sexta-feira, 14 de abril de 2017

Um conselho criticado e aberto ao Presidente Filipe Nyusi


Um conselho criticado e aberto ao Presidente Filipe Nyusi

Presidente, o teu «patrão»—o povo moçambicano—tem estado a acompanhar as visitas que tens feitos aos ministérios que compõem o Executivo que foste contratado para formar e dirigir os negócios deste povo.

Claramente, a avaliar pela tuas reacções, nessas visitas tens estado a constatar que o aparelho do Estado moçambicano está cheio de pessoas viciadas de «deixar andar» enquanto enriquecem ilicitamente a olhos vistos. Quase todos os negócios do Estado são feitos de forma fraudulenta para facilitar o saque. Quem ganha os concursos são empresas fantasmas que depois subcontratam quem devia ganhar o concurso em primeira mão. Uma grande batota! Vai dai que as obras executadas a favor do Estado nunca são de qualidade, ou são abandonadas inacabadas, sem consequências para ninguém.
No fim, é o povo que é mal servido e as reclamações—legítimas!—não param. Os malandros saqueiam impávidos—porque impunes!—os cofres do Estado. O país não avança porque o dinheiro assim sacado não é investido na criação de postos de emprego e na geração de renda para os moçambicanos. O que se faz com esse dinheiro tem sido investir no estrangeiro ou açambarcar recursos naturais (terra, florestas, gemas, minerais, hidrocarbonetos, pescado, etc.) em "joint ventures" mal negociados com "investidores" estrangeiros que acabam tirando melhor proveito do que nós próprios (moçambicanos).
Presidente, eu sei que mudar mudar custa, porque encerra muitas incertezas. Mas é preciso mudar! Temos que mudar, Presidente! Tudo muda neste mundo. Não devemos nem podemos ter medo de mudança, porque a mudança vai ocorrer de qualquer jeito! Para que a mudança não ocorra de qualquer maneira, nós temos pensar, planear e fazer as mudanças que se impõem. Protelar mudanças necessárias no momento oportuno, e ficar a reclamar por aquilo já se sabe que anda mal faz muito tempo, configura má gestão. Quando a mudança se impõe, temos que mudar.Gestão é isso: estar em cima dos acontecimentos e fazer mudanças onde ou quando se mostra necessário.
Cogito que o XI Congresso (da Frelimo) pode ser uma razão para que proteles mudanças. Entendo que é preciso construir alianças fortes para assegurares um possível segundo mandato, para poderes ter tempo suficiente de fazer obras de que te possas orgulhar. É legítimo. Qualquer um de nós quer fazer obras de que se possa orgulhar. Porém, protelar mudanças pode ser uma má estratégia de construir novas e melhores alianças para qualquer propósito. Tenho comigo que é fazendo mudanças quando estas se impõem que se constroem novas e melhores—e se fortalecem as velas—alianças.
Presidente, eu peço-te para parares de "reclamar" publicamente ante o que está andar como não devia, porque isso configura populismo. Samora Machel já fazia isso e não conseguiu operar nenhuma mudança positiva. As coisas só foram ficando cada vez piores até onde estamos—nesta "podridão"! Hoje tu és o legítimo "soberano" por eleição do «patrão». Tens, pois, legitimidade para fazer as mudanças que se impõem para assegurar um melhor desempenho possível do Executivo que diriges. O teu «patrão» só quer melhores resultados. Muda, Presidente, muda sem vacilar ou serás tu sozinho o penalizado pelo teu «patrão»! Não deixa que a campanha de alguma ala interna da Frelimo contra ti, rumo ao XI Congresso, te amordaça. Muda o que não estiver a produzir os resultados esperados pelo teu «patrão»—o povo moçambicano! Muda mesmo, Presidente!
Respeitosamente,
Julião João Cumbane
Mostrar mais reações
30 comentários
Comentários
Heleno Bombe Clap clap clap sim senhor professor lindo texto
Gosto123 h
Manuel Moises Americo Meu camarada Julião João Cumbane, uma coisa é certa, enquanto os gestores da coisa pública continuarem sendo nomeados apenas pela confiança étnica e política, renegando a competência, as capacidades técnicas e profissionais. Meu irmão, o desejo do Presidente não terá pernas para correr, porque andar já não dá.
Gosto622 h
Lenine Daniel Sempre que o professor escreve dou um salto para ler...nalgumas vezes fico decepcionado ( talvez por querer que o Professor escreva o que me deixa feliz...) outras vezes como esta e tantas outras fico feliz por ler. Este é um daqueles posts que adoro ler, ele coloca o dedo na ferida e aponta caminhos para as soluções ( podem ser discutíveis). Obrigado professor pelo post diz muito sobre os problemas que o país atravessa. O que me deixa triste neste País é perceber que a Frelimo tem tudo para dar certo, para fazer melhor e por teimosia e nalgum momento desrespeito aos cidadãos nos coloca em situações complicadas e que podem ser evitadas. Enfim, que este texto seja lido por ele e por todos outros com poder de influência e que são de bem.
