segunda-feira, 31 de julho de 2017

Quelimane www.cidadedequelimane.com Toda a Actualidade da Cidade

www.cidadedequelimane.com | Ano 3 | Número 160 | Quelimane, Segunda-feira, 31 de Julho de 2017 Director: Manuel de Araújo | Propriedade do Conselho Municipal de Quelimane Sede: Av. Josina Machel n.º 1.018 - Edifício Sede do CMCQ, Torre Direita | Registo: 01/GABINFO-DEC/2013 e-mail: bonssinais@cidadedequelimane.com | Telefones: 848556239 - 24213218 - Portal de Notícias de Quelimane www.cidadedequelimane.com Toda a Actualidade da Cidade, 7 Dias por Semana Em Quelimane Litígio de terras Av. Dr António Leitão Marques Na cidade de Quelimane 02 A cidade de Quelimane debate-se com a complexidade na recolha e gestão dos resíduos sólidos, o que obriga as autoridades municipais a fazer tudo para garantir a salubridade ambiental de modo a evitar consequentes casos de doenças causadas pela não observância de regras de higiene. A complexidade ambiental surge pelo facto de não ter um espaço adequado para o depósito final dos resíduos sólidos (aterro sanitário), aliado às características do solo (lamacento) em que o lençol freático encontrar-se a menos de 2 m da superfície. Além disso, observamse construções desordenadas nos bairros suburbanos, dificultando a transitabilidade de veículos que fazem a recolha do lixo. No âmbito da intervenção nas actividades do Projecto de Água, Propriedade do Conselho Municipal da Cidade de Quelimane Registo N° 01/GABINFO-DEC/2013 Endereço: Av. Josina Machel, 1-018. CP. 68, Telefax: 24213218 Director: Manuel de Araújo. Editor e Chefe de Redacção: Sérgio Zacárias Redacção: Sérgio Zacárias e Domingos Francisco • Fotografia: Domingos Francisco e Manuxo Soares • Maquetização: José Vicente • Revisão: Gabinete de Comunicação e Imagem. Manuel de Araújo, Edil de Quelimane Beneficiários do PASP e funcionários do CMCQ na limpeza de Valas de Drenagem Na cidade de Quelimane Manuel de Araújo, Edil de Quelimane Saneamento e Higiene a nível da Cidade de Quelimane, o Conselho Municipal recebeu da WaterAidMZ um mini-tractor composto por um atrelado de 1 tonelada e uma motobomba, com vista a facilitar a remoção dos resíduos sólidos e lí- quidos nas áreas de difícil acesso dos bairros de Manhaua, Micajune, Icídua, 7 de Abril e Inhangome, bem como em outros locais dentro do Município. O meio entregue à gestão do Conselho Municipal de Quelimane foi inaugurado pelo Edil, Manuel de Araújo, na última terça-feira (25) e constitui mais-valia para os munícipes desta urbe. “É um bem extremamente valioso e que vai auxiliar as nossas mães que trabalham na limpeza das valas de drenagem ao longo das ruas, principalmente nos locais onde o acesso está condicionado” – disse Manuel de Araújo durante as cerimónias que marcaram a entrega. Na reunião com o Oficial de Projectos na WaterAid-Mz, Enes Mucufo, onde estiveram presentes os funcionários do Conselho Municipal, o Edil de Quelimane pediu maior articulação, colaboração e coordenação entre as demais instituições que constituem parte do processo de saneamento e do projecto. Texto: Sérgio Zacarias Fotos: Manuxo Soares 03 04 O Presidente do Conselho Municipal da Cidade de Quelimane orientou na última terça-feira (25), para que haja celeridade nas obras que estão em curso no município de modo a permitir que as infraestruturas estejam concluí- das até o início das festividades do dia da cidade (21 de Agosto). N a visita feita às obras de pavimentação da Av. Dr António Leitão Marques para constatar o nível de execução, Manuel de Araújo, frisou a necessidade de se fazer uma adenda de vias de escoamento das águas fluviais, na perspectiva de garantir longevidade da infra-estrutura. Também, orientou a retirada de bancas dos vendedores que fazem a comercialização de produtos alimentares ao longo daquela avenida. A construção da estrada vai conferir nova imagem à área