segunda-feira, 19 de junho de 2017

Quando o árbitro é a figura do jogo


Costa do Sol vence a Liga Desportiva de Maputo por três a um e assume a liderança do Moçambola

O momento do jogo é, sem dúvidas, a simulação de Isac de Carvalho a uma situação de “chega pra lá” do guarda-redes Quino, dentro da área. De costas, o árbitro do encontro decidiu mostrar a cartolina vermelha ao guardião da Liga e a consequente grande penalidade, numa atitude bastante infeliz de Filimão Filipe, que não percebeu a fífia de Isac.
Resultado deste mau entendido do árbitro foi a confusão que se instalou no relvado do Estádio Nacional do Zimpeto. Daúdo Razaque mandou recolher os seus jogadores em protesto contra a decisão do árbitro e uma paragem de mais de 10 minutos. Houve espaço para chamadas telefónicas, de modo a retomada do encontro. Razaque, técnico da Liga Desportiva, recebeu uma chamada, informou aos seus jogadores, e Milagre entrou em campo para a marcação da grande penalidade. Isso aconteceu aos 43 minutos do jogo. Com este golo, o Costa do Sol passava a adiantar-se no marcador por 2-1.
Este foi o momento que dominou e determinou o jogo entre a Liga Desportiva de Maputo e o Costa do Sol. Mas vamos ao filme da partida!
Entrada fulgurante do Costa do Sol
Os “canarinhos” sabiam que uma vitória nesta partida daria direito a subida ao trono do Moçambola, daí que era necessário entrar pressionante a procurar o golo o mais cedo possível. Foi o que aconteceu. Desde cedo, o Costa do Sol demarcou o terreno e tratou de abrir as hostilidades. Passavam apenas sete minutos, quando Loló atirou de primeira, numa jogada iniciada na esquerda do ataque “canarinho”, com Nélson a fazer o passe para o remate frontal e sem hipótese de defesa para o guarda-redes Milagre. Estava aberto o activo, para a festa dos aficionados adeptos do canário.
A Liga reagiu e passou a povoar o meio campo adversário, mas o Costa do Sol conseguiu segurar a corrente até ao minuto 40, quando, num livre, Sonito combina com Telinho, com a bola a sobrar para o gigante avançado da Liga (Sonito), que, de cabeça, restabeleceu a igualdade.
Três minutos depois, a tensão subiu no Estádio Nacional do Zimpeto, quando numa jogada de ataque “canarinho”, Isac sofre um “chega pra lá” de Quinho e o juiz da partida decide expulsar o guardião da Liga Desportiva e consequente marcação para grande penalidade.
Em protesto, o técnico da Liga Desportiva ordena o abandono imediato dos seus homens das quatro linhas e os mediadores entraram em acção. Um trabalho de sensibilização e com direito a chamadas telefónicas, os pupilos de Daude Razaque retomaram às quatro linhas. Milagre entrou para assegurar os postes, mas não o suficiente para defender o remate de Lineker na cobrança de grande penalidade. Estava-se em dois a um a favor do Costa do Sol, resultado que persistiu até ao intervalo.
Ânimos mais controlados no reatamento
Os ânimos baixaram durante a segunda parte, mas os cartões vermelhos não pararam de ser exibidos. Aos 68 minutos, numa troca de mimos entre Loló e Telinho, os dois jogadores das duas equipas acabaram por ir ao “chuveiro” mais cedo. Filimão Filipe estava já no centro das atenções, tentando serenar os ânimos que pareciam estar de volta ao rectângulo do jogo.
Aliás, nessa altura, mesmo com menos um jogador em campo, a Liga Desportiva pressionava o seu adversário, procurando chegar ao golo do empate.
Mas, para tirar todas as dúvidas, Isac, já no período de compensação, ganha o esférico, galga terreno e escolhe o ângulo em que pretendia colocar a bola, para o terceiro golo do Costa do Sol e vitória final. O “canário” fazia, assim, um voo para trono da tabela classificativa, aproveitando a derrota da então líder, União Desportiva do Songo, sábado, em Quelimane, diante do 1.º de Maio local. É a perseguição ao título prometido por Nélson Santos, no início da presente temporada futebolística.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.