quinta-feira, 22 de junho de 2017

A "conduta duvidosa" do Dr Zandamela


Ser - Huo
23 h · 

Ha um 'brada' meu que observou que "Zandamela anda sempre nervoso". Fui acompanhando os comentários disso, e muitos deles corroboravam com a ideia de que o homem "por acaso quando fala, fa-lo com um tom de quem diz ou aceita, ou aceita". 
Na verdade desde que ele desembarcou (de volta do além mar) ele teve atitudes e acções de salientar, sobretudo porque chegou quando a malta estava a minguar. Chegou e sacudiu o status quo do sistema financeiro nacional, e influenciou a economia local (aquela estoria de dólar...).
Seu discurso, devolveu alguma esperança. Alias, analisado sem nenhuma ciência, seu discurso não é distante daquele de "no meu coração cabem todos moçambicanos", sendo também tão próximo do discurso do gestor de expectativas da parte incerta. Exemplo disso está aquela última 'incabavel' de "os gestores bancários daqui são apenas lobbistas" e nada mais. O povo gostou e aplaudiu.
Para quem não é economista, que analisa as palavras e pouco o conteúdo, o Dr fala bonito. Mas sera que fala certo e realista, legal e moral.
Os pos-acontecimentos do Moza X Kuhanha vieram mostrar um homem que parece que ao longo do tempo que estava ao serviço do FMI, ignorava que o pais estava a se fazer pais - à sua maneira.
Ele se enerva porque no lugar de agradecermos por seu trabalho brilhante, estamos a questiona-lo. O nervosismo da sua ultima apariçao mostrou que ele acha que nós estamos a ser ingratos para um quadro sénior do Fundo Monetário Internacional que veio fazer um favorzinho porque foi forçado por Nyusi a voltar (tal como ele forçou o Figueiredo a ser boss do Moza). Nos nao estamos a respeitar a sua historia profissional, que por amor à pátria largou e está a fazer um trabalho que "nunca viu nada melhor".
O Dr Zandamela me recorda uma afirmação de outro economista daqui, ora emprestado ao governo, o Dr Ragendra, quando cansado desta postura de nervosismo dos FMIstas: nos também estudamos nas mesmas escolas que eles"... por isso nada de nervosismo. 
O Dr Zandamela diz que temos de aceitar que se tenha entregue o Moza a ele e sua malta, so e so porque os outros interessados "eram investidores de conduta duvidosa que queriam todo o Moza"? O Dr Zandamela NÃO diz QUEM são esses investidores de conduta duvidosa.
Aliás, ele diz que não há problema legal, pois as leis vigentes do sector são do tempo de 2 bancos. A questao é que todos aprendemos que tudo é lei, deve ser respeitado até que seja revogada. Ou seja, ele que não faça cagunfas para nós aceitarmos só e só porque ele vem de laaaa. 
O Dr Zandamela talvez se esqueça que já não está no FMI, e sim, no BM. Todos sabemos que o pessoal do FMI zanga muito, muito e para valer. Zangam e cortam rodas relações contigo, até te renderes. Mas o Dr Zandamela deve se recordar que está na terra, e deve dar um intervalo ao seu nervosismo, pois já começa a nós assustar... E que não pontapeteie a lei... pois aqui temos ministros que conhecem bem a lei, mas agora andam bem escondidos.
Dito isto, eu acho que o Dr Zandamela NÃO é nervoso, é apenas um mafioso a fazer parte dele.
Zandamela, Moza, Kuhanha, cinismo e outros (des)contos
Olha, irmãos, num Estado de Direito não existem "boas decisões" que não obedecem a Lei. Num Estado de Direito as "profecias" são baseadas na Lei e os "profetas" têm assessores que conhecem a Lei. Num Estado de Direito ninguém está acima da Lei.
Não deve haver descontos só porque o povo caiu na graça da ladainha do chefe. Aliás, foi com ladainhas e osanas ao chefe que o nosso cofre sumiu.
As decisões do senhor Zandamela sobre o Moza e Kuhanha só podem ser aplaudidas num Estado CÍNICO, porque numa situação normal ele já estaria a pedir informações ao Diodino Cambaza de como são as casas de banho lá do grand'hotel. Isso num Estado de Direito! Repito: Estado de Direito! Eu não disse Estrago de Direito, disse Estado.
- Co'licença!
A CRISE QUE JÁ PASSOU
Tenho muito a aprender com o meu povo; não é que na TV Miramar o 'people' está em coro a testemunhar que a crise já passou... até dá entender que a crise estava no bolso do Sr. Zanda, autor desta frase e bastou sua afirmação que tudo passou... não será tempo de estudiosos pesquisarem o tipo de erva que o moçambicano anda consumir, que produz efeito de uma estupidez colectiva?
Pedido de esclarecimento....

Filipe Nyusi diz:
«Moçambique está de volta!» [1].
E os "mais esclarecidos" detractam...

Rogério Zandamela diz:
«O país, pela nossa perspectiva (do Banco de Moçambique), nós não estamos a gerir a crise... já não estamos nessa fase... Estamos a gerir uma situação de normalidade (do ponto de vista de política monetária)... A casa não está a arder; não precisamos de correr... Claro que ainda há ainda por fazer..., mas muito já se fez!...» [2].
Novamente, "os mais esclarecidos" detractam.

Eu, leigo em economia e finanças públicas, pretendo perceber melhor a razão da vossa indignação (vós os mais esclarecidos na matéria) ante os pronunciamentos de Filipe Nyusi e de Rogério Zandamela. Está a parece-me que estais negando factos e tentando fazer valer as vossas crenças... Estou errado?
Peço resposta de todos os melhor esclarecidos, mas especialmente ao Boaventura Paulo Buene [3] e Roberto Júlio Tibana [4].
Estou esperando...

