quarta-feira, 3 de maio de 2017

Macron para Marine Le Pen: “A França merece melhor do que isso”

PRESIDENCIAIS EM FRANÇA

Em direto/

Num debate com momentos tensos, Marine Le Pen acusou Emmanuel Macron de ser "complacente" com o terrorismo islâmico. O ex-ministro acusa-a de "mentir" e de querer "tirar a França da História".
ERIC FEFERBERG/AFP/Getty Images
Atualizações em direto
  • Macron foi "mais convincente"

    Depois de finalizado o debate entre os dois candidatos às eleições presidenciais francesas, uma sondagem da BFMTV Elabe dá conta de que foi Macron quem ganhou. Segundo a sondagem, cerca de 63% dos telespectadores interrogados defenderam que Macron foi mais convincente. Apenas 34% consideraram que o candidato com mais convicção foi Le Pen. 64% dos telespectadores defenderam que Macron apresentou o melhor projeto.
    Dois terços dos apoiantes de Jean-Luc Mélenchon, também acharam que Macron foi o candidato mais convincente. O mesmo se verifica com 58% dos apoiantes de François Fillon. Esta sondagem foi realizada com 1314 telespectadores com mais de 18 anos que assistiram ao debate desta quarta-feira.
  • Esta foi a primeira e última vez que Marine Le Pen e Emmanuel Macron se encontram, frente a frente, para debaterem os seus projetos para França. As eleições serão a 7 de maio e, antes do debate desta quarta-feira, as sondagens davam uma vitória de Emmanuel Macron com 59% dos votos, sobre os 41% de Marine Le Pen.
    Ainda é cedo para aferir o resultado deste debate, onde Marine Le Pen e Emmanuel Macron tiveram, cada um e à sua maneira, momentos fortes. A candidata da Frente Nacional conseguiu impor-se quando o tema era a segurança e o combate ao terrorismo; por outro lado Emmanuel Macron conseguiu expor fragilidades do lado da sua adversária em temas como a UE, o euro e a política externa francesa.
    Como é costume neste debates, cada um dos candidatos teve uma bengala discursiva — ou, noutros termos, uma pedra preferida para atirar ao seu adversário. No caso de Marine Le Pen, foi a associação de Emmanuel Macron a François Hollande, de quem foi primeiro assessor e depois ministro da Economia; no caso de Macron, foi associar Marine Le Pen à ideia de uma França que “sai da História” e “fechada”. “A França merece melhor do que isso”, disse recorrentemente.
  • Terminou o debate.
  • “A França merece melhor do que isso” é capaz de ser a frase mais repetida por Emmanuel Macron durante este debate. “Isso”, leia-se, é o programa de Marine Le Pen.
  • Emmanuel Macron acaba de dizer que a opção de não usar a “carta branca” (ou seja, escolher um tema para trazer ao debate) demonstra que Marine le Pen “não tem um programa para a França”.
  • E agora é a vez de Marine Le Pen escolher o tema. Mas não escolhe nenhum, fugindo ao formato do debate. Diz antes que quer apresentar uma “questão filosófica”.
    “A França que você defende não é a França (…) é a guerra de todos contra todos”, diz a Emmanuel Macron.
    Na verdade, Marine Le Pen aproveita este minuto para repetir pontos do seu programa, chavões e slogans que tem repetido desde que lançou a sua candidatura.
  • Emmanuel Macron escolhe falar de pessoas com deficiência física e mental. “Há milhares de pessoas que vivem com deficiência e que vivem sem soluções sem que [o Estado] lhes ofereça uma solução”, diz.
  • Agora, dois minutos em que os candidatos escolhem um tema. É o momento “carta branca”.
  • Acusações de parte a parte voltam ao debate

    E o tom volta a subir. Agora, Marine Le Pen toca nas suspeitas que foram levantadas em torno da declaração de rendimentos de Emmanuel Macron — entre os 11 candidatos da primeira volta, era o segundo a contar de baixo, com pouco mais de 30 mil euros, o que levantou algumas suspeitas para já infundadas. Em resposta, Emmanuel Macron falou dos “casos” de Marine Le Pen com a justiça. O mais recente diz respeito ao Parlamento Europeu, onde se suspeita que a Frente Nacional terá criado empregos fictícios para assessores.
  • Alerta: jornalistas desaparecidos (só que não)

