domingo, 28 de maio de 2017

Conversa com meu ídolo político



Enquanto Homer Wolf prefere falar satiricamente do "Dumba Nengue de Votos", eu prefiro contar, resumidamente, um acto que me dá sempre prazer, nomeadamente conversar com o meu ídolo político...
No fim do primeiro dia de trabalhos da IV Sessão Extraordinária da Frelimo, tive a elevada honra de confabular com um homem que dispensa apresentação. Estou a falar de Armando Emílio Guebuza, de seu nome completo. Sim, ele mesmo é que é o meu ídolo político. Com efeito, o meu interesse pela política despertou durante a liderança da Frelimo e de Moçambique por Armando Emílio Guebuza.
Em 2010, guardo memória de ter ido ao Gabinete de trabalho do então Presidente da República, Armando Guebuza, para dizer a ele que havia muitas mentiras na sua gestão do País e da Frelimo. Sim, já naquela altura eu sabia que os directores nacionais mentiam aos seus ministros e estes, por sua vez, transmitiam essas mentiras ao Presidente da República de Moçambique e da Frelimo… Mas não isso é outro assunto, que não é para aqui chamado.
Na nossa conversa da última sexta-feira, passamos em revista alguns assuntos da actualidade nacional, incluindo a questão dos "créditos ocultos"—que de oculto já não têm nada excepto a revelação do destino dado a uma parte significativa do dinheiro obtido via eles (os créditos, claro!)...
Para mim tem sido uma escola conversar com Armando Guebuza. É um homem que ouve com elevada atenção a quem com ele fala. E questiona criteriosamente os seus interlocutores. É perspicaz e sensato. Tudo isto faz dele um homem intelectualmente bem avantajado de até criar inveja aos seus adversários ideológicos.
A ida de Armando Guebuza à audiência pela Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre os "créditos ocultos" dividiu opiniões. Uns acharam que o Presidente da República (PR), Filipe Nyusi, deveria ter convocado o Conselho de Estado para deliberar sobre a quebra de imunidade de Armando Guebuza, para este ser ouvido pela CPI; ele próprio (Armando Gubeuza) é crente desta ideia. Outros há que acharam que não era necessário o PR convocar o Conselho de Estado para deliberar sobre a quebra de imunidade de Armando Guebuza; eu sou crente desta outra ideia.
Agora o leitor deste textículo pode entender com que linhas o Armando Guebuza e eu cosemos os nossos argumentos durante a nossa conversa. Sem jargão jurídico, eu tentei fazer o meu ilustre interlocutor entender que a ida dele à audição pela CPI sem previa deliberação do Conselho de Estado não foi NADA ilegal como lhe fizeram crer, contanto que a CPI não era uma instância judicial ou tribunal. Expliquei para ele que, mesmo não sendo versado em Direito, tenho o entendimento de que a quebra de imunidade de quem a detém só é requerida quando se é para estar presente diante de um Juiz, em audiência num tribunal.
Aquele episódio de quebra de imunidade do António Muchanga foi usado pelo meu ilustre interlocutor (Armando Guebuza) qual exemplo de como se deveria ter procedido no seu caso. Mas eu defendi, perante ele, que aquilo foi um exemplo do que não deveria ter sido feito, e que tanto foi assim que pouco tempo depois António Muchanga saiu em liberdade e mais insolente no discurso...
Enfim, tivemos uma conversa muito cordial e instrutiva para ambos. Conversar com alguém que faz questionamentos aos argumentos do seu interlocutor é muito estimulante para mim, porque vejo nisso um espaço para a aprendizagem mútua dos interlocutores. Ao contrário da crença comum, nem Armando Guebuza, nem Filipe Nyusi, nenhum deles procedeu pessoalmente mal no caso das propaladas "dívidas ocultas", exceptuando o facto de o Governo de então ter contratado essas dívidas em segredo, em contravenção à lei e aos acordos de cooperação com instituições ou governos que prestam apoio financeiro a Moçambique—violação essa que foi até por boa razão!
Sobre "autoridades reguladoras" sem conhecimento adequado