---

Referências
Comentários
Egidio Vaz
Egidio Vaz Eu tenho uma explicação: os tempos estão cada vez cruéis com os pessimistas. Estamos falhar em tudo. E não querem aprender a nova gramática da governação. Deviam sofrer de desinteria para perceber como dói quando estado não disponibiliza medicamentos.
PS: quem nao entende de semiótica uque não comente o meu comentario
 · 
7
 · 21 h
Luís Loforte
Luís Loforte Escolheu o melhor milho (partes do discurso), mas não o tome como igual ao de todo o milheral (o discurso todo). Assim, é fácil ter razão.
 · 
3
 · 21 h
Buene Boaventura Paulo
Buene Boaventura Paulo Julião João Cumbane, o tempo é me escasso para elaborar a justificativa das minhas constatações, mas deixa - me apenas dizer que os dos supra estão a ser imprudentes. 

Os factos sobre os quais eles trazem estas afirmações são tão delicados, que exigem deles as maiores cautelas para elaborar discursos triunfalistas.


Vou oportunamente falar dos objectos em causa, por ora há outros assuntos que é roem a cabeça
 · 
1
 · 21 h
Hermes Sueia
Hermes Sueia Caro Professor Cumbane, certamente quis dizer Roberto e não Tomás Tibana.......com a Paz a tender para ser efectiva há que ter de facto uma visão positiva do futuro.Mais do que nunca existem motivos para pensar que a garrafa com água pela metade està meio cheia.
 · 21 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Sim, Hermes Sueia! Já corrigi. Obrigado pela atenção!
 · 18 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Sim, Hermes Sueia! Já corrigi. Obrigado pela atenção!
 · 18 h
Luís Loforte
Luís Loforte Moçambicanos fartos de a paz "tender a ser efectiva". Sempre condicionada!
 · 
1
 · 21 h
Jaime Mutuque
Jaime Mutuque atento
 · 21 h
Hermes Sueia
Hermes Sueia Não há males que durem toda a vida........haja fé.
 · 
1
 · 21 h
Luís Loforte
Luís Loforte Fé é o que nunca faltou aos moçambicanos, faltam é sinais sérios que nos permitam alimentà-la. A relativa paz que se vive tem em vista as eleições. Depois, voltamos às velhas cantigas...
 · 
3
 · 20 h · Editado
Joaquim Joao Correia
Joaquim Joao Correia Mas o custo de vida ainda nao baixou..
 · 
2
 · 20 h
Homer Wolf
Homer Wolf Até que enfim, Profe!... eh eh eh

PS: a "turma" está toda contra mim, (aparentemente) porque ando a defender o Zandex. Até já sugeriram que eu abrisse um fá-club dele. Com este post já posso defender-.me perante o ataque das feras...😅
 · 
5
 · 19 h · Editado
David Colaco Ribeiro
David Colaco Ribeiro Profe, só uma questão: "Moçambique está de volta? Havia saído/viajado/ausentado para aonde"?
 · 19 h
Marta Dgedge
Marta Dgedge Kkk, está de volta donde? O relatório ainda não foi divulgado... Então que nos paguem os 4 meses de horas extras que nos devem...
 · 18 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Informação: Por lapso, este 'post' estava duplicado. Tive que eliminar o duplicado. Alguns comentários ficaram eliminados nessa operação. Vós que registastes comentários naquele duplicado, tendes oportunidade aqui...

Homer Wolf, não te entendi...!


Buene Boaventura Paulo, seja honesto! Rogério Zandamela não fiz nehnhum discurso triunfalista; tampouco o Presidente Filipe Nyusi. Tu é que estás a interpretar o que disseram tendeciosamente, para validares as tuas CRENÇAS. Isso tem um nome: DESONESTIDADE.

Joaquim Joao Correia, ninguém disse que o custo de vida baixou!

Luís Loforte, ouvi o discurso TODO!...
 · 
1
 · 18 h
Homer Wolf
Homer Wolf ´Xa pra lá...
(Em suma, estamos juntos nesse diapasão!... isso é o que importa)
 · 17 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Informação: Por lapso, este 'post' estava duplicado. Tive que eliminar o duplicado. Alguns comentários ficaram eliminados nessa operação. Vós que registastes comentários naquele duplicado, tendes oportunidade aqui...

Homer Wolf, não te entendi...!


Buene Boaventura Paulo, seja honesto! Rogério Zandamela não fiz nehnhum discurso triunfalista; tampouco o Presidente Filipe Nyusi. Tu é que estás a interpretar o que disseram tendeciosamente, para validares as tuas CRENÇAS. Isso tem um nome: DESONESTIDADE.

Joaquim Joao Correia, ninguém disse que o custo de vida baixou!

