quarta-feira, 17 de maio de 2017

Nivelar por baixo

Nivelar por baixo
Há dias que venho ao escritório com a promessa de não escrever nada para o Facebook, talvez comentar ou pôr um like aqui e acolá. Sei antes de abrir a porta do escritório que vou quebrar essa promessa, por isso até levo muito tempo a abrir o Facebook para evitar a tentação. É que sei quanta gente incomodo com intervenções despropositadas, de sabichão e que dão aquela impressão de que não faço mais nada na vida senão gerir o meu mural. Os pérola indianos são bem educados, por isso não reclamam abertamente, mas por vezes são traídos por um comentário que não consegue esconder o que lhes vai na alma, por um “post” qualquer que publicam a reafirmar alguma coisa que contestei, enfim, por referências aos “intelectuais” do Facebook, etc.
Só que muitas vezes é difícil resistir. Por exemplo, desde ontem que o Facebook e o Whatsapp andam cheios do texto que reproduzo logo a seguir:
“Hoje é dia de aplaudirmos o nosso governo e o nosso Líder: *Filipe Jacinto Nyusi*, Presidente da *FRELIMO* e da *República de Mocambique* pelos seguintes motivos:
1. Os Combustíveis baixaram,
2. Dia após dia o metical tem vindo a apreciar-se face ao dólar, diga-se categoricamente que a cada dia o dólar cai,
3. A LAM já têm 9 aviões operacionais, para semana passam a ser 10,
4. Os TPM melhoraram a sua frota para nós munícipes,
5. O Presidente Nyusi convenceu o líder da Oposição a sair das Matas e rumo à paz efectiva.
6. As companhias aéreas Moçambicanas saíram da lista negra do espaço aéreo Europeu.
O Presidente Nyusi está a trabalhar, saibamos também lhe parabenizar, porque lhe dá também força e vontade de continuar a resolver os problemas do nosso País. Não nos foquemos nas lamentações e críticas destrutivas”.

