terça-feira, 4 de julho de 2017

Quando a Democracia era uma miragem para muitos, Dhlakama já falava dela


"Quando alicerçado na razão e seguro dos seus direitos, nenhum povo, ainda que pobre e iletrado como o nosso, teme ninguém. Temos consciência que o reconhecimento dos direitos básicos do homem e do cidadão praticado diariamente nas zonas libertadas recebe apoio unânime da Nação.
Terminado o ciclo das independências, esboça-se no continente o movimento pela democracia de que somos pioneiros e o farol para todos os oprimidos. Reconhecendo o respeito pela tradição damos o exemplo de que é possível progredir com a História e nunca contra ela. Pela liberdade e independência das nossas decisões/[décadas?] fizemos esta guerra.
Por estes valores lutamos e continuaremos a lutar depois da vitória. Podem as superpotências, a nível mundial ou regional, pretender impor-nos a visão dos seus interesses ou de alguns grupos cujos erros de percepção julgam poder emendar com outros erros: não o conseguirão.
Porque na Casa Moçambicana mandamos nós".
AFONSO DHLAKAMA, 1985
PRESIDENTE DA RESISTÊNCIA NACIONAL MOÇAMBICANA E COMANDANTE EM CHEFE DAS FORÇAS ARMADAS DA RENAMO
Comentários
Ser - Huo
Ser - Huo Mas essas ideias apanhava lá nas aulas de Ciências Políticas que diz que cursou? São indubitavelmente ideias bonitas, mas que sua operacionalização não sei se iria além disso. Se fosse menos sanguinário, ainda diria "dêem uma chance ao homem" mas, com esses não se brinca. Já, essa de "comandante-supremo"
 · Responder · 
4
 · 5 h
Taisse Sigaúque
Taisse Sigaúque A parte do Comandante Supremo estaa a atrapalhar-me. Tera mesmo algum condao democratico isso? Mas enfim... Nao ee da minha conta!!!
 · Responder · 
1
 · 3 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Digamos que era visionario, Ser - Huo, porque o Apartheid nao podia falar em Democracia. Em todas as sociedade sempre existiram pessoas capazes de antecipar as mudanças. Acho que era comandante-supremo em oposiçao aos outros comandantes, tipo "mais mais".
 · Responder · 
2
 · 5 h
Jemusse Abel
Jemusse Abel Que liçoes pode-se tirar deste discurso em relaçao ao papel do "rider" na luta pela democracia? Será que foi depois da tal suposta moçambicanização e nova roupagem da guerra em termos de objectivos? Nao acha que pode-se partir pra uma outra pesquisa pra sabermos o pensamento politico de Dhl.
 · Responder · 
1
 · 5 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Acho que é um bom marco para fazer uma analise revisionista da famosa Guerra dos 10+6, Jemusse Abel. O argumento de uma guerra sem objectivos desmorona-se
 · Responder · 
3
 · 5 h
Calton Cadeado
Calton Cadeado A guerra da Renamo sempre teve objetivos claros, caro amigo. Os primeiros objetivos de quem a criou - Rodésia e os colonos descontentes. Depois, os seu próprios objetivos criados com assessoria de seus maiores apoiantes, o Apartheid. Neste de assessoria, destaca-se um Prof. e amigo de Dhlakama chamado Thomasshousen (espero ter escrito bem o nome)!
 · Responder · 1 h
Jemusse Abel
Jemusse Abel Sérgio Huo não ha guerra justa.... Mesmo aquela em que alguns se exaltam terem participado e no entanto dignos de enriquecimento.
 · Responder · 
3
 · 5 h · Editado
Daniel Omar
Daniel Omar Não consigo ver na integra o segundo texto, ha como melhor a partilha??? Este homem sempre teve pessoas a trabalhar para ele nos serviços secretos, policia, MDN que lhe passavam informação antes das operações de grande envergadura acontecerem, uma contra-espionagem do melhor que há só assim se explica ter sobrevivido tantos bombardeamentos
 · Responder · 
2
 · 5 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe Sempre teve olhos dele. O exemplo mais visível foi a batalha por Sitatonga (Garagua?) em que os melhores efectivos das FPLM tomaram parte mas nem com isso. E Samora descobriu que estava sendo enganado quando recebeu o relatorio de que aquilo tinha sido um sucesso.
 · Responder · 
4
 · 4 h
Daniel Omar
Daniel Omar O que se passou em Sitatonga ??? Derrotou as FPLM?
 · Responder · 4 h
Joaquim Gove
Joaquim Gove Não derrotou. Até onde eu saiba, foi das mais pesadas investidas em que ele conseguiu escapar com sucesso - não me engane a mente - consta que refugiou-se de moto ao Zimbabué (tenho em memória noticiários mostrando um par de óculos por ele deixado cair na hora da fuga).
 · Responder · 
3
 · 3 h
Daniel Omar
Daniel Omar Quando foi do assalto e tomada da Casa Banana já era ele o lider
 · Responder · 
1
 · 3 h
Jeremias Chilaw
Jeremias Chilaw Sera que a nocao de democracia do Dhlakama era a que conhecemos hoje?
 · Responder · 
1
 · 4 h
José de Matos
José de Matos Qual é a "democracia "que conhecemos hoje em Moçambique ?
 · Responder · 
1
 · 4 h
Jeremias Chilaw
Jeremias Chilaw A democracia multipartidaria....
 · Responder · 
1
 · 4 h
José de Matos
José de Matos Jeremias Chilaw , democracia verdaeira NUNCA aceita fraudes eleitorais e exclusao! Simples assim ...
 · Responder · 4 h
Joaquim Gove
Joaquim Gove Eu julgo também pertinente esta questão do Jeremias Chilaw! Será que o conceito de democracia na época equipara-se ao de hoje (em termos práticos).
Agora a questão de se estamos a viver alguma democracia, amigo José de José de Matos, é um debate à parte pois, não ajuda-nos muito a compreender o pensamento de Dlakhama, ontem e hoje.
 · Responder · 
1
 · 3 h
José de Matos
José de Matos Joaquim Gove , a minha questao vem no contexto desta pergunta:

"Sera que a nocao de democracia do Dhlakama era a que conhecemos hoje?"


Entao o que questiono é fundamental : de que democracia estamos a falar!
 · Responder · 
1
 · 3 h
Jeremias Chilaw
Jeremias Chilaw Jose de Matos a democracia de que falamos eh justamente essa de estares aqui a falares livremente, de teres um pais com sociedade civil que expressa a sua opiniao livremente, de teres direitos e liberdades, de teres uma constituicao que protege os direitos, de teres uma imprensa livre, de teres escolas privadas, cofeccoes religiosas que expressam a sua posicao em relacao a vida do pais, etc

Agora, vamosm transportar estes conceitos para a RENAMO e para o Dhlakama: quais eram as referencias de Democracia do Dhlakama em 1986? Zaire, Malawi, etc. 

Pode o membro da RENAMO fazer uma critica aberta ao Dhlakama? Nao se quiser continuar no partido?

A RENAMO realiza congressos ou reunioes onde sao apresentadas as politicas do Partido? Nao. 

Ha liberdade na RENAMO? Nao.
 · Responder · 
1
 · 3 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe E dificil avaliar, Jeremias Chilaw. O certo é que era diferente da chamada "democracia popular". Alias, ja em 1977 e antes de Dhlakama assumir a liderança, a entao resistencia falava no "direito de o povo escolher os seus lideres", pelo que que pode nao estar longe da que conhecemos hoje.
 · Responder · 
5
 · 4 h · Editado
Jeremias Chilaw
Jeremias Chilaw Nao creio que seja dificil, ha uma entrevista que o Dhlakama fala de democracia e, a dado passo, ele reclama que os americanos nao ajudam a RENAMO como tem ajudado outros paises democraticos, como o Zaire de Mobuto. Pelo que saiba, Zaire nunca foi nem de perto uma democracia. Isto levanta a questao de perguntarmos o que Dhkalama entendia de democracia>
 · Responder · 
2
 · 4 h
Jemusse Abel
Jemusse Abel Jeremias qual é a noção da democracia que temos hoje?
 · Responder · 4 h
Leonildo Viagem
Leonildo Viagem Grande visão
 · Responder · 4 h
Celestino Taperero Fernando
Celestino Taperero Fernando Pouco minha dissertação está ter riqueza de fontes graças a si senhor Eusébio A. P. Gwembe eu lhe agradeço bastante
 · Responder · 
1
 · 4 h
Xavier Antonio
Xavier Antonio Está claro ilustre Eusébio A. P. Gwembe.
 · Responder · 
1
 · 4 h
Daniel Omar
Daniel Omar Diz ele que é democrata??? Dhlakama é tudo menos democrata, uma pessoa convive mal com a critica interna??? Ai de no partido se atrever a criticar lhe, é logo afastado. É um pequeno ditatorzinho disfarçado de democrata
 · Responder · 4 h
Jemusse Abel
Jemusse Abel Daniel se Ele não é quem é democrata em moçambique?
 · Responder · 4 h
Jeremias Chilaw
Jeremias Chilaw Ja agora, como eh que essa democracia, por exemplo, se manifesta no dia a dia do partido que ele dirige. Era interessante ver o exemplo pratico.
 · Responder · 
3
 · 4 h
Daniel Omar
Daniel Omar É tão democrata ele, que nunca aceitou um opositor a sua liderança no partido oh Jemusse Abel Quem no partido for voz discordante da sua política é logo catalogado pelo grande "rider" de espião da "Frerimo"
 · Responder · 
2
 · 4 h
Xavier Antonio
Xavier Antonio Para quem não viveu no tempo pós independência e começou abrir vistas como uma largartixa depois de se chocar, a partir da década de noventa, tem dificuldades de distinguir a actual democracia e a democracia popular. Mas quem viveu nesse tempo não tem dificuldades. Não precisa de ir à escola porque os sinais estão na vida que teve.
É melhor quem te afasta quando concluir que está contra sua linha de pensamento porque sai com vida, do que quem te assassina por simples facto de ter emitido opinião que não coincide com a do grupelho. Há uma grande diferença.