Luís Loforte, ouvi o discurso TODO!...
 · 18 h
Edio Matola
Edio Matola O cambio do metical em relação ao dolar esta 61, em 2013/4 estava nos 30, em relação ao Rand esta em cerca de 4.7 e no periodo anterior a que me refiro estava em 3, o Diesel esta acho eu 48/49, e no periodo em comparação estava entre 35-37, e idem para os demais preços! E por consequência o poder de compra dos cidadãos continua muito baixo pelos motivos acima descritos na medida em que os mesmos trouxeram um inflação muito alta, para além das empresas continuarem a operarem no break-even point e na zona de prejuízos! Por estes motivos, não posso aceitar que a crise ja tenha passado oh caro professor Julião João Cumbane. E eu pergunto, porque os que aqui mencionaste dizem a crise ja ter passado? Quais são as evidências? Algum dia eles anunciaram a chegada da mesma? Então porque aparecem agora a apresentarem o seu término?
 · 
1
 · 18 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane NINGUÉM disse que a crise passou. TU e os que pensam como tu são quem está dizer isso. Filipe Nyusi não disse isso; Rogério Zandamela também não. Filipe Nyusi disse «Moçambique está de volta»; e Rogério Zandamela disse «... do ponto de vista de política monetária, não estamos a gerir crise... já passamos dessa fase!». Estás a ver a diferença, Edio Matola?!...
 · 17 h
Edio Matola
Edio Matola Caro professor, o estar de volta, não significa, estar no ponto em que esteve antes? E o ponto em que estivemos antes, são os que eu os trago como pontos de comparação. Quanto ao Zandamela, lí que usou mesmo o termo a crise ja acabou!
 · 
1
 · 17 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Não tenho tempo para atender as tuas tolices, Edio Matola!
 · 
1
 · 17 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Não tenho tempo para atender as tuas tolices, Edio Matola!
 · 17 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Não tenho tempo para atender as tuas tolices, Edio Matola!
 · 17 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Não tenho tempo para atender as tuas tolices, Edio Matola!
 · 17 h
Edio Matola
Edio Matola Ok, đado que não posso dizer kikikikikiki. Tolice? Ok!
 · 
1
 · 17 h
Luís Loforte
Luís Loforte Questões legítimas as levantadas por Édio Matola. De facto, não é legítimo (já que possível é, como aliás foi) falar do fim da crise quando a dívida pública está a estrangular o empresariado, mas sobretudo quando o Estado declara uma impossibilidade pontual de pagar a sua dívida externa. Professor, ainda admito que o PR tenha sido um pouco mais cauteloso quanto ao fim da crise, mas já em relação ao nosso amigo Zandamela, e a menos que as pessoas tenham ouvido (ou percebido) muito mal, é que disse, mesmo, que a crise já era. Seja como for, a súmula que as pessoas tiraram (e é isso que conta) é que tanto um, como o outro, deixaram a ideia sólida de que acreditam que a crise acabou. A crise não é o que os dirigentes apregoam, é aquilo que as pessoas sentem no concreto. Na minha opinião, ela ainda vai castigar, e muito, o povo!
 · 
3
 · 16 h · Editado
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Pois, então ficai vós dois, tu (Luís Loforte) e Edio Matola a conversar no diapasão por este escolhido! Se até agora não sabeis onde a economia de Moçambique estava ontem e onde está hoje, então eu não vejo utilidade de continuar esta conversa com vós dois aqui, porque representaria desvio do foco deste 'post'. Pedi esclarecimento sobre o que indigna os mais esclarecidos nas declarações de Filipe Nyusi e Rogério Zandamela. É desse esclarecimento que eu espero de quem a tiver.
 · 17 h
Luís Loforte
Luís Loforte Está a empreender uma grande fuga para a frente, Julião João Cumbane. O Professor sabe que não está a pedir esclarecimento algum, está mas é no simulacro de pedir esclarecimento, quando na verdade está a defender o indefensável. Custou entender que tudo quanto disse o governador do BM tem em vista atirar para o secundário o cerne da questão de se saber se foi ou não ético pôr alguém a gerir algo de que andou procurando soluções para o seu problema, junto de entidades externas? Ou entregá-lo a uma instituição de que é timoneiro? Sendo o meu amigo professor da UEM, acharia normal que o chefe da UGEA superintendesse concursos públicos e no fim adjudicar-se a si próprio, e para mais com sancionamento do Reitor? Essas é que são as questões de fundo, não a crise, que essa veio e assentou arraiais!
 · 
1
 · 16 h · Editado
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Crê no que quiseres, Luís Loforte! Isso não muda NADA em mim. Eu ainda espero que Roberto Julio Tibana eBuene Boaventura Paulo me expliquem o que os INDIGNA nas declarações públicas do Rogério Zandamela e do Presidente Filipe Nyusi. Um pedido genuíno de esclarecimento e não "simulacro", qual tu crês ser.
 · 16 h
Luís Loforte
Luís Loforte Se for genuíno, mesmo, conta com o meu apoio...genuíno.
 · 
1
 · 16 h
Buene Boaventura Paulo
Buene Boaventura Paulo Professor Julião João Cumbane, trago aqui uma pequena aula sobre a economia para si e depois vais tirar suas conclusões se Moçambique está ou não de volta e o BM já passou da fase de gestão de crise.

A economia de um País é um conjunto de factores que
 determinam se ela está ou não de boa saúde. Esses factores compreendem: investimento estrangeiro, comércio interno e externo, sistema monetário, provisão de serviços sociais e tantos outros, que com certeza te vem já na cabeça.

Acontece que podem eclodir eventos que fazem com que esses factores tenham maior ou menor (i) procura e (ii) oferta, sendo a oferta e a procura oa instrumentos de medição na economia - indicadores.

Numa economia saudável temos equilíbrio positivo entre oferta e procura.

Agora diga sr pofessor, se o momento actual equipara - se e em que medida com o período antes da eclosão da crise - período antes da descoberta da dívida escondida. Se para cada factor temos equilíbrio positivo entre a oferta e a procura.

Eu sinceramente não encontro comparação quanto ao desempenho dos factores económicos, porque em grande medida prevalecem os eventos negativos. O facto de o BM não encontrar num concurso público instituições interessadas em resgatar um banco de grande referência é inequivocamente sinal de crise, e ter que recorrer ao fundo de pensão de dentro do próprio BM.

Quando não se tem por onde escolher em pelo menos 2 indivíduos um gestor de confiança, num país inteiro e saudável, então esse país está de coma...