    Um página satírica norueguesa, publicou um “alerta” de última hora no qual dava conta do desaparecimento dos moderadores do debate que têm tido alguma dificuldade em impor novos temas aos aguerridos candidatos.
  • Agora discute-se a educação — um tema necessário, pois claro, mas mais técnico e que está, neste momento, a tirar algum gás ao debate. Marine Le Pen agradece já que, depois de estar por cima no tema do terrorismo, perdeu a forma quando o tema foi a política internacional de França, incluindo as suas aspirações quanto à UE.
  • Macron, a Frente Nacional e o dinheiro russo

    E, já que o tema é Rússia, Macron não perdeu a hipótese para referir o financiamento russo da Frente Nacional, que em 2013 recebeu os primeiros empréstimos de bancos próximos do Kremlin.
  • Macron: "Vou propor ao senhor Trump que continuemos a trabalhar juntos"

    Agora fala-se do papel de França no mundo. Eis algumas citações de Emmanuel Macron sobre este dossier, onde falou dos EUA, da Rússia e da Síria
    Emmanuel Macron
    “Vamos continuar a trabalhar com os EUA, que são o nosso parceiro no Conselho de Segurança da ONU”; “Vou propor ao senhor Trump que continuemos a trabalhar juntos”.
    “Quanto ao conflito na síria (…) não seremos de maneira de nenhuma submissos aos diktats do senhor Putin”; “Sobre o tema sírio, a nossa prioridade é o combate ao jihadismo na região e querer uma negociação com todas as partes do conflito à mesa.”
  • Le Pen: "Seja como for, a França vai ser dirigida por uma mulher: ou sou eu ou é a senhora Merkel"

    Marine Le Pen diz que Emmanuel Macron está “ao lado” de Angela Merkel e depois lança-lhe esta frase: “Seja como for, a França vai ser dirigida por uma mulher: ou sou eu ou é a senhora Merkel”.
    Emmanuel Macron diz que aquilo que Marine Le Pen propõe, em alusão à retirada da UE, “é uma saída da História”. E depois diz que “a nossa verdadeira guerra é com a China”, não com a Alemanha.
  • Macron: "A França não é um país fechado"

    “A França não é um país fechado”, garante Emmanuel Macron, que diz que o plano de saída da UE de Marine Le Pen irá “baixar a competitividade” do país. “Eu sou o candidato de uma França forte dentro de uma Europa que protege.”
  • Macron queixa-se de falar menos do que Le Pen

    “Podemos ter um debate democrático?”, pede Macron, em alusão à diferença dos tempos de intervenção dos dois candidatos. Marine Le Pen já falou cerca de 45 minutos, Emmanuel Macron só agora chega aos 40.
  • Moeda comum? Franco? Macron tenta encostar Le Pen

    Marine Le Pen já falou mais 5 minutos do que Emmanuel Macron, mas o candidato do En Marche ! parece pouco preocupado com isso — pelo menos para já, uma vez que está a tentar exigir explicações a Marine Le Pen sobre o seu projeto de saída do euro. Esta claudica, fala da passagem a uma “moeda comum” e não assume o regresso ao franco.
    Depois de momentos em que Marine Le Pen parecia estar na mó de cima — sobretudo no tema do combate ao terrorismo, onde se sobrepôs a Macron, encostando-o à parede — a candidata Frente Nacional está agora menos confortável.
  • Marine Le Pen e a UE: se ganhar, haverá referendo constitucional

    Agora discute-se a Europa: um dos principais temas desta campanha. Marine Le Pen quer sair do euro e referendar a permanência da França na UE. A votação seria feita em setembro já deste ano, caso a candidata da Frente Nacional venha a vencer as eleições.
  • A segurança em discussão, apesar dos pontos em comum

    No tema da segurança, Emmanuel Macron propõe que os polícias possam aplicar diretamente multas por pequenos delitos — isto depois de Marine Le Pen criticar o sistema penal, a fiscalização das prisões domiciliárias e o sistema de justiça em geral, chegando a evocar, jocosamente, o nome da ex-ministra da Justiça de Hollande, Christiane Taubira. Marine Le Pen não desperdiçou a oportunidade para dizer “o seu Governo”, em mais uma tentativa de colar o seu adversário ao pouco popular François Hollande.
    A verdade é que, no tema da segurança, ambos candidatos defendem um reforço das autoridades, inclusive com mais contratações. Mas, verdade seja dita, Marine Le Pen é aqui mais ambiciosa, com o projeto de contratar 15 mil polícias e guardas, além de 40 mil guardas prisionais. Macron fica-se pelos 7500 polícias e 2500 guardas.
  • Macron sobre colonialismo: nem arrependimento, nem esquecimento

