quinta-feira, 11 de maio de 2017

A PROPÓSITO DOS SERMÕES DO MANO JAIME


Sabes, meu caro amigo Jaime Langa: o que aqui está em causa não é propriamente a tua compaixão para com a minha pessoa, a ponto de achares que no lugar de todos os dias, a toda a hora e a todo instante eu me dedicar ao fenómeno G 40, devia estar a tratar da minha associação, de que um dia te falei, assim como estar a cuidar da minha família, do trabalho e de outras coisas úteis para a sociedade nesta minha juventude. Na minha resposta eu fui peremptório: sendo V. Excia sujeito em processo, tem o direito de manter-se calado ou qualquer coisa que disser pode ser usada contra si. De resto, não és o único que tem vindo com sermões encomendados, palavras de compaixão e até conversas de pai para filho aconselhando-me a parar de me dedicar ao fenómeno G 40. Tenho recebido até os cânticos das sereias, que chegam a embalar para deixar escapar a vontade, mas mesmo assim continuo a resistir, dado que o fenómeno G 40, que começou como um caso, transformou-se numa causa. Ensinaram-me em jornalismo que há perguntas que valem um milhão de dólares, sendo que questionar o fenómeno G 40 é uma dessas perguntas que valem um milhão de dólares. Se queres saber o que aqui me diverte, meu caro Jaime, basta dizer-te que já fui chamado para receber um milhão de meticais para abandonar o processo que agora está nas mãos do meu amigo Tomás Viera Mário, dado que carrega consigo um questionamento muito profundo sobre o nosso Estado. Portanto, caro Jaime, agradeço muito os seus sermões, mas mais do que sermões, acho que seria muito útil o seu interesse se te aproximasses do Tomás para aconselhá-lo a responder ao expediente da procuradoria. Adelino Buque já o fez, temendo ser responsabilizado pela minha morte, que pode não ser causada pelo fumo dos cigarros, mas sim pelos esquadrões da morte, que se diz serem o braço armado do G 40. Consta que o Tomás recebeu “orientações superiores” para se abster de se pronunciar sobre o caso G 40, mesmo que para isso tenha que fazer ouvidos de mercador para a procuradoria, quem lhe remeteu o processo. Orientações superiores só podem vir de quem lhe confiou a tarefa de presidir o conselho superior da comunicação social. Neste caso, Filipe Jacinto Nyusi. Numa espécie de pacto de silêncio. Não acho que esteja a desperdiçar a minha rica juventude questionando o inquestionável. Muito pelo contrário. Vivo os melhores momentos da minha vida querendo saber como foi possível 40 indivíduos tomarem de assalto a rádio e a televisão pública durante mais de dez anos como se fossem coisa privada deles, a fim de promoverem a intoxicação da opinião pública e a perseguição de inimigos jurados do poder político, incluindo a oposição e todos os discursos críticos ou alternativos ao poder político. Não me digas que enquanto director do jornal Notícias não sentiste o impacto negativo do fenómeno G 40 para uma redacção que se pretende séria. Eu mesmo senti o ambiente pesado quando fui visitar o jornal ao serviço da associação que tem promovido a lei do direito a informação nos órgãos de informação. Eis a diferença entre jornalistas e não jornalistas ou propagandistas ou comissários políticos infiltrados nas direcções dos órgãos de informação para a prossecução de objectivos inconfessáveis. Obter das entidades competentes o esclarecimento do fenómeno G 40 equivale a ter vivido muito bem a minha juventude. Não te esqueças que nós é que pagamos os impostos para fazer a máquina funcionar. Não te rales comigo, meu caro amigo Jaime. Ainda havemos de tomar muitos cafés!
GostoMostrar mais reações
Comentar
Mazoio Luis preserveranca
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
2
· 5 h
Rrg Magaia
Rrg Magaia Hehehehe ' tudo bem dito ...
GostoMostrar mais reações
· Responder · 5 h
Manuel Mucári
Manuel Mucári Lembrou-se o Sermao de Sto Antonio.[...]Vieira retoma o conceito predicável: Vos sois o sal da terra. A
corrupção é o ponto de partida, trata-se de “gente” inconvertida e
inconvertível - tao corrupta: porque a corrupção existe há que por o

sal a funcionar. Fala aos peixes, mas está a dirigir-se aos
pregadores: as pregações de “todos os Pregadores” devem ter as
duas propriedades do sal: “conservar o são e preserva-lo” louvar o
são (grifo do autor) - as qualidades - para que permaneça
frutificando, e repreender o não são (grifo do autor) - os defeitos -
para que desapareça.
GostoMostrar mais reações
· Responder · 4 h
Estacio Valoi
Estacio Valoi A luta continua!
GostoMostrar mais reações
· Responder · 4 h
Camilo Langa
GostoMostrar mais reações
· Responder · 4 h
Muchuquetane Guenjere
Muchuquetane Guenjere Grande Nenane, sempre no ponto. " o fenómeno G 40, que começou como um caso, transformou-se numa causa".
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 3 h
Manopito Pipito
Manopito Pipito He he he ..... como se diz na gíria Popular "Você é Fudido"... Força ai. A luta continua.
GostoMostrar mais reações
· Responder · 3 h · Editado
Jaime Langa
Jaime Langa Heheheh. Tudo bem. Anotado
GostoMostrar mais reações
· Responder ·
1
· 2 h
Manuel Titos Olimpio Cuinica
Manuel Titos Olimpio Cuinica Kkkkk e muitos cafés👏👏👏
GostoMostrar mais reações
· Responder · 58 min
Spirou Maltese
Spirou Maltese Mais cafés pra vcs e resolvem isso. Hehwh

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.