 · Responder · 
2
 · 3 h · Editado
Joaquim Gove
Joaquim Gove O que vale é que tanto os que aprenderam ambos conceitos pela experiência prática, na vida real, quanto os que aprendem por outras formas, este espaço ajuda a quem de facto está despido de todo o preconceito e dispoe-se a compreender as coisas.
É um fa
cto que nós que vivemos a democracia popular, ontem, e hoje vivemos esta que não sei como se chama - já que a multipartidaria poderia ser popular - podemos perceber melhor as questões que estão a ser levantadas sobre o que Dlakhama dizia ou pretendia dizer ser a democracia. Os factos mostram que tanto a democracia popular, como a democracia que se transparece das realidades da Renamo, estão longe do que seria a democracia desejada. Quiçá, talvez até à que hoje vivemos.
 · Responder · 
2
 · 3 h
Xavier Antonio
Xavier Antonio Concordo consigo. Não é possível viver verdadeira democracia com aqueles que a negaram no poder. Na pratica ainda vivemos na democracia popular, apesar da Constituição apregoar todas liberdades que caracterizam a democracia multipartidária: o estado e o partido ainda se confundem, as instituições do estado são controladas pelo partido, ainda há sectores públicos onde a contribuição para o partido é a partir da fonte, justiça é selectiva, se identifica mais pelo cartão do partido que pelo BI... Estamos, de facto ainda longe. E não vamos chegar com os mesmos no poder.
 · Responder · 
1
 · 39 min · Editado
Ediasse Manuel Ediasse
Ediasse Manuel Ediasse A liberdade de expressão na democracia pressupõe todo individuo puder emitir sua opinião livremente. No entanto, não nos dá o dever de concordar com aquele que possui ideia diferente. Na verdade, significa tolerar que outro fale o que pensa, mesmo sendo ilógico e infundado.
O que não quer dizer, que temos o dever de partilhar o mesmo espaço grupal com quem discorda de nós. Se a pessoa discorda, é livre de sair do grupo sem sofrer consequências negativas, isto é, risco de vida ou ameaças.
 · Responder · 
2
 · 1 h
Daniel Omar
Daniel Omar Não achas estranho oh Jemusse Abel um partido "democrata" como a Renamo que em mais de 25 anos de acordo de Paz nunca tenha aparecido entre os membros da Renamo uma pessoa a concorrer a presidência contra o "rider" mesmo depois de já ter perdido 4 ou 5 eleições???
 · Responder · 
2
 · 4 h
Jemusse Abel
Jemusse Abel Daniel numa época como está em que vive-se numa paz de penúmbra, num partido de natureza militar; em que num passado recente ele foi alvo de ataques,tem que se experar esta atitude do " ríder " mesmo que tu fosses. É que neste contexto nao se sabe quem pode receber as trinta moedas pra entregar o mestre. Por isso ha que se estudar mecanismos de defesa afastando os que piscam olhos aos outros ventos.
 · Responder · 
1
 · 4 h
Daniel Omar
Daniel Omar Ele afasta os outros Jemusse Abel porque lhe convém, para o "rider" a Renamo é sua propriedade, põe e dispõe
 · Responder · 4 h
Jemusse Abel
Jemusse Abel Xavier António queres dizer que a democracia expressa no pensamento de Dhl era popular? Aliás o termo democracia popular é resultado da sua experiencia vivida?
 · Responder · 4 h · Editado
Xavier Antonio
Xavier Antonio Negativo, negativo.
 · Responder · 
1
 · 4 h
Jemusse Abel
Jemusse Abel Ahh ok. Compreendi.
 · Responder · 4 h
Eusébio A. P. Gwembe
Eusébio A. P. Gwembe A tal de Democracia Popular tinha por base "a Frelimo, guia do povo moçambicano". Tipo Partido Comunista Chines.
 · Responder · 
2
 · 4 h
Daniel Omar
