quinta-feira, 20 de julho de 2017

FUI REQUISITADO/NOTIFICADO PELA PRM, SIM…


Amigos, não pretendia dizer algo sobre a minha requisição pela Polícia da República de Moçambique agora, mas devido ao volume de chamadas e sms´s que tenho estado a receber, senti-me obrigado a informar ao público em geral nos seguintes termos:
1. Recebi notificação da polícia ontem (19) e hoje pelas 8 horas fui ouvido pelo comandante e chefe das operações do comando distrital da PRM em Moatize;
2. Na audição, fui apresentado o polícia DINO, o qual a comunidade diz ser o autor dos disparos que resultaram na morte do jovem HUSSENI ANTÓNIO LAITONE;
3. Expliquei ao comandante e, em particular o polícia que a informação veiculada não foi inventada pelo jornal pelo que deviam ver o MALACHA apenas como meio usado pela população para exprimir os seus sentimentos de dor facto que podia acontecer através de rádio, televisão ou outros jornais: “Não é o jornal que disse o polícia Dino matou, mas a população através do jornal”, disse.
4. Na essência, o comandante disse, que a notificação/requisição era para apenas conversar e informar que as investigações estão em curso para se apurar o autor daqueles disparos fatais. Contudo, garantiu que o polícia DINO era o chefe do grupo composto por três membros.
5. Em breve, a PRM vai convocar o jornal MALACHA para divulgar os resultados das investigações. O comandante sublinhou que ao autor será instaurado um processo disciplinar e criminal.
À TODOS OS AMIGOS QUE SE PREOCUPARAM, O MEU MUITO OBRIGADO!
8 comentários
Comentários
Samson Dazibone
Samson Dazibone Realmente ha k se preocupar, mas o conforto vem pk o Malacha eh um jornal independente e reconhecido a nivel nacional e registado no GABINFO. As verdades sempre desagurao ak. Avante ao trabalho
Manage
Neclino Chaphata
Neclino Chaphata Mas esse chefe das operações precisa ter o mínimo senso de humor para tomar essa postura!

3 agentes chefiados por agente Dino total quatro (4), um desses atirou.


Agora, o que não entendo é, que investigação precisa fazer para apurar a veracidade dos factos, ou seja da pessoa quem atirou? Porque nesta ordem de ideias, podemos entender que mais uma outra força ou alguém esteve no local e que foi autor dos disparos. Sinceramente!
Sergio Joia
Sergio Joia Recuar é mostrar o sinal da fraqueza, força e sem intimidaçoes
Manage
Sergio Maluate
Sergio Maluate A polícia não pode se preocupar com o jornal. Tem de se preocupar com a ordem e segurança. Estes conflitos não são de hoje e nem serão do amanhã. São do dia-a-dia. Força ao nosso jornal pela audição. Que nem os mais velhos ousaram fazer.
Manage
Victor Primeiro
Victor Primeiro Esta foi uma notificação/requisição para tentar calar o Semanario Malacha, quanto a mim tinha que ser conferência de imprensa.
Manage
Quim Taunde
Quim Taunde Não aceite ameaças
Manage
Mohomed Rafique
Mohomed Rafique Jovem, continua a informar com isenção e transparência( faça seu trabalho que eles estão a fazer o deles/bem ou mal)
Manage
Quim Taunde
Quim Taunde To de acordo Qota Rafik
Manage
Mohomed Rafique
Mohomed Rafique Digo mais; Quando eles se preocupam conosco é sinônimo de existirmos....
Manage
Quim Taunde
Quim Taunde O Teacher Aparicio faz o job dele
Manage
Fernando Muloiua
Fernando Muloiua Avança e não recua jornal Malacha.
Didima Chumbo
Didima Chumbo Meus pesamo pra a familia inlutada,,, pude acompanhar alguns episodio no telejornal de ont. Parabens jornal MALACHA pelo seu densevolvimento. So da opiniao que a PRM nao vai convocar o jornal MALACHA para divulgar os factos reais. Digo isso por uma experiencia,, bem que gostaria de comentar algo a mais acerca deste assunto mas algo t m dzr nao o faça isso.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.