É difícil ignorar esforços de imbecilização de todo um povo, por muito que parte desse povo contribua para isso. O texto é um insulto à inteligência, um manifesto contra o sentido democrático que o sistema político devia tentar emular e um monumento à miséria do debate público.
Insulta a inteligência quando sugere como critério de avaliação do desempenho dum governo ou dum líder político decisões espontâneas cujos efeitos ainda não se fizeram sentir. Não me parece má ideia elogiar o governo por se ter dado conta de que precisava de agir sobre algum assunto. Exigir aplausos sem primeiro analisar porque o problema teve que alcançar essas proporções antes do governo ver a necessidade de agir é chamar as pessoas de imbecis.
É um manifesto contra o sentido democrático porque coloca o mérito do que é bom nas qualidades visionárias dos líderes, não nas instituições democráticas que tornam possível a correcção de erros. É a reafirmação do messianismo político, da ideia de que um país só anda se tiver à sua frente um líder forte, com visão e com espírito “faz tudo”.
Finalmente, é um monumento à miséria do debate porque reduz a participação política ao elogio das boas acções como se a crítica em si não fosse útil. Esta ideia de que o governo precisa das palmas do povo para poder continuar a fazer o que se comprometeu a fazer é muito curiosa.
O que me incomoda mais neste texto é não conseguir ver nenhum mérito em qualquer dos seis pontos. Vejo interrogações apenas.
1) bom, para já, os combustíveis não baixaram. Baixou o preço. Mas, seriamente, é este o tipo de país que queremos? Um país em que os preços são fixados pelo governo ou um país em que o governo influencia os preços através de mecanismos fiscais apropriados? 2) o valor da nossa moeda em relação ao dólar não diz nada sobre o que isso significa para a vida dos moçambicanos; não diz nada sobre o efeito das políticas macro-económicas que possam estar por detrás disso no cômputo geral da economia; não é informação. 3) a questão aqui é dupla: primeiro, porque só agora é que deram esses aviões à LAM (e não antes)? Segundo, queremos um país onde o governo gere empresas?
4) mesmas perguntas acrescidas do ridículo da intervenção do governo central numa área que é do âmbito do Município; quem devia colher louros aqui é o edil de Maputo, não o governo ou o Presidente da República; que não seja o edil a fazer isso diz muito sobre o que não está bem no país. 5) que eu saiba, o líder da Oposição continua no mato, o único que ele fez foi declarar trégua por razões que ele em nenhum momento atribuiu ao poder persuasivo do Chefe de Estado; e se calhar era bom não fazermos barulho sobre este assunto, o tipo ainda muda de ideias se achar que não está a receber o devido reconhecimento pela sua magnanimidade. 6) bom, para além de que o espaço aéreo europeu não tem listas (negras ou brancas), há algum problema em atribuir esta decisão ao trabalho do governo porque até à recente visita da Inspecção Geral do Estado o governo não parecia estar ao corrente dos problemas da nossa companhia aérea.
A última frase que fecha o texto é de fazer corar de vergonha qualquer pessoa com algum sentido de modéstia. Se formos ingratos o empregado-mor não vai trabalhar. Tem sorte que não dê para ver quando um negro cora...
A Pérola do Índico por vezes cansa!
GostoMostrar mais reações
Comentar
Comentários
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe E cansa mesmo. Como disse Cossa, quando a chuva cai na patria amada a diaspora pega guarda-chuva. Nem me fale da imprevisibilidade desse outro ainda nos arbustos. Nao se sabe quando e que muda. Agora essa de agradecer porque 9 dos 10 avioes voam faz me pensar naquele pensador que fala de uma elite que cria problemas e depois aparece com soluçoes magicas para colher louros.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
6
· 13 h
Elisio Macamo
Elisio Macamo o problema é que essaes guarda-chuvas são chineses...
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 12 h
Alvaro Simao Cossa
GostoMostrar mais reações
· Responder · 11 h
Alvaro Simao Cossa
Alvaro Simao Cossa Amigos Elisio Macamo e Eusébio A. P. Gwembe mas parvo é quem ainda não entendeu que é melhor ter um guarda-chuvas chinês na hora que chove, que molhar-se no retilíneo da chuva
Lyndo A. Mondlane
Lyndo A. Mondlane Nos somos capitalistas quando tiramos beneficios, quando este nao aparece, somos socialistas incluso comunistas, nao é por acaso que incluso partidos conservadores que pedem subvençoes para os seus membros, o estado nao deveria a estas alturas da vida fixar preços de nada, estmos em.economia de mercado que seja este quem fixa os preços., disse naquele dia, é muito dificil aquele povo prof.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 13 h · Editado
Elisio Macamo
Elisio Macamo não é o povo, Lyndo. deixa o povo em paz. quem determina preços é o governo, o povo agradece.
Juma Aiuba
Juma Aiuba Imbecilidade mesmo. Comecei a ver este texto está manhã e achei-o um produto mal feito de alguém pseudo-G40 ou de uma outra famigerada lista. Só falta atribuir-se a Filipe Nyusi a queda regular da chuva. Só falta dizerem também que as crianças bonitas que estão a nascer nos últimos anos é obra de Nyusi. Se TPM melhorou a frota graças ao Nyusi, então devíamos ter muita vergonha do tipo de democracia e descentralização que queremos. Se Nyusi colocou pessoas nas Lam por competência técnica, então devia ser vergonhoso dizer que aquilo está a andar graças ao presidente. Qual é a relação entre Nyusi e o espaço aéreo europeu?
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
5
· 12 h
Elisio Macamo
