quinta-feira, 29 de junho de 2017

Transportadora pública da Beira opera com apenas cinco autocarros e factura menos de 70 mil meticais por dia



Funcionários dos Transportes Públicos da Beira denunciam maus tratos, falta de pagamento de salários atrasados e má gestão
Mais de uma centena de funcionários dos Transportes Públicos da Beira (TPB) denunciaram, através de cartas dirigidas à governadora de Sofala, maus tratos, falta de pagamento de salários atrasados, má gestão e deficiente comunicação entre os mesmos e a comissão de gestão da empresa.
Ontem, Helena Taipo decidiu fazer uma visita surpresa à empresa (TPB). Depois de visitar as instalações da transportadora pública, a governadora de Sofala manteve um breve encontro com funcionários e gestores da empresa, onde constatou que as denúncias eram verídicas. Mais ainda, governadora descobriu outros problemas, como, por exemplo, a discrepância de salários: na mesma empresa, há trabalhadores que recebem um salário mensal de cerca de dois mil meticais e outros com mais de 90 mil meticais.  
Com uma frota actual de cinco autocarros, a empresa está a produzir, diariamente, cerca de 70 mil meticais. “A nossa situação é tão grave que, nos últimos meses, a empresa deixou de ter capacidade para produzir bilhetes. Estamos a recorrer aos bilhetes dos anos passados, onde nos limitamos apenas a colocar um carimbo na parte traseira. Os gestores da empresa há meses que não conseguem investir em equipamentos para a revisão das viaturas. Veja que, quando tomaram posse, tínhamos 16 autocarros e hoje operamos apenas com cinco”, desabafou João Tembo, um dos funcionários.
Helena Taipo mostrou-se decepcionada com os gestores da empresa e garantiu que vai tomar medidas.
“Já capturei as folhas de salários. É estranha esta discrepância de salários, numa empresa pública que pouco produz. A comissão de gestão quando se apresentou no meu gabinete, há algum tempo, garantiu-me que iria trabalhar para melhorar a gestão desta empresa. Infelizmente, hoje estamos a gerir problemas e com uma gestão claramente danosa. Vou trabalhar com os gestores de TPB e se confirmarmos que são os principais responsáveis pelas dificuldades e problemas que a empresa atravessa, vamos tomar medidas”, disse a governadora.
Dirigindo-se aos trabalhadores, a Helena Taipo apelou-os a trabalharem no sentido de manter a empresa “saudável” em todos os aspectos e a não medirem esforços na busca de soluções para os problemas.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.