quinta-feira, 4 de maio de 2017

BANCADA DO MDM EXIGE UM INQUÉRITO INTERNO NO MINISTÉRIO DO INTERIOR PELOS INCIDENTES DO 1.º DE MAIO


Bancada Parlamentar Mdm adicionou 5 fotos novas — com Ismael C. Gocaldas e 24 outras pessoas.
12 h ·

Como bem descreve o Jornal O PAÍS ONLINE, "A luta contra a inscrição das dívidas da MAM e ProIndicus levou o MDM a estar em peso nas celebrações do Dia Internacional do Trabalhador, na Cidade de Maputo. O partido e a respectiva bancada receberam convites da Organização dos Trabalhadores Moçambicanos - Central Sindical e queriam aproveitar a efeméride para marchar contra a “legalização das dívidas criminosas”. Mas a iniciativa teve momentos de tensão, justamente quando a Polícia impediu que os membros e deputados do MDM prosseguissem com a caminhada.

Na sequência do incidente, o partido submeteu, ainda ontem, uma exposição ao ministro do Interior, na qual solicita um inquérito para se apurar a responsabilidade dos agentes que inviabilizaram a marcha. “Enviámos a carta com o conhecimento do Presidente da República, da presidente da Assembleia da República e da Procuradoria-Geral da República. Fizemos com o conhecimento da PGR, porque, nos próximos dias, vamos intentar uma acção criminal contra os agentes responsáveis por este crime, para que possam correr em simultâneo dois processos, nomeadamente, um criminal e outro disciplinar”, disse Venâncio Mondlane.

MDM seguiu instruções da OTM

O MDM diz que a confusão que se gerou, segunda-feira, se deveu à falta de comunicação e coordenação entre os organizadores da cerimónia (OTM Central Sindical) e a Polícia. “Quando chegámos, fomos convidados pela OTM-Central Sindical a não começar o desfile na esquina entre as avenidas Samora Machel e 25 de Setembro. Disseram-nos que os partidos políticos tinham uma área específica para iniciar a marcha, nomeadamente, a esquina entre as avenidas Guerra Popular e 25 de Setembro. Nós obedecemos às instruções dos organizadores e saímos da avenida Samora Machel, seguimos pela Zedequias Manganhela em direcção ao local indicado. Neste trajecto, a Polícia barra-nos a marcha, na esquina entre as avenidas Zedequias Manganhela e Filipe Samuel Magaia”, detalhou Venâncio Mondlane."



GostoMostrar mais reaçõesComentarPartilhar
26 Navalha Agnaldo Navalha, Lourenco Jose e 24 outras pessoas
42 partilhas
7 comentários
Comentários

Armindo Fernando Jr. A nossa meta é libertar moçambique das maos dos gananciosos que o levaram a derramar lagrimas com a crise... Portanto ninguem e arma nenhuma nos intimidará porque juramos libertar este povo pelo galo

GostoMostrar mais reações · Responder · 1 · 12 h

Laura Ramos respondeu · 1 resposta

Omar Luciano Macuvele ISSO É MUITO VERDADE E A VITÓRIA DO POVO IRÁ SE CONSUMAR BREVEMENTE.

GostoMostrar mais reações · Responder · 1 · 11 h

Daniel Madeira Missasse O cachorrinho ladrando no ocultismo kkk

GostoMostrar mais reações · Responder · 8 h

Enoque Livombo Livombo Bem feito..devem ser responsabilizados os agents, porque alem de serem agentes da lei e ordem..sao povo..eu nao sei oporque the fizeram Aquilo. Forca MDM opovo esta ganhando coragem

GostoMostrar mais reações · Responder · 4 h

Novo Combatente De Moz Temos que lutar contra Privatizacao do Estado.

GostoMostrar mais reações · Responder · 4 h

Feleciano Neemias Cossa Ainda é possível recuperar algumas mentes que padecem de doenças crónicas mentais, criadas pela partidarização do estado

GostoMostrar mais reações · Responder · 2 h
Omar Luciano Macuvele Aí eu secundo, primeiro libertar as mentes é prioritário do momento.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.