Feliz Páscoa para si e família!!!!
Gosto1222 hEditado
Manuel Moises Americo Temos tudo sim. Apenas um bando de indisciplinados é que estão a manchar o bom esforço da maioria.
Gosto222 h
Luís Loforte Pois é, quando somos nós a dizer, ui, chumbo e cadafalso em cima!
Gosto222 h
Julião João Cumbane É política, Luís Loforte! Tu farias o quê, no meu lugar? Duvido muito que viesses ao meu encontro para me aplaudires. Se não farias isso! Por que não fazes isso e preferes abonos?...
Gosto122 h
Luís Loforte Política "nha parte", é que os "anti" falam destes problemas há mais de 25 anos, e na maior parte das vezes escondidos, com medo de represálias de toda a espécie. E tiveram-nas, episodicamente. Nos CFM, nas LAM, ou nos TPM, para apenas ficarmos nestes organismos, nada andará porque o seu desenvolvimento é a duas velocidades: primeira para mim, segunda para o Estado. E para agravar a situação, sendo eu a dirigir esse sector do Estado, ora como empresário do sector, quando não sou, em simultâneo, seu conselheiro. E já nem escondemos. Só em Moçambique! E para não dizer que prefiro os "abonos", fica esta minha preferência: já não tem graça o PR propor o que quer que seja, é até cansativo escutá-lo; ele deve, pura e simplesmente, agir, ou seja, fazer tudo quanto pensa que é melhor para os sectores. E nós, deste lado, iremos aplaudir. Aqui mesmo neste espaço, e o Cumbane estará certamente lembrado, alguém disse que as "pessoas falam do que não sabem", sobre as LAM. Ora, o PR, ontem, disse exactamente aquilo que as "pessoas não sabem". Se calhar, também ele não...sabe! Na verdade, um grande empecilho do PR são as nojentas bajulações a que tem sido alvo, e muitas vezes vindas de pessoas aparentemente esclarecidas.
Gosto321 hEditado
Julião João Cumbane Já me "apanhaste" a bajular alguém, Luís Loforte?! Eu não concordo com crítica cega ou carregada de preconceitos. Tal crítica só atiça a indiferença dos visados. A crítica tem que atrair positivamente a atenção das que na gestão dos processos. A crítica tem ser um "evangelho" pregado aos que fazem mal ou não fazem o deviam/devem fazer...!
Gosto321 h
Luís Loforte Julião João Cumbane Porventura viste no meu text a indicação de que é JC o bajulador? Relê, por favor!
Gosto21 h
Julião João Cumbane Fiz-te uma pergunta, Luís, sem qualquer insinuação!...
Gosto21 h
Julião João Cumbane Fiz-te uma pergunta, Luís, sem qualquer insinuação!...
Gosto21 h
Luís Loforte Cumbane, eu não tenho por hábito insinuar, o mesmo que dizer, atacar as pessoas pelas costas. Quando não aponto alguém em concreto, generalizo na esperança de os visados se reverem na crítica: "Na verdade, um grande empecilho do PR são as nojentas bajulações a que tem sido alvo, e muitas vezes vindas de pessoas aparentemente esclarecidas." Onde está o dedo apontado ao Julião, aqui?
Gosto420 h
Titos Cau Tenho esperanca que o Presidente oica e considere este conselho Prof. Ja Basta! E que haja rapido, senao caira na desgraca de Obama. Este priorizou as aliancas para garantir um segundo mandato ao inves de agir. Quando tentou imprimir nova dinamica ja era tarde. Tomara que Nyusi ganhe coragem e execute as mudancas necessarias.
Gosto222 h
Munir Vali Agora sim ... bem falado.
Gosto222 h
Julião João Cumbane Quando é que foi «mal falado» por mim? Anotar que não pretendo dizer que faço tudo sempre bem. Mas este comentário teu, Munir Vali, é despropositado.
Gosto21 hEditado
Homer Wolf 90% das x...
Gosto20 h
Julião João Cumbane Descansa, Homer Wolf! A tua opinião anda sempre contaminada de frustração. Tenho muito cuidado para tomar como sérias as tuas intervenções...
Gosto120 h
Homer Wolf eh eh eh... estou a aqui a elogiá-lo Profe, em troca olha só o que recebo
Gosto220 h
Tomo Valeriano Veio a calhar esta missiva e enquadrada na semana de Páscoa não poderia ser melhor. Parabéns ao escriba por partilhar e feliz pascoa.
Gosto122 hEditado
Ricardino Jorge Ricardo Era BOM que todas semanas se celebrasse a Páscoa e os post's do Professor coincidissem nas 6ª feira Santa.
Gosto19 h
Estevao Simoes PARABENS PROF DR
Gosto21 h
Cristovao Pale 👏👏👏👏👏 força dr é dessas mentes que precisa se aproveitar, clareza e objetividade
Gosto21 h
Idrisse Mataca Wow! Falou e diss, Espero que esta mensagem cheguem ao presidente da Republica
Gosto21 h
Elcidio Muchave Prof. Vamos deixar o presidente trabalhar, creio que esteja á fazer levantamento de aspectos negativos nos Ministério e provavelmente com um prazo para a regularização das anomalias detectadas.