Estou a pensar que Moçambique precisa de instituições reguladoras que produzam conhecimento para sustentar a legislação que recomendam aos órgãos de soberania. Não entendo a existência de agências ou institutos, ditas "autoridades reguladoras", mas que não desenvolvem actividades de pesquisa orientada para produção de conhecimento que suporte o processo de tomada de decisões tomadas pelos órgãos de soberania do Estado moçambicano.
Já não é sem tempo que os estatutos das ditas devem especificar que uma das atribuições dessas autoridades é realizar ou promover a realização de pesquisa científica para servir o processo de tomada de decisões. O exemplo do Instituto de Investigação Agrária de Moçambique (IIAM) tem que ser replicado noutros sectores-chave para o desenvolvimento sustentável de Moçambique. Moçambique precisa de um Instituto Nacional de Normalização e Qualidade (INNOQ) que investiga sobre normas e medidas; precisa de uma Agência Nacional de Qualidade Ambiental (AQUA) que investiga e recomenda normas e padrões de qualidade ambiental para a protecção efectiva do meio ambiento; precisa de um Instituo Nacional das Comunicações de Moçambique (INCM) que investiga sobre o espectro electromagnético e recomenda normas para correcta utilização das bandas de frequência colocadas à disposição deste País; etc.
Enfim, vamos lás deixar de viver de "Copy and Paste" sem atender as especificidades do nosso Moçambique! Temos que agregar conteúdo local em todos os processos de tomada de decisões. Não entendi, por exemplo, aquela de "banimento do plástico" sem um estudo prévio. Também não entendi aquela de "lei de energia atómica", quando se deveria correctamente chamar "lei de protecção radiológica e segurança nuclear". Não entendi também aquela de "inclusão financeira" liderada pela banca comercial e não por uma instituição do Estado, como a empresa pública Correios de Moçambique (CM), ou através da criação de um Banco Rural de capitais públicos. Tem muitas outras coisas que não entendo como é que são decididas sem estudos prévios! Vamos lá acabar com tudo isso e começarmos a valorizar o conhecimento obtido através de estudos científicos. Um exemplo de sucesso neste sentido tem sido dado pelo IIAM. Recentemente o Governo de Moçambique apreciou a informação sobre a produção da sementes da "Momordica balsamina" (vulgo "Cacana") e da "Amaranthus" (vulgo "Tseke"). Os outros "institutos" que repliquem este exemplo, evolvendo-se também na pesquisa científica em matérias respeitantes às suas atribuições!
Gosto
Comentários
Homer Wolf
Homer Wolf Assim, são "big brodas" afinal?!... 😆
GostoMostrar mais reações
 · 
1
 · 4 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Ele não é meu "broda", não Homer Wolf. É o meu ídolo político; é pai; é alguém com quem sem aprende muito; é igualmente alguém disposto a aprender sempre. E aprende!
GostoMostrar mais reações
 · 
3
 · 3 h · Editado
Efraimo Neves
Efraimo Neves Texticulo longo repleto de "bola" , deve ter parte 2 não
GostoMostrar mais reações
 · 3 h · Editado
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Não terás parte 2 nenhuma, Efraimo Neves! Tu não mereces! E estás na minha mira para o bloqueio. Tens sido pouco útil como interlocutor! Andas com a cabeça atolado de crenças maléficas porque assassinas do debate profícuo de ideias!
GostoMostrar mais reações
 · 3 h · Editado
Efraimo Neves
Efraimo Neves Quando escreves um texto seja lá o que for deve ter em mente que será objecto de várias análise, que ném sempre são favoráveis . por exemplo neste caso concreto escreveu tanto e não disse nada minha opinião. Julião João Cumbane quanto ao bloqueio ou não estás no seu pleno direito de o fazer em seu mural até porque para mim pouco ou em nada me afecta. Agora não será a troco de ameaças que vais coartar a minha liberdade de opinião
GostoMostrar mais reações
 · 
2
 · 3 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Bloqueio ao Efraime Neves. Um jovem insolente que confunde opinião com crenças vãs. Não tenho nada contra quem tem opinião diferente da minha, mas tenho contra pessoas que se consideram deusas. Se pensas diferente de mim, então contraria-me com argumentos válidos e não com "sentenças" vazias! Achas que não disse nada? Então prova com um argumento bem construído!

