domingo, 18 de junho de 2017

Atropelamento no norte de Londres faz um morto. Polícia fala em terrorismo

EM ATUALIZAÇÃO126
6
Uma carrinha atropelou pelo menos dez pessoas em Londres na madrugada desta segunda-feira. A polícia está a tratar a ocorrência como atentado. Há um morto confirmado
A Polícia Metropolitana de Londres confirmou a primeira vítima mortal do atropelamento que aconteceu na madrugada de segunda-feira na zona de Finsbury Park, no norte de Londres. Já se sabe também que as autoridades estão a tratar a ocorrência como um potencial atentado terrorista.
Há relatos de que pelos menos uma dezena de pessoas atropeladas e pelo menos três estarão em estado grave. O condutor da carrinha já foi preso — é um homem de 48 anos que será em breve submetido a exames psiquiátricos, segundo avança a imprensa britânica.
O atropelamento aconteceu perto da mesquita de Finsbury Park, num centro de apoio à comunidade muçulmana, o Muslim Welfare House. Finsbury Park é uma zona com um grande número de muçulmanos, que estariam a assinalar mais um dia de Ramadão com uma oração. Através do Twitter, o Conselho Muçulmano Britânico confirmou o incidente.
BREAKING: We have been informed that a van has run over worshippers as they left  Mosque. Our prayers are with the victims. https://twitter.com/harakha/status/876592547753328640 
UPDATE: the attack took place outside @MWH_London which is nearby the  mosque, not outside Finsbury Park mosque itself
A Sky News avança que 10 pessoas terão sido atingidas, enquanto o vespertino Evening Stardard diz ter ouvido de várias testemunhas que o homem que guiava a carrinha saiu do veículo direito às pessoas com uma faca na mão. Há relatos de que pelo menos uma pessoa possa ter sido esfaqueada — informação que a polícia não confirmou. Várias testemunhas disseram também que seriam três os homens que estavam dentro da carrinha, e que dois terão escapado.
“Havia muita gente a sair da mesquita e a carrinha guinou à esquerda e foi direitinha a essas pessoas. Vi quatro pessoas no chão e pelo menos uma foi esfaqueada”, disse uma testemunha ao jornal britânico.
A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse tratar-se de “um incidente terrível” e o líder dos trabalhistas, Jeremy Corbyn, mostrou-se “totalmente chocado” com o sucedido.
Imagens publicadas na rede social Twitter mostram um considerável aparato policial. A polícia formou um cordão para bloquear o acesso à estrada. Segundo o diário The Guardian há mais de uma dúzia de ambulância destacadas no local e há pessoas a serem assistidas pelos serviços médicos no local. O atropelamento aconteceu na interceção da rua Seven Sisters com a rua Tollington.
Uma testemunha no local, que não quis dar o seu nome, disse à agência de notícias Associated Press que viu pelo menos três pessoas estendidas no chão, uma delas estaria a ser reanimada pelos paramédicos. Já Boubou Sougou falou com o The Guardian e disse que viu a carrinha “a guiar deliberadamente contra as pessoas”. Sougou também confirmou ter visto exercícios de reanimação a uma das vítimas. “Não foi um acidente. Eu vi tudo. Há pessoas feridas com gravidade. O condutor tentou escapar mas as pessoas agarraram-no. Ele não disse nada”, contou o jovem de 23 anos.

“É um ataque terrorista, a cor da pele não muda isso”

Mesmo sem confirmação sobre a razão para este incidente, já há muitas vozes revoltadas nas redes sociais a pedir que se trate o que se passou em Finsbury Park como um ataque terrorista. “Repete comigo BBC: “Ataque terrorista”, NÃO incidente, “Ataque terrorista”, pede um londrino, com ironia, à cadeia televisiva pública britânica.
 is a terrorist attack. An act to spread terror and fear, to kill & cause pain. Skin colour is no exception to this definition
O repórter da Sky News, que falou com várias pessoas no local que garantiram ter visto uma carrinha a acelerar direta e deliberadamente contra as pessoas que estavam no passeio, como se verifica no vídeo em baixo, teve dificuldades em conduzir a emissão em direito sem interrupções já que várias pessoas se insurgiram contra a forma como os meios de comunicação estavam a tratar o sucedido.