    Agora Macron diz que não está “nem no arrependimento, nem no esquecimento” no tema do colonialismo e diz que houve, sim, “crimes contra a humanidade”. “Temos de nos juntar todos em harmonia e não dividir o país, como você quer”, atirou a Marine Le Pen.
  • Le Pen critica declarações de Macron sobre colonialismo

    Agora Marine Le Pen pega num dos episódios mais controversos da campanha de Emmanuel Macron: a visita que o ex-ministro da Economia fez à Argélia e onde referiu que o colonialismo francês foi “um crime contra a humanidade”. Na altura, acusaram-no de apontar o dedo ao povo francês. As críticas fizeram-se ouvir desde a esquerda (de forma mais cautelosa, é certo) até à direita (onde o alarde foi significativamente maior). E a extrema-direita, claro, que agora volta a pegar nesta cartada.
    Emmanuel Macron não chegou a responder.
  • Macron: "O que você propõe é uma guerra civil"

    “O que você propõe é uma guerra civil”, diz Emmanuel Macron a Marine Le Pen, sobre as suas propostas para a luta contra o terrorismo, acusando-a de querer “julgar os franceses pela sua religião”. “Lutar contra o terrorismo não é cair na armadilha da guerra civil”, sublinhou Macron.
  • E no Twitter segue-se o debate...moins lourd

    O verdadeiro amor de Le Pen, segundo um utilizador do Twitter
  • Apoio de associações muçulmanas a Macron em causa

    Marine Le Pen tenta encurralar Emmanuel Macron pelo facto de a UOIF, confederação de associações islâmicas em França, ter apelado ao voto nele. A resposta do ex-ministro da Economia foi: “Eu não apoio a UOIF”. E garantiu que, se for Presidente, tratará de desmantelar as organizações que demonstrem sinais de radicalização, como aquelas que sigam a cartilha salafista.
  • Terrorismo. Macron responde a Le Pen com outra fórmula

    Ao invés do fecho das fronteiras e da retirada de nacionalidade aos radicalizados, defendidos por Marine Le Pen como maneira de combater o terrorismo, Emmanuel Macron tem outras propostas. Como já tem claro no seu programa, pretende reforçar a polícia, melhorar a cooperação entre serviços de informação europeus e os vários órgãos de segurança em França e criar um programa de “reeducação” de indivíduos radicalizados.
  • Macron contra fecho das fronteiras

    Emmanuel Macron: “O fecho das fronteiras não serve a ninguém, há países com fronteiras fechadas que também sofreram atentados”.
  • Marine Le Pen acusa Emmanuel Macron de estar "submisso" aos islamistas

    Marine Le Pen torna a investir contra Emmanuel Macron no tema do terrorismo islamista, referindo, como é seu hábito, o facto da UOIF (que congrega associações islâmicas em França) ter declarado o seu apoio ao candidato do En Marche!. “É preciso erradicar o fundamentalismo islamista em França e você não o fará, você está submisso a ele”, atirou-lhe a candidata da Frente Nacional.
    Emmanuel Macron escuta-a em silêncio, antes de responder que “o terrorismo e a segurança são a prioridade dos próximos anos”.
    “É preciso reforçar os meios da polícia”, garantiu.
  • Macron foca incongruência no discurso de Le Pen

    Utilizando o preço dos medicamentos Macron foca um ponto que pode influenciar a forma com os franceses veem a solidez do plano económico de Le Pen.
    Le Pen quer reduzir o preço mas Macron diz que a maioria dos medicamentos são feitos no estrangeiro e ela quer mais impostos sobre as importações
    Macron scores important point on medicines. Le Pen wants to reduce cost. He points out most are made abroad and she wants to tax imports.
  • Marine Le Pen: "Você tem uma complacência para o terrorismo islamista"

    “Você tem uma complacência para o terrorismo islamista”, Marine Le Pen atira a Emmanuel Macron.
  • Marine Le Pen acusa Macron de não prestar atenção ao combate ao terrorismo

    “A segurança e o terrorismo são problemas absolutamente maiores e que estão completamente ausentes do seu projeto”, acusa Marine Le Pen, que disse que é preciso “fechar as fronteiras imediatamente” para combater o terrorismo. Além disso, quer abolir a possibilidade de ter dupla nacionalidade. Este último ponto, tem a ver com a revogação da nacionalidade francesa a todos aqueles que estejam envolvidos em casos de radicalismo — uma questão pouco pacífica à esquerda que, tal como a Lei do Trabalho, ajudou a fraturar o Partido Socialista francês.
  • Macron vs Le Pen ou Clinton vs Trump?

