domingo, 8 de janeiro de 2017

Líder do MDM Considera de "Herói Africano" um dos que Assinou Acordo que Resultou na Prisão dos Pais


Joao Cabrita com Kamba Simango.


A edição de hoje do «Canalmoz» cita o presidente do MDM, Daviz Simango, como tendo dito que “Mário Soares é um herói africano que vivia na Europa” em virtude da importância do antigo líder socialista português “na descolonização do país", dizendo que "os moçambicanos devem-lhe muito”.

Mário Soares ascendeu ao cargo de ministro dos negócios estrangeiros de Portugal na sequência do golpe militar que derrubou o regime da ditadura de Marcelo Caetano. Soares começou por seguir a politica de descolonização defendida pelo General Spínola que os golpistas haviam escolhido para presidente da República portuguesa. Cedo, Mário Soares acomodar-se-ia à corrente dominante do MFA, dando aval ao processo de descolonização por este conduziu.

Relativamente à descolonização de Moçambique, Mário Soares deu aval ao acordado entre o MFA e a Frente de Libertação de Moçambique, e que não previa um processo de transição democrática na colónia, nem a criação das bases para a criação de um Estado de Direito na nova nação africana. Um dos instrumentos dos Acordos de Lusaka, mantindo secreto a pedido de Portugal, segundo revelaria um membro do antigo Bureau Político da Frelimo, conferiu poderes ao governo de transição dirigido por Portugal e pela Frente de Libertação de Moçambique, para a "neutralização" de figuras da oposição.

Foi ao abrigo desse instrumento, conhecido por «Acordo de Cessar-Fogo entre a FRELIMO e o Estado Português», que as partes contratantes prenderam arbitrariamente destacadas figuras da oposição, nomeadamente Adelino Gwambe, Paulo Gumane, Joana Simeão, entre outros.

O pai do líder do MDM, Reverendo Uria Simango, foi raptado no Malawi e depois transferido de Moçambique para Nachingwea, Tanzânia, num dos voos efectuados por aviões cargueiros da Força Aérea Portuguesa. Igual sorte teve a mãe do presidente do Movimento Democrático de Moçambique, Celina Simango, inicialmente mantida numa base militar das Forças Armadas Portuguesas no Dondo, e depois transferida para Nachingwea.

Os pais do líder do MDM viriam a ser sumariamente executados algures na província do Niassa em data desconhecida.

O «Acordo de Cessar-Fogo entre a FRELIMO e o Estado Português», que esteva na origem do destino trágico dos pais do actual autarca beirense, foi assinado pelos seguintes entidades portuguesas:




Ernesto Augusto Melo Antunes (Ministro sem Pasta)
Mário Soares (Ministro dos Negócios Estrangeiros)
António de Almeida Santos (Ministro da Coordenação Interterritorial)
Victor Manuel Trigueiros Crespo (conselheiro de Estado)
Antero Sobral (Secretário do Trabalho e Segurança Social do Governo
Provisório de Moçambique)
Nuno Alexandre Lousada (tenente-coronel de infantaria)
Vasco Fernando Leote de Almeida e Costa (capitão-tenente da
Armada)
Luís António de Moura Casanova Ferreira (major de infantaria)

Samora Moisés Machel assinou o acordo na qualidade de presidente da Frente de Libertação de Moçambique.

4 partilhas
17 comentários
Comentários

MoleChagonga Chagonga Este cabecudo, nao deve saber quando porque e quem criou condicoes para que o pai dele fosse morto. Meio ignorante.
Gosto · Responder · 6 · 3 h

Maylene Paulo Sinceramente ate onde isto vai ir.
Gosto · Responder · 3 h

Julio Lacitela Perdoe-lhe Pai, ele nao sabe o que diz, Amen
Gosto · Responder · 1 · 3 h

Aziza Throne Ou é mesmo ignorante, ou não se importa absolutamente nada com o que aconteceu com os pais e nem quer saber quem sao os verdadeitros culpados. Mas Mário Soares e camarilha foram na minha concepção directamente culpados da descolonizaçao irresponsável de Moçambique. Atirou -nos "todos"aos tubarõees
Gosto · Responder · 3 · 3 h

Julio Lacitela E nunca o ouvi sequer a recordá-los nem em uma missa sequer.
Gosto · Responder · 2 · 3 h