E já agora, Homer Wolf, o Ariel beneficiou de indulto!
GostoMostrar mais reações
 · 
1
 · 3 h · Editado
Homer Wolf
Homer Wolf Um Sonto homem, aquele jovem... Foi a coisa mais sensata que o Profe fez...
GostoMostrar mais reações
 · 3 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Ele já pode ver os conteúdos deste mural, directamente! Querendo, ele pode voltar a este convívio. Criei espaço bloqueando malandros que assassinam debates bem fluídos...
GostoMostrar mais reações
 · 3 h
Ariel Sonto
Ariel Sonto Senti muita falta de ler os teus escritos, JJ. Muita falta mesmo. Tsc
GostoMostrar mais reações
 · 
1
 · 2 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Mesmo se for sátira ou ironia, não importa, ó Ariel Sonto! O que importa mesmo é que já estás aqui. Homer Wolf advogou bem por ti. Eu ouvi-lhe e aprendi algo útil com isso! Sê bem vindo de volta ao meu convívio!
GostoMostrar mais reações
 · 1 h
Homer Wolf
Homer Wolf Quem deve estar "roer-se" de ciumes são alguns G40... Tanto litro deram, na defesa do homem, e agora olha: na hora do café e da cavaqueira é ao Profe que ele escolhe... Santa ingtratidão
GostoMostrar mais reações
 · 
1
 · 3 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Estás a meter tuas crenças nefastas, Homer Wolf. Como sabes tu desses "alguns G40"?...
GostoMostrar mais reações
 · 
1
 · 3 h
Homer Wolf
Homer Wolf Ahh Profe pah!... Quem não sabe? Acha que os "gajos" (a proposito do "gajo") só desabafam consigo?...😀
GostoMostrar mais reações
 · 3 h · Editado
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane De que "gajo" estás a falar e a que "desabafos" fazes referência, Homer Wolf?... Eu não falei de nenhum "gajo" que "desabafa" comigo"...!
GostoMostrar mais reações
 · 3 h
Homer Wolf
Homer Wolf Deixemos... 

MAS, já agora, essa de que Guebuza ser seu ÍDOLO político não lembra diabo!... eh eh eh
GostoMostrar mais reações
 · 2 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Cada um tem o ídolo que escolhe. Em política o meu ídolo é Armando Guebuza! Não me apoquenta o que esta minha escolha livre te lembra ou deixa de lembrar-te! Entendes, Homer Wolf?
GostoMostrar mais reações
 · 2 h
Homer Wolf
Homer Wolf Eu nem quero rebater, de fio a pavio, o conteúdo deste post - que é uma afronta à capacidade de discernimento dos seus seguidores - só para não causar aborrecimentos. Não quero ser bloqueado... Vou assistindo e likando os comments que certamente irão chover aqui...
GostoMostrar mais reações
 · 
1
 · 3 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Consideras este 'post' «afronta à capacidade de discernimento dos (meus) seguidores» porquê, Homer Wolf? Não vais dizer isto sem argumento de suporte. É isso que não quero aqui!!
GostoMostrar mais reações
 · 3 h
Homer Wolf
Homer Wolf Vou trazer declarações suas, postadas aqui nesta plataforma, e elas falarão por si. Serão os tais argumentos de suporte... Agarre uma calma Profe
GostoMostrar mais reações
 · 2 h · Editado
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Estou aguardando, Homer Wolf!...
GostoMostrar mais reações
 · 2 h
Homer Wolf
Homer Wolf "Calma Gêge"... Isto é uma pesquisa. O principio do rigor é sagrado. E isso leva tempo...
GostoMostrar mais reações
 · 2 h
Eliha Bukeni
Eliha Bukeni He he he....afinal AEG nao faz culto do principio de que "quem nao deve, nao teme". Queria usar a "imunidade" para furtar-se de esclarecer o seu grau de envolvimento. Estranho para quem disse que se tivesse a oportunidade, faria tudo igualzinho de novo! Assim so posso crer que, tambem defende o argumento juridico do Chivale, segundo o qual, tendo as dividas ocultas sido contraidas durante as hostilidades militares, todos os eventuais crimes a elas associadas, encontram-se amnistiados ao abrigo da amnistia concedida aos crimes ocorridos durante as hostilidades militares!
GostoMostrar mais reações
 · 
1
 · 2 h
Julião João Cumbane
Julião João Cumbane Não que Armando Guebuza temesse pela quebra da sua imunidade como membro do Conselho de Estado, não ó Eliha Bukeni. Ele temia mas era por CPI estar a fazer um exercício que não teria validade legal em tribunal. É MUITO diferente do que tu estás a pensar. Armando Guebuza não quer que, por sua causa, as leis do País que ele ajudou a libertar e governar sejam violadas por outras instituições. Ele quer uma aplicação correcta da lei, mesmo tratando-se da sua figura. Por isso foi fácil ele entender o argumento de que «a sua ida à audição pela CPI sem quebra da sua imunidade era ilegal» como fazendo sentido. O que é verdade é, pois, que Armando Guebuza preferia ser ouvido pela CPI depois que a sua imunidade tivesse sido quebrada. Ele não queria usar a sua imunidade para se "esconder da justiça" coisíssima nenhuma! Quanto ao argumento do AChival, até que faz MUITO sentido, juridicamente. É um argumento muito bem conseguido! Ou não achas, Eliha Bukeni? Se tu achas que não, então tens que apresentar um contra-argumento válido!
GostoMostrar mais reações
 · 
1
 · 2 h · Editado


