segunda-feira, 26 de junho de 2017

A Procuradoria Geral da Grei deveria ser processada

Os Agentes A e C: contra a hipocrisia dos gigantes!
A Procuradoria Geral da Grei deveria ser processada por ter cometido um crime contra a Segurança do Estado ao permitir que os agentes da Secreta Moçambicana, após deporem na comissão parlamentar, fossem espiados por agentes secretos de fora. Equivale a autorizar a venda da informação sensível ao exterior. Mas temos a pergunta clássica: quem acusará o acusador? Queriam que os individuos A e B exibissem os recibos de compra de balas, de espingardas, de fardamentos, de botas, de blindados... para eles saberem se fazemos negócios com os seus inimigos imaginários entre eles a China, a Rússia, a Turquia, o Brasil, etc. só porque os seus stokc de armamento não teem compradores. Querem que compremos armas deles para assim incentivarem-nos a lutar uns contra os outros. Ja se pode desconfiar de onde veio a força de uma certa formação politica doméstica que, recentemente, agrediu o Estado Moçambicano. Queriam usar o nosso terreno para ensaios de armamentos, provavelmente modernos, que já os possuem faltando-lhes alvos.
Entendo a Kroll como uma organização que trabalha com/para agentes secretos no activo e/ou reformados pelo que é fácil deduzir que vive vendendo informações. Em nosso caso, muitos se recordarão que no relatório sabático lamenta-se ter lidado com pessoas duras que não facilitaram a informação. Especificamente, a Kroll não teve resposta para 500 milhões da EMATUM (dos 850) que não se sabe para onde foram parar porque o indivíduos do SISE directamente envolvido no esquema (Indivíduo A) e do Ministério do Interior (Indivíduo C, Posição C) - simplesmente não ofereceram informações sob alegação de "Segredo de Estado". O Indivíduo “A” disse à Kroll o que já havia dito à Comissão Parlamentar de Inquérito: que o verdadeiro destino do dinheiro foi para equipamento militar.
Neste momento, poucos homens do pensamento alternativo, preveem as consequências da insensatez truculenta que pesaria sobre o país, caso estes dois agentes fornecesses os ditos documentos. As consequências mais dilatadas suceder-se-iam e os sintomas do delírio colectivo também agravar-se-iam. Ou seja, o Estado estaria a nu, em nome da mendicidade! Mas o que me intrigou é, por um lado, saber que a Procuradoria-Geral da Grei deu luz verde à Kroll para colher informações que já tinham sido dadas à Comissão Parlamentar, em vez de pedir que a AR fornecesse a acta/relatório que se elaborou do depoimento do indivíduo “A”. Debalde se pergunta para onde nos arrasta essa audácia desnorteada que assaltou a PGG, de surpresa, sem plano, sem abnegação e sem patriotismo. Depois de seis longos meses de auditoria, pergunta-se: que fez essa conjura de aventureiros internacionais secretos que se dizia enviada para restaurar o respeito a legalidade, corrigir os desmandos da administração passada, acabar com todas as violências económicas e nortear, de ora em diante, a administração do taco interno! A fragilidade de qualquer estado reside na corrupção ou cedência dos seus agentes a chantagens camufladas em nome da liberdade e da transparência.
Por outro lado, subjuga-me a necessidade espiritual de provar aos defensores das grilhetas a impossibilidade de forjarem-se grandemente para uma consciência útil para a Grei enquanto continuarem confundindo vingança com justiça. Sabemo-lo pelo passado, que o que move o cérebro destes acusadores domésticos é o ajuste de contas do tempo em que, sei la por que motivos, sentiram-se como estando do lado dos “apóstolos da desgraça”. O cérebro deles continua vivendo o negro fantasma da opressão e os diversos espantalhos do crime. São eles, os justiceiros pensativos, que estão a coagir uma nação a alienar parte da sua soberania, fazendo uso de termos que a todos emocionam, entre eles a “corrupção”.
Os desbragamentos da intriga, as purulências da vileza que afirmavam que certos democratas tinham desviado milhões de Dólares, roubados à nação, caíram como calúnias ignóbeis de difamação repugnante e proterva. Agora que lutam em defesa da calunia, é visível o enfraquecimento da autoridade própria e a velhice duma traição. Mas não é difícil pressagiar o termo desta tragicomédia que não poderá estar longe. A impudência da mentira pouco dura. Eles já se esfaqueiam, mutuamente, em rixas de cúmplices! Desejosos em ver a Itália sem Roma, apelam pela acção da PGG cuja imparcialidade também acusamos.