Raposo Andrade Quanto a isso tenho me questionado sempre e, até hoje não encontro resposta. Será por questões políticas que nunca os filhos do reverendo evocam a alma dos seus progenitores?!😳

Raimundo Pitagoras Lauma A boca do ambicioso só cala com sepultura, vós críticos feitos de acadêmicos mas falsos, através das vossas sem norte, afogaram o líder da Renamo. O Presidente do MDM é um homem culto, ñ se lidam com bandidos curiosos k ja correram todo mundo e desesperados vao atrás dos políticos a procura de oportunidades perdidas na juventude qndo ñ conseguem ficam frustrados e propalam as baixesas acima asistidas, pouca vergonha, ainda é cedo, vão gastar mais salivas pq o Daviz Simango é um homem abençoado.
Gosto · Responder · 1 · 2 h

José Nbeua Vocês são muito mauzinhoos!!!
Gosto · Responder · 2 h

Raimundo Pitagoras Lauma Nós vos deixamos a Renamo depois de tanto sacrifício, mas vcs qndo assaltaram o Afonso Dhlakama com falsas assessorias, criamos o MDM com Daviz Simango tamos a fazer sucesso e aguardem ai nos vossos banquetes assistirem o campeonato político exemplar da nova dinâmica.
Gosto · Responder · 2 h

Eduardo Domingos Deviz fala coisas sem nexo porque é do mdm?
Gosto · Responder · 51 min

Raimundo Pitagoras Lauma Sem nexo na vossa óptica, o civismo do presidente Daviz Simango faz sucesso na sua carreira política, para os desajustados k gostam de discursos incendiários k se alinhe a essas lideranças próprias para isso.


Tchuggana Dulcidio o autor deste post e um demente procura cultivar odio no seio dos mocambicanos. Parabens Deviz Simango por deus te proteger e ensinar a perdoar.
Gosto · Responder · 2 h

Navalha Agnaldo Navalha Chega de mais odio entre os povos e as nacoes
Vamos de forma culta promover a paz
Nos queremos Governar o Mocambique dai que percebemos oque sao boas relacoes e ate as diplomaticas
Gosto · Responder · 1 · 2 h · Editado

Magacebe Majacunene D.Simango na sua curta historia como politico activo tem evitado falar do processo que levou a morte dos seus pais.Algures parece haver um mea culpa dos responsaveis que nao tem virado a cara quando se cruzam em varios foruns. Daviz aparentemente nao quer cometer o erro de desviar os propositos politicos para um cenario de vinganca familiar.Portanto quem esta no barco sabe melhor o que fazer para chegar a bom porto.Os criticos do dia seguinte bem sabem disso que naturalmente tem pena mas nao lhes doi.
Gosto · Responder · 4 · 2 h

Eduardo Domingos O que lhe interessa é so poder, as verdades nao.

Aziza Throne Vou roubar a posição de um amigo. "Há corruptos em Angola mais coerentes que alguns politicos moçambicanos" Mário Soares; "Figura insigne da vida política portuguesa", diz o MPLA

Há 7 horas

O MPLA considerou o antigo Presidente de Portugal Mário Soares, falecido no sábado,7, uma "insigne figura da vida política portuguesa".

"Neste momento de dor e de luto, o Bureau Político do Comité Central do MPLA inclina-se perante a memória do doutor Mário Soares e, em nome dos militantes, simpatizantes e amigos do partido, endereça ao Partido Socialista de Portugal e, através deste, à família enlutada as suas mais sentidas condolências", diz uma breve nota divulgada este domingo, 8, em Luanda.

​​Nem a Presidência da República ou o Governo fizeram qualquer declaração.

Ontem, a UNITA lembrou, em comunicado do Comité Permanente da Comissão Politica, que "numa altura em que raras eram as vozes que falavam de paz, reconciliação nacional e democracia para Angola", Mário Soares "ergueu com coragem a sua voz".

O líder do partido Isaías Samakuva, citado pelo Folha 8, considerou que "Angola perdeu um amigo" e prestou "uma homenagem a este homem que marcou a nossa história com as lições de democracia que nos deixa".