em que milhares de pessoas têm como centro de comercialização mais próximo o mercado do Brandão. Além disso, constitui medida da edilidade para garantir a mobilidade e segurança no trânsito rodovi- ário. O Director de Estradas, Pontes e Valas de Drenagem no ConAv. Dr António Leitão Marques 05 Manuel de Araújo, Edil de Quelimane @conselhomunicipalquelimane @MQuelimane cidadedequelimane.com conselhomunicipaldequelimane.blogspot.com cidadedequelimane.blogspot.com 05 Poesia por Bélcio Mahoho ENTRE MINAS E PEDRAS Caímos num terço de vida medíocre Caímos num Mundo sem volta Ali onde quem grita vira caçado com flexas, zagaias até com curandeiros Fomos levados a desminar, mas encontramos pedras Naquele povoado onde só quem pode cantar É quem tem os olhos vedados Naquelas pedras foram escondidas também sombrios jazigos Naquelas minas foram também surrumatizados fumos Que quando abres a pálpebra Assustas-te com piripiri sobre a garganta La estão sentados os tecedores de lama, de enfermidades e de ulceras Entre minas e pedras Também estão lobos, corujas, morcegos e noitadas Também estão la cães que baixam as estrelas sobre a tua mao E quando a abres, encontras veneno e lombrigas Pois as pedras também falam Mudam a inercia, mas mantém a cabeça sobre nossas dores Ai fomos com cordeiros pra a última ceia Mas quando pusemos os pés sobre as Pedras Elas viram logo Hienas... E o jogo calma Tu ai consegues apanhar a tua pedra Mas ao sair saibas que quem levou o ouro Poderá fazer de ti um refém caçado a garras e dentes O Povo virou pedra… O povo virou mira!! selho Municipal, António Mundeia, garantiu que tudo está a ser feito para que em breve as obras de pavimenta- ção possam estar concluídas para que a breve trecho melhore a vida das famílias e a circulação rodoviária numa zona com trânsito caótico, devido a grande circulação de pessoas e bens que frequentam o mercado Brandão. No seguimento da visita, o Edil escalou os mercados e as paragens dos autocarros e transportes semicolectivos, onde estão em curso as obras de construção de 7 sanitários públicos. Foi constatada a evolução das obras de desenvolvimento urbano, que na avaliação técnica estão a 90% de execução. Texto: Sérgio Zacarias Fotos: Manuxo Soares António Mundeia, Director de Estradas, Pontes e Valas de Drenagem no CMCQ 06 07 08 Pensando sempre no desenvolvimento sustentável e melhoria na produção agrí- cola na cintura verde de Quelimane, o Conselho Municipal está a produzir composto orgânico no âmbito da implementação do projecto QUELIMANE LIMPA, implementado em coordenação com a Organização Não-governamental Italiana CELIM. O projecto é financiado pela União Europeia. O produto é feito na base de material orgânico (capim, folha das árvores e alimentos descartados para o lixo), podendo ser utilizado pelos camponeses para a fertiliza- ção dos campos de cultivo de culturas alimentares. Sem avançar datas, Ascensão Chauchane, Coordenador de Projectos no Conselho Municipal, disse que numa primeira fase o composto orgânico será disponibilizado para cerca de 60 agricultores identificados para medir a eficiência e a eficácia do produto. Chauchane garante que o produto é de qualidade porque além de condicionar o solo, melhora as propriedades físicas, químicas e biológicas, fornecendo também nutrientes para as plantas”. “Já produzimos uma unidade de matéria orgánica decomposta (pilha) de 1200 quilogramas. O produto já foi testado na produção de hortícolas no viveiro municipal. Actualmente estamos na fase de produção de mais quatro unidades” – disse Chauchane. Esta produção resulta do esforço da edilidade em reutilizar o material orgânico, combinado com as estratégias e práticas bio agradáveis, que consistem na adopção de medidas para não utilização de fertilizantes químicos nocivos ao meio ambiente. Texto: Sérgio Zacarias Fotos: Manuxo Soares Em Quelimane