segunda-feira, 12 de junho de 2017

Xiconhocas da semana: Jindal; Atanásio Ubisse; Corruptos do INATTER

Xiconhocas da semana: Jindal; Atanásio Ubisse; Corruptos do INATTER
Xiconhoca
Escrito por Redação  em 09 Junho 2017
Share/Save/Bookmark
Os nossos leitores elegeram os seguintes Xiconhocas na semana finda:
Jindal
A empresa Jindal, multinacional indiana que tem estado a explorar carvão mineral em Tete, é um exemplo de Xiconhoca ao cúbico. Aquela multinacionalnão obstante a decisão judicial, tem estado a depositar o seu carvão no Porto Seco, afectando seriamente a saúde dos munícipes, sobretudo os residentes do bairro da Liberdade. Este desrespeito aos órgãos de justiça do país, sobretudo aos moçambicanos, é reveladora da falta de seriedade daquela empresa. É necessário que se tome medidas urgente à Jindal!
Atanásio Ubisse
A atitude tomada pelo cidadão Atanásio Ubisse, de 39 anos de idade, é de um Xiconhoca até à medula, para além de demonstrar problemas mentais grave. O indivíduo, no cúmulo da sua estupidez, matou as suas duas filhas com recurso à ratícida, vulgo ratex, e suicidou-se em seguida. Não se sabe o que estive por detrás desse acto macabro. Não importa as razões, o acto bárbaro de Ubisse é demonstração de pura covarde. Xiconhoca!
Corruptos do INATTER
É sabido que o Instituto Nacional dos Transportes Terrestres (INATTER) é um antro de corrupção. Quase todos os dias, há informações de venda de cartas de condução por parte dos funcionários da INATTER. Porém, desta vez, oito funcionários daquela instituição nas províncias de Nampula e Maputo e cidade de Maputo, foram punidos disciplinarmente e alguns expulsos da Função Pública por alegado envolvimento na falsificação de exames teóricos de condução de mais de mil instruendos. É esse bando de corruptos que tem contribuído para o aumento de sangue nas estradas moçambicanas.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.