Na estreiteza da sua mediocridade rancorosa, inflamados em desvairamentos de ódios e de vinganças, em ímpetos epilépticos de sanha e perseguição, amordaçaram os homens que mais não fizeram do que defender e honrar um juramento pelo seu país. E há pessoas que domesticamente acham que estes compatriotas são a fonte de todos os males e que, portanto, deviam ser presos. Precisamos de parar com esta anarquia facinorosa que, na alucinação da sua ferocidade, perdeu todos os escrúpulos de justiça e austeridade moral. É um clube de livres-pensadores que, pelo desaforado desplante de ambições incompreensíveis, pretende pôr o joelho no peito da nação e asfixiar-lhe as energias, com as gargalheiras dum obediente bronco. Os algozes dos indivíduos A e B tem, neste momento, o prazer de desprezar um pouco a Procuradoria da Grei.
Mas esta famosa PGG trabalhou mais em defesa da incapacidade da Kroll do que apresentar o trabalho digno de registo. E fê-lo, atacando e expondo cidadãos honestos, não sabemos por que encomenda! Isto faz rir ingleses. As almas que não sabem valorizar as pessoas que cumprem o juramento poderão (e já estão) dizer que o indivíduos A e B foram maldosos, encobriram o crime, e bla..blaa.. blaaa. Nós vemos naquele homens o modelo integro. Mesmo que um dia sejam chamados a justiça, porque esta parece ser a ordem esperando-se pelo momento oportuno de deitar a mãos sobre eles, não deixarão de ser homens virtuosos que em momento preciso não hesitaram em manter o Estado Soberano. Portanto, os indivíduos A e C são o nosso orgulho contra a hipocrisia legalista!
NB. A foto não tem nada a ver com o conteúdo!
GostoMostrar mais reações
Comentar
42 comentários
Comentários
Leonildo Viagem
Leonildo Viagem Com o texto já é possível entender os fulanos a c etc
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 17 h
Rosa Maria
Rosa Maria ,sim
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 16 h
Patricio Bernabé Nguema
Patricio Bernabé Nguema Concordando....
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 16 h
Marcos Manejo Pakhonde Pakhonde
Marcos Manejo Pakhonde Pakhonde Um velho ditado: "Se queres livre e independente, nao dependas do vizinho". Enquanto, vivermos de mao estendida, teremos que suportar em esconder informacoes que o povo quer. Ora, se o ocidente inveja a factura paga ao leste em troca de armas, por que vivemos dependendo do FMI e companhia? Uma coisa é certa, roubar para depois mentir em ter comprado botas, armas e balas, o povo quer saber essa verdade.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 16 h
Titos Cau
Titos Cau Essa pergunta é descabida. Ate um adolescente sabe como os paises do 3ro mundo sao mantidos dependentes pelo ocidente. Libertar-se dessas entranhas nao e tarefa facil. Veja o que sucede com Cuba, China, Venezuela, Brasil, Irao, Zimbabwe, Coreia do Norte, Bolivia, Equador, Eritreia, etc.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 13 h
Marcos Manejo Pakhonde Pakhonde
Marcos Manejo Pakhonde Pakhonde Logo, somos obrigados a dancar a musica de quem te alimenta. Portanto, deixe que o ocidente tome contas de nós e nada de lamurias. Adolescentes sao aqueles nada fazem para se libertar dos sovacos dos Pais. Requer trabalho intenso com politicas e objectivos claros para se libertar. Agora, a depender de gente corrupta e ladra, continuaremos como o tal Zimbabwe e companhia. Adolescente? Hehehe.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 11 h
Lyndo A. Mondlane
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 16 h
Elvino Dias
Elvino Dias Meu irmão Eusébio A. P. Gwembe, você apenas tem vocação para escrever história. Mas como analista, deixa muito a desejar. Então para si a auditoria devia ignorar tal informação? Para encobrir corrupção?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
8
 · 15 h · Editado
Jr Chauque
Jr Chauque Verdade
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 14 h
Titos Cau
Titos Cau Assuntos de seguranca nacional nao devem ser auditados por entidades externas. Creio que é isso que ele quiz dizer. Os 'outros' usam o argumento da corrupcao para nos obrigar a revelar nossos segredos. Nao vai funcionar.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 12 h
Uarivano Barros
Uarivano Barros Eusébio A. P. Gwembe, eu acreditava que o dinheiro para aquisição de material bélico estivesse a sair do OGE aprovado pela AR.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
2
 · 16 h
Vitorino David
Vitorino David Concordo Plenamente
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 16 h
Vitorino David
Vitorino David Concordo Plenamente Eusébio A. P. Gwembe