Ascensão Chauchane, Coordenador de Projectos no CMCQ Unidade de decomposição de matéria orgánica (pilha) 09 O Venerando Juiz da Província da Zambézia manteve na última quinta-feira um encontro de cortesia com o Presidente do Conselho Municipal da Cidade de Quelimane. Paulo Reis e Manuel de Araújo abordaram assuntos ligados a ocupação do espaço para a construção das futuras instalações do Tribunal Provincial autorizado há mais de cinco anos. D urante o encontro, que durou cerca de 30 minutos, Paulo Reis explanou os motivos da morosidade no arranque das obras, tendo de seguida, solicitado complacência para que o tribunal não seja expropriado o espaço. Segundo Reis, a alteração do projecto da obra das futuras instalações do Tribunal Judicial da Zambézia, aliada à conjuntura económica que o país atravessa, são os motivos que ditam a demora do arranque dos trabalhos de edifica- ção. A fonte manifestou interesse do seu sector de justiça em ter um espaço numa zona de expansão, o qual será destinado a edificação de casas dos magistrados. Em resposta, Manuel de Ara- újo mostrou-se satisfeito pela preocupação manifestada e tranquilizou o Venerando Juiz Provincial, tendo afirmado que é da sua vontade alargar a cidade de modo a descongestiona-la. Segundo De Araújo, o município encontra-se num estado de confinamento, não havendo espaço para novas zonas de expansão. “Já remetemos a documenta- ção no Governo Provincial para alterar o cenário actual e esperamos que com celeridade seja-nos dada alguma resposta favorável” – disse o Edil, tendo acrescentado que até então não há claridade quanto aos limites da urbe. Refira-se que em tempos passados, a cidade tinha sido delimitada numa extensão de 172km2, tendo passado para 142 e actualmente os documentos referem que a cidade ocupa 117km2. Texto: Sérgio Zacarias Fotos: Manuxo Soares Litígio de terras Paulo Reis, Venerando Juiz da Província da Zambézia 10 O acidente deu-se na última quarta-feira (26), motivado pelo incumprimento de regras de trânsito por parte do automobilista, dado que a via tinha a sinalização de obras em curso. Aliado a este facto, Óscar Ferreira, Chefe das Operações no Comando da Polícia Municipal, disse que o excesso de velocidade também é o motivo do acidente que por um triz não causou a morte de uma senhora de aproximadamente 50 anos de idade que se encontrava ao lado da residência onde ocorreu o sinistro. “Eu cheguei a casa e não encontrei o meu filho. Comecei a procura-lo e quando cheguei a estrada, apercebi-me que vinha uma viatura a alta velocidade. Momentos depois procurei esconder-me ao lado da residência e foi ai que escapei, dado que o carro bateu do outro lado da residência” - disse Laura Fernando, testemunha do acidente. Entretanto, Laura Fernando pede para que ao longo da via sejam colocadas lombas de modo a evitar mais acidentes. Texto: Sérgio Zacarias Texto: Redacção Av. Dr António Leitão Marques Uma viatura de marca Toyota IST, com a chapa de matrícula ABV400MP, na altura conduzida por Mariano Emílio de 48 anos de idade, embateu numa residência que se encontra ao longo da Av. Dr António Leitão Marques causando danos materiais na viatura e ferimentos graves ao proprietário da viatura. 11 Na sua octogésima terceira cerimónia de graduação, o Instituto de Ciências de Sa- úde de Quelimane gradou na última sexta-feira (28) 179 técnicos de saúde, em diversos curso ministrados naquela instituição, a saber, enfermagem geral, medicina preventiva, saúde materno-infantil, laborató- rio e, saúde e saneamento. O s graduados que estiveram em carteira durante cerca de 24 meses de aprendizagem, afirmaram terem sidos dotados de capacidades profissionais suficientes para prestar condignamente os serviços de saúde aos moçambicanos ao ní- vel das comunidades onde forem colocados para o exercício das actividades profissionais. Ademais aproveitaram