quarta-feira, 3 de maio de 2017

Discurso do Candidato Agostinho Vuma,

Discurso do Candidato Agostinho Vuma, por ocasião de apresentação do manifesto, composição da lista e encerramento da campanha à presidência da Confederação das Associações Económicas de Moçambique (CTA). Maputo, 02 de Maio de 2017, Hotel Polana.
I. Saudações e Exortação Inicial
Caros amigos,
Boa noite Caros Líderes Associativos!
Boa noite estimados Colegas Empresários e Empresarias; Caros Convidados, minhas senhoras e meus senhores;

Quero, antes de mais, agradecer a presença de todos vocês, nesta cerimónia singela de fecho da nossa campanha eleitoral.
Quero agradecer, de forma especial, os colegas que, vem das diferentes províncias do nosso país, por terem deixado muito do que tem a fazer para atenderem a este convite e honrarem-nos com a sua presença neste ato de encerramento, como na respectiva Assembleia geral, muito obrigado. (apresentar)
Muito obrigado pela vossa presença, amiga e generosa, pela vossa energia, pelo entusiasmo e apoio que desde a fase inicial da apresentação da minha candidatura disponibilizaram, mostrando que podemos juntos abraçar esta convicção de que juntos, SOMOS UM, pela melhoria do ambiente de negócios.
A nossa candidatura assumiu o lema "Pela Melhoria do Ambiente de Negócios, Somos Um" esta escolha, caros membros da CTA não surge por acaso, pretende refletir a importância de todos e de cada um de vós na melhoria do ambiente de negócios todos somos poucos para lograr tal desiderato.
Estou aqui diante de vós porque sinto que vale a pena ter ideias, projectos e motivações para lutar por uma Confederação mais solidária e para satisfazer as necessidades dos associados que são a razão de ser da CTA.
Caros companheiros,
Como é do vosso conhecimento, a Comissão eleitoral da CTA homologou, há dias, a minha candidatura à Presidência da CTA, a nossa Confederação de Associações Económicas.

