domingo, 25 de junho de 2017

Avião cruza-se com drone na aproximação ao Aeroporto de Lisboa, sexto incidente no mês


236
3
Um avião da TAP Express, operado pela White Airways, com mais de 70 passageiros, cruzou-se este domingo com um drone a 900 metros de altitude, na aproximação ao Aeroporto de Lisboa.
JOSE COELHO/LUSA
Autor
  • Agência Lusa
Mais sobre
Um avião da TAP Express, operado pela White Airways, com mais de 70 passageiros, cruzou-se na noite deste domingo com um drone a 900 metros de altitude, na aproximação ao Aeroporto de Lisboa, disseram à agência Lusa fontes aeronáuticas.
Este é o sexto incidente do género este mês e o décimo desde o início do ano.
Segundo as mesmas fontes, o piloto do avião modelo ATR, que fazia a ponte aérea Porto-Lisboa, reportou, pelas 20h20, “um drone a 50 metros da asa direita, a 900 metros de altitude”, quando sobrevoava a zona do Pragal, Almada, e pouco antes de passar à vertical da Ponte 25 de Abril, acrescentando que o aparelho “media, no mínimo, um metro”.
Contactada pela Lusa, a NAV Portugal (responsável pela gestão do tráfego aéreo) confirmou a ocorrência, acrescentando que irá notificar a Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) e o Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e de Acidentes Ferroviários (GPIAAF).
A TAP, contactada pela Lusa, informou apenas que este voo transportava 74 passageiros.
O regulamento da ANAC proíbe o voo destes aparelhos a mais de 120 metros de altura e nas áreas de aproximação e descolagem de um aeroporto.
O GPIAAF anunciou há mais de uma semana a realização de um estudo de segurança devido aos vários incidentes envolvendo a presença de drones nas trajetórias de aviões.
A 19 de junho, um Boeing da companhia holandesa KLM reportou que um drone “voou ao seu lado” a 1.200 metros de altitude, à vertical do Farol do Bugio, no estuário do Rio Tejo.
Nesse dia, fontes aeronáuticas explicaram à Lusa que o incidente ocorreu quando os pilotos do Boeing 737-800, com capacidade para 162 passageiros, se aperceberam de “um drone a voar ao lado”, no momento em que o avião estava no corredor aéreo para rumar ao Aeroporto de Lisboa, sendo aquela zona igualmente utilizada para os aviões que aterram e descolam do Aeródromo de Cascais.
A 16 de junho, um avião da Aero Vip, do Grupo Seven Air, foi obrigado a realizar uma manobra para evitar a colisão com um drone a 300 metros de altitude quando estava em aproximação para aterrar no Aeródromo de Cascais, com 14 pessoas a bordo.
“Na aproximação à pista 35 de Cascais, vislumbrei um objeto que julguei ser uma ave. Ao aproximar-me, apercebi-me de que se tratava de um drone de grandes dimensões, de quatro rotores. Tive de mergulhar, aumentar a razão da descida, para evitar a colisão com o drone, que passou a cerca de cinco metros acima da asa esquerda”, relatou nesse dia o piloto à Lusa.
A 14 de junho, um avião da TAP, com cerca de 130 passageiros, cruzou-se com um drone a 700 metros de altitude, quando se preparava para aterrar no Aeroporto de Lisboa.
O Airbus 319, proveniente de Milão, Itália, “cruzou-se” com o drone por volta das 21h00, no momento em que a aeronave estava à vertical da Ponte 25 de Abril, na zona de Alcântara, e a poucos minutos de aterrar no Aeroporto Humberto Delgado.
A 01 de junho, um Boeing 737-800, da companhia TVF, France Soleil, grupo Air France/KLM, com cerca de 160 passageiros, teve de realizar várias manobras para evitar a colisão com um drone a 450 metros, quando a aeronave se preparava para aterrar no Aeroporto do Porto.
Observador
5 h
Um avião da TAP Express, com mais de 70 passageiros, cruzou-se na noite deste domingo com um drone a 900 metros de altitude, na aproximação ao Aeroporto de Lisboa. Este é o sexto incidente do género este mês.
Um avião da TAP Express, operado pela White Airways, com mais de 70 passageiros, cruzou-se este domingo com um drone a 900 metros de altitude.
OBSERVADOR.PT
Comentários
Joaquim Pedro Saraiva Mas para quando a proibição dos drones? Para além do perigo a invasão de privacidade é total. Para quando a actuação da cnpd? Tanta confusão e restrições com câmaras de video vigilâncias e tantos pruridos com os meninos dos drones...é vergonhoso.
Responder
10
5 hEditado
João Eiras Proibido já é e sempre foi na zona do aeroporto que é espaço aéreo reservado. Isto é pessoal estúpido e irresponsável a voar onde não devia.
Responder
3
4 h
Joaquim Pedro Saraiva Correcto, então há que criar meios para identificar a quem se vende os drones e qual a sua utilização. Vivemos numa sociedade em que em nome de uma liberdade de actuação se permite tudo a todos mesmo quando se atenta contra a liberdade e segurança do "Outro"
Responder
2
4 h
Nuno Gonçalves Impossivel controlar. Muitos são comprados online. E maioria deles não tem capacidade para estes voos a estas distâncias e altitudes. Falcões treinados e não ha um drone que fique no ar.
Responder3 hEditado
Gena Aguiar Em que país estamos que não à ninguém competente ,para pôr mão nisto, ,, 
Quando houver algum desastre ,,
Depois é todos a emporrar uns para os outros, ,,
Responder
3
4 h
Maria Da Conceição Barata O Estado está à espera que aconteça uma catástrofe para depois fazer alguma coisa como de costume.
Responder
11
5 h
Luis Teixeira Já existe legislação para os drones, as pessoas é que ignoram as leis. Preferem fazer mal para obter a melhor foto. Triste Mundo em que vivemos.
Responder
3
5 h
Nuno Gonçalves É só fazerem cumprir a lei. Proibir seja o que for nunca deu bons resultados. Se falta consciência a quem voa em espaço proibido, então tem de ser punido de forma exemplar. Estes parvos são os que dão mau nome aos restantes utilizadores. Quanto à forma de os inutilizar... Falcões é o mais simples.
Responder
1
3 h
Natalia Silva Já só tomam medidas drásticas quando morrer alguém,o costume !!
Responder
4
5 h
Zé Carlos Mas nao tinha saido uma lei qualquer para os drones??
Contratem alguem para ir atrás dos drones e a coisa resolve-se...
Responder
1
5 h
João Guerreiro Por mim era ali um sniper na torre de controlo xD
"Olha um drone......tau......tango down" xD
Responder
2
5 h
Nuno Gonçalves Devia ser. Um sniper... É o que dá ver muitos filmes... Nem em alvos parados quanto mais em drones. Só rir com o que se lê aqui
Responder3 h
Josefa Martins Multa pesada na hora!
Responder2 h
Tiago Frutuoso Ahahahah nem em alvos parados? Então temos um gajo que acerta num terrorista a quilómetros de distância e não há maluco que acerte um tiro num drone? Haver até há... São poucos! 

