domingo, 25 de junho de 2017

Uma derrota aos críticos de Guebuza

Uma derrota aos críticos de Guebuza
Os críticos de Guebuza andam cabisbaixos porque ao longo do tempo censuraram o seu trabalho, como se ele, ao pretender defender a nossa costa, tivesse cometido uma irreverência, uma insensatez. Sempre suspeitei que as acusações contra Guebuza não tinham fundamento, nem legal nem lógico. O relatório sumário recentemente apresentado pela PGR, num Sábado, veio a dar-me razão. A indignação actual dos puritanos e críticos de Guebuza parece, antes de tudo, um exame de consciência das almas revoltadas que o tinham condenado antes que fosse acusado. Agora é preciso que esse exame seja acompanhado pela serena análise da inteligência deles, para descobrirem (o que nós outros descobrimos) os motivos políticos por que a PRG fez um relatório tendencioso, que incrimina, até certo ponto, certas pessoas fazendo uso de códigos. Este é um momento que exige coragem honesta e desassombrada. A coragem para denunciar as artimanhas que “eles” vem arquitectando contra a Frelimo.
Antes da Kroll e ajudados pela sua rica imaginação, acusaram, julgaram e condenaram Guebuza mas a determinação deste, na AR, atemorizou-os. E de ombros encolhidos, num desânimo taciturno, essas pessoas foram lamentar-se para instituições estranhas da esquina habitual e do sertão familiar. Que queriam elas? Que Guebuza fosse acusado e preso. Mas prender Guebuza é prender a história de um povo! Conscientes disso agora procuram entre os labirintos do referido relatório, figuras que sirvam de bode expiatório para satisfazer os egos anti-patrióticos e do agora ferido orgulho de sabe-tudo. Para mim, não é possível amar a Frelimo e desejar ver Guebuza preso. Na verdade, atingir Guebuza é atingir todo um organismo. E este organismo chama-se Frelimo. Por detrás destas armações se escondem intenções malignas de fragilizar a Frelimo. Aos inimigos da Frelimo, gostaríamos de recordar que estamos de olhos.
Já que perguntar não ofende:
Haverá algum plano secreto entre a PGR e uma entidade estranha para sacrificar uns camaradas em nome do combate contra a corrupção? Quererá a PGR colaborar nesta missão de fragilização da Frelimo em nome de donativos?
Seja como for, o Governo de Guebuza ficou na história política do nosso tempo como a afirmação enérgica dum governo que tendo como único objectivo o interesse da Pátria, não hesitou, não quebrou, não emudeceu, mas seguiu para frente, dominador e irresistível e elevou o nome de Moçambique de tal sorte que os que antes falavam de Moçambique já se sentem obrigados a falar com Moçambique.
GostoMostrar mais reações
Comentar
Comentários
Claudio Chitsonzo
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
8
· 25/6 às 20:27
Yan De Narvik Milange
Yan De Narvik Milange Boa Pergunta. Esse é o mais burro de moz!
GostoMostrar mais reações
· Responder · 25/6 às 22:18
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Por que diz isso, Claudio Chitsonzo? Sempre defendi a inocencia do homem, em todos os foruns e em todos os encontros.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 25/6 às 20:29
Bitone Viage
Bitone Viage Que inocência Eusébio A. P.Gwembe, sinceramente meu irmão.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
5
· 25/6 às 21:13
Sidonio Pedro
Sidonio Pedro Este é um dos tais...
Jossias Ramos
Jossias Ramos Eusébio A. P. Gwembe é assim: vocês podem falar de todos, acusar a tudo e todos, mas não mexam no mAis vElho Grande (dele). Foi desde sempre uma figura Sarco-Santa, mesmo no assunto Operação- Produção, foram outros que interpretaram/implementaram mal o 'Plano Estratégico'.
Joao Cabrita
Joao Cabrita Bitone Viage, deve ter em conta os chamados 'balões meteorológicos' que são lançados com o propósito de se medir o pulso das cidadãos sobre determinado assunto. No caso vertente, o que a Kroll conseguiu (e 'desconseguiu') apurar. A sua reacção, a minha e a de todos aqui - e em outros locais como este - conta para o «Int Report».
Jossias Ramos
Jossias Ramos Ntsém!
Nito Ivo
Nito Ivo 😂😂😂😂
GostoMostrar mais reações
· Responder · 25/6 às 20:29
Siachukeni Lucas
Siachukeni Lucas O relatório preliminar não trás nomes, apenas pessoa A, pessoa B. Infelizmente, se trouxesse nomes aí sim poderia concordar com a sua análise.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
5
· 25/6 às 20:30
Belarmino A. Lovane
Belarmino A. Lovane Obrigado pela breve e rica analisa. AEG é sim o motivo da nossa afirmação como Moçambicano e durante o seu mandato mostrou que Moçambique era uma nação capaz de ter infra-estruturas de dimensões internacionais e com um potencial rico e diversificado. Enfim, hoje fala -se de "Moçambicanos" graça a este investimento social, econômico e estrutural.
AdoroMostrar mais reações
· Responder ·
8
· 25/6 às 20:32 · Editado
José Francisco Narciso
José Francisco Narciso · 3 amigos em comum
Calumnias e odio dos anti-patrias. Com anti-patrias ou sem eles, incluidos os terroristas de Canibal Alfonso Dlhakama, Moçambique vai seguir adiante.
AdoroMostrar mais reações
· Responder ·
6
