terça-feira, 30 de maio de 2017

“Trump está a colocar a paz da Europa em risco”, diz ministro dos Negócios Estrangeiros alemão


297
Depois das críticas de Angela Merkel, também Sigmar Gabriel, ministro dos Negócios Estrangeiros alemão, fez um ataque cerrado às políticas da administração Trump que "enfraquecem a Europa".
Sigmar Gabriel criticou políticas norte-americanas à margem de um debate sobre refugiados e o fenómeno migratório
OLE SPATA/EPA
Se há país que ficou claramente impressionado pela negativa com Donald Trump foi a Alemanha. E as críticas ao Presidente norte-americano já não vêm apenas da chanceler Angela Merkel. “O governo dos Estados Unidos enfraquece o Ocidente e está contra os interesses da União Europeia”, defendeu esta segunda-feira Sigmar Gabriel, o ministro dos Negócios Estrangeiros germânico.
“Alguém que acelera as mudanças climáticas enfraquecendo a proteção ambiental, que vende mais armas para as zonas de conflito e que não quer resolver politicamente os conflitos religiosos está a colocar a paz na Europa em risco. As políticas de visão curta que o governo americano defende está contra os interesses da União Europeia”, acrescentou numa intervenção à margem de uma discussão em Berlim sobre refugiados e o fenómeno migratório.
Se os europeus não se opuserem agora a isto, o fenómeno da migração para a Europa vai continuar a crescer. Quem não for contra esta política dos Estados Unidos também é culpado.”
“A administração Trump quer acabar com os acordos climáticos, quer forçar a ação militar em regiões em crise e proíbe que pessoas de alguns círculos religiosos entrem nos Estados Unidos. Se os europeus não se opuserem agora a isto, o fenómeno da migração para a Europa vai continuar a crescer. Quem não for contra esta política dos Estados Unidos também é culpado”, concluiu Sigmar Gabriel.

As declarações surgem no dia seguinte à dura intervenção da chanceler Angela Merkel. “O tempo em que podíamos contar totalmente uns com os outros acabou em certa medida. Verifiquei isso nos últimos dias. A única coisa que posso dizer é que nós, os europeus, temos de tomar as rédeas do nosso destino”, afirmou num comício em Munique, numa declaração que tem lugar após as cimeiras da NATO e do G7.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.