a ocasião para solicitar a celeridade do processo de afectação no aparelho do Estado para que a breve trecho comecem a realizar as suas actividades. Cientes dos desafios que lhes são impostos, afirmaram estar preparadas para responder a demanda pelos serviços básicos de saúde, respeitando e tratando cada utente das unidades sanitárias de forma condigna de modo a evitar a perda de vidas humanas. O Director Distrital da Saúde, Mulher, Criança e Acção Social da Cidade de Quelimane, Eduardo Zezema, disse na ocasião que com o aumento da mão-de-obra no sector da saúde vai contribuir para a redução do rácio enfermeiropaciente, acreditando que os técnicos formados em Saúde Maternoinfantil, possam realizar suas tarefas de modo a garantir partos condignos e combater o cancro do útero. Para os técnicos de laborató- rio, Zezema disse que esses devem fazer tudo para trazer diagnósticos correctos, além de manter o sigilo das informações e resultados laboratoriais. Por seu turno, o Director Provincial da Saúde na Zambézia, Hidayat Kassin, apelou aos recémgraduados para que realizem as suas funções com zelo e dedicação, de modo a garantir saúde sã para as populações do País, da Zambézia e em particular de Quelimane. Texto: Luís Sumindila Fotos: Redacção 12 13 14 O clube 10 de Maio de Quelimane venceu na tarde da última quarta-feira (26) o Ferroviário de Nampula por duas bolas sem resposta, numa partida de estreia do novo treinador da turma dos trabalhadores, Domingos Tenente. A retomada às vitórias do 1º de Maio surge após 5 jogos sem ganhar no Campeonato Nacional de Futebol, Moçambola, em partida da vigésima primeira jornada. O primeiro golo foi marcado na primeira parte do jogo aos 23 minutos por Danito e o segundo, a 5 minutos do final, por Rasta, numa jogada de contra-ataque. Com a vitória, o 1º de Maio abandona a área de “alerta vermelho” com 21 pontos, ultrapassando a UP de Niassa e Chingale de Tete com 20 pontos na tabela classificativa. “Ganhamos por mérito pró- prio, jogou-se e tivemos muitas oportunidades de golo. Também diria que o adversário esteve a fazer bom jogo” – disse Domingos Tenente, tendo acrescentado que a vitória constitui um catalisador, um impulso que vai dar moral porque os jogadores não se sentiam como atletas. Tenente acredita que a vitória vai de certa forma trazer a dinâmica da própria equipa e doravante o ritmo vai ser diferente. “Obviamente a equipa teve um momento de fraca produtividade por ter ficado um tempo sem treinos” – afirmou. Arnaldo Salvado, treinador do Ferroviário de Nampula, disse que o jogo foi condicionado por enfermidades e cumprimento de castigos de alguns dos seus jogadores. A equipa já vinha fragilizada em termos de opções, trazendo 14 jogadores disponíveis para o plantel, dos quais 6 com malária, 3 lesionados e um castigado. Apesar da derrota, o Ferrovi- ário de Nampula teve maior posse de bola e pressionou a equipa adversária durante muitos minutos da partida. Texto: Sérgio Zacarias Foto: Redacção Na tabela classificativa de Moçambola 15 Contacto: juliosilvamozbeat@gmail.com 16 Pelo processo de investigação das atitudes culturais, o relativismo cultural quelimanense parte do pressuposto de que a diversidade cultura se expressa de formas diferente. Dessa forma, trata-se de pregar que a actividade humana individual deve ser interpretada dentro do contexto de sua própria cultura. O relativismo que aqui me refiro, não é algo que não precisa ser provado ou um ponto de partida a priori), mas, antes, parte das conclusões que são produzidas da observação e da convivência nos bairros com os diversos grupos de várias áreas culturais respeitndo as suas convicções. 