
    6
  • Antonio Acacio Continue a lutar Fatima Mimbire, nossa cidadania em jogo,
    1
  • Ricardo Sebastiao Homwane Um dia isto vai acabar🔥
  • Miguel Julio Madeira A verdade é que a pobreza é real, a falta de escola, carteiras, meios de combate ao crime, medicamentos e outros necessidade para manter um estado em funcionamento de forma normal e racional é real. Somente como diz a fátima os cães estão a solta e a ter cargos de relevo no governo.
    2
  • Djabru Do Rosario Tenho a máxima certeza que os "Sougídeos" terão receio e vergonha de comentar.
    1
  • Marcio Correia Eu já escrevi várias vezes que o Estado da Nação não é Firme, Esperançoso e de Horizonte Promissor, só os xiconhocas e a elite do partido no poder é que acredita que o país caminha rumo a prosperidade.
    1
  • Ma Taibo Admiro muito o esforço k faz k pouco é reconhecido com nos proprio k precisamos, voce é uma mulher k ta a lutar incansavelmente tas de parabens, os verdadeiros herois menos conhecemos...
    3
  • Heleno Bombe Sabias palavras grande Mulher
    1
  • Francisco Banda Esta semana assinalou o dia da pessoa com deficiência. Infelizmente, alguns, não sabem que são deficientes! Porém, no lugar da crítica, porque não apoio para com eles? Eles não sabem o que fazem.
  • Pedro Mufuukula Mentes armadas

    Estamos em guerra sim. A sociedade moçambicana não está em paz consigo mesma. Do que escrevemos e lemos nota-se uma sociedade prestes a explodir. Ninguém se curva para dizer "eu errei".


    Uma sociedade que nega redimir-se, considerando-se sempre certa e infalível, só pode cultivar e destilar ódio e veneno no seu dia-a-dia. O pior é que, nessa marcha, no lugar de recuarmos para nos reencontrarmos, para nos abraçarmos como irmãos, aceleramos, a tendência é procuramos sofisticar o erro, não mostrar fraqueza, manter a superioridade, porque uns devem aceitar a sua condição e venerar os outros, mesmo que esses "eleitos do destino" estejam vegetando na ilicitude, e se encontrem entrincheirados no crime.

    Gaston Bouthoul (1896-1980), o criador da Polemologia (Ciência da guerra), na sua obra "O fenómeno guerra" desmonta o adágio clássico "Se queres a Paz, prepara a Guerra", sugerindo que na era contemporânea se diga "Se queres a Paz, conheça a Guerra".

    O autor olha a guerra de forma crítica nos tempos que correm, afirmando que "O Estado-Nação constitui, sob o ponto de vista da Paz, um grande recuo. Ressuscita as formas de pensamento, da política e das dinâmicas tribais. É um meio beligerante, muito mais activo do que o antigo Estado Monárquico, no qual o inimigo não passava de inimigo do rei e os súbditos se alistavam sem empenho, por lealdade para com o rei. Hoje, o inimigo é de todos e daí o encarniçamento crescente das guerras... "

    Há muitos exemplos que ilustram a guerra cada vez reforçada em Moçambique. Não é sem razão que temos raptos no meio urbano, derramamento de sangue sem fim no centro de Moçambique, guerra em Cabo Delgado, que desce perigosamente para Nampula e Zambézia, cada dia que passa.

    Estamos numa situação sufocante que para cada canto para onde olhamos só encontramos discórdia, discriminação, negação de valores básicos de sã convivência, desprezo, arrogância e guerra psicológica, procedimental, mesmo nas igrejas, nos velórios, no mercado, nas escolas...

    Encontramos gente desclassificada pelos mais fortes, como gente de mente curta, cultora da mediocridade, atrasados naturais, etnicamente inferiores, de visão primitiva, incapazes de discernir (como dizia o Papa, da periferia); e outra, colocada do lado oposto para uma feroz protecção de interesses, do status, de apurada visão e dignidade incontestável, como gente de mente bem mais evoluída, que nasceu para viver...

    A pergunta é: como, de que forma e quando vamo-nos abraçar como irmãos?
    9
  • Fofucho Zafyl Fatima é homem (H).
  • Lino Manecas Chioza Assim maná Fatima Mimbire está a nos chamar de Cães por defender o Governo!? Deus te abençoe!
    2
  • Uacheque Bernardo Francisco E os incentivos para tais ataques ( os ossos)....fim de citação.

