quarta-feira, 7 de junho de 2017

Atacante de casino em Manila era um jogador com dívidas


Ataque foi reivindicado pelo Daesh, mas a polícia sempre negou essa versão.
A polícia divulgou a identidade do homem durante uma conferência de imprensa
Foto
A polícia divulgou a identidade do homem durante uma conferência de imprensa ROMEO RANOCO/REUTERS
O homem que atacou um complexo turístico com casino em Manila, causando a morte de 37 pessoas, era um jogador altamente endividado, avançou a polícia filipina.
O chefe da polícia de Manila, Oscar Albayalde, disse que a família do homem confirmou a sua identidade: Jessie Carlos, de 43 anos, casado, com três filhos e antigo funcionário das Finanças.
As revelações confirmam que “este não foi um acto de terrorismo”, disse Albayalde numa conferência de imprensa. “Este incidente está confinado aos actos de um só homem como sempre dissemos”, sublinhou. As autoridades negaram repetidamente que se tratasse de um caso de terrorismo, apesar de o ataque ao Resorts World Manila ter sido reivindicado pelo Daesh.
Albayalde disse que o homem tinha vendido os seus pertences para suportar os seus hábitos de jogo, incluindo um veículo. A sua família estava tão preocupada que tinha pedido aos casinos na capital filipina para o banir.
Jessie Carlos pegou fogo a uma sala do casino e roubou fichas de jogo. Pelo menos 37 pessoas morreram, a maioria por inalação de fumo. O homem fugiu depois para um hotel adjacente, onde a polícia diz que se suicidou.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.