Elisio Macamo aí está. essa do município é que brada aos céus. não sei como é que o edil aceita aquela inspecção sem dizer nada. bom, sei. disciplina partidária.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 12 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Se a frota do Municipio melhorou por causa do PR nada mal uma reforma constıtucional para tambem passar a gerir as acacias provado que esta que a instituicao que se chama municipio nao da recado. 😎
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 12 h
Juma Aiuba
Juma Aiuba E veja: Nyusi foi ali, mandou vir com todo mundo. Na semana seguinte a gestora dos TPM se demitiu. O curioso é que a carta de demissão foi dirigida ao David Simango, presidente de município. Como? Afinal, Simango não foi eleito? Eu já não entendo mais este país!
GostoMostrar mais reações
· Responder · 12 h
Elisio Macamo
Elisio Macamo chegou o momento de eu me calar.
GostoMostrar mais reações
· Responder · 12 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Se calhar era um help ja que uma mao lava a outra. Mas, institucionalmente, huuum.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 12 h
Elisio Macamo
Elisio Macamo continuo calado.
Milton Machel
Milton Machel e esta Jah Amerco, Americo Américo Matavele. Nhanisse!
GostoMostrar mais reações
· Responder · 12 h
Lúcia Jofrice
Lúcia Jofrice E uma duvida.. supondo, hipoteticamente, que fossem situacoes "optimas" temos como povo que aplaudir por estarem a fazer o seu trabalho??
Eu penso que isso é lançar areia nos olhos dos distraidos.
Recebi essa mensagem esta manhã e so nao ri porque ha coisas que cansam mesmo..
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 12 h
Elisio Macamo
Elisio Macamo tem ainda aquela opção de cansar de rir...
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 12 h
Bruno Pinto
Bruno Pinto Meu caro amigo prof. Elísio, eu sou um dos que reclama dos seus "posts" por não concordar com alguns deles🙈 mas tudo que se referente ao assunto "barbudos"
Mas hoje não deixo de concordar ctg a 100%. Em menos de 2 dias muita coisa ficou resolvida sinal de que é possível fazer algo melhor sem se ter que andar ao chicote🙈
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 12 h
Elisio Macamo
Elisio Macamo tarde ou cedo vai ter barba aquele.
Ana Machel
Ana Machel Difícil de calar'me prof Dr.Elisio Macamo,o povo agradeçe e aplaude pelo esforço que o nosso presidente tem vindo a fazer ,ms é de lembrar que são deveres e obrigações do nosso governo ,assim como um pai e mãe que tem obrigações pra com os seus filhos .dizer ainda mais prof os nossos hospitais públicos ,precisam de muita atenção ,pra i meu filho poder estudar ,ele teque teque ter saúde e pra tal os nossos os hospitais devem estar em condições .me desculpe meu prof é minha opinião 👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽🙏🏻
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 12 h
Elisio Macamo
Elisio Macamo à vontade.
Armistício Mulande
Armistício Mulande É a imbecilidade no seu melhor. Mas parece que isso está a fazer escola. Infelizmente há uma grande regressão no nosso sentido crítico em relação ao que esperamos que um governo faça. já estávamos num nível melhor...ou eu é que estou enganado.
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 11 h · Editado
Elisio Macamo
Elisio Macamo ou isso ou a nossa incapacidade de reconhecer esforços...
GostoMostrar mais reações
Eliha Bukeni
Eliha Bukeni Não li o aludido texto que faz hossanas a FJN, entretanto, se abordagem do mesmo é nos termos colocados pelo Prof.de facto trata-se reduzir por demais as metas que se esperam de um PR. Um dia escrevi que, se eu fosse AEG, mandava calar a dupla Chavana/Chivale porque no afã de defendo-lo a qualquer custo no assunto das dívidas ocultas, escreviam absurdos que no alugar de ajudar, prejudicavam a imagem dele. Ora, se eu fosse FJN, também mandava calar esse bajulador. Sobre 1) os combustíveis: Já em Março o governo anunciou que, doravante iria passar aplicar o diploma legal que prevê a revisão mensal em alta ou baixa do preço em função das condições do mercado, que é afectado por 2 variáveis principais (Preço do barril do crude e taxa de câmbio do USD). Sobre 2) Sobre a apreciação do Metical: Nada mais do que o resultado da política monetária do Banco Central que tem vindo expurgar liquidez no mercado, através da subida do coeficiente de reservas obrigatórias e das taxas de juro de referência nas operações activas e passivas dos bancos comerciais. A este propósito, o Standard Bank já fez uma previsão de um Metical a 50,00Mt/USD em finais de Dezembro. Sobre 3) LAM: A administração da empresa anunciou no apogeu da crise que da sua frota de (1 Boeing 737-700; 1 Boeing 737-500; 2 Embraer 190; 2 Embraer 145 e 3 Bombardier Q-400) 5 aeronaves (2 Boeings+1 Embraer 190 +2 Q-400) estavam em reparação e manuntenção periódica. Todas aeronaves, á excepção do Boeing 737-500, já foram reparadas. Note-se que que a administração da empresa não mudou. Sobre 4) TPM: Na visita do PR foram identificados 20 autocarros parqueados por falta de pneus e baterias, alegadamente por falta de dinheiro para comprar os acessórios. Muito provavelmente, com a intervenção do Ministro dos Transportes, o MPDC, empresa concessionária do Porto de Maputo adquiriu os pneus e baterias e cedeu aos TPM, que conseguram reforçar a frota operacional em mais 40%. Sobre 5) Paz: Que se saiba, DHL não vai sair das matas antes da conclusão do processo negocial. O mais provável é sair para assinar o acordo. Sobre 6) Levantamento do banimento da LAM: Para quem chumbou em 4 avaliações, passar na quinta, não é nada de meritório.
GostoMostrar mais reações
· Responder · 11 h
Gito Bazima
Gito Bazima A nossa situação parece ser a mais triste:

1. O preço de combustível baixou 03 unidades de moedas, depois de ter aumentado, em cerca de 06 meses, perto de 10 unidades. Eu até acho que a música agora vai ser ajuste e reajustes até a já propalada meta
de 70mt por litro, cumprindo o que alguns analistas chamaram de média de combustível no mercado internacional.

2. A liberalização do espaço aéreo europeu parece resultar do oposto da interdição - isto é, não é, com certeza, por causa da frota que fomos vetados. Aliás, foi ha bem menos de 01 mês que o Presidente deu a sua versão do teatro da LAM e num momento em que o país assume a vergonha daquela loucura de LAM, a europa diz: ja cá podem voar! Parece me que a liberalização daquele espaço aéreo tem a ver com o anúncio de ha cerca de 02 semanas, segundo o qual, companhias aéreas podem explorar as rotas domésticas. A bem das companhias europeias pode se ter liberado o espaço europeu, por um lado. Por outro, para quêm a LAM serve voando para a Europa? Os 26 milhões de moçambicanos. Já localmente, a LAM não é, de facto, uma transportadora com que se pode contar. Opera com preços altíssimos em nome de custos operacionais e a quem serve? Empresas/ ONGs/ Estado. O custo da logistica de um carro privado de Maputo a Beira ( cerca de 1200km) consegue ser menos caro que uma passagem de Maputo a Beira ( Dezembro de 2016 a Fevereiro de 2017).

3. Sobre a paz, eu estou semi convencido que não teremos nada disso. Daqui a pouco teremos eleições e o Dhlakama poderá, em virtude de sua participação, perder. E, perdendo, voltamos a nossa canção. Estas tréguas são, para mim, um papo fiado!

4. A nossa moeda esta a apreciar-se diante do dólar? Talvez! Os números são claros pois a nossa base de referência é de 80mt/01 usd. Em janeiro de 2015, a nossa base era cerca de 30 mt para 01 usd. Eu não sei se faço festa com qualquer câmbio que vier e superior que cerca de 30mt/usd.

Para terminar, eu não preciso de aplaudir ao Presidente quando tiver feito o que não for para além de suas obrigações. Afinal, porque ele é o Presidente? Para prestar nos favores? Sobre os pontos acima, com todo respeito, não vejo façanha alguma que me obriga ou me encoraja para qualquer forma de reconhecimnto a favor de Sua Excelência o Presidente.
GostoMostrar mais reações
· Responder · 10 h
Firmino Macuacua
Firmino Macuacua É. Cansa mesmo... Mas entendo que quebres a promessa todos os dias. É que para além de cansar, faz doer o coração ver como alguém quer nos imbecilidar...
GostoMostrar mais reações
· Responder · 10 h
Michaque Tembe Tembe
Michaque Tembe Tembe Upsss. Nossa África nos brinda com cada umas. Recordo me de ter lido algures, que a um presidente se deve o oxigénio que o povo Palanque respira. Tão grandes feitos cá e acolá, nossos grandes líderes realizam!!!!
GostoMostrar mais reações
· Responder · 10 h
Rachi Picardo
Rachi Picardo Professor foi ao ponto, cansa muito mesmo ver o tipo de cultura política e democrática que temos na nossa pérola do indico. Abraço
GostoMostrar mais reações
· Responder · 9 h
Imelio Nhacundela
Imelio Nhacundela Denildo Xerinda acho que este texto interessa como referencia para continuarmos o nosso assunto.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.