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 16 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Pensamento alternativo, Elvino Dias e não necessariamente o que acompanha a onda nacional. A capacidade para descobrir mas intenções escondidas nas boas intenções não é para todos. Compreendo a sua deceção por fazer parte da outra barricada. A informação já estava disponível na AR e seria mais vantajoso pedir a AR que esta, caso fosse necessário, poderia solicitar os indivíduos em causa do que expor segredos do Estado a pessoas estranhas. Você acha ser justo fornecer factura de compra daqueles blindados que vimos a Kroll ou aé uma Comissão Parlamentar interna? Acho que precisamos com urgência de uma Lei de protecção de Agentes do SISE para que casos semelhantes não voltem a acontecer. A Grei, por pouco estava entregue, com implicações internacionais pois seriamos considerados de traidores por parte dos países de onde adquirimos o material militar. Pense um pouco mais, fora das emoções que acompanham a onda e penso que é capaz para tal, porque do Campo da Lei.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
8
 · 16 h
Mario Albano
Mario Albano Mbava é mbava em Português, Espanho ou Chinês o nosso país inovou para roubar envolvendo a secreta... Camarada que material bélico é esse que na Serra de Gorongosa não consegue capturar o líder? Se fosse o país inteiro então não conseguiríamos nada.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 16 h
Vitorino David
Vitorino David Bem dito Eusébio A. P. Gwembe. A emotividade embala a esta geração que ovaciona Tudo que vem fora. Não sabe peneirar!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 16 h
Mario Albano
Mario Albano Afinal os vende Pátria são os jovens ou eles de 25 de Setembro?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 15 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Mario Albano onde combateu o individuo A? O problema de fundo é que as pessoas começaram por julgar antes de compreender o problema e religiosamente esta dificil desligarem-se desta fé no roubo.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
2
 · 15 h
Ismael C. Gocaldas
Ismael C. Gocaldas Tanto bla bla bla para nada,irmão queremos ver presos os infractores da coisa pública.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
4
 · 15 h
Titos Cau
Titos Cau Queres? Entao va, tu, prende-los!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
2
 · 12 h
Lenon Arnaldo
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 12 h
Ismael C. Gocaldas
Ismael C. Gocaldas kkkkkkkkkkkk,se eu tivesse o poder poderia fazê lo,é ultrajante o que esses defraudadores fizeram com o povo, parece brincadeira mas é verdade.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 11 h
José de Matos
José de Matos Eusébio A. P. Gwembe, por vezes tiras-me do sério!
Num Estado de direito os que obstruem as auditorias e investigaçoes teriam de ser procerssados por conivencia com os mbavas! Estamos a falar de quantias fabulosas que nao foram cintabilizadas, dinhei
ro esse que devia ser usado para os medicamentos que faltam nos Hospitais, nas escolas onde alunos estudam no chao e para debelar a desnutriçao cronica de 40% das crianças! 
Um pouco de sensibilidade fica bem a todos!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
4
 · 15 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Provas, Ismael C. Gocaldas! Para acontecer a prisao devem existir provas e nao as insinuaçoes do tipo nao nos deu informaçao por isso é criminoso. Mesmo que sejam presos vao dizer a mesma coisa que nao podem dizer nada por se tratar de segredo do Estado. E dai? Nao é o suspeito quem deve produzir materia de acusaçao, em quase todo o mundo. Agora querem que se invertam as coisas so para satisfazer os egos eleitoralistas?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
2
 · 15 h
Ismael C. Gocaldas
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 11 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Obstruir justiça para agentes secretos de Fora? Afinal era questao de justiça ou para o esclarecimento sobre onde foi o dinheiro, José de Matos? Reveja bem a sua percepçao do conceito obstruçao da justiça. No que eu saiba, de ora em diante é que a PGR pode abrir processo e ai poderiamos falar em obstruir a justiça. Nao sou leigo em materia de Direito
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
5
 · 15 h
José de Matos
José de Matos Eusébio A. P. Gwembe, saber onde esta o dinheiro nao é uma questao de justiça ? Vai cantar essa musica para os que sofrem por falta de medicamentos, para os que estudam no chao e para os que passam fome!