PS: o equilíbrio entre a oferta e a procura é positivo se para maior oferta temos na mesma proporção maior procura.
 · 
5
 · 15 h
Buene Boaventura Paulo
Buene Boaventura Paulo O silêncio significa o quê Professor Julião João Cumbane, não percebeu a matéria?
 · 2 h
Comentários
Nelson Charifo
Nelson Charifo Kkkk. é por isso que Moçambique é maningue nice. Parece que ninguém leva a sério as coisas por aqui. tudo é uma brincadeira.
Joefarman Manjate
Joefarman Manjate De mau gosto
Buene Boaventura Paulo
Buene Boaventura Paulo Há muita estupidez a rondar este país. O jornalista está todo ansioso em convencer que a crise faz parte do passado, não sei para que troco...
Jr Chauque
Jr Chauque Verdade fomou maningue
Joaquim Gove
Joaquim Gove Tem graça, caro Boaventura Paulo Buene, que esta sábia observação só vem agora. Quando o povo é ressoar das vozes dos expert em detracção, nada é notável... Estudiosos pesquisem - de facto. É urgentissimo.
 · Responder · 
1
 · 20/6 às 14:13 · Editado
Buene Boaventura Paulo
Buene Boaventura Paulo Eu não sou economista, caro Joaquim Gove, mas soa lobbismo político afirmar que a crise passou, tenho em conta que o BM teve arrecadação de u$100 milhões, mas em contrapartida estamos em default com o nosso crédito internacional em mais de 2 vezes esse valor. Quer dizer o avalista ginga por ter 100 quando deve mais de 200. O país está sob hipoteca até pagarmos o que devemos. O seu expert deve estar a vender - te gato por lebre...
Joaquim Gove
Joaquim Gove Certo! Mas o ponto ao qual comentei tem a ver com a necessidade de pesquisa sobre o comportamento.
Buene Boaventura Paulo
Buene Boaventura Paulo Os nossos sociólogos estão de férias, caro Joaquim Gove
Joefarman Manjate
Joefarman Manjate Joaquim Gove, sinceramente falando se bem existem academicos neste país , se for meu equívoco ,posso jurar que andam sequestrados!
Joaquim Gove
Joaquim Gove Joefarman Manjate! Eu juro que não compreendi a tua intervenção em termos de relacção com o meu comentário ao 'post' do Buene Boaventura Paulo...
Joefarman Manjate
Joefarman Manjate Oh meu Deus ! Como assim? Observando e analisando ,o meu comentário não está distante do amigo, Buene Boaventura Paulo, onde ele afirma que os sociologos estao de férias!!!! Então nao compreendeu as duas intervecoes ?
Tu apelaste para uma pesquisa e nós respondemos a esse apelo, meu caro, fazendo notar a inexistencia de recursos humanos para tal!
Buene Boaventura Paulo
Buene Boaventura Paulo Bem a carga de ironia no comentário de Joaquim Gove pode ser a causa deste desintelige diálogo. Para Gove o objecto do estudo são os 'expert em detracção' bem diferente do que foi o meu objecto 'a sociedade moçambicana em geral'
Joaquim Gove
Joaquim Gove Sem ironia nenhuma. Confesso. O meu foco ñ são detractores e a sua bela missão (engano de quem assim perceber da minha intervenção).
O meu ponto foi em reforço da aproximação feita pelo Buene Boaventura Paulo. Ele clama pelos estiosos que, segundo ele,
 devem (ou deveriam estudar a sociedade Moçambicana, cujos membros (para ele - Buene -ingerem algo que os faça repetidores de «discursos e imitadores de reacções». Como exemplo, a manifestação positiva movida pelo discurso do Governador do BM).

Portanto, eu, corroborando, relembro que de facto é necessário que os académicos estudem este povo cheio de tal comportamento, porque de facto, quando os dos discursos da detracção fazem a sua bela tarefa, estes apanham eco no seio desse povo que fica a repetir tudo, até os sentimentos incitados. Ademais, ressalto apenas que seja uma forte consciência a observação do meu caro autor do 'post' vir somente Agora que o povo faz eco do que até os profetas da desgraça já tanto disseram que seria totalmente impossível...

Acho que já fui muito explícito.
Star Neves
Star Neves Kkkkk.. andam paulados
Lenon Arnaldo
Lenon Arnaldo Kakakakakkakakakak ilustre, o informe de ontem foi na perspectiva macro e, estabilidade financeira. Obviamente, ao nível a que foi colocado o dinheiro não se refletirá tão já no bolso da maioria das pessoas e, quase tenho certeza que, o dinheiro e custo de vida já mais será como a época das vacas gordas. Agora, cada qual no seu galho.
Zeca Subriano Buene
Zeca Subriano Buene Mano buene a crise já passou?
Buene Boaventura Paulo
Buene Boaventura Paulo Foi o tema forte do apresentador Matavel, da TV Miramar, mas não foi ele quem o disse, mas sim o Governador do BM na sua conferência de imprensa ontem.
Jeremias Chilaw
Jeremias Chilaw A crise a que se referia era a financeira (disponibilidade de moeda estrangeira, reversao da inflacao e reducao dos precos dos alimentos, a que se alia a estabilizacao do metical, que passou praticamente de 80 para 60 em relacao ao dolar. Ate aqui esta claro que o custo dos alimentos reduziu, mas ainda temos um longo caminho ate que voltemos aos bons tempos.
Lenine Daniel
Lenine Daniel Jeremias Chilaw, então concordas que a crise financeira já passou é isso? Como vão as prestações das dívidas soberanas? Na função pública já não há atrasos salarias? Os hospitais já têm medicamentos? 
Outras coisas irmão...
 · Responder · 
3
 · 20/6 às 18:28 · Editado
Jeremias Chilaw
Jeremias Chilaw Nao sou economista para te responder a estas questoes. O que estou eh o sentido que foi transmitido pelo Governador do Banco de Mocambique, que basicamente se refere as questoes monetarias. Se bem me lembro, no auge da desvalorizacao do metical so tinhamos dinheiro para suportar as importacoes por menos de 2 meses e agora estamos nos 6, que eh o normal. 

