quinta-feira, 6 de julho de 2017

MISA Condena Ministério da Defesa por Impedir Verificação de Retirada de Tropas






A decisão do Ministério da Defesa Nacional em impedir que o correspondente da LUSA, André Catueira, e o jornalista do ZAMBEZE, Benedito Cobrissua, verificassem no terreno a retirada das tropas governamentais desdobradas na região da Gorongosa, foi vista pelo MISA (Media Institute for Southern Africa) como “violação grave de liberdade de imprensa e do direito à informação”.

Eis o texto da declaração emitida pelo MISA Moçambique a propósito da medida transmitida aos jornalistas em causa por Bernardo Nakatembo, Assessor de Imprensa do Ministério da Defesa Nacional. De acordo com Bernardo Nakatembo, a medida foi aplicada por “ordens superiores” :




O Misa Moçambique estranha e lamenta que estas ordem advenham de alguém que foi durante alguns anos jornalista, conhecedor do papel da imprensa em sociedades democráticas.

A decisão de excluir dois jornalistas de imprensa privada, não só constitui uma ameaça indirecta aos órgãos de informação visados e a outros privados, como também coloca em causa a transparência e seriedade do processo de verificação da retirada das forças armadas nas posições objectos desta visita de jornalistas.

A exclusão destes órgãos pode minar a credibilidade da informação sobre a retirada ou não das forças governamentais das posições acordadas entre o Presidente da República e o líder da Renamo.

Igualmente, a decisão do Ministério da Defesa Nacional configura uma violação grave de liberdade de imprensa e do direito à informação.

Para a transparência do processo e credibilidade da informação, o MISA Moçambique pede a reintegração imediata e incondicional dos jornalistas dos dois órgãos.

Igualmente, pede que o MDN identifique os autores da decisão e responsabilize-os por violações legais.

Maputo, 06 de Julho de 2017

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.