Daniel Omar Porquê é que o " rider" nunca foi deputado??? Nos países que eu saiba os lideres da oposição não estão nas matas, encontramos eles no parlamento a debater ideias. " O rider" foge do debate cara a cara
 · Responder · 
1
 · 4 h
Jemusse Abel
Jemusse Abel Por isso Daniel percebendo do seu pensamento nao acha que deviamos estudar que tipo de democracia que se vive em moçambique?
 · Responder · 4 h
Daniel Omar
Daniel Omar A nossa democracia tem as suas imperfeições e ainda é recente, vamos aprender com o tempo nem países como Portugal e Espanha as suas democracias tem lacunas Jemusse Abel
 · Responder · 4 h
Jemusse Abel
Jemusse Abel Daniel estou a estudar contigo: nestes termos nao achas que democracia é uma utopia?
 · Responder · 4 h
Daniel Omar
Daniel Omar A vida e as sociedades bem ou mal "alimentam se" de utopias para alcançar o mínimo razoável, o dia que as sociedades deixarem de ter utopias estagnam. Eu por exemplo tenho um sonho casar com Beyonce mas sei que não passa de utopia
 · Responder · 4 h
Jemusse Abel
Jemusse Abel Entendo: colocas utopias como guia que norteia o nosso futuro. Para isso nao acha que nesta luta de tornarmos os nossos sonhos em realidade como sempre nos aconselha Desmond Tutu precisamos de passos e convergirmos juntos pra mesma direçao como diria Ngoenha?
 · Responder · 4 h
Mouzinho Zacarias
Mouzinho Zacarias O grande erro estratégico de Dhlakama foi a expulsão de Raul Domingos...desde que Raul Domingos foi foi expulso a Renamo nunca mais conseguiu atingir 100 deputados
 · Responder · 
2
 · 3 h · Editado
Calton Cadeado
Calton Cadeado Eu estou totalmente de acordo consigo, Mouzinho Zacarias!
 · Responder · 1 h
Daniel Omar
Daniel Omar O Raul Domingos era uma sombra ao grande "rider" por isso é que tinha que afastar lhe. O grande "rider" convive mal com oposição interna no partido. Depois enche o pulmão para dizer que é o "pai" da democracia hehehehe hehehehe a mim não engana
 · Responder · 
1
 · 3 h
Calton Cadeado
Calton Cadeado Em Moçambique 🇲🇿 pôs independência sempre houve democracia. Primeiro foi DEMOCRACIA POPULAR. Depois seguiu-se a DEMOCRACIA LIBERAL (multipartidária) que prevalece, na actualidade!
 · Responder · 1 h
Celestino Taperero Fernando
Celestino Taperero Fernando Calton cadeado independência não é democracia. O comunismo não democracia. Eu aceitaria se dissesse que estava a procurar implementar a democracia.
 · Responder · 1 h
Calton Cadeado
Calton Cadeado Celestino Taperero Fernando! Houve comunismo em Moçambique? A teoria e a realidade dizem que nunca houve comunismo, em Moçambique! O que eu sei é que formalmente, de 1975 a 1990, Moçambique foi um Estado Socialista, apesar de haver quer diga que Moçambique nunca foi um Estado Socialista. Os que negam socialismo em Moçambique dizem que o nosso país foi um ESTADO DE ORIENTAÇÃO SOCIALISTA. 
Formalmente, no discurso político e na pratica a DEMOCRACIA POPULAR teve as suas especificidades. Pergunte os que viram eleições populares...! O último comandante geral da polícia tentou recuperar essa pratica no recrutamento de novos membros da polícia...!
 · Responder · 39 min
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos Ha sinais de democracia pois no verdadeiro sentido de palavra ela nao existe.
 · Responder · 1 h
Mouzinho Zacarias
Mouzinho Zacarias Grande combatente pela democracia e liberdades
 · Responder · 
2
 · 1 h
Spirou Maltese
Spirou Maltese 1000 pontos. Muitos não esperavam dessa visão avançada do homem das armas.
 · Responder · 
1
 · 56 min

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.