A estabilizacao do metical tambem eh algo que nao se pode questionar, muito menos a reducao dos precos de alimentos.
Jeremias Chilaw
Jeremias Chilaw Ja agora, tirando o 13o salario, nao sei se alguma vez faltou salario na funcao publica.
Lenine Daniel
Lenine Daniel Obrigado pela resposta, o conceito de crise financeira vai para além do que escreveste. Um dos maiores indicadores do fim da crise é a capacidade do Estado em cumprir com as suas obrigações dentro dos prazos previstos, sem com isso dizer que não haja negociações de dívidas. No nosso caso não conseguimos pagar, rescalonamos para pagar mais ainda, há défice orçamental, salários congelados e dificuldades para pagar os já acordados, hospitais sem medicamento e ministérios a funcionar muito abaixo das necessidades: sem papel, combustível... e nem falarei do cidadão comum...
Politicamente é importante dizer que não estamos em crise....
Lenine Daniel
Lenine Daniel Jeremias Chilaw ninguém nega alguns avanços. Uma coisa é a valorização do metical face ao Rand e Dólar e outra coisa é o fim da crise. Pergunte as PME se as empresas fechadas por conta da crise estão de volta, se há novos empreendedores, pergunte a banca como vai...
Eu não disse que não há salários na função pública.
 · Responder · 
1
 · 20/6 às 18:37 · Editado
Jeremias Chilaw
Jeremias Chilaw O Governador do Banco de Mocambique falou especificamente da normalizacao da politica monetaria. Atencao, ele nao disse que a crise tinha acabado.....
Lenine Daniel
Lenine Daniel "O País, pela nossa perspectiva, do BM, nós não estamos a gerir crise, já passamos dessa fase" - Governador Rogério Zandamela.
Amigo não viste ele a falar. Temos base diferentes
Buene Boaventura Paulo
Buene Boaventura Paulo Fica difícil esclarecer este conceito de crise financeira e crise da tesouraria (quando não há centavo para pagar seja o que for), pois no primeiro há um défice no cumprimento das nossas obrigações com os credores, pelo que o que conseguimos não é nosso... esta é crise.

De um lado há melhoramento de alguns indicadores, como estabilização da taxa de câmbio; entrada de novos investimentos, estabilidade política e outros, MAS a factura do país é enorme e quando é para ser liquidada o país fica sem tesouraria, então estamos ou não em crise? O Governador sabe que estamos em crise sim, mas politicamente há que transmitir esperança ao povo e investidores, sendo que este papel não é de alçada do Governador do Banco Central.

Se faço negócio e contrabalançadas as despesas correntes e receita tiver saldo positivo, não posso exibir ostentação quando sei que tenho um crédito que engole literalmente todo o lucro, até faltar dinheiro; aí estou em crise.
Moniz S. Walunga
Moniz S. Walunga Buene Boaventura Paulo , boa licao a esses papagaios do sistema!
Augusto DosSantos Pelembe
Augusto DosSantos Pelembe Somos um caso raro no mundo
Azarias Chihitane Massingue
Azarias Chihitane Massingue Me parece que muitos dos meus compatriotas se sentem confortáveis quando se fala de uma crise persistente, o contrário cria alguma alergia. Os factos e os números dizem algo. O Dr. Zandamela falou do que a sua área diz respeito e, aí os números falam. Temos stock de divisa para seis meses. O Metical está apreciando se. A inflação está ficando controlada. Mas também quero confessar que não ouvi o que o tal de jornalista andou a dizer, se realmente disse que o Dr. Zandamela declarou o fim da crise, pode ser invenção dele. Mas que está se debelando, isso não precisa da Kroll. Alguém acima diz que os académicos estão de férias, como se a tarefa exclusiva do bom académico fosse de ser criticador(aquele que tem o criticar como profissão). Politicamente ficou claro que não se pode forçar situações, não se pode negar uma realidade, melhor é encarar e aproveitar se das possíveis fragilidades para tirar proveito político. Negar o óbvio não produz efeitos positivos politicamente, muito pelo contrário. Digo assim porque me parece que a ridicularizacao tem motivações políticas, pois o contrário não vejo o porquê.
Jeremias Chilaw
Jeremias Chilaw Ele nao declarou da crise, como se diz

