sexta-feira, 28 de julho de 2017

Colômbia admite legalização temporária de 200 mil venezuelanos


O Governo da Colômbia anunciou esta sexta-feira que vai conceder uma autorização especial que permitirá regularizar a situação migratória de cerca de 200.000 venezuelanos no país.
O diretor-geral da Migración Colombia explicou que vai ser concedida uma autorização especial por 90 dias, prorrogável até dois anos
MIGUEL GUTIERREZ/EPA

Autor
  • Agência Lusa
O Governo da Colômbia anunciou esta sexta-feira que vai conceder uma autorização especial que permitirá regularizar a situação migratória de cerca de 200 mil venezuelanos no país.
O diretor-geral da Migración Colombia, Christian Krüger, explicou em conferência de imprensa que vai ser concedida uma autorização especial por 90 dias, prorrogável até dois anos.
O que procuramos com esta medida de hoje é regularizar uma parte desta população que atualmente se encontra em situação irregular”, indicou.
A Autorização Especial de Permanência (Permiso Especial de Permanencia, PEP) será disponibilizado aos venezuelanos que tenham chegado ao país vizinho até 25 de julho, a data em que a chefe da diplomacia colombiana, María Ángela Holguín, assinou uma resolução que entrou esta sexta-feira em vigor. “Estamos a falar de uma decisão que é dirigida a partir de hoje a mais de 200 mil pessoas”, acrescentou Krüger.

O diretor da Migración Colombia explicou que esta decisão pode abranger 150 mil venezuelanos que entraram legalmente no país mas cujo período de permanência já expirou, e outros 60 mil que possuem o visto de turismo atualizado. A PEP permitirá aos estrangeiros trabalhar, estudar e aceder a outros benefícios, como a inscrição no sistema de saúde.
Os interessados deverão ter ingressado com o seu passaporte num posto de controlo migratório oficial, não possuir antecedentes judiciais nem uma medida de expulsão ou deportação em vigor. O documento não substitui o passaporte nem será válido para viajar. “A situação na Venezuela não está apenas a afetar a Colômbia mas também outros países do mundo”, advertiu Krüger, ao assinalar que muitas pessoas estão a viajar para países vizinhos, como o Peru, Chile e América central.
Após reconhecer que “a principal nacionalidade estrangeira do país é a venezuelana”, Krüger definiu a “migração como positiva” e recordou que em anos anteriores o fluxo foi contrário e “mais de um milhão de colombianos viveram na Venezuela”.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.