Fonte: www.voaportugues.com



VOA Português
Voz da América - Português apresenta as últimas notícias de África, internacionais, regionais e locais,…
voaportugues.com
Gosto · Responder · 1 h

Aziza Throne E não exacerbam heroicidades que nao tem absolutamente com Moçambique. Não devemos nada a Mário soares.
Gosto · Responder · 1 · 1 h

Navalha Agnaldo Navalha Dlhakama oque disse Alguem lembra-se
Nhussy alguem ouviu oque ele disse?
Gosto · Responder · 1 h

Eduardo Domingos Kkkkkk o que nos apronta o estomago manos, Carvalho Geraldo Carvalho, Antonio A. S. Kawaria, Star Neves!Star Neves
Gosto · Responder · 1 h

Eusébio A. P. Gwembe Isto é assassınato de caracter porque DS justıfıcou as razoes da sua posıcao.
Gosto · Responder · 1 · 1 h

Angela Maria Serras Pires Eusebio a defender Daviz ??? Hummmm
Gosto · Responder · 7 min

Tchuggana Dulcidio nao se trata de defender e reconhecimento da atitude reconciliatora.

Eusébio A. P. Gwembe Nao defendo Devız, Angela. So que estranho a ataque a pessoa do DS quando uma coısa nao tem nada a ver com a outra. Em ultıma ınstancıa, o post de Joao Cabrita ınduz-nos a pensar que cabıa ao colonızador derrotado a dıtar os processos. As Revolucoes mostram que as coısas nao funcıonam assım. Que tenha havıdo erros, e outro assunto mas aos vencıdos nao se pede opınıao e Marıo Soares era desses vencıdos de quem nao poderıa pedır opınıao.



Marcelo Mosse added 2 new photos.
Yesterday at 4:55am ·

Mario Soares eh venerado por se ter batido contra uma provavel caminhada de Portugal para aş aguas negras do comunismo totalitario em 1974, mas eh trucidado por alegadamente tər entregue aş ex-colonias de bandeja; no nosso caso, de ter privilegiado a Frelimo, ignorando outras correntes "nacionalistas" que nao gastaram "sangue, suor e lagrimas" na luta armada, os Maximos Dias, Aroucas, Gumanes ə Joana Şimeao, com seus GUMOS ə FİCOS; se houvesse condições para o muıtipartidarismo na altura talvez nosso rumo teria sido distinto; Mas nem Soares nem Portugal teriam a força suficiente para suplantar a ratice, a legitimidade e a determinacao da Frelimo.



LikeShow more reactionsCommentShare
116116
1 share
Comments


Imtiaz Vala Morre um Homem Maiúsculo! Mário Soares, um amante da Liberdade, um dos pais fundadores do Portugal democrático, um cosmopolita que liderou o processo de adesão de Portugal à União Europeia; Mário Soares, uma personalidade que se destaca na luta contra o regime salazarista e se assume como um dos grandes da esquerda democrática europeia.Uma das referências políticas mundiais e contemporaneas.
Homem de fortes conviccoes!
Like · Reply · 4 · Yesterday at 7:31am · Edited


José de Matos Portugal fez uma descolonização controversa e vacilante, devido a varios factores, e isso pode ter contribuido para as guerras civis em Angola e Moçambique e a invasao e ocupaçao de Timor-Leste! Dois ou tres meses antes do Acordo de Lusaka, Costa Gomes, futuro PR, garantiu em Moçambique que o Povo e todas as corremtes politicas seriam tomados em consideraçao! A equipa que negociou o Acordo nao tinha instruçoes para assinar nesses moldes, por isso Spinola introdiziu, erradamente, Otelo Saraiva de Carvalho na delegaçao,, para alegadamente vigiar Mario Soares! Um dos motivos que levou o Presidente Spinola a demitir-se foi o rumo que a descolonizaçao estava a levar.
Joana Simeao e outros nacionalistas foram presos antes da independencia, com a colaboraçao das autoridades portuguesas!
Em Portugal Mario Soares esteve na resistencia ao comunismo e esteve na adesao a Uniao Europeia.!
Unlike · Reply · 19 · Yesterday at 7:46am


Schauque Spirou Muito bem dito.
Like · Reply · 1 · Yesterday at 9:02am


Jossias Ramos Agora vejo. vou retirar o meu primeiro comentario.
Like · Reply · Yesterday at 9:25am


Linette Olofsson Mas não na resistência ao Comunismo na nossa Pátria amada
Like · Reply · 3 · Yesterday at 9:41am


Schauque Spirou ..e ele devia se imiscuir em assuntos de Moçambique? !
Like · Reply · 2 · Yesterday at 9:43am


Write a reply...