Não basta expulsar os treinadores pelos péssimos resultados, temos que nos inteirar dos problemas... Já vimos muitos á serem exonerados sem o seu patronato conhecer os motivos. Ex: Ivo Garrido no olhar da maioria estava a fazer um bom trabalho,entretando foi exonerado, Aires Aly, Luísa Diogo idem..

No momento certo o nosso Presidente vai fazer as suas substituições e saberemos as razões.
Gosto21 h
Homer Wolf Qual é garantia de que tal irá acontecer?
Gosto20 hEditado
Julião João Cumbane Ninguém aqui está a "prender" o Presidente Filipe Nyusi para não trabalhar. Ele está a trabalhar sim, e o trabalho que está a realizar é visível e positivo. Mas o «patrão» dele (o povo) está à espera de MELHORES resultados faz muito. A paciência esgota-se! É preciso agir mais habilmente, sem repetir os erros do passado. Os erros que o Presidente Filipe Nyusi está a detectar não são novos; ele próprio os conhece faz tempo. Era suposto que por esta altura já soubesse o que fazer para os corrigir efectivamente. Ele já está a cumprir o terceiro ano do seu mandato. Este não é tempo de ele ainda estar a fazer "diagnósticos", mas sim de agir enérgica e acertadamente na correcção dos erros crónicos que emperram o desenvolvimento real de Moçambique. Este é o sentido do meu "conselho", compatriota Elcidio Muchave. Basta de lamentações e diagnósticos intermináveis, não seguidos por acções correctivas efectivas!
Gosto520 h
Titos Cau Elcidio Muchave para mim nao se trata apenas de substituir os elementos da equipa. O Prof menciou o cancro dos concursos publicos. O que custa dar energia aos conselhos de combate a corrupcao para averiguar e agir em conformidade. Os casos sao gritantes e nao seria preciso muito esforco para descobrir os podres e mostrar que "os tempos agora sao outros!".
Gosto320 h
Paulo Adriano Macamo Apoiado professor!
Gosto20 h
Homer Wolf Vou guardar este post num folder especial... Vai-me ser de grande valia no futuro (até mesmo para responder a algumas "daquelas" intervenções do Profe)
Claps...
Gosto120 hEditado
Titos Cau kkkkk... estaremos sempre atentos.
Gosto20 h
Zito Joao Gusmao Apoiado nota 1000
Gosto120 h
Homer Wolf Jah Yahwah Matavele e Djone Lenon, vinde aprender como se faz uma crítíca de forma elegante...
Gosto220 h
Lenon Arnaldo Parece-me uma reflexão bem conseguida e equilibrada, em que qualquer pessoas de boa fé, e sem clubites ou complexos de qualquer natureza se revê nela. 