https://www.youtube.com/watch?v=EIqTgWaDXOI

O Jornal da Noite é transmitido todos dias no canal aberto da STV e no…
YOUTUBE.COM
Joaquim Gove
Joaquim Gove Nem mais, meu caro...!!
Buene Boaventura Paulo
Buene Boaventura Paulo Estamos a falar de um tecnocrata e não de um político. Ele há dias insurgiu - se de lobbistas políticos na direcção da nossa banca. Não estamos a pôr em causa o melhoramento dos indicadores económicos, mas vai longe esse melhoramento com fim de uma crise, nos termos que eclodiu. Tivemos pelo menos dois default nas nossas obrigações e pelo que sei ainda não honramos nenhum.
Moniz S. Walunga
Moniz S. Walunga Buene Boaventura Paulo , empresas falidas pelo proprio Estado por causa de falta de pagamentos aos servicos prestados! Nossa empresa fechou e estamos a "desenrascar", mas com dinheiro que os bandoleiros nao pagam! E fanfarroes como Chihitanes Massingues a gozar connosco! A crise passou?! Muito bem! Entao paguem o que devem!!
Stelio Bruno Paulo Buene
Stelio Bruno Paulo Buene É uma erva que levará 1000 anos no mínimo para a sua descoberta, se depender desta humilde em estado de overdose moçambicana. O moçambicano o que leva na skua bagagem, não é o analfabetismo, mas sim o cubardismo. Que me desculpem ilustres internautas moçambicanos, já provamos q em em inteligência somos bons, que até um dos melhores engenheiros d Mercedes-Benz é da pátria amada. Pocha, temos que deixar de ser lambibotas e pormos nosso MOZ em carrís.
Moniz S. Walunga
Moniz S. Walunga Buene Boaventura Paulo, bem dito! E' estranho tudo isso.
Comentários
Ricardino Jorge Ricardo
Ricardino Jorge Ricardo Já saímos do Estado de Direito a muito tempo e aqueles senhores do saque do cofre deixaram mesmo Estrago-do-Estado.
Estamos-de-Volta!
 · Responder · 
2
 · 20/6 às 8:08
Mondlane Calane Dzovo Kito
Mondlane Calane Dzovo Kito Num Estado de Direito.
Aderito Ucucho
Aderito Ucucho Estamos no Estado-dos-chefes e não num Estado de Direito!
 · Responder · 
2
 · 20/6 às 8:36
Forbes Nhaca
Forbes Nhaca Então preferia que entregacem o banco a indivíduos de conduta duvidosa ou liquidar o banco? Só para dizer que cumpriram com a lei? Eu sou cliente desse banco gostei da decisão do BM e muitos clientes aplaudiram tenho a máxima certeza porque pelo menos temos a certeza que nosso taku esta seguro. Zandamela disse bem que ja esperava aturar puxa sacos, falam de boca para cima sem nada saberem. Nós só queremos o nosso taku seguro o resto são estórias.kkkkk
 · Responder · 
8
 · 20/6 às 8:36
Juma Aiuba
Juma Aiuba Eu também sou cliente. O problema não é segurança. É legalidade. É legitimidade. Mas também pensar que o meu dinheiro está seguro só porque está nas mãos do BM é falacioso. Os bancos centrais também entram em colapso.
 · Responder · 
1
 · 20/6 às 8:54
Jr Chauque
Jr Chauque Talvez não saiba , é o mesmo que pensar que está seguro com a polícia
 · Responder · 
1
 · 20/6 às 9:00
Forbes Nhaca
Forbes Nhaca Meu caro amigo os bamcos centrais entram em colapso no fim da linha, ai todos os clientes ja estaremos cientes que nosso taku esta em perigo, é so retirar. Mas estar a merce de crime organizado ou lavagem de dinheiro, a esperança de queda é super eminente. Eu ainda confio no BM por isso estou sereno e vejo que muitos clientes ja recorrem aquele banco para guardar suas economias.
 · Responder · 
4
 · 20/6 às 9:03
Juma Aiuba
Juma Aiuba Este nosso BM me parece o cabecilha do crime organizado. Agora eu é que não confio neles.
 · Responder · 
2
 · 20/6 às 9:26
Fatima Mimbire
Fatima Mimbire Não existe segurança no sistema financeiro meu amigo. Não é por acaso q os cheios de dinheiro guardam em cofres particulares parte significativa do seu dinheiro. É um engano muito grande esse. Na verdade a gente da precisa dos bancos. Eles é que precisam do nosso dinheiro.

Mas... mudando de assunto: o q te torna mais importante Forbes, que numa situação de incumprimento e incapacidade gestora do moza, em relação aos clientes do nosso banco q foi liquidado numa situação similar a do moza? E pq n usaram a kuhanha p salvar o nosso banco? Só assim essa medida Faria sentido. Mas... eticamente... continuaria o debate: pq recorrer ao fundo de pensões dos trabalhadores? E se o moza não decolar? E se perder tudo?

E entendam de uma vez; o problemq dos bancos deste país, tal como das empresa, é quererem ganhos sem investimento e depois andarem a pagar-se balurdios em salário. Poucos devem ter estranhado o facto de Mocambique ser atractivo p os bancos. Era pq ganhavam sem esforço. Ou seja: o tipo investe inicialmente e depois só usa o dinheiro dos clientes, como o Forbes. Multiplicam esse dinheiro e não reinvestem. Esse é o problema. Se a postura não mudar meu caro Forbes Nhaca, o teu dinheiro está de facto em risco.
 · Responder · 
3
 · 20/6 às 10:14
Francisco Mandlate
Francisco Mandlate A diferença cara amiga Fátima é que o Moza é um banco sistémico. É o quarto maior banco, com implantação a nível nacional. Deixa-lo cair tinha efeitos nefastos ao sistema no seu todo. O Nosso Banco não. 
Penso que o problema que levanta da falta de in
vestimento mudou. Todos os bancos correram para se recapitalizar algo que não faziam há anos. Acho que havia um desgoverno e anarquia no sector. 
Acho que estamos a ser legalistas demais num assunto que poderia ter consequências nefastas para todos nós. Entre violar a lei e dizimar economias de milhares de pessoas e arrastar outros bancos eu prefiro que se viole a lei. 
Se toleramos a existência de um partido armado que até ataca o Estado, porquê não podemos tolerar este tipo de decisões?
 · Responder · 
8
 · 20/6 às 13:07
Juma Aiuba
Juma Aiuba Aí está, caro Francisco Mandlate. O problema não é o Zandamela, é o Estado todo que não é, de facto, de Direito.
Fatima Mimbire
Fatima Mimbire Sistêmico quer dizer o quê? Esse n é o argumento do Bancomoc? -eu n engulo.