Haja sensibilidade!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 15 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe José de Matos uma coisa é processo normal de auditoria que nao tem nada a ver com a justiça. A justiça, muitas vezes, se confunde com a legalidade e nao é necessariamente o desejo de muitos. Tem procedimentos
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 15 h
Siachukeni Lucas
Siachukeni Lucas Liberdade de pensamento.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 15 h
Kelvin Barros
Kelvin Barros MENSAGEM AOS MEUS COMPANHEIROS DE TRINCHEIRA 

Caros colegas e compatriotas, gostaria de vos felicitar por mais um aniversário da nossa independência nacional. Como sabeis, fomos brindados pelo relatório da Kroll que nos acusa, como gestores moçambica
nos, de sermos os responsáveis pelo facto das empresas moçambicanas não estarem a operar e a gerar receitas. Não se devem deixar derrotar. Como oficiais das FDS vamos nos dar por satisfeitos pois conseguimos trabalhar com a Kroll e provar q sabemos o q fazemos e o q queremos. Conseguimos defender a Pátria de suspeitas infundadas. Isto é o q importa. Hoje já ninguém vai dizer que os projectos não existem e q o dinheiro foi desviado. Como sempre dissemos, a modalidade de contrato previa adiantamento na íntegra aos fornecedores em troca de bens e serviços q este nos forneceu e tem vindo a prestar, até hoje. Houve falhas da parte de Moçambique q ultrapassam as empresas, pois dizem respeito a instituições específicas do Estado moçambicano, não necessariamente do Governo. As acusações q são feitas a gestão das empresas moçambicanas não nos devem preocupar pois sabemos e provamos, nas várias sessões de trabalho q tivemos com o auditor q, como gestores, fizemos e temos estado a fazer, tudo ao nosso alcance para que as empresas comecem a operar. Aliás a EMATUM começou a operar em Dezembro de 2014 tendo, inclusive, começado a exportar para Ásia (China) e Europa. Os certificados de exportação são disso prova. A Kroll conhece quem sabotou o nosso trabalho para q a EMATUM ficasse paralisada e, dessa forma, forçar a venda dos barcos a agentes econômicos identificamos. Mas preferiu protege-lo. Pq? Devem imaginar. Esqueçamos isto pois se abrirmos este capítulo vamos nos distrair e perder foco e, no fim, beneficiar aqueles q querem que Moçambique continue de rastos. Agradeço-vos pelo apoio q me têm prestado na nobre missão de servir a Pátria e ao Povo moçambicano. Fizemos um juramento de dar as nossas vidas pela Pátria. Não devemos nos sentir constrangidos pelo facto dos nossos nomes e, quiçá a nossa honra, estarem a ser beliscadas. Ainda por cima por quem? Pela Kroll, q nós sabemos o quem realmente são e o q querem. Sinto-me feliz por ver a forma bastante negativa com que me atacam, pois isso prova q não cedemos a pressões e nem temos medo pelo facto de virem de onde vem. Lutamos taco a taco. Tudo indica q ainda estamos no começo da luta. Este ataque não é em vão. Tem haver com a nossa verticalidade e firmeza no q fazemos. Lembram-se do episódio em que corri com dois deles do meu gabinete pois queriam detalhes de questões sobre a segurança do Estado? Isso mesmo. E isso, para eles, é surpresa pois não esperavam q houvessem moçambicanos com convicções firmes. Para vocês deve estar claro q o tal indivíduo A sou eu. Daí a importância de queimar e fazer eco das críticas daqueles q, desesperadamente, querem nos (Forças de Defesa e Segurança) fora das empresas e do xadrez de negócios para tomarem o país de assalto. Isso é de menos. Temos de ser fortes e nos recordar daquele dito africano, segundo o qual, "homem forte não é quem derruba ou ofende o outro quando é ofendido mas sim aquele q se segura e não perde a lucidez em momentos de tensão". Vamos continuar a fazer tudo o q estiver ao nosso alcance para q logremos êxitos nos projetos. Hoje já temos uma marinha de guerra com meios e com quadros à altura q sabem o q uma marinha de guerra de um país com 2800Km de linha de costa deve fazer. Em 2010, não tínhamos um simples barco para perseguir piratas q se faziam transportar em semi-rígidos e sequestraram uma embarcação cuja recuperação implicou perda de vidas de moçambicanos. Hoje já temos dois estaleiros (um em Pemba e outro em Maputo) com tecnologia de ponta o q habilita a MAM a ombrear com gigantes internacionais na prestação de serviços a indústria de Oil&Gas. Hoje a ProIndicus esta habilitada a pentear a nossa Zona Econômica Exclusiva (ZEE) e a não permitir q os desmandos q outrora aconteciam continuem acontecer. Q digam os armadores gatunos dos nossos recursos muitos dos quais vem dos países q encomendaram a auditoria. Daí a ira deles por termos mudado de provedor de serviço de satélite para um Moçambicano pois assim temos mais controlo das imagens e do nosso espaço. Sei q, como eu, devem estar a receber pressão familiar e dos q vos são próximos para q "abandonem o barco". Peço-vos para que não façam isso ... expliquem a eles q não há conquistas sem sacrifício. Recordem-se da resistencia heróica dos nossos antepassados e do sacrifício daqueles q lutaram pela independência do nosso país. Hoje esta em causa a nossa independência econômica. E esta não nos será dada de mão beijada. Como oficiais das FDS não escolhemos missão...Aos editores (não auditores pois se lerem bem o relatório verão q apenas editaram o q lhes foi dito, muitas vezes não por nós) vai o nosso apreço pelo trabalho muito profissional. Até breve, A Luta Continua! Independência Econômica ou Morte, Venceremos!

António Carlos Do Rosário, PCA da Proindicus, Ematum e MAM
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 15 h
Lourenco Covane
Lourenco Covane Falar de areas como as militar ou coisa parecida nunca sera o meu forte. Entao declino. Mas ao que me parece quando se Fala de segredo do estado simplesmente olhamos para a compra. Ir ao mercado comprar as armas é segredo. Mostrar ou exibir as armas ja nao constitui segredo. Penso eu que o segredo esta no dinheiro e nao no material. E estao de parabens os que a bem do estado nao revelaram o segredo. E o que dizer dos seus seguidores? Talvez sobra algum!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 15 h
José de Matos
José de Matos "estao de parabens os que a bem do estado nao revelaram o segredo."