    Ainda bem que os tais académicos epigrafados nao fazem parte da ciência médica, a que se obriga fazer e cumprir o juramento de Hipócrates. Falhando em cumprir o juramento, se calhar muitos dos epigrafados nao teriam nascidos.
    2
  • Tome Mutombo Neofascismo.
    1
  • Tony Tony Fátima Mimbiri - uma casa dividida não pode subsistir, e quem saí a ganhar com isso é satanás.
  • Armando Arao Muchanga Joaquim Gove, se o camarada AG quis se distanciar de subornos desde o início, a pergunta que não quer calar é, quem autorizou a posterior a divisão do dinheiro??? E a parte em que o camarada AG pede que se apoie ao fulano e sicrano, como devemos interpretar???
    3
  • Benedito Fabião Bernardo Grande a Mulher Deus te abençoe.
  • Armando Nenane a revolucao pacifica abre o caminho para a revolucao sangrenta
    1
  • Hassan Nordino Engenheiro Se todas mulheres que inundao as nossas praças em homenagem a Josina fossem como a Fátima no futuro teríamos filhos brilhantes
    2
  • Dos Langas Cara Fatima. Claro que somos violentos e concordo plenamente contigo. Veja as páginas dos vossos correligionários Muzungu Ndindi, Nitafa hi nomo, Unay Cambuma, Horácio Mobana e muitos outros. Eles têm se alegrado pelas matanças. Não tem nada a dizer sobre isso?
    • Fatima Mimbire Dos Langas o que tu tens para dizer? Eu já disse o que penso.
    • Dos Langas Fatima Mimbire eu repúdio toda incitação à violência. Vocês que se chamam sociedade civil deviam publicamente repudiar as acções da Renamo Moçambique. Ahhh não há espaço para tal pois são simpatizantes. Cadê imparcialidade.
    • Estêvão Marcos Chavala Dos Langas a fatima fez a sua parte, os tais fazem , e o senhor faca a sua, Nao precisando de insultar. Ela nao inventou nada, fala verdades e algumas do conhecimento internacional, afinal onde te doe?
    • Dos Langas Estêvão Marcos Chavala insultei por acaso? Leia o comentário nesta publicação do Lino Macecas Chiosa.
    • Dos Langas Estêvão Marcos Chavala e onde te doe perante a minha intervenção?
    • Dos Langas Estêvão Marcos Chavala nunca farão o que disse acima porque pertencem ao mesmo grupo homicida.
    • Mujovia Muva Dos Langas,quem nao deve nao teme,o que te preocupa? Se nao pertences a esse grupo melhor fechar os lapios e se pertences mudas de todo mal que é contestado
    Yanıt yaz...

  • Julião Arnaldo Fatima Mimbire rir-se o roto do esfarrapado, e o sujo do mal lavado? É o fim da picada — é o que faltava.
  • Nelson Wa Ka Maculetane Este artigo constitui uma fotografia da actual sociedade. Na verdade a #fome e #intolerância é que deixa-nos neste estágio, lamento que no final do dia somos todos farinha do mesmo saco, exemplo disso é o Mazoio que está preso hoje, pra quem lhe conheceu nos tempos do sindicato pode entender do que falo, era tão barulhento e tinha seguidores, passou para aquela ala, mudou forma de pensar e ver a vida.... #fome.
  • Gongoz Monjane We never give up
    2
  • Manuel Joaquim Luis Triste realidade
  • Manuel Rocha Obrigado Sr. Pedro, disseste tudo. Parabéns
  • Manuel Rocha Não acredito que seja fome. Temos ainda neste país pessoas honestas. É quem o faça afim de atingir objectivos, senão iríamo- nos juntar ao mundo do crime para sermos criminosos.
  • Calamodine Nicolau Dos Santos Parabéns Fátima pela coragem
  • Rogerio Pinto Moreira Forte 
  • Antonio Milane É verdade estamos num caminho muito estreito para sermos um país leal, com esse governo liderado por lesa-pátria, Malucos, ocultadores da verdade...
  • Nelito Da Mara Muirula Lindo artigo, que de certa forma convida nos a uma reflexao profunda...
    Realmente tenho visto o estagio actual dos anti criticos, expondo os feitos realizados pelo pai do Juan Bustani de moz, que ao meu entender é uma tentativa de tapar o sol com a pen
    eira, uma autentica vergonha, os envolvidos devem ser responsabilizados pelos actos de ma gestao e aplicacao do erario publico e da coisa publica, independente dos seus feitos, ate porque era o dever deles pautarem pelas normas e principios que norteam a Administracao publica.
    Eles defraudaram sim e devem ser responsabilizados.
  • Marcelo Machava O colonialismo fez o mesmo más caiu e a historia. Dinamica da sociedade
  • Bras Malique Em tudo isto há uma certeza que não podemos descartar, há uma ousada tentativa desses delapidadores da coisa pública em lavar esses crimes todos para que consideremos justo que paguemos o que eles roubaram.
    Vem esta tendência a partir da dívida de lib
    ertação, que entendem que temos para com eles. Por isso, eles se acham no direito de ficar ricos.
    Estão a aplicar àquela teoria chinesa de que, " quem liberta o escravo fica dono do escravo."
    Por esse motivo é que se incomodam muito quando alguém se passa e começa a gritar por um basta a este estado de coisas. Aí, soltam os cães por cima dele.
    Esses que saiem sempre em defesa dos nossos ilustres bandidos já venderam a alma ao diabo e estão dispostos a fazer o possível e o impossível para manter o sossego dos patrões.
    Querem que nos calemos, e aceitemos caladinhos a nova ordem que estão a instalar em Moçambique onde os ladrões, os corruptos, os assassinos e todo o tipo de malandros se tormam na elite da sociedade moçambicana e a maioria composta de pessoas de bem, humildes e trabalhadores na ralé da sociedade.
    Estão a desvirtuar a sociedade para que tudo o que era punível perante a lei passe a ser aceitável e vice-versa.
  • Rolder DIA 14/01 todos a rua. Do Rovuma ao Maputo
  • Mandinho Luis Daniel Fátima tua renamo e CIP ja perderam e vc também...
    Yanıt yaz...

  • Cassam Gafur Hinga tsikane ao culambismo.
  • Nhachote Wale Kaya Morrumbene Granda Fatíma Mimbire...Que os Lambe Botas da Patriá..e todos principalmente(os Historiadores) possam reescrever a História de Moz.