Veja lá no mundo a falência dos bancos.... e muitas falências são fruto do q eu prefiro chamar de corrupção. E o mozabanco é um desses casos. Já há alguma investigação que nos situa nas causas do problema de um e do outro? Ser o 4o maior em termos de quê? Dinheiro, implantação no país, clientes, capital próprio, volume de depósitos...?
 · Responder · 
4
 · 20/6 às 14:09
Alex Paulo Dos Anjos
Alex Paulo Dos Anjos Com licença tardia mas oportuna, gostaria de concordar com aqueles que defendem que não há lei sem excepção e dar palmadinhas ao Dr Zandamela pela sua excelente capacidade de gerir o problema do MOZA... De facto era necessário salvar aquele banco pelo tamanho do capital que suporta e pelos clientes que também suporta, sistematicamente falando. Falta saber dos serviços judiciais do resultado do relatório sobre os possiveis culpados que deixaram o banco na falência.
Aparicio Marques
Aparicio Marques meu respeitado Francisco Mandlate eu acho k não cola isso : defender que as medidas impostas ao Moza para o acordar do sono foram dessa natureza devido ao seu estatuto de 4 maior banco etc,etc,etc,o nosso banco tinha dinheiro tambem de Moçambicanos que não fazem parte do 4 maior banco!portanto eu acho provável a falência de um todo estado de direito e Forbes Nhaca pode ter certeza seu tacu la ta em risco
Forbes Nhaca
Forbes Nhaca Tinha quantos balcões o nosso banco? Estava em quantas províncias? Para querer comparar o Moza e o Nosso banco. Quanto a segurança do meus vintens estou plenamente seguro que estão em boas mãos no Moza.kkk
 · Responder · 
1
 · 23 h · Editado
Aparicio Marques
Aparicio Marques Mas era "Nosso Banco" merecia ir a leilão! Merecia terapia como fundo dos pensionistas ou kuhanha ou hanhane qualquer outra saida assim,que o boss continua ser o mesmo do Banco central e ainda diz foi uma insistência kikikiki ya aqui teremos um final sem precedentes! E se a carapuça não servir????
Forbes Nhaca
Forbes Nhaca O nosso banco estava nas ultimas e ninguém havia de ter interesse em um brinquedo falido que as próprias crianças poucas la vão brincar. Kkkkk
 · Responder · 
1
 · 23 h
Óskar Ndzucula
Óskar Ndzucula Nunca tivemos estado de direito lamentavelmente
 · Responder · 
1
 · 20/6 às 8:44
Elvino Dias
Elvino Dias Grande Vitorino David, vem cá
 · Responder · 
1
 · 20/6 às 9:33
Vitorino David
Vitorino David Desafiou-te e a outros a mostrar a "intransparência" do processo. Vão, Ou limitar-se-ão a resmungar tal ilegalidade? Não se esqueça que a tua idade é menor que os calos que Ele tem nas lides do FMI. Ele disse e bem, evitou que o Moza fosse usado como tanque de lavagem de dinheiro! Mostre o contrário, Elvino Dias. Bom dia
 · Responder · 
5
 · 20/6 às 9:46
Nito Ivo
Nito Ivo Isto tá de pernas para o ar mas dizem que tá de volta.
 · Responder · 
1
 · 20/6 às 9:54
Sérgio Fernando
Sérgio Fernando Estamos num Estrago de Direito, certamente..... kikikikikikiki
Sérgio Fernando
Sérgio Fernando Estamos num Estrago de Direito, certamente.
.... kikikikikikiki
Agostinho Jose Lobato
Agostinho Jose Lobato Os descontentes sempre não gostam de boas notícias e sentem-se bem quando as coisas estão a correr mal. Aguardem trombose porque Moçambique está de volta.
 · Responder · 
4
 · 20/6 às 10:42
Agostinho Jose Lobato
Agostinho Jose Lobato A crise faz bem aos invejosos e felizmente são poucos. É esse grupo que aumentam preço de produtos alegando crise; É esse grupo que queima carros e assaltam residências alegando crise; é esse grupo que trabalham com espiões para destruir nosso País; É esse grupo que torna África ridículo tipo vivem na fronteira entre os oceanos; é esse grupo de preguiçosos que só engrandecem acção colonizador do estrangeiro porque são preguiçosos e sem iniciativas de trabalho.
 · Responder · 
2
 · 20/6 às 10:50
Jose Alexandre Faia
Jose Alexandre Faia A pergunta que persiste r não tem resposta, não fizeram o mesmo com o Nosso Banco , porquê ??
Cidadão Comum
Cidadão Comum Hei-de voltar!
Vitorino David
Vitorino David O Nosso Banco, não era sistêmico, Meu caro!
Gilder Anibal
Gilder Anibal SUBSCREVO. Risos.
Josue Mucauro
Josue Mucauro Se "houve" violação de direitos pra salvaguardar um bem comum... Não vejo mal nenhum... E esse assunto do estado de direito não é de hoje, lembro me no tempo da instabilidade político militar, um grupo de analistas defendia muito essa duas palavras, para por fim um certo partido, mas o bem comum venceu e hoje o BM feriu esse tal de estado e o bem comum venceu
 · Responder · 
2
 · 20/6 às 12:22
Mateus Capitene
Mateus Capitene Não houve nenhuma violação de direitos. Haveria violação de direito, se o Banco Moza fosse usado para lavegem de dinheiro. Caros compatriotas conhecedores de direitos, neste assunto é melhor refazerem uma reflexão macroeconómica, olhando para as políticas monetárias, de modo darem os vossos palpites de forma acertada. Não olhem apenas para um factor (direito). A decisão do Banco de Moçambique foi a melhor decisão possível de acordo com as circunstâncias do momento. Caso fosse contrário, estaríamos a resmungar...
 · Responder · 
2
 · 20/6 às 13:44
Francey Zeúte
Francey Zeúte O outro chefe de tantas boas intencoes nos mergulhou no matope. agora outro chefe cheio de boas intencoes. Estamos lixados nos.
Mateus Capitene
Mateus Capitene Digo fazerem e não refazerem uma reflexão.
Filipe Zivane
Filipe Zivane O TÚMULO VAZIO

“O Por que procurais entre os mortos Aquele que vive? Ele não esta aqui; ressuscitou (Lc 24,5-6). No quadro dos acontecimentos da Páscoa, c primeiro elemento com que se depara é o sepulcro vazio. 