· 25/6 às 20:33
Lyndo A. Mondlane
Lyndo A. Mondlane Kkkkkk... canibal..
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 26/6 às 10:17
Marcos Manejo Pakhonde Pakhonde
Marcos Manejo Pakhonde Pakhonde · 15 amigos em comum
Parece cedo demais para concluir que o "broda" na foto nao tera cometido algo ilicito. O relatorio ainda ehh uma incognita. Veja que simplesmente fala de agente A, agente B, agente C e ai por diante. Quem sabe, um destes agentes incognitos seja o camarada Guebuza. Seria bom sim que ele nao fosse afectado, mas o pessoal com que ele trabalhou, pode ter o metido na isca.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
8
· 25/6 às 20:33
Samuel Dos Santos
Samuel Dos Santos Eusébio A. P. Gwembe fala como se fosse membro do forum que vai julgar os factos em sede do tribunal. Já há sentença?? Havendo ilibação só me resta desejar ao presidente Guebuza os meus parabéns.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
3
· 25/6 às 20:34
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos Puxaaa, que raio de vinho te deram hoje, Eusebio Eusébio A. P. Gwembe?
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
5
· 25/6 às 20:35
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Nao ha nenhum vinho, Eduardo Domingos. Esqueceu que sempre defendi este lado da inocencia e que o uso do termo ilegalidade, numa Assembleia em que a oposiçao vota NAO tudo o que vem do Governo excepto mordomias nao fazia sentido?
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
5
· 25/6 às 20:38
Muhamad Yassine
Muhamad Yassine Será que a oposição deveria ter votado sim a CGE 2015? Onde se incluí as dívidas ?
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 25/6 às 20:52
Marcos Manejo Pakhonde Pakhonde
Marcos Manejo Pakhonde Pakhonde · 15 amigos em comum
Yassine. A esta pergunta o camarada Gwembe nao vai lhe dar resposta. O dr Gwembe, lê muito e acredito que um dos manuais que tanto vasculha qdo é intrigado, é a CRM, a qual nao permite a retroactividade nos gastos.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
3
· 25/6 às 21:16
Francisco Mandlate
Francisco Mandlate Se o o que é descrito naquele relatório é defender um país, grande segurança nós temos.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
4
· 25/6 às 20:39
Pedro Manhique
Pedro Manhique Bebeu tó tó tu Eusébio A. P. Gwembe
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 25/6 às 20:41
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos Recebi o relatorio mas ainda nao o li, Eusebio Eusébio A. P. Gwembe. Espero que seja teu equivoco
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 25/6 às 20:45
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Se tem preguiça de ler eu lhe posso enviar em MP3, Eduardo Domingos. Sao precisas 3 horas e 12 minutos
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 25/6 às 20:54
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos Nao, nao.
GostoMostrar mais reações
· Responder · 25/6 às 21:08
Albano Garrine
Albano Garrine Camarada Eusebio espera para veres, as últimas noticias , que andam cá fora
GostoMostrar mais reações
· Responder · 25/6 às 20:46
Mario Albano
Mario Albano Camarada que ouve roubo isto está provado neste sumário se fosse camarada não abreria "champanhe " muito sedo este tipo de operações não pode acontecer se anuência do Alto magistrado da Nação. Se fosse assim quelquer um de nós poderia vender o País.
GostoMostrar mais reações
· Responder · 25/6 às 20:52
Santos Alfredo
Santos Alfredo Mas como PR ou PCA do País se assim o quisermos chamar, em ultima analise a culpa recai sobre ele. Foi a ele que confiamos os destinos do País para gerir com sabedoria e mestria.
GostoMostrar mais reações
· Responder · 25/6 às 21:00 · Editado
Jay Cee Malôa
Jay Cee Malôa Até agora, pelo menos nas minhas amizades, ainda ñ tinha escutado o nome de Guebuza neste assunto. Até o proprio relatorio ñ o menciona. Porque trouxe o nome do camarada Guebuza para este debate?
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
6
· 25/6 às 20:58
Boladeiro Guy
Boladeiro Guy · 26 amigos em comum
Apenas um ponto de reflexão antes de falarem do relatório: vejam os termos de referência. Ali é onde está o busílis da questão. Não nos atirem areia para a vista.
Fuiiii......
GostoMostrar mais reações
· Responder · 25/6 às 21:13
Amandinho Aniceto
Amandinho Aniceto Se percebi, mais velho Eusébio A. P. Gwembe, os analistas olharam Gebuza como cabeça de lista. E como se não bastasse o relatorio da culpas, a quem? A PGR. Omitiu, entre tanto essas pessoas o chefe era ele. Essa visão teria qualquer um democrata que olha um grupo chefiado por alguem. Penso eu não podiamos falar do ministro de x, y ou z porque eles fazim tudo a mando do chefe. Não podemos olhar os camaradas que criticam como destruidores, antes pelo contrario construdores para que erros de hoje nao se repitam amanha. Ainda na minha analise não se pode negar que ele desempenhou seu papel de presidende, como outros desempenharam, hoje falamos dos seus feitos e suas fragilidades. Isso é inegavel. Critica, Unidade, critica.

