sexta-feira, 2 de junho de 2017

ICM pede apoio da Holanda para criação do seu plano estratégico


Instituto de Cereais busca experiência da Holanda para distribuir alimentos em zonas críticas do país
O Instituto de Cereais de Moçambique (ICM) pediu apoio da Holanda para criação do seu plano estratégico. A vontade foi manifestada, na manhã de ontem, pelo director-geral do Instituto, João Macaringue, durante a recepção da embaixadora da Holanda, Pascalle Grotenhuis, à instituição.
O ICM foi reestruturado em Dezembro do ano passado, onde foram atribuídas a este instituto novos desafios, daí que João Macaringue diz ser imprescindível a criação de um novo plano estratégico.
“O instituto sofreu uma restruturação, sendo que, por esta via, estamos a procura de parceiros que nos ajudem a viabilizar o funcionamento da instituição. Uma das áreas que precisamos de apoio é na criação do nosso plano estratégico. É com base no plano estratégico que iremos definir as acções do futuro”, disse Macaringue.
O interesse pelo apoio holandês surge do facto deste país europeu ter uma vasta experiência no sector de logística. “A Holanda na Europa é um grande centro de logística e tem muita experiência nesse domínio. A nossa actividade é essencialmente logística, fora a questão de monitorar e acompanhar a actividade agrícola no país”, Explicou Macaringue. 
O director-geral disse ainda que a criação de parcerias, nesta fase inicial, é fundamental para o sucesso da instituição que dirige. “Nós estamos numa velocidade de cruzeiro, durante muito tempo o instituto andou numa velocidade bastante lenta, e é preciso ganhar tempo. Consideramos ganhar tempo buscar todas as sinergias que nos possam ajudar a acelerar este passo. E criação de diversas parcerias irá ajudar-nos a acelerar o passo”, concluiu João Macaringue. 
A visita da embaixadora holandesa enquadra-se nos encontros havidos entre o Presidente da República e altos responsáveis do Reino dos Países Baixos, aquando da sua visita.
“Esta é primeira vez que venho para o Instituto de Cereais de Moçambique, vim conhecer a instituição e me inteirar do seu funcionamento. Esta visita surge como seguimento dos encontros que Filipe Nyusi, Presidente da República, teve com diversos dirigentes na Holanda. Vamos conversar e identificar as áreas em que podemos cooperar, trocando diversas experiências”, disse Pascalle Grotenhuis, embaixadora da Holanda.
O ICM é tutelado pelo Ministério da Indústria e Comércio e tem como atribuição garantir a comercialização e aprovisionamento de produtos agrícolas no país. O instituto ainda deve assegurar a disponibilidade de matéria-prima a indústrias de transformação de milho, para a colocação no mercado, em forma de farinha, para o consumo da população e o fabrico de rações e complementar actividades desenvolvidas pelo sector agrícola e da Bolsa de Mercadorias de Moçambique (BMM).

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.