quarta-feira, 26 de julho de 2017

Cobranças ilícitas para o 11º Congresso

Comments

1
umBhalane said...
Neste tal de contexto, a frelimo, já os TERRORISTAS, têm muita razão.
Essa cabritada não come onde está amarrada?
Quem é que arranja emprego na tal de função pública?
Não são os militantes, simpatizantes, arregimentados, avassalados, oportunistas,...cabritos?
"O problema não é recente e fruto de muitas décadas no Governo de um único partido:
as instituições públicas de Moçambique estão praticamente nas mãos da FRELIMO."
NÃO É praticamente.
É MESMO.
CONCRETAMENTE.
Isso se chama de PODER.
Esses aí que estão de comer são pequenos sócios do regime totalitário e omnipresente dos TURRAS.
Na minha opinião, com certeza que têm de colaborar um pouco só com o clube, o grupo, a quadrilha, a alcateia, o bando,..., que lhes permite comer melhor que os cerca de 80 % dos excluídos, marginalizados, ostracizados, "esses aí", "olha lá eles",...
Vocês são os empoderados.
PAGUEM, e sorriam para a fotografia.
Nunca se sabe.

Wangani

Na luta do povo ninguém cansa.

FUNGULANI MASSO
LEMBREM BEM
QUEM NÃO LUTA, PERDE SEMPRE

A LUTA É CONTÍNUA

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.