Quanto for eu o mesmo podera acontecer!
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 25/6 às 21:21 · Editado
Brazao Catopola
Brazao Catopola Hummmm. Uma pergunta central. Desde do extinto ministério da segurança a secreta responde a quem diretamente?
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 25/6 às 21:32 · Editado
Eliminar
Nelo Cuna
Nelo Cuna o certo e que eu estou certo da impunidade residente e resistente em moz
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 25/6 às 21:31
Abel Zico
Abel Zico Só pode estar a ser irónico Eusébio A. P. Gwembe, só pode mesmo... Não é possível este texto vir duma pessoa minimamente lúcida, tentando desviar-nos de coisas que até um bebé recém nascido consegue ver. Shame, não nos brinca você!
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
12
· 26/6 às 10:10 · Editado
Mathause Fernando
Mathause Fernando · 13 amigos em comum
Viva Cda Presidente Guebuza, o Presidente de todos os tempos... Aqui foram derrotados os apóstolos da desgraça!
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 25/6 às 21:51
Candido Junior
Candido Junior Um relatório de auditoria não é um auto de polícia, embora seja uma boa base para investigação não serve para culpabilizar ou inocentar quem quer que seja.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
8
· 25/6 às 21:53
Sandro de Sousa
Sandro de Sousa É sim uma prova documental, ainda por cima sendo relatório de uma auditoria forense.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 26/6 às 9:33
Xavier Antonio
Xavier Antonio A sua conclusão é prematura. Esperemos para ver.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
4
· 25/6 às 22:02
Jose Manuel Nhancucuwe
Jose Manuel Nhancucuwe Mas que pena o nosso foi vitima que um dia o povo vai reconhe- lo Armando Emilio Guebuza grande Presinte da Republica de Mocambuque foi
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 25/6 às 22:19
Maylene Paulo
Maylene Paulo Quem e cego sabe ver pelas palavras ha mais.....so faltava este post para os burros enganar-se a si mesmo. Maravilha
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
8
· 25/6 às 22:26
Victor Nihia
GostoMostrar mais reações
· Responder · 25/6 às 22:51
Moulinho Lehuany
Moulinho Lehuany Vejo muito ataque a pessoa do Eusébio A. P. Gwembe contraponham os argumentos, só assim fica mais proveitoso. Há muito apriorismo sentenciador mesmo sem acesso aos dossiers
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
4
· 26/6 às 1:03
Fernando Costa
Fernando Costa Eu já li o relatório e mais uma vez acho que o Eusébio é o internauta mais divertido e inteligente que tenho na minha lista de amigos.. Divertido porque na verdadeira assunção da palavra ele se diverte a lançar bombas e depois a rir muito dos estilhaços (comentários). Inteligente, porque ele escreve deliberadamente de forma a que ninguém concorde com aquilo que escreve. Inteligente ainda, porque nem ele concorda com aquilo que escreve..
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
17
· 26/6 às 1:12
Domus Oikos
Domus Oikos Kkkkk.. ... verdade.
GostoMostrar mais reações
· Responder · 26/6 às 4:01
David Augusto Bene
David Augusto Bene 👏👏👏👏👏
Mas pera aí
🤔🤔🤔🤔
Intelige
nte é o comentador...
Jossias Ramos
Jossias Ramos Lendo as entrelinhas da maioria das suas (de Eusébio A. P. Gwembe) 'polemicas' postagens, nota-se que a sua conclusão, ilustre Fernando Costa, está MUITO CERTA.
Andre Jorge Chifeche
Andre Jorge Chifeche Estou de acordo com o seu comentario Fernando Costa
Heleno Bombe
Heleno Bombe Mas que aberração é essa? Até minha filha de 5 anos sabe que Guebuza nos roubou
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 26/6 às 6:52
Moulinho Lehuany
Moulinho Lehuany Mas é certo isso? Não ensine sua criança a viver de ouvir dizer
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 26/6 às 9:33
Heleno Bombe
Heleno Bombe Esse não passa de um lambebota e escovinha como o senhor Moulinho Lehuany
Moulinho Lehuany
Moulinho Lehuany Não fales de mim sem me conhecer...não tenho esse tipo de ligações. Ponho ponto final essa assunto porque vi que há uma longa caminhada do conhecimento.
José Luis Ernesto Fole
José Luis Ernesto Fole · 133 amigos em comum
Roubou oque?
Circular de Maputo que te dá um conforto nunca tido desde a ponta de Ouro, passando por marracuene, Boane.... até onde sua mente não despontava?
Roubou ponte Maputo Catembe que vai acelerar o desenvolvimento e a expansão da Cidade de cimen
...Ver mais
Heleno Bombe
Heleno Bombe Mais um polidor escovinha e lambebota caro José Luis Ernesto Fole
Candido Junior
Candido Junior José LuisErnesto Fole ... essas crianças que aos 5 anos ja conhecem padrões devem estar a ser muito mal oroentados pelos progenitores ou pelo menos por um deles kkkkkk
Heleno Bombe
Heleno Bombe Candido Junior estás a me sair um advogado do Diabo, advogado dos ladrões, perante evidências você ainda nega!
Nelson Badaga
Nelson Badaga Existe um incognestismo no relatório ou seja no resumo da PGR.
GostoMostrar mais reações
· Responder · 26/6 às 6:54
Calicas Coelho
Calicas Coelho · 4 amigos em comum
Prender Guebuza é prender um ladrão!
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 26/6 às 7:21
Carlos Jossia
Carlos Jossia · 88 amigos em comum
Gostei da ironia ! realidade ficcionada!
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 26/6 às 9:26
Mário João Francisco Francisco
GostoMostrar mais reações
· Responder · 26/6 às 9:45
David Nhassengo
David Nhassengo "Os críticos de Guebuza andam cabisbaixos porque ao longo do tempo censuraram o seu trabalho, como se ele, ao pretender defender a nossa costa, tivesse cometido uma irreverência, uma insensatez. Sempre suspeitei que as acusações contra Guebuza não tinham fundamento, nem legal nem lógico. O relatório sumário recentemente apresentado pela PGR, num Sábado, veio a dar-me razão. A indignação actual dos puritanos e críticos de Guebuza parece, antes de tudo, um exame de consciência das almas revoltadas que o tinham condenado antes que fosse acusado (...)"