Uma mesquita a lutar contra o passado

Construida em 1988, com os seus quatro andares e uma das maiores áreas de oração de todo o país, a mesquita de Finsbury Park perfilou-se no céu do norte de Londres como um monumento à paz entre as religiões, da qual o Reino Unido sempre se orgulhou. Dez anos mais tarde fazia manchete por outras razões. As intervenções e sermões do seu principal imã, Abu Hamza, o temível clérigo com uma mão amputada, que substituiu por um gancho, e sem um olho, traziam para Londres ecos dos discursos dos líderes radicais da al-Qaeda.
Em 2004, sete anos depois de se ter tornado líder da mesquita, Hamza foi preso pela polícia britânica a pedido dos Estados Unidos, que o queriam julgar por incitação ao terrorismo mas foi mesmo no Reino Unido que enfrentou pela primeira vez os tribunais: 16 acusações, entre as quais incitação à violência e promoção de ódio inter-religioso. Em Outubro de 2012 foi finalmente extraditado para os Estados Unidos onde está preso sem possibilidade de liberdade condicional. É a ele que as autoridades atribuem a culpa da radicalização de Zacarias Moussaoui, uma das mentes por trás do 11 de setembro e Mohammed Sidique Khan, um dos quatro bombistas suicidas a fazer-se explodir nos ataques à rede de transportes públicos de Londres, em julho de 2005.
Hoje em dia, a mesquita é conhecida pelos seus esforços contra a radicalização dos jovens muçulmanos, sendo frequentemente visitada por líderes políticos e deputados e tendo anunciado também um programa especial de apoio aos membros da comunidade identificados como aqueles que mais poderão precisar de ajuda com a integração na sociedade britânica. É comum ver jovens à porta da mesquita a distribuir panfletos sobre as reuniões que ali se realizam periodicamente sobre assuntos tão variados como aceitação e integração de pessoas com deficiência, alterações climáticas ou saúde mental.
Os líderes muçulmanos londrinos têm condenado unanimemente todos os ataques perpetrados “em nome” do auto-proclamado Estado Islâmico e a comunidade muçulmana recusou-se recentemente a oferecer honras fúnebres aos três homens que atacaram a zona de London Bridge, no início de junho, matando oito pessoas.
Público
5 h · 
Uma carrinha atropelou várias pessoas na madrugada desta segunda-feira, junto a Finsbury Park, em Londres.
Polícia deteve um suspeito, que terá atropelado um número indeterminado de pessoas fora da estrada em Finsbury Park. Não se sabe se foi deliberado.
PUBLICO.PT
Comentários
Franco Horàcio
Franco Horàcio O Imã da mesquita de Londres já tem o discurso preparado para a próxima homilia. "então irmãos maometanos, é muito feio estarem-se a matar uns aos outros, ocidentais, ouçam bem, ocidentais, Allha Akbar".
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 4 h
Diogo Tapada Dos Santos
Diogo Tapada Dos Santos Para quem sublinha que os feridos saíam de uma mesquita, notem que esta mesquita teve ligações a grupos terroristas islâmicos, tendo sido fechada e reaberta em 2005 com uma liderança muçulmana "mais aberta". Leia-se: https://en.wikipedia.org/wiki/Finsbury_Park_Mosque
, England. Finsbury Park Mosque is registered in the UK (charity No: 1136945, company No:7229018), serving…
EN.WIKIPEDIA.ORG
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 5 h
Rui Vaz
Rui Vaz Não percebi a relevância, importa-se de explicar?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 5 h
Diogo Tapada Dos Santos
Diogo Tapada Dos Santos Os muçulmanos alegadamente atacados saíam de uma mesquita liberal, que é um alvo do Islão ortodoxo tal como uma igreja ou sinagoga o será.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
4
 · 5 h
Rui Vaz
Rui Vaz Ah percebi, está a insinuar que foram muçulmanos contra muculmanos.. humm, quer dizer então que o vídeo que vi de um branco com aspeto inglês a ser preso no local foi alucinação, percebo. Foi um "incidente".
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
4
 · 5 h
Diogo Tapada Dos Santos
Diogo Tapada Dos Santos Está a implicar que os muçulmanos são não-brancos? Há muçulmanos de todas as etnias, ao que sei.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
3
 · 5 h
Rui Vaz
Rui Vaz Não, não estou a implicar nada, quem está a fazer um esforço enorme nesse sentido é o meu amigo.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 5 h
Rui Vaz
Rui Vaz A explicação do sucedido, até ver, parece-me muito simples. Quem, está a querer complicar é você. Passe bem.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 4 h
Diogo Tapada Dos Santos
Diogo Tapada Dos Santos De todo é um esforço enorme, é uma simples dedução de factos: trata-se de um "incidente", que logo se verá o que foi, que teve como alvo muçulmanos saídos de uma mesquita liberal (e que antes de 2003 era uma mesquita ligada a terrorismo ou ao chamado "islão radicalizado). Os muçulmanos liberais são alvos dos muçulmanos ortodoxos, em Inglaterra e no Médio Oriente. O facto de o alegado perpetrador deste "incidente" ser branco não o exime de ser muçulmano. O senhor é que fez um esforço para desmontar estas ideias, mas não concluiu nada de relevante.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
4
 · 4 h · Editado
Diogo Tapada Dos Santos
Diogo Tapada Dos Santos Rui Vaz Qual é a sua explicação? Retaliação anti-muçulmana? Poderia ser também, mas nada aponta nesse sentido. Pelo contrário, lutas fratricidas entre muçulmanos são sobejamente conhecidas, e era expectável que os muçulmanos heterodoxos/liberais viessem a ser alvos mais tarde ou mais cedo.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 4 h
Isabel Romero
Isabel Romero É tudo a mesma porcaria !
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 4 h
André Filipe Gonçalves
André Filipe Gonçalves "Incidente"?????? Agora já não é ataque terrorista? 