Puro suirrealismo!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 15 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Leia isso, para concluirem que a Kroll vos matrecou, com intençoes malignas, José de Matos e Elvino Dias

Auditoria à dívida de Moçambique é “incorreta e enganadora”, aponta Credit Suisse

26/6/2017, 14:23

O banco suíço Credit Suisse considerou que as conclusões da auditoria da Kroll à dívida escondida de Moçambique são "incorretas e enganadoras", disse o banco numa declaração citada pela Bloomberg.
Partilhe

PETER KLAUNZER/EPA
Autor

Agência Lusa

Mais sobre

Banca
Credit Suisse
Dívida Pública
Mercados Financeiros
Moçambique
Economia
África
Mundo

O banco suíço Credit Suisse considerou esta segunda-feira que as conclusões da auditoria da Kroll à dívida escondida de Moçambique são “incorretas e enganadoras”, garantindo que as comissões recebidas foram de 23 milhões de dólares (20 milhões de euros).

“A conclusão [da auditoria] de que o Credit Suisse recebeu 100 milhões de dólares (89 milhões de euros) ou mais em taxas de mediação financeira é incorreta e enganadora”, disse o banco suíço numa declaração citada pela agência de informação económica Bloomberg.

As taxas bancárias para o Credit Suisse totalizaram 23 milhões de dólares, mais ou menos 2,3% do financiamento total e estão em linha com as transações financeiras comparáveis realizadas nos mercados emergentes”, acrescenta o banco que mediou, juntamente com o russo VTB, os empréstimos de empresas públicas moçambicanas que não foram comunicados nem às autoridades do país nem aos doadores internacionais.

O banco suíço respondeu assim à divulgação, no sábado, do sumário executivo da auditoria apresentada pela consultora Kroll à Procuradoria-Geral da República de Moçambique, que afirmou que estes dois bancos receberam 200 milhões de dólares (178 milhões de euros) em comissões por terem organizado os empréstimos às empresas públicas Mozambique Asset Management (MAM) e Proindicus.

O VTB, por seu turno, disse que não irá comentar a auditoria até ler o documento de forma detalhada. A divulgação do sumário era uma das condições defendidas pelos doadores e pelas instituições financeiras internacionais para voltarem a ajudar o país, o nono mais pobre do mundo.

A auditoria às dívidas ocultas de Moçambique deixou por esclarecer o destino dos dois mil milhões de dólares contraídos por três empresas estatais entre 2013 e 2014, disse a PGR no domingo.

“Lacunas permanecem no entendimento sobre como exatamente os 2.000 milhões de dólares (1.780 milhões de euros) foram gastos, apesar dos esforços consideráveis” para esclarecer o assunto, refere a PGR em comunicado sobre a investigação da Kroll.

Por outro lado, “a auditoria constatou que o processo para a emissão de garantias pelo Estado parece ser inadequado, sobretudo no que respeita aos estudos de avaliação que devem ser conduzidos, antes da sua emissão”, acrescenta-se.

As garantias foram passadas sob a presidência de Armando Guebuza, sem conhecimento do parlamento, nem dos parceiros internacionais – como o Fundo Monetário Internacional (FMI) – para suportar os empréstimos contraídos pelas empresas Ematum, Proindicus e MAM.

O escândalo das dívidas ocultas rebentou em abril de 2016 – a dívida de 850 milhões de dólares (759 milhões de euros) da Ematum era conhecida, mas não os 622 milhões (556 milhões) da Proindicus e os 535 (478) da MAM – e atirou Moçambique para uma crise sem precedentes nas últimas décadas.

Os parceiros internacionais suspenderam apoios, a moeda desvalorizou a pique e a inflação subiu até 25% em 2016, agravando o custo de vida já de si elevado para os cidadãos.

Segundo a procuradoria, a investigação da Kroll descobriu “divergências entre as explicações” para uso da verba e detetou “falhas graves na forma como foram feitas as avaliações para emissão de garantias pelo Estado”. Há mesmo um valor de mil milhões de dólares (893 mil milhões de euros) correspondente a três garantias, do total de cinco que foram emitidas, em que “não há evidências de ter sido feita qualquer avaliação”.

Foram ainda identificados “potenciais conflitos de interesse em relação a algumas pessoas intervenientes no processo de autorização das garantias do governo para as empresas auditadas”.