"(...) para descobrirem (o que nós outros descobrimos) os motivos políticos por que a PRG fez um RELATÓRIO TENDECIOSO, que INCRIMINA, até certo ponto, CERTAS PESSOAS FAZENDO USO DE CÓDIGOS (...)"

Bem. Se foram empregues códigos para identificar certas pessoas, o cda Guebuza é que foi ilibado com uso de nomes próprios?
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
5
· 26/6 às 10:30
Daniel Oliveira
Daniel Oliveira · Amigo/a de Luisa Magaia Lulu
Seu escova de aço, nem devias fazer esse comentário pois o roubo é evidente,só você que se faz de cego
GostoMostrar mais reações
· Responder · 26/6 às 10:33
Nelson Bauque
Nelson Bauque · 5 amigos em comum
È candidato a algum cargo o sennhor????
GostoMostrar mais reações
· Responder · 26/6 às 10:49
Balane Constâncio
Balane Constâncio · 5 amigos em comum
Quem é o agente C? O Agente A!!!! E os outros que são identificados por Códigos!!!!!!!!!??????
GostoMostrar mais reações
· Responder · 26/6 às 11:58
Francisco Pacheco Chigogoro
Francisco Pacheco Chigogoro OH Meu DEUS que aberracao! sera que o autor deste post,que bem o conheco nas suas escritas ja sofre de intervalos lucidos ou ja e um hipocrita? fazer o que! chama se liberdade de expressao,o direito lhe confere,o meu grito sera o mesmo " algemas p o PATO"
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
4
· 26/6 às 12:15
Isac Manjate
Isac Manjate Uma análise meramente irônico. Só pode. E, não quero acreditar, sem muito esforço epidemiológico que o que vem em alusão neste textículo seja uma verdade....
GostoMostrar mais reações
· Responder · 26/6 às 12:21
Vitorino David
Vitorino David Mau caro Eusebio Eusébio A. P. Gwembe, Gostei muito da abordagem que Aqui fazes. Estão mesmo cabisbaixo. E a atenção que Aqui chamada Acho mesmo pertinente is que falaram de Moçambique agora falam com Moçambique. Bem haja!
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 26/6 às 13:18
Vitorino David
Vitorino David Digo, Meu caro
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 26/6 às 13:36
Cardoso Armando
Cardoso Armando Nao gosto fazer comentários para certos assuntos mesmo sabendo que na qualidade de moçambicano tenho o dever de fazer. Mas concordo plenamente com o Fernando Costa. Tambem li o relatorio e fiquei com sensação de que mais uma vez a PGR limitou se parafrasear o relatório da Kroll e nao fez seu TPC.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 26/6 às 14:52
Moreira Vasco
Moreira Vasco · 18 amigos em comum
Falou bem e corretamente. Disse
GostoMostrar mais reações
· Responder · 26/6 às 15:16
Moreira Vasco
Moreira Vasco · 18 amigos em comum
Para dizer que concordo com o post e a análise feita pelo Eusébio
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 26/6 às 15:21
Armindo Francisco Bema
Armindo Francisco Bema · 62 amigos em comum
Eu prefiro não comentar esse post ilustre. Mas fico desapontado!
GostoMostrar mais reações
· Responder · 26/6 às 17:20
Jaime Metamaleia
Jaime Metamaleia kkkkkkkkkk so os olho
GostoMostrar mais reações
· Responder · 26/6 às 17:55
Eddy Edson Magalo
Eddy Edson Magalo Temos q saber esperar o desfecho do processo, depôs é q podemos relatar a nossa opinião em relação ao assunto, porq por enqnto ainda é prematura apontar dedo ao "vizinho" sob risco de manhã ficarmos envergonhado Sr #Eusébio
GostoMostrar mais reações
· Responder · 26/6 às 19:47
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Quem anda iluminado nao tem motivo para ficar envergonhado, Eddy Edson Magalo. O processo esta para ser empurrado a tomar o cunho politico e vamos denunciando, nao sou de esperar pelo fim como fazem os neutros.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 26/6 às 20:16
Joao Cabrita
Joao Cabrita Acho que foi dos melhores textos até agora publicados pelo Eusébio A. P. Gwembe. Os ares da Turquia fizeram-lhe muito bem. Espero que a PGR entre agora nos carris.