Homer Wolf
26/5 às 18:41 ·



"DUMBA-NENGUE" DE VOTOS

(Vale a pena lembrar que) Fernando Faustino, é aquele destemido antigo combatente, que publicamente pediu armas ao PR Nyusi, para que ele e os seus valentes camaradas🎅🎅🎅 da ACLLN, pudessem subir à serra, e dar cabo do ríder em dois tempos...😂😂😂

Agora é ele, sem papas na língua, que em plena sessão extraordinária do CC vem denunciar a existencia de um "dumba-nengue" de votos no interior do partidão.
Ou seja, com essa paranoia de "comprar" tudo e mais alguma coisa, quiçá votos, os camaradas provocaram ...rda!


PS: Quero ver o que diz o Profe Julião (e seu ADC Antolinho), que só por causa da entrevista do Vaquina ao Canal de Moçambique, esteve á beira de um ataque de nervos... eh eh eh

---- """----- """------- """-------
ANEXO:

«Última Hora*Última Hora*Última Hora*Última Hora*Última Hora*

Depois de Alberto Vaquina
Combatentes também denunciam compra de votos na Frelimo
Fernando Faustino, Secretário Geral dos Combatentes diz que “os mais espertos assaltaram as fileiras do partido, liderando e ocupando posições de destaque”
Maputo (Canalmoz) - Depois de Alberto Vaquina ter dito em entrevista ao Canal de Moçambique que a compra de votos e de consciência para ter acesso aos órgãos do partido Frelimo é um acto “de todo reprovável”, o que criou alguma indignação em certos sectores que operam nesse mercado, desta vez, é o Secretário Geral da Associação dos Combatentes de Luta de Libertação Nacional (ACLLN), Fernando Faustino que está denunciar “um sistema eleitoral frágil”.
Discursando há momentos no arranque da IV Sessão Extraordinária do Comité Central do partido Frelimo que decorre no Centro de Conferências "Joaquim Chissano" em Maputo, Faustino disse que a actual fragilidade do sistema eleitoral interno da Frelimo já deixou alguns quadros fora do xadrez da máquina estratégica.
"Muitos quadros encontram-se distantes do campo das estratégias de batalha política devido às fragilidades do nosso sistema de eleições internas onde os mais espertos assaltaram as fileiras do partido liderando e ocupando posições de destaque. Por isso a ACLLN clama pelo processo de purificação das fileiras do nosso partido sem contemplações de modo a devolvermos a dignidade ao partido" disse Fernando Faustino.
Teodato Hunguana, membro do Comité Central da Frelimo e antigo combatente, disse ao Canalmoz que subscreve tudo que Fernando Faustino disse e "até muito mais talvez do que não disse que acontece dentro do partido".
Os murmúrios da compra de posições dentro do partido governamental não é necessariamente novo, mas se intensificou eleição Filipe Nyusi para candidato do partido, num processo, ao que se diz, onde imperou “o jogo da mala e dos envelopes” em referência a compra de votos e de consciências. (Redacção)»



GostoPartilhar
6767
2 partilhas
Comentários

Spirou Maltese Paranóias kkkkk

Gosto · 26/5 às 19:47

Mouzinho Zacarias Antolinho André grande adc do chefe

Gosto · 4 · 26/5 às 19:50 · Editado

Homer Wolf Maningue... Sempre a gêquarentar a favor do Profe

Gosto · 4 · 26/5 às 19:49

Mouzinho Zacarias Fiel ao professor (cão - de -guarda pronto, a morder )

Gosto · 3 · 26/5 às 20:47 · Editado

Ricardino Jorge Ricardo Força da mudança?!...

