segunda-feira, 12 de junho de 2017

Quem são os novos cidadãos portugueses?


Quem são os novos cidadãos portugueses?

Portugal ganha 40 mil novos cidadãos por ano, e a maioria é de países onde se fala português. Entre 2007 e 2016 quase meio milhão de pessoas pediu a nacionalidade portuguesa (477 mil pedidos) e mais de 400 mil cidadãos tornaram-se portugueses
Desde 2006 que Portugal é reconhecido internacionalmente como um dos países com melhor enquadramento legal para a aquisição da nacionalidade. Entre os países da UE28 vem em segundo lugar no «rácio de aquisições de nacionalidade por total de residentes estrangeiros» a seguir à Suécia como o melhor país a acolher e a integrar imigrantes. Está em primeiro lugar na área da «nacionalidade», segundo o Índice Global de Avaliação das Políticas de Integração de Imigrantes (MIPEX 2015). As alterações legislativas para a concessão da nacionalidade feitas nas duas últimas décadas muito contribuíram para tal. As políticas e enquadramentos legais portuguesas têm sido consideradas inovadoras ao conciliar critérios de nascimento, descendência, residência, a opção voluntária para o pedido de nacionalidade e o papel que os imigrantes requerentes podem assumir para a demografia de um país naturalmente envelhecido. No ano de 1996 houve 3700 concessões de nacionalidade portuguesa mas em 2016 esse número ascendeu a 50.793 de acordo com o Caderno Estatístico publicado esta semana pelo Observatório da Migrações.

COMENTÁRIOS

Comentar


Caracteres restantes: 
  1. Parabéns ao Público por um artigo tão bem documentado graficamente. Segundos os números, metade do total são assim filhos de Portugueses que emigraram (como os meus filhos) que regressam à terra dos pais, e muitos dos restantes vêm da lusofonia. É assim um fenómeno lusófono. 40 mil é assim muito menos dos que 110 mil que emigram mas uma luz de esperança a contrariar o colapso demográfico em curso.
  2. Ha meia duzia de anos conheci um cidadao brasileiro em Lisboa que possuia um BI portugues, ele mo mostrou uma vez! Este brasileiro tinha ido ao RU por um tempo e voltado. Brasileiro sem qualquer especifica qualificacao, com conhecimentos rundimentares da lingua inglesa, regressou a Portugal. Nunca lhe perguntei detalhes mas quase que eu advinhava que devido ao rudimentar conhecimento de Ingles somado ao low skill level este brasileiro fez-se de caminho de regresso a Lisboa pois a vida pode ser muito dura quando nao se conhece o idioma nem ha skills para suportar uma vida num pais como o RU.
  3. No que se refere a imagem de um país envelhecido concordo. Mas, quem são esses novos residentes, qual seu perfil? Quando intensificou a crise económica no ano de 2008 que abalou o sistema mundial, em Portugal, para além de outros processos de perda, houve uma fuga de cérebros significativo. Muitos jovens e jovens/adultos, altamente qualificados, emigraram e agora? O que temos, pra já, em relação aos perfis dos que cá está legalmente, dos que estão ilegais e esses novos residentes? O que temos e o que perdemos? Cumprimentos, Katia
  4. Por favor,digam-me quantos desses novos "portugueses" deixaram o territorio nacional rumando a destinos economicamente mais "atrativos" que de outro modo nao poderiam entrar tao facilmente, engrossando o numero dos que surgem nas eestatisticas de portugueses emigrados na Suica, UK, Franca, Alemanha, EUA, Australia, etc. Revolta-me um pouco que cidadoes dos chamados "paises emergentes" - antes chamados paises do terceiro mundo - contornem as regras de emigracao da UE, EUA, Canada, etc sabendo que, caso ainda fossem brasileiros, angolanos, etc muito mas muito dificilmente passariam pelas malhas do controle de fronteiras dos seus "paises de sonho". Isto de mercantilizar uma nacionalidade eh repugnante! As minhas desculpas pois teclo de um teclado sem funcoes de til, cedilha e acentos grave.

mmm

  1. É estranho. Se é atribuida a nacionalidade portuguesa a tanta gente e se a população de Portugal diminui o que acontece ? Será que muitos destes novos portugueses não passam de oportunistas ? Se Portugal não fosse membro da União Europeia o que se teria passado ? Como podemos controlar toda esta gente ? No fundo estes novos portugueses não são nem nunca serão portugueses.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.