Ele não constitui em si uma prova direta. A ausência do corpo de Cristo no túmulo poderia explicar-se de outra forma. Apesar disso, o sepulcro vazio constitui para todos um sinal essencial. Sua descoberta pelos discípulos foi o primeiro passo para o reconhecimento do próprio fato da Ressurreição. “

Nao sou absolutamente devoto nem de cumprir promessas a Cristo, aos Santos e a toda pleiade de divindades mas de vez enquando gosto de espreitar artigos sobre cristianismo, que melhor me ajudem a compreender o pensamento Judaico Cristao. Melhor dizendo, compreender me a mim, enquanto parte desta cultura Crista universal, donde brota a nossa maneira de estar. Comecando por mim proprio e acabando em voces que escrevem e criticam sempre de pena afiada na mao. Mas entao o Sr Zandamela nao foi escolhido, indicado e consensualmente aplaudido para buscar ressuicitar a nossa tao debil economia, ao jeito que estava, ja no limbo, cocando os ultimos cartuchos de credibilidade interna e externa?? !!
O Sr. Zandamela que fala hoje com sentido patriotico, e diz que tomou de entre outras coisas, como precaucao que o Moza nao caisse na mafia da lavagem de dinheiro!! Tudo isso que se anda falando aqui e acola, faz lembrar um pouco a aparicao de Jesus depois de morto. Mesmo depois de espreitado o sepulcro vazio, ainda houve quem achasse nao ser milagre nenhum. Nao sei, mas acho que a critica que soa aos alarmes desta vez, e de "maus figados". 
Ja nao sabemos ao porque veio o homem. Ja nao acreditamos que esteja a fazer um bom trabalho para resgataar a economia e ressuiscitar o Pais do marasmo. Agora e ate conivente com o crime. Ai Jesus.
 · Responder · 
1
 · 20/6 às 15:31 · Editado
Wild Antonio Alfredo
Wild Antonio Alfredo Mais, não disse muito obrigado!
Ivandro Bruno
Ivandro Bruno Pura verdade Juma Aiuba. Gostei do teu raciocínio
 · Responder · 
1
 · 20/6 às 21:14
Alex Paulo Dos Anjos
Alex Paulo Dos Anjos Com licença tardia mas oportuna, gostaria de concordar com aqueles que defendem que não há lei sem excepção e dar palmadinhas ao Dr Zandamela pela sua excelente capacidade de gerir o problema do MOZA... De facto era necessário salvar aquele banco pelo tamanho do capital que suporta e pelos clientes que também suporta, sistematicamente falando. Falta saber dos serviços judiciais do resultado do relatório sobre os possiveis culpados que deixaram o banco na falência.
Comentários
Noa Inacio
Noa Inacio Se o Dr Zandamela lese assim como esta escrito ia aprender algo.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 23 h
Ser - Huo
Ser - Huo "SE" e só se.. :)
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 21 h
Joao Sales
Joao Sales Sair da crise financeira por comessar a receber luz verde para se individar novamente isso só alivia o presente e sufoca ainda mais o futuro!!!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 23 h
Gervasioa Absolone Chambo
Gervasioa Absolone Chambo Vi e ouvi o discurso dele tal que comentei à minha esposa: esse gajo quando fala fica com a cara feia. A esposa respondeu: está nervoso.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 22 h · Editado
Buene Boaventura Paulo
Buene Boaventura Paulo O alarme soou forte, espero que ele oiça e doravante fale com olhos postos no chão que está pisando
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
2
 · 22 h
Vasconcelos Dias Fernando Muanamassa
Vasconcelos Dias Fernando Muanamassa nao consegui ler tudo
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 22 h
Ser - Huo
Ser - Huo Usa Google cortana
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 21 h
Vasconcelos Dias Fernando Muanamassa
Vasconcelos Dias Fernando Muanamassa pela extensao do texto
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 21 h
Ser - Huo
Ser - Huo Então NÃO lê irmao... e ninguém quer saber de sua preguiça para ler irmão. Ohhhh
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 21 h
Ivala Piyamwene
Ivala Piyamwene 😂😂😂😂😂😂😂😂😂
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 19 h
Ser - Huo
Ser - Huo Esses não (h)ouvem nada... E nós continuamos assim assim aos arranjos...
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 21 h
Jemusse Abel
Jemusse Abel O importante é que ja nao ha crise financeira!?????
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 19 h
Moulinho Lehuany
Moulinho Lehuany Eu acho que nao è correcto indicar que são os investidores de conduta duvidosa por parte dele enquanto há instituições que tratam disso ...
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 17 h · Editado
Ser - Huo
Ser - Huo Ele agora tem a obrigação de dizer quem são esses investidores investidores conduta duvidosa neste mercado. 
Estamos cansados de manipuladores de opinião que nunca apresentam dados
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 17 h
Juaniha Amilcar
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 17 h
Antonio Amine
Antonio Amine Ainda vamos ouvir em torno disso. Muito pano para mangas
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 16 h
Emidio Beula
Emidio Beula "é apenas um mafioso a fazer parte dele", assim mesmo!!!!! Admiro - lhe a capacidade adjectivista. Pelos dizeres, convenço-me que o proletariado, ou melhor, a ditadura deste, é a solução. Pudera!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 12 h · Editado

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.