Minhas Senhoras e meus Senhores,
II. Perfil do Candidato

Sou um produto de Tangará, a Residência nº 6 dos estudantes da Universidade Eduardo Mondlane. Foi lá onde despontou o espírito empreendedor e desenvolveu-se a minha primeira iniciativa empresarial, construindo os meus “grandes sonhos” em desenhos de pequenos projectos de engenharia e na fiscalização de obras, daí resultando a minha primeira empresa de construção civil.
Desde cedo que não consigo deixar de participar na vida da minha terra, nunca deixando dúvidas quanto à minha forma de estar. Honrarias, nunca as tive, nem as procurei, tendo-me bastado até agora ter tentado ajudar a construir um melhor ambiente de negócios, numa terra melhor.
Hoje, aos 41 anos de idade, trago na bagagem a experiência de 16 anos como empresário, 12 anos no associativismo e federalismo empresarial.
Sou patriota e com particular sensibilidade social e humanística. Tenho orgulho de ser moçambicano e, trago bem enraizadas em mim as marcas de uma convivência profunda no seio do empresariado nacional.
Abraço este desafio por ter a consciência de que esta é a altura para por em prática todo um conjunto de valores que defendo para uma CTA mais unida e que assuma o papel de promotor do desenvolvimento económico nacional.
Responsabilização, transparência, ambição, exigência, independência e dedicação ao interesse colectivo da CTA é o conjunto de valores que sempre nortearam a minha ação enquanto Vice Presidente da organização.
O meu espírito de filiação e pertença à CTA não é produto de mero acaso. O meu espírito de filiação e pertença à CTA está alicerçado na motivação, sentido de missão e espírito de entreajuda que me impeliram a prestar meu contributo para a defesa dos interesses do então incipiente sector privado nacional.
É este meu espírito de filiação e pertença que me move para a realização de um sonho que hoje já começou a produzir frutos: um sector privado gerador de rendimentos e riqueza; um sector privado gerador de empregos e participante ativo no crescimento económico do País, que em parte, dei o meu contributo na ação associativa de que me orgulho de ser parte ativa.
Sou percursor e Presidente da FME – Federação Moçambicana de Empreiteiros – e tenho vindo a dar o meu contributo para a dinâmica do crescimento desta agremiação, consolidando a ação dos seus filiados.
Nesta capacidade, a minha liderança tem sido reconhecida pela indicação a cargos de confiança na gestão das Empresas e Organismos Públicos do Estado, designadamente, como Administrador da ANE – Administração Nacional de Estradas; Vice Presidente da CIMLOP; Administrador do GAPI SARL e membro da Direção do PLAMA, onde emprestei o meu cunho empresarial, procurando imprimir a dinâmica que a nossa economia exige dos fornecedores de bens e serviços públicos à sociedade.
Tenho igualmente advogado pela criação de condições favoráveis à melhoria do ambiente de negócios, para o desenvolvimento do sector privado e para a consolidação do próprio movimento associativo, tornando-o forte, inclusivo, socialmente responsável e capaz de influenciar as reformas económicas para a emergência de um tecido empresarial robusto.
Distintos membros do Empresariado Moçambicano,
É de um Presidente que venha verdadeiramente de dentro do seio dos associados e que tenha uma visão bem clara do rumo que a CTA deve seguir para alcançar a tão almejada melhoria do ambiente de negócios em Moçambique que a nossa CTA precisa.
Apesar da minha qualidade de político, sou contra o sufoco político-partidário da vida empresarial. Tenho a visão de que a luta travada pela CTA pela melhoria do ambiente de negócios em Moçambique deve ser perseguida sem recurso a demagogias, sem populismos. A acção dos associados deve merecer primazia acima de quaisquer interesses ou filiação política.
Não peço, nem pedirei nenhum apoio que não o dos associados da CTA. Quero que o meu apoio venha daqueles que verdadeiramente se identificam com o meu projecto de sermos UM pela melhoria do ambiente de negócios em Moçambique.
A minha candidatura é, também, a candidatura de todos aqueles que acreditam que a CTA pode e deve jogar continuamente um papel relevante de unificação do sector privado moçambicano em torno dos mesmos ideais. É uma candidatura neutral, uma candidatura empenhada, que diz respeito a todos aqueles para quem o destino do empresariado moçambicano não é indiferente, e que acreditam que as mudanças indispensáveis podem, ainda, ser feitas dentro do quadro institucional em torno do qual nos unimos.
III. Motivação e Pilares da Candidatura
Ilustres,
O nosso Manifesto é realista. Não vamos prometer o céu, mas apenas aquilo que realisticamente é possível realizar com os recursos financeiros e a disponibilidade humana de que dispomos. Não prometo o inatingível e tenho motivos para considerar que sou o candidato com melhores condições para vencer as eleições para a Presidência da CTA.
Em primeiro lugar, porque o desenvolvimento da causa da CTA exige disponibilidade e cometimento para ouvir, mas também porque o meu projecto de liderança da CTA, resulta em primeira instancia da vossa recomendação e do meu desejo em conduzir as transformações que hoje urge introduzir na nossa prestigiada organização que se prendem com a descentralização de poderes para as províncias (CEP’s e CED’s).
Em segundo lugar, após seis anos de exercício como Vice-Presidente, estou certo de que conheço melhor a realidade da CTA, estando numa situação privilegiada para continuar a servir o interesse dos associados e para pugnar por trazer a todos e a cada um dos filiados para sermos UM, pela melhoria do ambiente de negócios.
Eu, Agostinho Vuma, conhecendo a dinâmica que se espera de um Presidente na CTA, trago um programa que constitui um compromisso moral intransigente, com o qual me comprometo e pelo qual responderei sempre perante os associados à CTA.
Não irei usurpar nenhum poder que compete às Federações, Associações, Câmaras de Comércio, Empresas e Conselhos Empresariais Provinciais, mas não prescindirei de exercer nenhum dos que me competem.
Se for eleito Presidente, como espero, embora limitado aos poderes que os Estatutos me conferem, prestarei contas a todos os associados sempre que necessário.
Minhas Senhoras e meus Senhores,
À luz desta minha visão do mandato presidencial da CTA, proponho-me trabalhar para o alcance de 4 objectivos fundamentais.
1. No quadro da consolidação do diálogo público-privado, irei privilegiar a capacitação das Associações e dos CEP’s através de programas específicos, educando os seus líderes para o efeito e prepará-los para o “good governance”, através da prestação de contas, eleições periódicas, transparência nos seus actos administrativos, entre outros.
Para o efeito, vamos trabalhar no diálogo Público Privado baseado em resultados, capacitando, sobretudo as Associações, as Federações Sectoriais, as Câmaras e Cooperativas, cada um a seu nível liderar o processo de melhoria do ambiente de Negócios, e por isso desafiamos o Governo a fazer a sua parte para que de facto as agências internacionais recomendem a realização de negócios em Moçambique através de melhoria de posição no "Doing Business ".
2. No quadro do Reforço da capacidade institucional da CTA, predispomo-nos a desenvolver as seguintes ações:
• Promover o desenvolvimento institucional baseado no processo de descentralização de responsabilidades para as províncias e na melhoria do diálogo público privado;
• Liderar reformas institucionais, trazendo os CEP’s a uma activa participação no processo decisório da CTA nacional, visando, deste modo, uma maior inclusão e alargamento da base de legitimidade das decisões dos órgãos centrais da CTA;
• Profissionalizar os Pelouros da CTA, visando conferir as bases necessárias para a sua actuação com maior produtividade, eficiência e eficácia;
• Promover as boas práticas, transparência e ética nos negócios, institucionalizando um sistema independente de certificação das Associações, Câmaras e Empresas, promovendo, assim, a Governação Corporativa;