Gosto · 26/5 às 19:48

Eddy Prínce Xisiwana ...paranoias???e mais alguma coisa!

Gosto · 26/5 às 19:53

Bila Paunde Hahaha

Gosto · 26/5 às 19:56

Juma Aiuba Hehehehehe... Julião e seu ADC Antolinho.

Gosto · 1 · 26/5 às 20:04

Sidonio Pedro Homer Wolf, sem querer guequarentar a favor de quem quer que seja, devo dizer que momentos como aqueles, de convrsa franca, frontalidade, são normais nos enventos da Frelimo. O que se passou hoje, é que as pessoas tiveram a oportunidade de ver um trechinho do que realmente se passa nas reuniões da Frelimo. Portanto não há nada de extraordinário na atitude do Faustino.

Gosto · 6 · 26/5 às 20:04

Homer Wolf BINGO!!!... Eu tambem acho o mesmo, Nem na atitude de Fastino, nem na de Vaquina - que acabou sendo injustamente... avacalhado

Gosto · 2 · 26/5 às 20:07

Ricardino Jorge Ricardo Justificativa aceite, mas quando é o mano de Nampula ou outros, parece que o pensamento ou a interpretação tem sido outra. Ainda bem que não há nada de extraordinário...

Gosto · 3 · 26/5 às 20:16

Lenon ArnaldoHomer Wolf certamente já ouviste falar da igualdade na diferença: a Frelimo não é estanque, e um partido plural; é normal que no interior do partido haja quem não se reveja nas declarações do Vaquina e do Faustino, como podia ser o inverso.
Na minha modéstia opinião, o importante é que, no interior do partido haja esse espaço que onde todos possam emitirem as suas opiniões, e sempre, na procura de soluções dos problemas que grassam o partido e quiçá,a nação moçambicana de uma forma geral.

Preocuparia-me a situação de unanimidade de ideias, ou, censura nas opiniões.

Gosto · 3 · 26/5 às 20:32 · Editado

Homer Wolf Boa pergunta Ricardino Jorge Ricardo.
É assim: eu penso que cada caso é um caso: o peso da ACCLN numa organizaçáo 50nária e com história como a Frelimo, nada tem a ver com o peso do autarca Maahhamudo, no (ainda) incipiente MDM...
Mas eu nunca fui "contra Mahhamud falar": só que acho que ele é um fala barato! ntsém😆

É uma posiçáo discutível eu sei

Gosto · 2 · 26/5 às 21:30

Homer Wolf Djone Lenon, com a verdade me enganas!... eh eh eh

PS: essa devoção repentina pela democracia e liberdade de expressão, traz água no bico...

Gosto · 3 · 26/5 às 21:38

Eduardo Matine E nós sem (cons)ciência Politico-partidaria quem nos comprarà!Ah parece que chega de querer comer onde se està amarrado, a moda agora é amarrar-se onde se possa comer...! E a maxima do momento ja não é cada cabeça sua sentença mas sim "cada estomago seu preço"!kakakakakakakakakakakakakakakakaka.Hugs

Gosto · 6 · 26/5 às 20:38 · Editado

Carlos Da Fonseca Hahahaha então nesse Congresso vão chover pastas de dinheiro por toda Matola.

Gosto · 2 · 26/5 às 20:38

Homer Wolf E eu que já náo vivo ali por perto!... tsc

Gosto · 1 · 26/5 às 21:32

Carlos Da Fonseca Estou perto. Quem sabe algum...

Gosto · 1 · 26/5 às 21:33

Eddy Prínce Xisiwana Desta vez é no centro d comferência Joaquim Chissaca ilustre e não na Matola, eu estou sempre a passar alí perto pra ver se uma pasta sobra pra mim por falha qualquer d um camarada kkkkk até se não fosse por temer os cães d duas patas com seus blindados estaria sentado dali da varanda kkkk

Gosto · 1 · 26/5 às 22:07

Homer Wolf Joaquim Chissaca?...😂

Gosto · 26/5 às 22:08

Eddy Prínce Xisiwana Chissa(no)ca ilustre

Gosto · 1 · 26/5 às 22:10

Mwana Khossa O palco politico ainda vai dar espectaculo$

Gosto · 26/5 às 20:45

Jose Chirruco Afinal isso acontece

Gosto · 1 · 26/5 às 21:30

Adelino Branquinho Comprar votos nesta era de crise, deve render bons nacos de carne de porco, em algumas barracas algures incertas. Kekekeke

Gosto · 3 · 26/5 às 21:58

M-du Dulomite Essa coisa de fraude de votos afinal tambem é usado dentro do sistema contra o proprio sistema?😃😃😃😃
Ja diz a Biblia que um reino divido entre si mesmo nao subsiste.