P.S. Sempre achei pessoa suspeita, essa Sra. Beatriz, e desde que passou a usar óculos estilo Joana Simeão concluí que a PGR havia sido infiltrada.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
3
· 26/6 às 20:52
Moreira Vasco
Moreira Vasco · 18 amigos em comum
Mas eu reafirmo concordo com a análise do post pork se fosse no tempo das dinastias o nome k eu daria ao Presidente Guebuza seria "
GostoMostrar mais reações
· Responder · 26/6 às 21:12
Edson João João Alberto
Edson João João Alberto MA. Eusébio, o tempo coloca cada um no seu lugar... cada rei ou rainha no seu trono e, cada palhaço no seu circo. Obrigado PR Guebuza pela defesa da nossa integridade territorial.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 26/6 às 21:29
Nu Ni Nho
Nu Ni Nho · Amigo/a de Joao Cabrita e 35 outras pessoas
Isto só pode ser ironia.... Respeito mas haja lucidez... Enfim!!
GostoMostrar mais reações
· Responder · 26/6 às 21:46
Xidakua Francisco
Xidakua Francisco Eusébio A. P. Gwembe fazes boa propaganda para o estado deves receber bem.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 26/6 às 22:11
Joao Cabrita
Joao Cabrita "NB. A foto não tem nada a ver com o conteúdo!"
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 26/6 às 23:16
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Uma imagem propria de oportunistas politicos, Joao Cabrita. O relatorio da kroll diz que sobre os 500 houve debate em 2013 para o orçamento de 2014 pelo que estes "hipocritas" participaram dele
GostoMostrar mais reações
· Responder · 19 h
Joao Cabrita
Joao Cabrita Eusébio A. P. Gwembe, podia ser mais preciso quanto aos debates parlamentares sobre os USD500,000? Gabriel Muthisse foi o próprio a reconhecer que o assunto não foi tratado na AR: «A Lógica da Chamada Divida Oculta», 17 Junho 2016.
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Joao Cabrita numa das duas paginas recomendadas aparece a informaçao dada pelo Ministerio das finanças.
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Joao Cabrita numa das duas paginas recomendadas aparece a informaçao dada pelo Ministerio das finanças.
Joao Cabrita
Joao Cabrita Eusébio A. P. Gwembe, parece que não nos entendemos, Quando afirma «'que estes "hipocritas" participaram dele» julguei que se estivesse a referir aos deputados no MDM. Estes estão na AR e não no Ministério das Finanças.
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Joao Cabrita o Ministerio das Finanças diz que o taco foi debatido em 2013 para OGE de 2014 e, até provas em contrario, o debate aconteceu na AR onde estes "hipocritas" se faziam presentes.
Joao Cabrita
Joao Cabrita Lá está você em «modo desinformação», Eusébio A. P. Gwembe: toda a gente sabe que o pacote financeiro da EMATUM e das outras duas empresas não foi debatido na AR. Até pessoas mais frelimistas que a Frelimo têm vindo a evocar a falta de «due diligence» por parte dos credores, acusando-os de não terem apurado esse pormenor, isto é, o da violação da Constituição.
Fernando Veloso
Fernando Veloso Auditoria à dívida de Moçambique é “incorreta e enganadora”, aponta Credit Suisse
26/6/2017, 14:23


O banco suíço Credit Suisse considerou que as conclusões da auditoria da Kroll à dívida escondida de Moçambique são "incorretas e enganadoras", disse o banco numa declaração citada pela Bloomberg.
Partilhe

PETER KLAUNZER/EPA
Autor

Agência Lusa

Mais sobre

Banca
Credit Suisse
Dívida Pública
Mercados Financeiros
Moçambique
Economia
África
Mundo

O banco suíço Credit Suisse considerou esta segunda-feira que as conclusões da auditoria da Kroll à dívida escondida de Moçambique são “incorretas e enganadoras”, garantindo que as comissões recebidas foram de 23 milhões de dólares (20 milhões de euros).

“A conclusão [da auditoria] de que o Credit Suisse recebeu 100 milhões de dólares (89 milhões de euros) ou mais em taxas de mediação financeira é incorreta e enganadora”, disse o banco suíço numa declaração citada pela agência de informação económica Bloomberg.

As taxas bancárias para o Credit Suisse totalizaram 23 milhões de dólares, mais ou menos 2,3% do financiamento total e estão em linha com as transações financeiras comparáveis realizadas nos mercados emergentes”, acrescenta o banco que mediou, juntamente com o russo VTB, os empréstimos de empresas públicas moçambicanas que não foram comunicados nem às autoridades do país nem aos doadores internacionais.

O banco suíço respondeu assim à divulgação, no sábado, do sumário executivo da auditoria apresentada pela consultora Kroll à Procuradoria-Geral da República de Moçambique, que afirmou que estes dois bancos receberam 200 milhões de dólares (178 milhões de euros) em comissões por terem organizado os empréstimos às empresas públicas Mozambique Asset Management (MAM) e Proindicus.