3. No quadro do Serviço de apoio Empresarial, embora sem exclusão de nenhum sector de actividades, prestaremos maior atenção para a Agricultura e o Agronegócio, incentivando a emergência de Agricultores Comerciais, aumento de emprego e contribuição para o tesouro nacional, através do pagamento dos impostos devidos ao Estado.
• Promoveremos a moçambicanização da economia, assente na disponibilidade de fatores de produção necessários para autonomizar a ação produtiva e o desenvolvimento rural, incentivando maiores investimentos dos agentes económicos de uma forma geral.
• As nossa ações estarão direcionadas para a conquista de uma agricultura que possa responder à demanda de consumo interno e exportação da matéria-prima e produtos derivadas.
4. As parcerias público-privadas são uma plataforma de alavancar e providenciar recursos financeiros para grandes empreendimentos económicos.
Assim, esta fonte de recursos será largamente utilizada pelo elenco diretivo do candidato para financiar investimentos de estrutura.
Outras ações para o reforço das PPP consistirão na:
a. Divulgação dos benefícios da exploração de oportunidades de negócios, que podem trazer o empoderamento aos empresários nacionais;
b. Fusão dos diferentes fundos, quer nacionais quer de parceiros internacionais de forma a dinamizar a economia e fortificar os empresários (Fundo de Pesca, Fundo Industrial, Fundo dos Transportes etc.);
c. Criação de escola de formação empresarial.

IV. Exortação Final
Caras e Caros Empresários,
Este não é um optimismo inconsciente. Assumo os desafios desta candidatura com coragem e confiança no vosso apoio pessoal e colectivo para levarmos a cabo este desiderato.
Toda a minha ação na Presidência da CTA se destinará a catapultar, apoiar e incentivar todos os esforços dos atores integrados na CTA para a criação de riqueza, promoção de mais oportunidades de emprego, justiça fiscal e de condições de investimento dignas.
Estou consciente que esta será uma batalha difícil, mas não invencível. O nosso empenho colectivo nesta batalha não será nunca inútil. A luta pela melhoria do ambiente de negócios em Moçambique sempre foi e será a minha marca individual. A minha candidatura é, assim, uma questão de coerência para comigo próprio.
Mas nada terá sentido sem o vosso apoio e a vosso alento.
Contem comigo e com esta Equipa formidável que será hoje apresentada, formada por gente séria e jovem no sentido de preparar o futuro que, embora difícil, pode ser risonho desde que todos defendam os mesmos propósitos de desenvolvimento, de solidariedade, de justiça e de igualdade e da melhoria do ambiente de negócios em Moçambique.
Ilustres companheiros,
Ante os últimos acontecimentos à volta deste processo pré-eleitoral, só tenho a afirmar que eu recusei sempre o caminho fácil da infantilização. Contra a cultura do cinismo, tentei trazer a força do civismo. Contra a calúnia, contra o boato, contra a inveja, a maledicência e contra toda a tentativa de ataques à honra, ao bom nome, tentei sempre elevar princípios e valores morais, éticos, de urbanidade e civilidade, de amor e respeito pelo próximo.

E é isto que faz a diferença desta candidatura. E em toda a nossa ação futura tudo faremos em nome da concórdia e harmonia, mesmo quando formos confrontados com atitude adversa.
Juntos, fizemos desta campanha um movimento de emancipação da nossa cidadania, com a coragem das nossas ideias e com a força das nossas causas. Estamos quase lá. Já fizemos o mais difícil. Já rompemos o muro do silêncio. Já ninguém ignora a força desta candidatura. Falta muito pouco. Estamos a uma distância mínima. Agora é mobilização máxima até a nova data ser anunciada!
V. Apresentação da Lista
Sinto um profundo orgulho e igual alegria pelos elementos que escolhi para integrar a minha lista. De uma forma geral é gente nova, com grande capacidade de trabalho, séria, digna, simpática e humilde.
Tenho pois a elevada honra de convidar os senhores …, membros da minha lista de candidatura.
Como podem ver, é uma grande equipa que dá-nos garantia absoluta de sucesso, mas de sucesso com esforço e dedicação. É com eles que tenho a certeza que conseguiremos uma vitória histórica e é justo que assim seja.

Caros membros da CTA, na verdade, o primeiro passo para a materialização deste desiderato é a nossa participação no acto eleitoral, votando nesta lista encabeçada por mim Agostinho Zacarias Vuma, por isso , antes de terminar apelo para a participação de todos os membros da CTA nas eleições com nova data a ser marcada.
Agradeço a vossa presença e peço a todos que contribuam para a nossa vitória.
PELA MELHORIA DO AMBIENTE DE NEGÓCIOS, SOMOS UM!
Muito Obrigado e bom apetite!

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.