quarta-feira, 7 de junho de 2017

Ex-lutador americano de MMA condenado a prisão perpétua por violência doméstica


Jonathan Paul Koppenhaver cumprirá pena pelos crimes de agressão, rapto e abuso sexual contra a sua ex-namorada, Christy Mack.
Jonathan Paul Koppenhaver, em 2014
Foto
Jonathan Paul Koppenhaver, em 2014REUTERS/HANDOUT
Jonathan Paul Koppenhaver, antigo lutador de MMA – artes marciais mistas – foi condenado a uma pena de prisão perpétua pelos crimes de agressão, rapto e abuso sexual contra a sua ex-namorada, Christy Mack. Os factos ocorreram em Agosto de 2014 e, desde então, Koppenhaver tem aguardado a decisão do tribunal numa prisão do Nevada.
Conhecido como “War Machine (“máquina de guerra”, em português), o atleta terá também agredido um amigo da sua companheira, Corey Thomas, por estes manterem uma relação amorosa, escreve a BBC.
Durante o julgamento – que ocorreu esta segunda-feira num tribunal de Las Vegas – Koppenhaver mostrou-se arrependido pelas suas acções, dizendo que a ansiedade e a depressão foram a causa do seu comportamento violento. Perante o tribunal, o atleta de 35 anos garantiu: “Não há um único dia em que não me arrependa das coisas que eu fiz”. “[Por vezes] não sei porque faço algumas das coisas que faço”, disse, de acordo com o Guardian.
Christy Mack declarou à juíza Elissa Cadish, durante o julgamento, que tinha o medo do que o atleta lhe pudesse fazer, caso fosse libertado: “Quando ele sair, vai matar-me”, afirmou Christy, também citada pelo jornal britânico. A possibilidade de liberdade condicional só será discutida depois de Koppenhaver cumprir 36 anos na prisão.
Christy Mack sofreu fracturas no nariz, em várias costelas, ficou ferida num dos olhos e com o fígado lacerado.
Já em Março deste ano, Christy escreveu no Twitter que os avanços na investigação eram uma "vitória" para si e para todas as vítimas de violência doméstica, encorajando todas as vítimas a reportarem casos de violência. 
De acordo com Jay Leiderman, advogado de Koppenhaver, o atleta tentou enforcar-se na prisão em Janeiro. Segundo o IndependentKoppenhaver afirmou: “Não existe nenhuma razão para que eu não esteja deitado ao lado de Aaron Hernandez”. Aaron era um jogador de futebol americano que se suicidou na prisão, onde cumpria pena por homicídio.
Today was a great victory for myself, as well as victims of DV everywhere. Please continue to speak out, and stay strong!
Ao longo da sua carreira nas artes marciais mistas, “War Machine” venceu 14 dos 19 combates em que participou

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.