O VTB, por seu turno, disse que não irá comentar a auditoria até ler o documento de forma detalhada. A divulgação do sumário era uma das condições defendidas pelos doadores e pelas instituições financeiras internacionais para voltarem a ajudar o país, o nono mais pobre do mundo.

A auditoria às dívidas ocultas de Moçambique deixou por esclarecer o destino dos dois mil milhões de dólares contraídos por três empresas estatais entre 2013 e 2014, disse a PGR no domingo.

“Lacunas permanecem no entendimento sobre como exatamente os 2.000 milhões de dólares (1.780 milhões de euros) foram gastos, apesar dos esforços consideráveis” para esclarecer o assunto, refere a PGR em comunicado sobre a investigação da Kroll.

Por outro lado, “a auditoria constatou que o processo para a emissão de garantias pelo Estado parece ser inadequado, sobretudo no que respeita aos estudos de avaliação que devem ser conduzidos, antes da sua emissão”, acrescenta-se.

As garantias foram passadas sob a presidência de Armando Guebuza, sem conhecimento do parlamento, nem dos parceiros internacionais – como o Fundo Monetário Internacional (FMI) – para suportar os empréstimos contraídos pelas empresas Ematum, Proindicus e MAM.

O escândalo das dívidas ocultas rebentou em abril de 2016 – a dívida de 850 milhões de dólares (759 milhões de euros) da Ematum era conhecida, mas não os 622 milhões (556 milhões) da Proindicus e os 535 (478) da MAM – e atirou Moçambique para uma crise sem precedentes nas últimas décadas.

Os parceiros internacionais suspenderam apoios, a moeda desvalorizou a pique e a inflação subiu até 25% em 2016, agravando o custo de vida já de si elevado para os cidadãos.

Segundo a procuradoria, a investigação da Kroll descobriu “divergências entre as explicações” para uso da verba e detetou “falhas graves na forma como foram feitas as avaliações para emissão de garantias pelo Estado”. Há mesmo um valor de mil milhões de dólares (893 mil milhões de euros) correspondente a três garantias, do total de cinco que foram emitidas, em que “não há evidências de ter sido feita qualquer avaliação”.

Foram ainda identificados “potenciais conflitos de interesse em relação a algumas pessoas intervenientes no processo de autorização das garantias do governo para as empresas auditadas”.

A PGR destaca ainda que o Grupo Privinvest, contratado pelas empresas estatais para fornecer bens e serviços para os quais supostamente serviria o dinheiro, teve “um papel determinante no projeto” participando em quase todo o seu desenho, inclusivamente na ligação aos bancos que emprestaram o dinheiro, o Credit Suisse e o VTB.
GostoMostrar mais reações
· Responder · 26/6 às 23:40
Joao Cabrita
Joao Cabrita Antes de poder interiorizar este comentário do Fernando Veloso terei de considerar os pontos de vista do representante da AWEPA em Maputo, pois em questão de números e percentagens ele nunca errou. Basta recordar os números saídos das eleições realizadas em Moçambique e as sábias conclusões a que chega: «quaisquer irregularidades não alteram significativamente os resultados finais.»
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· Ontem às 9:31
Fernando Veloso
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
6
· 26/6 às 23:42
Mucussete Ussene Ussene
Mucussete Ussene Ussene Perdeu-se a batalha,e nao cante vitoria caro Eusebio A.P. Gwembe. O q a Krol fez foi de tentar lavar as maos, e fazer se passar pelo " carpinteiro sem serrote" , deixou a obra sem conclusao,o bom e' q ainda pode dizer q obra nao está terminada. Por todos efeitos necessariamente postos a conhecimento publico nao deixam margem de duvida q qualquer um q era suspeito no envolvimento da divida oculta ainda continua como pessa de suspeita, porque a propria PGR nao inocenta, muito menos acusa alguem q possa responder em juizo sobre o caso. Fico espantado caro Gwembe, como e' q chega a pensar q exista fulanos q já se encontrem livres da suspeita? Se o camarada Eusebio A.P.Gwembe nao está perante uma situaçao de querer agitar o povo, camuflando-se de defensor do individuo ora em alusao,,penso q tambem já viu q o relatorio e' vazio e dá a entender q falta muita coisa por se descodificar. O povo sabe de antemao q nao existe no pais uma individualidade cujo seu nome e' simplesmente, "A" ou "B", como a procuradoria tratou a individuos dos quais o povo ficou saber q podem ser nomes de pessoas como essas q ate possuem adeptos do tipo do Eusebio A P Gwembe. Pense bem, e saiba q este povo já nao e' o mesmo de 1986.
GostoMostrar mais reações
· Responder · Ontem às 1:58
Fernando Veloso
Fernando Veloso A "medalha" que faltava à KROLL e o amen à GATUNAGEM
----/-----/------//-------/-------
Credit Suisse: Auditoria à dívida de Moçambique é "incorreta e enganadora"


Credit_suisseO banco suíço Credit Suisse considerou hoje que as conclusões da auditoria da Kroll à dívida escondida de Moçambique são "incorrectas e enganadoras", garantindo que as comissões recebidas foram de 23 milhões de dólares.

"A conclusão [da auditoria] de que o Credit Suisse recebeu 100 milhões de dólares ou mais em taxas de mediação financeira é incorrecta e enganadora", disse o banco suíço numa declaração citada pela agência de informação económica Bloomberg.

