sexta-feira, 16 de junho de 2017

Theresa May diz que não visitou famílias das vítimas por “questões de segurança”


2
Isabel II foi esta manhã ao local do incêndio de Londres. Jeremy Corbyn esteve com os sobreviventes e familiares das vítimas. Theresa May limitou-se a falar com bombeiros. E as críticas não tardaram.
Getty Images
A primeira-ministra conservadora Theresa May foi esta quinta-feira à tarde ao edifício residencial de Grenfell mas não se encontrou com os familiares das vítimas do trágico incêndio que matou pelo menos 30pessoas. Jeremy Corbyn , por sua vez, foi prestar apoio aos familiares das vítimas e até sugeriu que famílias desalojadas ocupassem as casas devolutas de pessoas ricas no bairro de Kensington. O argumento avançado pelo Governo britânico aponta para “questões de segurança”, mas até a rainha Isabel II visitou o local, pelo que a postura da primeira-ministra conservadora mereceu duras críticas.
Segundo o ministro da Defesa, Tobias Ellwood, a chefe do Governo britânico limitou- se a reunir com os bombeiros e forças de segurança presentes no local, numa visita privada sem comunicação social, por “questões de segurança”. A decisão não foi bem recebida entre os moradores, sobreviventes e familiares das vítimas, que disseram inclusivamente ao líder do partido trabalhista, Jeremy Corbyn, que “Theresa May esteve aqui mas não quis falar connosco”.
Jeremy Corbyn foi à igreja que está a servir de acolhimento aos desalojados e prometeu que a ” verdade [sobre as responsabilidades do incêndio] viria ao de cima”. Pouco depois de Corbyn, também o mayor de Londres, Sad iq Khan, visitou o local e foi confrontado pelos moradores, que lhe pediram respostas céleres que não podem ficar “um ano à espera de um inquérito independente”.
As críticas a May fizeram-se ouvir um pouco de todo o lado, inclusive entre figuras públicas. No Twitter, o ator Piers Morgan escreveu: “Se é verdade que Theresa May não se tenha encontrado com nenhum dos sobreviventes ou familiares das vítimas na sua visita a Grenfell, então isso é uma absoluta desgraça”.
A rainha Isabel II, por sua vez, visitou esta sexta-feira o local e falou com as vítimas. Acompanhada do Príncipe William, os dois encontraram-se com voluntários, moradores e representantes da comunidade, tendo sido recebidos em aplausos.
Entretanto, esta sexta-feira, Jeremy Corbyn defendeu que as famílias que perderam as suas casas no incêndio deviam ser realojadas nas propriedades devolutas de pessoas ricas no bairro de Kensington, defendendo a “posse administrativa” dessas propriedades.
“A zona [norte] afetada pelo incêndio, é, penso eu, a mais pobre do bairro [de Kensington] e deveria ser tomada posse administrativa das propriedades [da zona sul] – se necessário – para garantir o realojamento dessas pessoas nessa zona”, disse, acrescentando que “não é aceitável que existam em Londres moradias e apartamentos de luxo devolutos quando temos famílias desalojadas e pobres a precisarem de uma casa para viver”.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.