Gosto · 26/5 às 22:54

Marcos Manejo Pakhonde Pakhonde Tenho voz fina, portanto, nao sou ouvido. Ja venho criticando deste negocio a 5 anos atras, mas ninguem me ouve. Se o meu Partidao fizesse uma pequena pesquisa sobre os recem eleitos 1ºs Secretarios distritais, provavelmente, concluir-se-ia que 90% deles, nao estao la por merito, mais sacolas votaram para la chegar. Admiro o cda prof. atacar pessoas experientes quando estes dizem a verdade. E é o grupo dele que manchou "borou" no perfil do Partidao. Sinto e lamento no que advira.

Gosto · 3 · 26/5 às 23:23

Homer Wolf A quem interessa(ria) essa pesquisa?...
Não é que as pessoas (neste caso as elites) do partido não saibam dessa triste realidade. o facto é que náo lhes convem saber "oficialmente", de forma documentada...

Gosto · 2 · 26/5 às 23:32 · Editado

Marcos Manejo Pakhonde Pakhonde Vale mais ter pouco durante muito tempo, do que ter muito em pouco. Estamos acelerar o empurao para fora do poder que tanto se quer. Vem ai 2018 e 2019.

Gosto · 2 · 26/5 às 23:33

Zulficar Mahomed E tem gente que pula, transpira dançando e vota nesse antro de corrupção generalizada.


Gosto · 6 · 26/5 às 23:36

Xavier Jorge Uamba Isso não constitue novidade, já vinha acontecendo alias isso comeca apartir dos Comites dos Circulos até Comité Central.
Mesmo o actual 1°secretário da frelimo ao nivel da Matola se continua é porque os votos para ele foram comprados.
Uma das coisas que criam compra de votos são alas. A divisão que lá existe abre espaco para que os com mais dinheiros compre os votos.
Na frelimo o simples facto de ser membro do comité é uma honra porque tem direito a voto, já não digo ser membro de comité central, no dia de voto é só votar e tirar foto, será entregue envelope na hora.

Gosto · 2 · 27/5 às 11:33 · Editado

Mondlane Dzowo Va phikizana va lava xikhafu. Só que desta maneira também. Hehehehehe. Se calhar o GAJO queria a partir daquele comício Nyussiano ser indicado ministro dos milícias e tornar-se num grande mercenário do arsenal. Sugiro que procure o homem do Palácio de Sathungira, se calhar a partir de la pode chegar ao poder, tanto que mano Massango já avança com proposta que vai triunfar o o "Obama de Moçambique".

Gosto · 27/5 às 20:09

Homer Wolf Achas mesmo?...

Gosto · 1 · 27/5 às 20:22

Sidonio Pedro Mondlane Dzowo, o grupo Gungu tem vagas para palhaços.

Gosto · 2 · 27/5 às 21:41

Mondlane Dzowo Kekekekeke

Gosto · 27/5 às 21:49

Antolinho André Você Homer Wolf, passou a inventor para denegrir imagem de pessoas alheias? Alguma vez o professor disse que tinha um ADC?

Gosto · 27/5 às 23:43

Homer Wolf Eu tb nunca lhe disse que tinha uma "turma"... Mas ele farta-se de falar nela 😃

Gosto · 27/5 às 23:45 · Editado

Sebastiao Bernardo Mufana Mufana Kkkkk coisa de ladrões.

Gosto · Ontem às 1:00

Casper Edimar Sianádia nao é novidad

Gosto · 4 h

Carlos Lopes Comprar votos é um vício e para não perder a prática e preciso treinar sempre que haja oportunidade senão quando chegarem os grandes eventos podem levar goleadas.
Vício é vício.

Gosto · 3 h

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.