segunda-feira, 12 de junho de 2017

Porto Rico quer ser o 51.º estado dos EUA


Referendo dá vitória aos defensores de uma alteração do estatuto do território.
Reuters/ALVIN BAEZ
Foto
REUTERS/ALVIN BAEZ
O governador de Porto Rico anunciou nesta segunda-feira a vitória dos que, num referendo no domingo, defenderam que o território se torne no 51.º estado norte-americano, em plena crise económica que está a provocar um êxodo de cidadãos para o território continental. 
Segundo resultados preliminares, cerca de que meio milhão de cidadãos (97% dos votantes) escolheu que o território se torne num estado norte-americano, 7.600 votos foram a favor da independência e 6.700 para que se mantenha a situação actual (de estado associado aos Estados Unidos).
A participação eleitoral foi de apenas 23% dos 2,2 milhões de cidadãos, o que levou alguns partidos que apelaram ao boicote à votação a defenderem que a consulta não tem valor.
A última palavra sobre o assunto cabe agora ao Congresso do EUA, que decidirá se haverá alguma mudança no estatuto político do país.
O governador da antiga colónia espanhola que se tornou território associado dos EUA no final do século XIX, Ricardo Rosselo, promete tudo fazer para que Porto Rico seja o 51.º estado norte-americano, anunciando que vai ser criada uma comissão para validar o resultado da eleição.
“Em qualquer democracia, a vontade expressa da maioria que participa nos processos eleitorais sempre prevalece”, disse Rossello. “Seria altamente contraditório para Washington exigir a democracia noutras partes do mundo e não responder ao legítimo direito à autodeterminação que se exerceu hoje no território americano de Porto Rico".
O referendo coincidiu com o 100.º aniversário em que Estados Unidos concederam a cidadania aos porto-riquenhos. Contudo, e enquanto membros de um estado associado, estes cidadãos estão impedidos de votar nas eleições presidenciais dos EUA e têm apenas um representante no Congresso em Washington, com poderes de voto limitados.
O governador entende que o estatuto político do território contribuiu para que nos últimos dez anos cerca de meio milhão de porto-riquenhos se tenha deslocado para os Estados Unidos, e que esse estatuto é o principal responsável pela grave crise económica que o país vive. Rosselo lembra os elevados empréstimos que Porto Rico foi obrigado a contrair e a perda de incentivos fiscais determinados pelos EUA.
Actualmente, 46% de habitantes de Porto Rico vivem na pobreza. A ilha enfrenta uma dívida de mais de 70 mil milhões de dólares que não consegue pagar.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.