"As taxas bancárias para o Credit Suisse totalizaram 23 milhões de dólares, mais ou menos 2,3% do financiamento total e estão em linha com as transacções financeiras comparáveis realizadas nos mercados emergentes", acrescenta o banco que mediou, juntamente com o russo VTB, os empréstimos de empresas públicas moçambicanas que não foram comunicados nem às autoridades do país nem aos doadores internacionais.

O banco suíço respondeu assim à divulgação, no sábado, do sumário executivo da auditoria apresentada pela consultora Kroll à Procuradoria-Geral da República de Moçambique, que afirmou que estes dois bancos receberam 200 milhões de dólares em comissões por terem organizado os empréstimos às empresas públicas Mozambique Asset Management (MAM) e Proindicus.

O VTB, por seu turno, disse que não irá comentar a auditoria até ler o documento de forma detalhada.

A divulgação do sumário era uma das condições defendidas pelos doadores e pelas instituições financeiras internacionais para voltarem a ajudar o país, o nono mais pobre do mundo.

A auditoria às dívidas ocultas de Moçambique deixou por esclarecer o destino dos dois mil milhões de dólares contraídos por três empresas estatais entre 2013 e 2014, disse a PGR no domingo.

"Lacunas permanecem no entendimento sobre como exactamente os 2.000 milhões de dólares foram gastos, apesar dos esforços consideráveis" para esclarecer o assunto, refere a PGR em comunicado sobre a investigação da Kroll.

Por outro lado, "a auditoria constatou que o processo para a emissão de garantias pelo Estado parece ser inadequado, sobretudo no que respeita aos estudos de avaliação que devem ser conduzidos, antes da sua emissão", acrescenta-se.

As garantias foram passadas sob a presidência de Armando Guebuza, sem conhecimento do parlamento, nem dos parceiros internacionais - como o Fundo Monetário Internacional (FMI) - para suportar os empréstimos contraídos pelas empresas Ematum, Proindicus e MAM.

O escândalo das dívidas ocultas rebentou em Abril de 2016 - a dívida de 850 milhões de dólares da Ematum era conhecida, mas não os 622 milhões da Proindicus e os 535 da MAM - e atirou Moçambique para uma crise sem precedentes nas últimas décadas.

Os parceiros internacionais suspenderam apoios, a moeda desvalorizou a pique e a inflação subiu até 25% em 2016, agravando o custo de vida já de si elevado para os cidadãos.

Segundo a procuradoria, a investigação da Kroll descobriu "divergências entre as explicações" para uso da verba e detectou "falhas graves na forma como foram feitas as avaliações para emissão de garantias pelo Estado".

Há mesmo um valor de mil milhões de dólares correspondente a três garantias, do total de cinco que foram emitidas, em que "não há evidências de ter sido feita qualquer avaliação".

Foram ainda identificados "potenciais conflitos de interesse em relação a algumas pessoas intervenientes no processo de autorização das garantias do governo para as empresas auditadas".

A PGR destaca ainda que o Grupo Privinvest, contratado pelas empresas estatais para fornecer bens e serviços para os quais supostamente serviria o dinheiro, teve "um papel determinante no projecto" participando em quase todo o seu desenho, inclusivamente na ligação aos bancos que emprestaram o dinheiro, o Credit Suisse e o VTB.

Lusa – 26.06.2017
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
3
· Ontem às 2:57
Edson João João Alberto
Edson João João Alberto Com qual intenção a kroll traria resultados enganadores? Seriam bons resultados se v. excia PR Guebuza e Chang estivessem envolvidos como pessoas que desviaram esse dinheiro? Gostaria de lembrar aos críticos de Guebuza que quando ouviram de que haveria uma auditoria Internacional ficaram felizes e segundo estes haviria transparência. Na minha opinião, são reclamações injustas.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· Ontem às 6:56
Edson João João Alberto
Edson João João Alberto Infelizmente e sem querer ofender, aos críticos de Guebuza vou ter que chamá-los de preconceituosos.
GostoMostrar mais reações
· Responder · Ontem às 7:33
José de Matos
José de Matos Edson, e se au chamar aos defensores de Guebuza de coniventes com ilicotos ?
Edson João João Alberto
Edson João João Alberto Meu caro amigo José de Matos, acha que este libertador da Pátria é tão insensato a ponto de contrair dívidas para sacrificar o seu povo?
José de Matos
José de Matos Edson João João Alberto , acho que o insensato aqui és tu, sem duvida, cghamandfo outros de preconceituosos!! Podia discutir contigo o conceito de libertador e o que a Ktoll denuncia, mas nao perco tempo de qualquer maneira!
Edson João João Alberto
Edson João João Alberto O tempo coloca cada um no seu lugar, veremos o que vai acontecer, tudo está nas mãos da PGR. Não concordo com a tua opinião mas respeito.
Sidonio Pedro
Sidonio Pedro José de Matos, parece que Edson João Alberto tocou na ferida.
José de Matos
José de Matos Sidonio Pedro , porque ? Imagino, pelo que defendes, que tambem apoias que os qie nao concordam contigo sao preconceotuosos, nao ? So que ele discorda mas respeita, nao sei se é o teu caso!
Vai com calma, Sidonio!
Sidonio Pedro
Sidonio Pedro João de Matos, sentiu-se desrespeitado por mim?
Edson João João Alberto
Edson João João Alberto Esta história que o sr José de Matos conta não tem nada de extraordinário. Quando é assim é melhor não contar nada e ficar calado porque um dia corre o risco de contar que: era uma vez um cão mordeu uma pessoa.
Achas que há algo de extraordinário aqui?