Presumo que a localização não ajude...
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
24
 · 5 h
Ana Sousa
Ana Sousa E agora será que o estado islâmico vai assumir este ataque . A pois e um incidente ! Pois da pra ver com e tratado cada ser humano
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 2 h
Manuel Carlos Mendes
Manuel Carlos Mendes Sinceramente, ja e tempo que eles provem di seu propio remedio a ver se gostam.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 2 h
Fernando Manuel Letra
Fernando Manuel Letra Esqueceram-se de um pormenor: PESSOAS QUE SAÍAM DE UMA MESQUITA!!! É preciso chamar os Os truques da imprensa portuguesa???

Incendiários!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
14
 · 5 h
Diogo Tapada Dos Santos
Diogo Tapada Dos Santos As carrinhas agora têm vontade própria para atropelarem pessoas?
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
16
 · 5 h
Ermelinda Fernandes
Ermelinda Fernandes Isto de carros e carrinhas sem travões tem que se lhe diga
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 45 min
Isabel Romero
Isabel Romero Já nem vou dormir só a pensar nisso ! Chama se karma !
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 4 h
Elaine Andrade Barbosa
Elaine Andrade Barbosa Karma seria o retorno do que a própria pessoa fez, não pessoas da mesma nacionalidade/religião/comunidade. Pela demonstração de empatia que vejo aqui, eu no seu lugar me preocuparia mais com o meu karma do que com o dos outros.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
9
 · 2 h · Editado
João Miguel Pelica
João Miguel Pelica Esse tipo de argumentação primária é frágil e não resiste a uma análise. Repare que previamente ao terrorismo islâmico os ocidentais iniciarem as guerras do petróleo, onde foram mortos muitos civis, incluindo crianças, em bombardeamentos sobre áreas residências. Segundo a sua lógica os atentados terroristas islamitas no Ocidente também podem ser considerados "karma"!
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
4
 · 1 h
Silva Duarte
Silva Duarte Mais um??????
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 5 h
Rui Vaz
Rui Vaz Curioso deixarem de fora certo "pormenor" Público - http://www.independent.co.uk/.../van-pedestrians-hit-run...
Several pedestrians have been injured after being hit by…
INDEPENDENT.CO.UK
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
5
 · 5 h
Angelo Fernandes
Angelo Fernandes Virou moda atropelar pessoas esses atrasados mentais raça do mais baixo k há e cobardes não encaram as pessoas é sempre traição
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 4 h
Tânia Pereirinha
Tânia Pereirinha Tem a noção que foram 3 britânicos que atropelaram estas pessoas certo?! Já nem se lê as notícias, é só mandar postas de pescada.
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
2
 · 2 h
Tatiana Castanheira
Tatiana Castanheira Ok, para quê tantas aspas? O acidente não foi grave o suficiente e não há lá grandes feridos? Porque é isso que quer dizer dentro de aspas. ''lol''
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 30 min
Daniel Omar
Daniel Omar Califado de Londres, semana sim, semana não vai ser assim. Abriram a porta a eles agora....
GostoMostrar mais reações
 · Responder · 
1
 · 5 h
Rosie Cardoso
Rosie Cardoso Por isso é que os atropelados eram muçulmanos a sair de uma mesquita...
 · Responder · 
1
 · 5 h
Diogo Tapada Dos Santos
Diogo Tapada Dos Santos De uma mesquita liberal...
 · Responder · 5 h
Diogo Tapada Dos Santos
Diogo Tapada Dos Santos Filipe Alexandre Silva Posso ser ambos. Noto apenas que a mesquita era liderada pelo muçulmano ortodoxo Abu Hamza al-Masri até 2003, ano em que foi fechada por acto policial, tendo sido reaberta em 2005 segundo uma linha liberal (ou heterodoxa) do islão.
 · Responder · 
1
 · 4 h
Raquel Rodrigues
Raquel Rodrigues Oh ignorância..
 · Responder · 3 h
Pedro Costa
Pedro Costa O k esperar de um perfil dedicado à bola....

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.