A PGR destaca ainda que o Grupo Privinvest, contratado pelas empresas estatais para fornecer bens e serviços para os quais supostamente serviria o dinheiro, teve “um papel determinante no projeto” participando em quase todo o seu desenho, inclusivamente na ligação aos bancos que emprestaram o dinheiro, o Credit Suisse e o VTB.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 15 h
Lourenco Covane
Lourenco Covane Tudo é valido para justificar o mal. Mas entendo que o correcto seria usar o fato bonitinho que esteja a venda na Praca e ir ao parlamento pedir comprar armas sem mencionar o valor e a espécie de arma. Aqui residia o segredo do estado. Mas a bem do estado precisamos de pessoas que com seu saber esconde tudo do estado e de si mesmo.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 15 h
Benjamim Agostinho Mucopote
Benjamim Agostinho Mucopote As pessoas que decidiram envolver o Sise nesta bolada ja estavam precavidos.Qualquer coisa a resposta e:Confidencial ou segredo de Estado.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 15 h
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos Eusebio Eusébio A. P. Gwembe, nao vejo motivo para festejares. A pergunta basica continua sem resposta. Onde foi o dnheiro?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 15 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Compramos material militar algum dele voce sabe onde e como foi usado, mano Eduardo Domingos. Por acaso, nao ereis vos a postar fotos de blindados?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 15 h
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos Compraram no dumbanengue?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 14 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Eduardo Domingos nao interessa saber onde a agentes secretos, encobertos na Kroll. O importante é que foram comprados e usados
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 14 h
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos Assim funciona um estado sequestrado por uma associaçao com vocaçao de delinquir
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 14 h
Santos Alfredo
Santos Alfredo Amigo Eusébio A. P. Gwembe pode nos dizer quem os comprou? Tem provas disso ja que você exige provas em tudo que se fala? Apenas uma pergunta
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 14 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Santos Alfredo como posso dizer aquilo que nao foi dito por tratar-se de segredo de Estado?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 14 h
Santos Alfredo
Santos Alfredo Vce disse que a Kroll foi comprada e eu pedi que nos mostre provas das suas afirmacoes. Apenas estou a pedir que seja consistente. Nao estou lhe a pedir provas da compra das ditas armas que acha que sao segredo do estado.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 14 h · Editado
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Santos Alfredo pode trazer aqui o extracto em que afirmo que a Kroll foi comprada, simples.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 14 h
Jr Chauque
Jr Chauque Eusébio A. P. Gwembe....estás a transcrever o relatório da Kroll para os do centro de psiquiatria de infulene....melhor IRES deixar lá do que aqui.....tentando esconder desviar assuntos sérios duma nação em benefício de patriotismo barato do fidelidade ao regime... triste lamentável quando um homem vira um alérgico a verdade....
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
5
 · 14 h · Editado
Jasmin Rodrigues
Jasmin Rodrigues Devia ser crime este tipo de post!!! Nem aos animais Irracionais este post tem utilidade! Entretanto voce e pobre (porque a grana que e bom nao dividiram consigo nem
Comigo!) e vai morrer pobre vai passar pela morgue que nem as minimas condicoes tem e vai a enterrar num cemitério destratado porque os Gov deste Pais estao ocupados a roubar o seu e meu dinheiro! So me
Pergunto para que defender ladroes!!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
4
 · 14 h
Jr Chauque
Jr Chauque Triste e vergonhoso quando um homem não vence a lavagem celebral e pensa k vai a tempo de conseguir construir mais com este ser... mentirosos e pobres de mente....essa é a verdade quando um ser tá cheio de água....
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 14 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Traga argumentos uteis, Jasmin. Aqui aceitamos o contraditorio
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 14 h
José de Matos
José de Matos Eusébio A. P. Gwembe , traz o contraditorio para o argumento da Jasmin! Quero ver essa utilidade!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 14 h
Jasmin Rodrigues
Jasmin Rodrigues Eusébio A. P. Gwembe meu caro...desafia me a trazer argumentos??? Ja nao basta p relatorio? Desafio lhe a si a trazer evidencias do que diz! Nem em tom de ironia o seu post faz sentido! Faz me muita revolta ver lhe desrespeitar assim a realidade dura que e insultar p sofrimento actual que milhares de
Mocambicanos vivem por causa de um grupo de ladroes!! A sua família sofre e as gerações vindouras idem! Que tem voce na cabeca? Como pode ser tao irresponsável e insensível a ponto de defender o indefensável??? Que se passa com as mentes deste Pais???
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 12 h
Sidonio Pedro
Sidonio Pedro Tem razão Eusébio Gwembe, " agora eles lutam em defesa da calúnia".
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 10 h
José de Matos
José de Matos Sidonio Pedro , qual é a calunia ? Exigir a responsabilidade pelo dinheiro que nao foi contabilizado ? Ha crime mas nao culpados, nao é ? é o habitual, no Pais do Pandza vale tudo!

Coisas de vergomha!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 1 h · Editado
José de Matos
José de Matos Eusébio A. P. Gwembe, abres a caixa de Pandora aqui! Alguns ja disseram que o dinheiro nao foi gasto em material belico! Sendo assim, estao a mentir! Se na verdade compraram mateerial belico, é simplesmenter pornografico, falavam de Paz mas desviavam para material belico numa altura em que falavam de Paz, era a tal ambiçao da "soluçao Savimbi"! O facto continua a ser que ninguem sabe onde esta o dinheiro e foi tudo ilegal, Parlamento e Tribunal Administrativo nao souberam da malandrice!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 14 h
Benedito Macaua
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 5 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe José de Matos, o individuo A disse que o dinheiro foi aplicado em material militar. Esta no relatorio. E voce acompanhou o thwa thwa thwa recente. Aquio nao era gratis e nem estava previsto no OGE. Portanto, tudo deve ser compreendido neste contexto. E crime comprar material de Guerra por parte de um Estado? E crime defender a soberania?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 14 h
José de Matos
José de Matos é ielegalidade e neste caso é crime porque nao apresentam contas e foi numa altura que diziam que queriam a Paz! Afinal investiram na "soluçao Savimbi" que fracassou!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 14 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe José de Matos ilegalidade é disparar contra cidadaos indefesos na EN1 em nome de interesses inconfessos que aos poucos vamos descobrindo que, afinal, havia mandantes agora revoltados
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
4
 · 14 h
José de Matos
José de Matos Eusébio A. P. Gwembe , ilegalilade e crime para o TPI punir é a Frelimo violar acordos, raptar e fuzilar adversarios, fazer emboscadas, deixar corpos a apodrecer no mato, etc.
Para alem de mbavas alguns sao responsaveis por outros crimes!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 14 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe José de Matos que relaçao existe entre o que diz com o relatorio da Kroll? E o resumo tendencioso da PGR, mas sobretudo da sua traiçoeira decisao de querer submeter o SISE a interesses estranhos a Grei?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
2
 · 14 h
José de Matos
José de Matos Eusébio A. P. Gwembe , que relaçao existe com esta treta"