Mas há outras formas de os mandar abaixo sem ser ao tiro.
Responder2 h
Rúben Gouveia Parece que algum anormal está a tentar deitar algum avião abaixo e as autoridades ainda não foram capazes de o prender.
Responder3 h
Miguel Silva ahaha achas mesmo que um bichito de meio kilo consegue mandar um avião de centenas de toneladas a baixo? quanto muito deixa moça lol
Responder
1
2 h
João Francisco Miguel se souberes de engenharia, até pode. Depende da forma da colisão e onde. Depende também do piloto que esteja ao serviço.
Responder
1
2 h
Tiago Frutuoso Pode colocar em risco, admito. Mandar abaixo... É muito muito muito muito muito difícil. Só se for um drone muito pesado. Os aviões são construídos para aguentar pássaros e granizo. Pode mandar um motor abaixo, se não o desfizer na turbina como deve ser... Mas mandar um avião à terra tenho as minhas dúvidas.
Responder2 h
Dora Antunes de Figueiredo Só quando acontecer uma desgraça é que vêm com abracinhos e beijinhos no dói-dói, como sempre.....
Responder
4
4 h
Catia Pinheiro Se fosse ao piloto era parti lo pelo meio... e um embate assustador... mas partir aquilo e pronto
Responder3 h
Antonio Pinto Quando um dia destes acontecer uma tragédia então uns abraços e afectos vão sarar as famílias🔫🔫🔫🔫 e arranjar-se à uma trovoada qualquer para desculpa...
Responder
9
5 h
Josefa Martins Quando houver um acidente, o governo vai em peso culpar o anterior governo! 😢
Responder2 h
José Dias E ninguém faz.nada! Estão.á espera que.aconteça o pior e depois deitam as mãos á cabeça
Responder
3
5 h
Manuela Santos Cardoso Uma vergonha
Responder
1
5 h
Responder
2
5 h
Maria Mendes Será que quem anda com drones junto ao aeroporto não tem consciência da gravidade que pode causar ??? Pode originar um acidente e morrerem pessoas !
Responder
2
5 h
Rui Pereira Matos Há equipamento electronico que pode inutilizar um drone
Responder
1
4 h
Nuno Lorga Quando caírem 200 pessoas já se faz qualquer coisa.
Responder
5
5 h
Ana Luzia Fernandes Loucos brincam. Quando surgir uma tragédia faz-se luto e está tudo resolvido até quando esta mentalidade irresponsável
Responder
4
5 h
Maria Nunes Quem é a entidade responsável para fazer cumprir a lei?????ou não existe??se acontecer algo de grave,como de costume ninguém assume...!!
Responder
1
3 h
CIso Nunes da Silva Igual aos incêndios. ninguém faz nada , até que aconteça um acidente grave.
Depois as desculpas do costume
Responder
1
4 h
Lidia Abreu So qd houver degraca das grd dps lamentam e o costume
Responder
1
4 h
Carlos Águas Quando morrerem uma dezenas por causa de algum drone, temos os palhaços ( politicos)a encostar a cabeça ao muro das lamentaçőes
Responder
1
3 h
José Dias Sexto Incidente este mês.
Responder
3
5 h
Vanda Coquenão Estão à espera de quê para parar esses drones? De uma tragédia?????
Responder
1
5 h
Ângelo Daniel Correia O porque de nao bloquear a rádio frequência 
.......
Responder
1
5 h
João Eiras Porque isso não existe?
Responder4 h
Ângelo Daniel Correia Mhz dos drones deve ser específico devia se bloquear nessa zona!!!!
Responder
1
4 hEditado
Nuno Gonçalves Claro que existe. E é a mesma. Informem-se antes de proferir parvoíces
Responder3 h
Francisco Murillo Compramos ou copiamos ??
Já existe tecnologia.
Responder5 h
Isabel Barbosa Enquanto não houver uma desgraça .
Responder1 h
Lisete Martins quando houver um acidente . . . faz-se um Inquérito . . .
Responder4 h

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.