1. GASTRONOMIA NOS BAIRROS Visitei o bairro Manháua e fiz questão de conhecer e experimentar um dos pratos tradicionais do dia a dia de uma família humilde. A pobreza era visível, mas o sorriso e a simpatia foi a riqueza que mais mexeu comigo. Seu nome é FILIPA ANGELO AGOSTINHO, e aproximei-me no momento em que estava a preparar um tipo de peixe seco a que dão o nome de MADAMBANE, que tinha sido comprado no mercadinho perto de Dr Júlio Silva, Antropólogo Cultural /Etnomusicólogo Embaixador da Cultura de Cidade de Quelimane sua casa. A receita pareceu-me simples e prática O peixe MADAMBANE seco é frito e acompanhado por uma Xima de milho e tchatini (molho de tomate, cebola, óleo e sal). 2. DANÇA TRADICIONAL NHAMBÁRO é uma dança característica da cidade de Quelimane. Hoje descobrimos no Bairro três de Fevereiro um grupo que tem o mesmo nome “NHAMBARO 3 de FEVEREIRO” formado em 1975 em Quelimane. O grupo é constitu- ído por vinte e duas (22) mulheres e três (3) Homens de várias localidades, com idades. Compreendidas entre os 75 anos e 14 anos que executam com mestria a dança herdada pelos seus antepassados. Os três homens têm como missão tocar as percussões (tambores) marcando o ritmo e o compasso para que os diversos passos de dan- ça estejam certos e trabalhem em sincronismo. No grupo existe uma Rainha que é eleita por votação, que tem como missão, coordenar os ensaios e estar sempre atenta à uni- ão do grupo. O seu reinado pode durar muitos e muitos anos, só sendo substituída em caso de morte ou doença. Antes da execução da dança, a Rainha e uma das suas assistentes fazem uma pequena cerimónia dedicada aos seus antepassados que dançavam Nhambáro. Esta dança é praticada em vários tipos de cerimónias (casamentos, nascimentos, festas da cidade, festivais de cultura, etc…) 3. LITERATURA Armando Artur João, nasceu em 1962, na Zambézia, pois não gosta de dizer a localidade , dizendo que o seu coração pertence a toda a sua Província . A sua poesia insere-se, inicialmente, no movimento cultural designado por Charrua, nome da revista publicada na década de 80, em Moçambique, que contava, entre os seus colaboradores, com escritores como Eduardo White e Ungulani Ba Ka Khosa. Tendo em conta o desencanto social instaurado em Moçambique no período de pós-independência, preconizava-se uma arte poética subjectiva, de qualidade estética e de liberdade temática, buscando novos caminhos para a poesia. Na sua arte poética, difusa e original, cultivam-se temas como o tratamento do tempo, a escrita e o sonho, o amor, os elementos da natureza, a formulação crítica e envolvimento social, a dimensão dramática, o registo filosófico e aforístico. Evidencia-se a importância do tempo passado e presente, bem como a problemática da história social e política de Moçambique, que a sua escrita metamorfoseia em poesia intimista e de afectos, mensagem colectiva de amor e utopia. A sua poesia, recorrendo, com frequência, a elementos da natureza, apresenta pelo menos duas linhas de força: a lírica amorosa que se dirige a um destinatário de cariz intimista e a poesia de feição épica ou antiépica que se assume como porta-voz do colectivo. A intertextualidade que a sua poesia estabelece deliberadamente com outros autores, quer através de citações, quer de referências explícitas e implícitas, convoca conhecimentos históricos, literários e filosóficos. Publicou “Espelho dos Dias” (1986), “O Hábito das Manhãs” (1990), “Estrangeiros de Nós Próprios” (1996), “Os Dias em Riste” (2002), “A Quintessência do Ser” (2004), “No Coração da Noite” (2007) e “Felizes as Águas” (antologia de poemas de amor). Venceu o Prémio Consagração FUNDAC em 2002, com “Os Dias em Riste”, e o Prémio Nacional de Literatura José Craveirinha, dois anos depois, com “Quintessência do Ser”. É membro fundador da Associação Pan-africana de Escritores 17 (PAWA), da qual é representante para Moçambique. Foi secretáriogeral da Associação dos Escritores Moçambicanos, e actualmente exerce o cargo de vice-presidente do Fundo Bibliográfico de Língua Portuguesa. 