Ainda bem que muitos, incluindo os críticos do poder político do dia, apoiam a reflexão do professor. Isso, reforça a ideia de que: a oposição política neste Moçambique está no interior do próprio partido Frelimo; Que a Frelimo é a escola viva da democracia e da liberdade de expressão - a prova é o presente post

Parabéns prof.
Gosto320 h

Homer Wolf eh eh eh... "qualquer pessoa de boa fé" né?!...
Pena que a boa fé não se revele todos os dias em determinadas pessoas. Só quando se "agastam" ou tem interesses obscuros...
Entretanto, fica a lição Djone Lenon: a malta náo "agrama" daquelas vossas escovices, ntsém
Gosto19 h
Zito Tomas Hehehe... a oposição está na Frelimo?! Ou quando vêm de fora é conotado como detrator?
Gosto119 h
Sharon Johnson Prof está e p mim a prenda do natal,mas o certo seria n me mostre o teu papel(certificado), mostre me o k sabes fazer,logo as pessoas tem k ser pagas por akilo k sabem fazer e n pelo certificado k ostentam.....
Gosto20 h
Natal;foi propositado prk o ano ainda é longo e até lá gostaria k o prof me surpreende se pela positiva como o fez agora,sem surpresas desagradáveis k se confundem c o escovismo,,halala halala.....
Gosto20 h
Amelia Jasse O triste é que o presidente não lê e quem o faz por ele de certeza que omite certos factos . O nosso país parece uma machamba onde o produtor ou camponês depois de uma lavoura ao olhar para trás descobre que não fez nada. E também do que adianta ser um pai chato ,conselheiro crítico enquanto os seus filhos são os piores rebeldes,eish a muito que mudar desde casa ,seus bastidores e em especial o seu governo. Não queremos um governo perfeito mas melhor para que um dia possamos dizer ,demorou mas chegou
Gosto220 h
Julião João Cumbane Não estarás a ser muito presunçosa, Amelia Jasse? Tens certeza que o Presidente Filipe Nyusi não lê?! Ou que quem lê por ele, se for o caso, não lhe transmite tudo o que encontra?!... E esse assunto de filhos que trazes aqui, vives lá no Palácio da Ponta Vermelha?!... Serena-te!
Gosto120 h
Gosto120 h
Raúl Nhagumbe Devo concordar incondicional consigo
Gosto20 h
Manuel Domingos J. Cossa Professor, se aspiras a an mudanças, não será com este presidente e nem com este partido. Mude primeiro o professor,mudemos nós e aí sim, tudo vai mudar para melhor
Gosto18 h
Hermes Sueia Não se trata de mudar, caro Manuel......trata-se de decidir........tomar decisões e parar de lamentações.....A Bíblia Sagrada tem um livro......As Lamentações de Jeremias.
Gosto13 h
Carlos Paruque Parabens Prof. A preocupacao do presidente e bastante contangiante, esta claro que o problema nao e dele muito menos da frelimo mas sim do xadrez montado e revela-se bastante inoperacional....o presidente convida toda gente a por fato macaco - espero ter sido entendido a partir de mim. Obrigado Prof
Gosto17 h
Álvaro Xerinda Não sei se existe crítica interna no partido e no governo. É hora de mudanças radicais que possam imprimir o desenvolvimento. Não sei se alguns governantes foram nomeados para servirem. Outro grande calcanhar é a IMPUNIDADE CÚMPLICE.
Gosto16 h
Amilcar Victor Victor Os meus parabens.bem falado
Gosto15 h
Aloysious Tmt 👌👌👌
Gosto14 h
Hermes Sueia É hora de agir................decidir errado é sempre melhor do que nada decidir........
Gosto113 h
Julião João Cumbane Isso mesmo, Hermes! Só erra quem faz algo. Errar é natural. A própria Natureza de que somos filhos não é perfeita. Ter medo de errar é característica de maus gestores! São esses maus gestores que passam a vida a falar bonito, justificando a sua incúria. O Presidente Filipe Nyusi não deve compactuar com isso, se quiser operar alguma mudança positiva no modelo de gestão do Estado que nos faz o que somos: um país pobre com quase tudo o que precisa para se tornar rico!
Gosto111 h
Lavina Mambonhe Desculpe professor! Mas o nosso presidente não demonstra vontade em querer estacar a febre em que estamos mergulhados. Professor! Precisamos de homens comprometidos com fins pelo qual o estado.
Gosto12 h
Júlio Massango Entendo que seja necessário mudar mas o assunto é que maior parte das constatações feitas são resultado da anterior gestão danosa do país e para casos actuais, dirigentes há que, com toda boa vontade nada podem fazer porque não há fundos, fundos esses encalhados em empresas de rendimento precário e fantasmagórico. O próprio empregado do povo poderá vir a ter uma avaliação irreal, distante do que ele é capaz porque luta em fazer remendos por falta de dinheiro. O que se passa com a educação não é problema da ministra, as obras que desabam foram negociadas e feitas em anterior mandato, o cancro de transportes , se bem que mereça intervenção não vejo no ministro uma figura incapaz. Portanto, quanto a mim, neste governo, mudanças sim, cientes de que sem ovos não se faz omeletes.
Gosto11 h
Otilio Mangave O PR disse que nem sempre é preciso mudar o treinador quando as coisas não andam, as vezes tem que mudar alguns jogadores. Lendo bem o post do professor talvez é chegado a hora de mudar a equipa toda junto com o nome da equipa e quiçá de campos, se tivermos em conta que estão desde 1975 a jogar e não marcam golos. Treinadores e jogadores é o que já se mudou demais e nada. Hoje talvez porque o XI congresso se avizinha vem com esse todo gás. Quem lá sabe se o próximo seleccionador levará essas preocupações em conta. Nós o povo patrão já estamos fartos desses discursos baratos, se for para mudar muda não precisa ensaiar que gente formada com vontade de trabalhar e honesta acima de tudo esse país tem de sobra. Esse Ministério dos Transportes e Comunicações é uma autêntica vergonha para não citar outros.
Gosto10 h
José Luís Pois é a parte negativa das visitas é ele (que tem o martelo & o leme) reclamar ao invés de tomar medida...deixa transparecer que fora enviado por alguém e este alguém é que tomará medidas. É preciso ser cirurgico para erradicar o cancro que está desimar a Administração pública.
Gosto1 h
Jorge Cumbane Bem falado ser chefe não é um profissão por isso nenhum dirigentes não deve ficar mais de cinco anos no posto da Direção de um Ministério porque considera dono de tudo assim vira ladrão dos bens ou fundos do Estado.