    Debate já é comparado ao que opôs Trump e Clinton: “Os níveis de acrimónia, desdém e aversão mútua batem recordes”.
    The level of acrimony, disdain and mutual dislike in this debate is off the charts. Trump and Clinton was similar - I'm not sure worse
  • Le Pen forte nas redes sociais

    Após 30 minutos de debate, Le Pen lidera nas redes sociais.
    Segundo dados da Visibrain, uma plataforma de monitorização de redes sociais, a candidata de extrema-direita está a ser mencionada por 53,4 % dos utilizadores, o que corresponde a cerca de 113 mil referências. Já Macron fica-se pelos 46,6%, correspondendo a quase 99 mil referências.
  • Le Pen já ganhou em estar aqui sentada

    É a primeira vez que um candidato da Frente Nacional está frente a frente num debate final para as presidenciais. Em 2002, Jacques Chirac recusou-se a debater com o pai de Marine por causa das posições extremistas. É uma prova da mudança que Marine conseguiu operar no seu próprio partido que o público já não considera tão tóxico, ou pelo menos não tão tóxico que não possa ver emitidas na televisão nacional os seus ideais.
    Chirac's refusal to debate Le Pen senior before the 2002 prez election runoff has never seem wiser... 
  • A descrição do debate até agora: Le Pen lembra Macron do cargo que ocupou no governo socialista (“muito impopular”) de Hollande; Macron responde-lhe com lições de economia.
    Le Pen keeps reminding people Macron was a minister in Hollande's very unpopular Socialist government. Macron keeps giving economics lessons
  • Macron ataca Le Pen na imigração

    “Quando uma criança nasce em França, a senhora prefere não lhe reconhecer direitos”, diz Macron sobre a possibilidade apoiada por Le Pen de que uma criança nascida em França de pais não tenha garantida a nacionalidade francesa, como é atualmente o caso.
  • Sondagem mais recente dá vitória a Macron

    Sondagem publicada a duas horas do início do debate dava 59% das intenções de voto a Macron e 41% a Le Pen. Também garantia que 75% do eleitorado Hamon se prepara para votar no candidato liberal.
  • A dias da segunda volta das eleições presidenciais francesas, os candidatos Emmanuel Macron e Marine Le Pen estão frente a frente num debate. Veja a transmissão em direto aqui.
  • O primeiro tema do debate foi o desemprego, que Macron diz ser o problema de França “há 30 anos”. “Somos o único país da Europa que não consegue contê-lo”, argumenta, para depois enunciar as medidas que prevê aplicar caso seja eleito no próximo domingo, as quais passam por dar às pequenas e médias empresas francesas a possibilidade de criarem mais emprego.
  • O debate ainda agora começou e Macron já respondeu à letra, dizendo que Le Pen é a “herdeira” de um partido político e de um sistema “que prospera com a ira do povo francês”.
    O debate promete.
  • Le Pen lança as primeiras armas

    Menos de cinco minutos depois Le Pen já desembainhou algumas das suas principais armas. O sentimento anti-globalização esteve presente nas suas primeiras palavras: “Uberização” (sim, de “Uber”), “globalização”, “fundamentalismo islâmico” e “banqueiro”, uma referência ao passado de Macron, que fez uma vida confortável na alta finança.
    Less than 2 minutes of debate down & Le Pen has uttered “Uberization, globalization, Islamic fundamentalism & business banker” already.
  • A primeira pergunta da noite é sobre o estado de espírito dos dois candidatos.
    Le Pen diz-se “extremamente feliz” e afirma que Macron é a “escolha da globalização selvagem”.
  • Como mudaram as estratégias dos dois candidatos nas últimas duas semanas. Leia aqui.
  • Boa noite, já começou o último debate antes da segunda volta das eleições presidenciais em França.
    Macron e Le Pen estão frente a frente, a esgrimir os derradeiros argumentos.
    Acompanhe em direto no Observador.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.