sexta-feira, 30 de junho de 2017

A “Ilha da Morte” faz mais uma vítima

Koh Tao.

426
1
A ilha Koh Tao, na Tailândia, é conhecida como 'Ilha da Morte' e fez mais uma vítima: Elise Dallemange, de 30 anos, uma turista belga que alegadamente se suicidou.
Apesar de ser um destino paradisíaco, principalmente para os amantes de desportos aquáticos, Koh Tao, uma ilha na Tailândia, é conhecida pelos casos de mortes estranhas que lá têm ocorrido
Elise Dallemange, uma turista belga de 30 anos que visitava a ilha tailandesa Koh Tao, foi encontrada morta. As autoridades afirmam que a mulher se suicidou em abril, mas só agora foi conhecida a sua história.
Elise foi encontrada numa floresta, oito dias depois de dizer que ia voltar para a Bélgica, enforcada e parcialmente comida por lagartos, segundo o que relataram os oficiais da polícia ao Telegraph. As autoridades acreditam no suicídio, mas a família não acredita na versão que a polícia conta.
Receamos que alguém esteja envolvido. Não aceito que a minha filha se tenha suicidado”, afirma a mãe de Elise, Michele Van Egten, dizendo ainda que a sua filha não apresentava sinais de estar deprimida. Junto ao seu corpo não havia nenhuma carta de suicídio.
Lieutenant Colonel Chokchai Suthimek, o chefe da polícia de Koh Tao, foi contactado pelo Telegraph e disse que “não havia sinais de assassinato”. A autópsia veio revelar que Elise morreu por falta de oxigénio em resultado da corda que estava à volta do seu pescoço.
A mãe da vítima disse achar estranho que as malas de Elise tenham sido enviadas num ferry, que esta posteriormente iria apanhar, para ir até Banguecoque.
Não sei qual o motivo para ela comprar um bilhete e depois ir para a selva e cometer o suicídio”, disse Van Egten.
No dia 17 de abril, Elise já tinha informado os seus familiares de que iria regressar à Bélgica dentro de pouco tempo. Ela estava a viajar pela Ásia, Índia e Austrália há quase dois anos e meio e vivia num retiro de yoga, que era considerado por muitos um culto, liderado por um auto-proclamado guru.
Este é o mais recente caso de mortes bizarras na ilha de Koh Tao. Nos últimos três anos, morreram sete pessoas, sendo que quatro delas foram consideradas casos de suicídio.
MattYoung : RT IanYarwood_Law: "The death of one tourist is a tragedy. The death of ten tourists is a statistic."
-  mafia
O caso mais mediático até aos dias de hoje foi dos britânicos Hannah Witherige, de 23 anos, e David Miller, de 24 anos, que foram assassinados a setembro de 2014 quando estavam a sair do bar da praia em direção ao hotel.
Em dezembro de 2015, o tribunal tailandês acusou dois birmaneses de terem cometido este crime, sendo ambos condenados a pena de morte.

Koh Tao, a Ilha da Morte

Koh Tao significa Ilha da Tartaruga e é um destino popular no Golfo da Tailândia, perto de Koh Samui e da ilha da festa da lua cheia, Koh Phangan.
As quase duas mil pessoas que vivem nesta ilha sobrevivem, principalmente, do turismo.
Os cadáveres do casal britânico foram encontrados na vila de Hat Sai Ri, onde existe um dos mais movimentados resorts turísticos da ilha, que inclui vários hotéis, bares, restaurantes e uma variedade enorme de centros de mergulho, que são na sua maioria geridos por expatriados.
É o típico local onde toda a gente se conhece e, por essa razão, os residentes ficaram chocados com as notícias. “É um dos sítios mais amigáveis de toda a Tailândia”, disse Natasha Eldred, uma instrutora de mergulho de Koh Tao ao Telegraph.
Apesar de ser o paraíso dos amantes de desportos aquáticos, Koh Tao tem sido notícia não pelas suas atrações turísticas, mas pelas estranhas mortes que lá têm ocorrido. Nos últimos três anos, já são contabilizadas sete mortes com contornos macabros.

Os turistas que deixaram a vida em Koh Tao

Além de Elise e do casal britâncio, já outras pessoas perderam a vida nesta ilha.
Valentina Novozhyonova, uma russa que, em fevereiro, saiu do hotel onde estava hospedada e nunca mais foi vista. A jovem de 23 anos tinha feito o check-in no dia 11 e tinha a estadia reservada até ao dia 16. Deixou todos os seus pertences no quarto e nunca foi encontrada pelas autoridades.
  possible Victim 8: Disappearance of Russian Valentina Novozhyonov (23) passport, camera, mobile still in room
Logo no início de 2016, Luke Miller foi encontrado sem vida na piscina de um hotel. O cadáver estava a boiar na água e as autoridades nunca conseguiram encontrar nenhum vestígio de homicídio. A polícia nunca apresentou uma versão coerente do que podia ter-se acontecido.
Um ano antes, em 2015, Christina Annesley, uma inglesa de 25 anos, foi encontrada morta por, alegadamente, ter consumido antibióticos ao mesmo tempo que bebia bebidas alcóolicas. Porém, os pais da rapariga dizem que nunca foram feitos exames para avaliar as causas da sua morte.
  Victim 5: British Christina Annesley, died from a poisoned drink. The autopsy report was never released
Na noite de ano novo de 2015, um viajante francês de 29 anos, Dimitri Povse, foi encontrado enforcado num BUNGALOW A autoridades disseram que se tratava de um caso de assassinato, mas vários especialistas questionaram o relatório da polícia.
Também numa celebração de ano novo, em 2014, Nick Person, de 25 anos, terá caído de uma falésia. O seu corpo foi encontrado a flutuar. A sua mãe aconselhou a nenhum pai deixar o seu filho viajar para esta ilha.
7 unexplained deaths 1 missing: victims that  took in 3 years: 1. British Nick Pearson,police claimed fall of 15 meter
PARTILHE
COMENTE
1Comente e partilhe as suas ideias
SUGIRA

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.