4. ARTISTA PLÁSTICO José Carlos Melo, nasceu em 1974, sendo conhecido no meio artístico do mundo das artes plásticas por “MELO”. Filho de Quelimanense, mas natural de Nampula e vive há muitos anos em Quelimane no Bairro Brandão. Conta que desde criança se apaixonou pelas cores, pela vida que elas transmitem e que ficava fascinado ao ver outros pintores pintando quadros. Em 2002, faz o seu curso de Artes na casa da Cultura de Nampula e isso lhe deu as técnicas necessárias para começar a pintar os seus primeiros quadros. Começa a ser convidado para pintar determinadas paredes com publicidade de produtos comerciais e seguidamente desenhava e pintava emblemas para esquadras da Polí- cia. Com um sorriso humilde , diz que a vida de artista em Quelimane é muito difícil, pois a concorrência tem sido forte e muitas vezes desleal . Espera um dia ter apoios para poder expor os seus quadros. 5. FOTOGRAFIA Falar de fotografia em Quelimane, obrigatoriamente teremos de falar da família Rasciclal, três gerações (Avô, Pai e filho) que foram e ainda são donos da foto Quelimane. Fomos ao encontro do actual proprietário conhecer o mundo da fotografia quelimanense e fui recebido pelo CHETAN, actual proprietário, que nasceu em Alto Molókwe em 1965, que, com ar simpá- tico e educado, conta-me que veio para Quelimane ainda muito jovem. Aos catorze anos apaixona-se pela fotografia, observando diariamente as milhares de fotos tiradas pelo seu Avô e pelo seu pai. Em 1988 resolve abraçar a fotografia e dar continuidade ao trabalho que vinha sendo desenvolvido pela família dando-lhe um rumo mais tecnológico de forma a acompanhar os novos tempos criando o primeiro Laboratório de fotografia, algo iné- dito nas Províncias. Com essa nova tecnologia obteve milhares de clientes vindos de diversas localidades. Actualmente trabalha em fotografia com o seu filho, Serigrafia, printe de Camisetes, brindes, etc… Gosta de dizer que o seu arquivo fotográfico documenta muita história da cidade de Quelimane, pois apresenta imagens do passado e do presente. 6. JOGOS TRADICIONAIS INFANTIS Fui ao bairro CANÉCO e reparei que várias crianças jogavam um jogo interessante a que davam o nome de “Locomotiva”. O jogo é baseado num cordel comprido de aproximadamente três metros ou mais, que é colocado nos tornozelos, envolvendo duas crian- ças que ficam nas extremidades. A criança do meio tem de ir saltando a corda, e à medida que a corda vai subindo gradualmente o grau de dificuldades aumenta. É um Jogo simples e engraçado, que concentra imensas crianças do bairro, criando um convívio saudável de amizade e de muita alegria. 18 19 A ESCOLHA DA MULHER MAIS BONITA DE QUELIMANE Por haver tanta beleza natural desfilando pelas ruas da cidade de Quelimane e pelos bairros, o Conselho Municipal convida a todas jovens que se achem lindas a participarem no grande concurso “ BELEZA NATURAL”. Regras: 1 – Ter idade compreendida entre 17 aos 23 anos 2 - Ter no mínimo 1.60 de altura e um peso que varia entre os 55kg a 65 kg. 3 - Todas as candidatas devem se apresentar na Catedral Antiga junto do rio Bons Sinais, no dia 22 de Julho às 10 horas para a realização do primeiro casting. Serão escolhidas as 50 jovens mais belas que passarão para a segunda fase de casting. 4 - Na semana seguinte, das 50 candidatas apuradas, irá se escolher as trinta (30) mais bonitas que passarão à fase seguinte. 5 - Das 30 apuradas, serão escolhidas as quine(15) mais bonitas da cidade, nas quais serão apuradas 5 para a final. 6 - A final será realizada no dia da cidade (21 Agosto) e o prémio será entregue pelo presidente do Município de Quelimane. NOTA: As candidatas deverão se apresentar com trajes feitos pelos alfaiates, modistas ou estilistas da nossa cidade. Os ornamentos de beleza que as candidatas irão usar (brincos, pulseiras e colares), terão de ser de artesanato. As candidatas terão o voto popular e também de um júri especializado (Fotogénica, porte corporal, estética feminina, naturalidade). 