" ilegalidade é disparar contra cidadaos indefesos na EN1 em nome de interesses inconfessos que aos poucos vamos descobrindo que, afinal, havia mandantes agora revoltados"
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
2
 · 14 h
Alberto Mangue
Alberto Mangue Então, se o agente A diz que o dinheiro serviu para comprar material bélico, e dizes que é segredo de Estado, o que custa ao Ministério da Defesa confirmar que de facto recebeu o material e não dar mais detalhes por causa desse segredo de Estado? O que custa à suposta fábrica fornecedora admitir que forneceu esse material e escusar de dar mais detalhes por causa desse segredo de Estado? Só o agente A é que pode dizer que comprou-se o material bélico e evocar o tal segredo de Estado? Os outros não podem admitirem e evocarem o segredo de Estado? E quanto à esse twa twa twa recente, como dizes, justificava esses balúrdios de dinheiro? ... Não vamos falar da guerra dos dezasseis anos e dos dez anos de quanto Moçambique se endividou!!! Mas, não verdade devo te entender como quem está a busca de ocorrências alternativas.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 13 h
Jasmin Rodrigues
Jasmin Rodrigues Hospitais sem
Condicoes, falta de escola, falta de transporte e myloves, milhoes de pessoas a viverem na
Pobreza absoluta e vocemesse defende ie a prioridade destes dirigentes burros de investirem em material belico "invisivel " e que e prioridade???? A guerra da Renamo e