3 comentários:

Evaristo Machava disse...

O professor Julião, tem uma analise profunda das coisas que estão acontecer na frelimo, isso é muito bom.No entanto, fiquei muito preocupado com a informação que o professor trás ao publico, que indica que há uma campanha na ala da frelimo contra o Nyussi. Que finalidade tem essa campanha? É para destituir o Nyussi para nao concorrer as eleições gerais, e nomear o Armando guebuza como S.G da frelimo e ele ser candidato da frelimo em 2019? Assim ficou a minha dúvida professor!

Vicente Nguiliche disse...

Não estamos perante um outro Regendra de Sousa, procurando espaço na mesa de grandes manjares? A dívida vendível ainda não foi vendida, não se sabe se por falta de mercado ou os preços são tão baixos que o negocio já não é mais rentável. Depois de fazer referência que tinha frequentado as mesmas escolas que os tipos do F
MI, como isso fosse o cerne da questão, agora só fala de batara-doce e tseke?

Vicente Nguiliche disse...

Não estamos perante um outro Regendra de Sousa, procurando espaço na mesa de grandes manjares? A dívida vendível ainda não foi vendida, não se sabe se por falta de mercado ou os preços são tão baixos que o negocio já não é mais rentável. Depois de fazer referência que tinha frequentado as mesmas escolas que os tipos do F
MI, como isso fosse o cerne da questão, agora só fala de batara-doce e tseke?

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.