20 Para participar é extremamente simples: 1 - Tire as fotos que desejar e escolha cinco (5). 2 - Dirija-se a uma casa de revelação fotográfica e mande-as revelar no tamanho 10x15. 3 – Coloque as 5 fotos já reveladas num envelope. 4 – Coloque o seu nome e o seu contacto e entregue no Departamento de Comunicação e Imagem do Município (Sr. Sérgio Zacarias). A escolha da melhor foto será anunciada pelo Presidente do Município no dia da cidade (21/Agosto). Devido às novas tecnologias móveis e não só, tirar uma foto tornou-se numa prática constante nesta cidade e no mundo. Dado a esse facto, o Departamento de Cultura do Município criou um concurso da melhor fotografia da cidade de Quelimane. Este concurso fará parte das celebrações dos 75 anos da cidade. 21 O Conselho Municipal da Cidade de Quelimane lançou no dia 21 de Abril, a primeira revista sobre o carnaval de Quelimane. O evento aconteceu em paralelo ao início do Carnaval do Brilhante, edição 2017. Ao todo, são 42 páginas de conteúdos diversificados de cultura que dão corpo a revista que é a primeira a nível nacional. Imposto Pessoal Autárquico; Imposto Predial Autárquico; Imposto sobre veículos; Imposto Autárquico de SISA; Taxa sobre Actividade Económica (TAE); Reclames Luminosos e não luminosos; Entrada e descarregamento de camiões; Livretes de velocípedes com e sem motor; Livretes de Circulação; Licença de Transporte Escolar e outros. Para mais informações contacte o Sector de Receita e de Fiscalização no Conselho Municipal nas horas normais de expediente. Av. Josina Machel, Quelimane. Telefax: (+258)24213218 O Conselho Municipal da Cidade de Quelimane iniciou a 03 de Janeiro a cobrança de seguintes impostos e taxas: A revista pode ser adquirida na Secretaria do CMCQ ao preço de 500,00Mts República de Moçambique Município de Quelimane Conselho Municipal O Conselho Municipal da Cidade de Quelimane iniciou a 3 de Janeiro de 2017, a cobrança dos seguintes impostos:  Imposto Pessoal Autárquico;  Imposto Predial Autárquico;  Imposto Sobre Veículos Automóveis;  Imposto Autárquico de SISA;  Taxa Sobre Actividades Económicas (TAE);  Reclames Luminosos e Não Luminosos;  Entrada e Descarregamento de Camiões;  Licença de Velocípedes com e sem motor;  Livretes de Circulação; e  Licença de Transporte Escolar e Outros. Nota: Findo o prazo estabelecido para a cobrança dos impostos e Taxas acima citadas, o munícipe está sujeito a multas. Para mais informações, contacte os Sectores de Receitas e Fiscalização respectivamente, no Conselho Municipal da Cidade de Quelimane. DISCRIÇÃO AGRUPAMENTO PERIODICIDADE Imposto Predial Autárquico (IPRA) IPEA para Habitação corresponde a 0.4% do valor do Imóvel; IPRA Comércio Corresponde a 0.7% do valor do Imóvel. DE Janeiro a Junho; Julho a Dezembro. Imposto Sobre Veículos De Janeiro a Março Imposto Autárquico de SISA No acto de compra do Imóvel Imposto Pessoal Autárquico De Janeiro a Dezembro Taxa de Actividades Económicas Paga em 3 prestações 1ª – De Janeiro a Março 2ª – De Abril a Junho 3ª – de Junho a Setembro Os contentores de lixo instalados em diversos locais da cidade de Quelimane, continuam sendo alvo de vandalização e queima do lixo nos contentores. A destruição desses recipientes, utilizados para que as pessoas condicionem de forma correcta o lixo, causa prejuízos enormes para a cidade e aos cofres públicos, pois tira dos munícipes a opção de jogar o lixo no local adequado, provocando desta forma a poluição do meio ambiente. De lembrar que esses bens públicos são adquiridos com impostos pagos pelos cidadãos e devem ser cuidados pela população. O Conselho Municipal da Cidade de Quelimane apela a todos os munícipes desta urbe que abandonem esta prática.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.