Por melhores condições- havendo as mesmas acha que haveria guerra???
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 12 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Alberto Mangue que tal se a referida fabrica for de um pais sob sançoes do Imperialismo? Acha que seria boa estrategia ficar a expor os outros? Na compra de armamento ha pactos e os homens integros sao aqueles que, mesmo em condiçoes adversas, conseguem manter o pacto inviolavel. Sentido de Estado precisa-se e foi o que o Agente A fez. Se querem saber atraves do Ministerio da Defesa, perguntaram a pessoa errada, devem perguntar ao antecessor
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
2
 · 12 h
Alberto Mangue
Alberto Mangue Na verdade, Gwembe, o que tentas dizer em que crês e acreditas que homems íntegros como aqueles nossos dirigentes mencionados no relatório , comprometidos com o País, de forma alguma podem enveredaram pelo promíscuo e corrupto camomho de forma a prejudicar o País. Para ti, como crês neles e porque são infalíveis , as coisas só podem ter ocorrido na possibilidade como as coloca. É uma espécie de filme realizado que achas que não devia ter sido feito daquela maneira em que os artistas-personagens principais-não têm o protagonismo esperado e logo morrem e o filme acaba mal... e pode acontecer que este teu sonho não saía como esperas. Como a possibilidade do enredo se ocultar nos prováveis segredos de justiça e sairem limpinhos.Os dirigentes também falham tal co qualquer ser humano. Podem ter falhado agora os teus ídolos, sô dotori historiador. Agora quem são os imperialistas-China e Rússia não são para ti de certeza!!! Só os EUA e companhia que alojam os famosos finaciadores e que vamos atrás deles com a mão estendida é que estão interessados sós para com as nossas riquezas. Ai, esses são imperialistas, cantigas até 1984...
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 12 h
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos Beneficiaram aquem essas armas Eusebio Eusébio A. P. Gwembe alem da frelimo?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 14 h
Joao Cabrita
Joao Cabrita Eduardo Domingos, devemos estar gratos pela compra dos Rangers. Mas parece que o budget não deu para comprar chapas de matrícula. Acontece.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 14 h
Candido Junior
Candido Junior Nota: A foto não tem nada a ver com o conteúdo. .. qualquer semelhança com qualquer facto real é pura coincidência.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 14 h
José de Matos
José de Matos Explica a coincidencia!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 14 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe As armas beneficiaram o povo moçambicano, v. excia incluso, Eduardo Domingos, ante um grupo de revoltosos de ultima hora que se tinham recomposto para destruir o Estado Moçambicano
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 14 h
Joao Cabrita
Joao Cabrita Caro Eusébio A. P. Gwembe, se as fotos nada têm a ver com o conteúdo, então têm a ver com quê ?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 14 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe İlustre Joao Cabrita, boa tarde 8aqui ainda temos sol apesar de serem 20 horas). A foto calhou! :)
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 14 h
Joao Cabrita
Joao Cabrita Já percebi, Eusébio A. P. Gwembe. Mas já agora, elucide-nos: as armas que afugentaram uns milhares de moçambicanos para o Malawi, fazem parte da mesma encomenda?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 14 h
Sidonio Pedro
Sidonio Pedro João Cabrita, continua a saga da desinformação?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 10 h
Santos Alfredo
Santos Alfredo Agora ja se percebe. Vce nao esta aqui a comer tseke connosco e por isso nao sente a dura realidade em que nos meterao os seus chefes.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 14 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Nao posso passear um pouco?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 14 h
Santos Alfredo
Santos Alfredo Pode claro. Pelo teor do seu post da para ver que se beneficiou tambem das dividas ocultas que todos somos obrigados a pagar incluindo os meus netos e bisnetos.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
2
 · 14 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Santos Alfredo em relaçoes İnternacionais aprendi que as dividas entre Estados sao eternas. Be cool, vamos pagar, é so votarem na gloriosa que ela tem a chave para o pagamento disso
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 14 h
José de Matos
José de Matos Eusébio A. P. Gwembe , paguem voces, nao o Povo!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 14 h
Santos Alfredo
Santos Alfredo Kkkk. Mas voce tem sentido de humor. Ok, vamos deixar isso de lado. Valeu. Deixe me comer o meu Tseke.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 14 h
Sidonio Pedro
Sidonio Pedro E estarás a fazer-te um favor, ao comer algo saboroso e saudável.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 3 h
Santos Alfredo
Santos Alfredo E que é saboroso para si pode nao ser para mim. Obrigado
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 3 h
Sebastião Mufana
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 14 h
Joao Cabrita
Joao Cabrita Felicito-o, Eusébio A. P. Gwembe, por este magistral texto. Só espero que não seja promovido a líder comunitário - já basta a perda irreparável, resultante da promoção do Natividade.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 13 h · Editado
Joaquim Joao Correia
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
2
 · 13 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Maprovoco, come on Joao Cabrita, lider comunitario de/para 50 cabeças? Nem pensar! Estou bem assim como estou.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
2
 · 13 h
Isalcio Mahanjane
Isalcio Mahanjane Eusébio A. P. Gwembe, costumo concordar contigo, mas desta vez não... a instituição não deve ser denunciada , as pessoas sim... nomeadamente: a timoneira e os magistrados envolvidos... pode tardar, mas há-de acontecer...
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 13 h
Abel Zico
Abel Zico Palhaço..
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 13 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Quem é palhaço, Abel Zico? A PG que quer mostrar serviço queimando o serviço dos outros?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
2
 · 13 h
Abel Zico
Abel Zico Palhaço é quem está a tentar ocultar a verdade... Sinceramente, se a PGR fosse independente há cabeças que já estariam a rolar. Contudo, diante de tudo isso, o indivíduo A não quer e nem se preocupa em ler o livro que ele mesmo escreveu... Hehehe
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 10 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Na verdade, vendo bem as coisas, a instituiçao pode estar a ser posta em causa por algumas pessoas, Isalcio Mahanjane. Eu também espero que alguém venha a responder em processo-crime por expor o Estado de forma tao evidente aos interesses que nos sao alheios, so porque a opiniao publica parece aplaudir. E, a partir deste momento, devem estar conscientes que nem todos sao nabos.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 13 h
Titos Cau
Titos Cau Grande post. Dedo na ferida dos inimigos de Mocambique. Pena deles, convencidos de serem os unicos sabedores das inteligencias analiticas de todos os fenomenos do pais. Ja sao conhecidos, a eles e as sua pletora de tacticas e tecnicas. Como dizem os putos: so lhes olhamos so.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 13 h
Mucussete Ussene Ussene
Mucussete Ussene Ussene O relatorio da Krol nao difere dos de observatorios eleitorais internacionais,q no habituaram a dar voltas, apontando uma serie de pesares, no fim dizem: As eleiçoes foram livre,justas e transparentes! A unica diferença notável entre este relatorio e o relatorio eleitoral, e' de q este já faz perceber a parte interessada(povo), q o mesmo nao constitui produto acabado,dando espaço ao povo a forçar a quem de direito para um esclarecimento convincente. Já e' bom.Com base nisto,tudo indica q um dia Deus enviará ao povo moçambicano, um "anjo" q virá descodificar tudo q e' oculto e tornar publico de modo a facilitar o povo a identificar o seu verdadeiro ladrao. Acredito!
Arena provides affordable cloud product lifecycle…
ARENASOLUTIONS.COM
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
2
 · 10 h
Jossias Gimo
Jossias Gimo Esse post é uma vergonha,E. Guembe
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 ·

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.