Como bem disse o MA. Eusébio, uma derrota aos críticos de Guebuza que estão de ombros encolhidos e prender Guebuza é prender a Frelimo e prender a Frelimo é prender a História de Moçambique.
José de Matos
José de Matos Edson João João Alberto , poupa-me, pah! Tu contas historias e nos contamos a Historia!
José de Matos
José de Matos Sidonio Pedro , desrespeitado nao,so estou a dizer que o Edson discorda mas respeita a minha opiniao, e isso eu exijo a todos ou comigo nao conversam! O Edson nao se pode esticar muito ao chamar os outros de preconceituisos! Simples!
Edson João João Alberto
Edson João João Alberto Sr. José de Matos, qual seria o resultado satisfatório que a kroll deveria trazer na sua opinião?
Sidonio Pedro
Sidonio Pedro Muito bem José de Matos, mas a História que tu contas não tem credibilidade nenhuma, pois basea-se em rancores, calunias assassinatos de carácter, difamaçoes e frustrações. É por ai que eu concordo com o Edson João Alberto.
José de Matos
José de Matos Sidonio Pedro , a Historia que eu conto é confirmada pelo historiador Eusébio A. P. Gwembe e por muita literatura disponivel para quem quer investigar! Para quem quer engolir as trtas da versao frelimista, o problema é deles!
Vamos deixar, eu nao perco tempo com pessoas que estao em permanente propaganda partidaria, eu nao sou partidario, sou apenas moçambicano nacionalista!
José de Matos
José de Matos Edson João João Alberto , estavamos a falar de GHistoria, e vou repetir, para o caso de nao teres percebido; eu gosto de Historia mas detesto historias! Tambem detesto que se adjectivem os outros de preconceituosos! PONRO!
Quanto ao relatorio, eu soi pela transpparencia e pela responsabilizaçao, doa a quem doem! Estamos a falar de milhoes que nao foram contabilizados! SIMPLES!
Edson João João Alberto
Edson João João Alberto Suspeito esse nacionalismo do sr José de Matos ou é um da oposição que se esconde atrás do véu da Sociedade Civil.
José de Matos
José de Matos Edson João João Alberto , comigo nao conversas nesse nivel e nesse tom, nao me conheces de parte nenhuma para pensares seja o que for de mim!

PONTO FINAL!
Edson João João Alberto
Edson João João Alberto Todos nós estamos com animos elevados precisamos de descansar
Eliminar
Edson João João Alberto
Edson João João Alberto O presidente do Emi de Emi Talvez Simango, defende que os supostos autores das dívidas ocultas devem ser acusados e responsabilizados. O que se esperava dele?
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· Ontem às 8:29
Paizinho Mhula
Paizinho Mhula · 17 amigos em comum
Estou preocupado com o estado de lucidez de alguns Moçambicanos. Mas como se diz para tirar proveitos individuais de um rei corrupto nascem pequenos burguês corruptos e com interesses alheios aos da nação.
E a sua cede de alcançar pela promiscuidade o
tal almejado objectivo lhes faz insanos de mil e um maneiras diferentes e eleve a acidez do seu sangue ao ponte de fermentar sua alma e lhes criar insolência tão aguda que do coração nada mais se sente se não a necessidade de agradar os pusilanimes como forma de garantir um lugar à mesa.
Manopito Pipito
Manopito Pipito Agora acretido que estudar muito também enlouquece. Laber botas até esse ponto me endoidece. Agora acredito mesmo que o nosso País jamais irá desenvolver tendo os nossos acadêmicos uns que os respeitamos com as suas metes penhoradas nas mãos de que passou uma Década trazendo sofrimento ao seu Povo. Arry.
Joao Junior Araujo
Joao Junior Araujo Parabens pela sabia aula de resolencia politica e social marcada pelo esbofeteamento dos que mal dizem e falam daqueles que sao de direito.
Eddy Edson Magalo
Eddy Edson Magalo Há vezes em q pensamos de temos elementos suficientes pra consagraremo-nos déspotas esclarecidos, mas cm o desenrolar do processo descobrimos de q a nossa verdade ainda não é verdade pra nos intitular de Iluminados Eusébio A. P. Gwembe!!!
Eddy Edson Magalo
Eddy Edson Magalo ...onde lê de temos, lê-se de que temos
Joaquim Joao Correia
Joaquim Joao Correia Escreveu !!@@
Sidonio Pedro
Sidonio Pedro Paizinho Mhula, depois de ler o teu comentário, concordo que devemos de facto nos preocupar com a lucidez de algunas pessoas.
Alvaro Guimaraes
Alvaro Guimaraes Agora os que não concordam tem problemas mentais caro Sidonio Pedro?
Sidonio Pedro
Sidonio Pedro Amigo Álvaro, essa pergunta devia ser para o Paizinho. Ele pôs em causa a lucidez do Eusébio Gwembe, por causa da sua opinião.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.