KingKinho Vasquinho Por lado a gestão que MS teve face aos Retornados a Portugal as condições em que estes foram submetidos fizeram deste homem um calvário negro na sua carreira politica. O BOCHECHAS como é conhecido entre os retornados Foi uma péssima peça na triangulação de força que se vivia na época.
Like · Reply · 3 · Yesterday at 7:54am


Helio Thyago Krpan Homem de verticalidade ímpar. Será lembrado pela sua postura frontal e pelos feitos notáveis que alcançou enquanto dirigente partidário, Primeiro Ministro e Presidente da República.
Controverso em alguns momentos, Soares pautou sempre por aquilo que j...See More
Like · Reply · 2 · Yesterday at 8:08am · Edited


Schauque Spirou Ratice da frelimo? Ehehhe
Like · Reply · 2 · Yesterday at 9:01am


José de Matos Dois exemplos da ratice da Frelimo :

1 - Identificaram que quem tinha o poder em Portugal eram os militares, nao os politicos...See More
Like · Reply · 2 · Yesterday at 9:27am


Eliha Bukeni Creio que Omar deve ser uma antiga base do exercito colonial em Cabo Delgado, que o actual General Mtumuke gaba-se de a ter tomado, sem nenhuma baixa de ambos os contendores!
Like · Reply · 1 · Yesterday at 11:54am


Emidio Beula Eliha Bukeni parece que foi "tomada" depois declaração do cessar fogo
Like · Reply · 14 hrs


Write a reply...



Schauque Spirou Desconheço essa de Omar.. e não duvido da ratice dos citados, talvez fosset necessário face a resistência de sectores do exército e dos políticos portugueses da altura em dar independência às colónias.
Like · Reply · 1 · Yesterday at 9:29am


José de Matos Em Omar havia um quartel dos portugueses, tomado no dia 1 de Agosto de 1974, ha divergencia sobre se foi ataque, cilada ou entrega voluntaria, mas a Frelimo usou esse episodio para mostrar aos portugueses que os seus soldados ja nao queriam lutar, portanto nao havia condiçoes para continuar a guerra!
Like · Reply · 4 · Yesterday at 9:38am


Schauque Spirou Ahnnn...não sabia que Omar era um sitio físico. Obrigado.
Like · Reply · 1 · Yesterday at 9:40am

Write a reply...



Gulumba D. Mutemba Creio que se Portugal tivesse negociado a independência das suas ex colónias como fizeram os boeres na RSA,hoje Moçambique estaria num outro nível diferente do actual.
Estão a imaginar se os Mandelas tivessem seguido o exemplo dos frelos e dos MPLA's,de mandar passear as pessoas que tem o control absoluto da economia,do desenvolvimento,etc. do país? Aquele país vizinho sem dúvida hoje estaria na tanga,os negros ainda tem muito que fazer para desenvolver seus países,já está mais que provado isso.

Paz a sua alma.
Like · Reply · 6 · Yesterday at 9:39am · Edited


Schauque Spirou Eheheheh. Eu entendo onde queres chegar mas..vão te entender mal os outros eheheh espera só.
Like · Reply · 2 · Yesterday at 9:41am


Eliha Bukeni A comparacao com Mandela tem o potencial de branquear o contexto politico-economico nacional e internacional dos meados da decada de 1970, quando se dao as independencias de Moz e Angola e do inicio da decada de 1990, quando Mandela e liberto da prisao!
Like · Reply · 2 · Yesterday at 12:01pm


Circle Langa Ai é? Por isso que a economia sul-africana continua em 90% nas mãos dos brancos (sem conotações rácicas). Pior ainda com a cleotocracia entre ANC e Aliança Democrática que usou o leasing para criar sonolência no povo e simultaneamente como almofada. Mandela, nesse aspecto, passou o povo para trás contudo respeito a tua opinião.
Like · Reply · 3 · Yesterday at 12:07pm

Write a reply...



Mauro Pacule "..Trucidado por alegadamente ter entregue aş ex-colónias de bandeja;" Agora compreendo o júbilo de alguns portugueses em relação á sua morte!
Triste.
Like · Reply · 1 · Yesterday at 10:14am


Stella Mendonça Sr. Gulamba permita me comentar que a atitude da maioria dos portugueses na época também não permitiu nada de comparável com a realidade dos boers sobretudo na RSA. 1• a aceitação da própria independência dos "negros" como diz ( digo isso porque há moçambicanos de pele não negra 😉 ) 2• a cultura do anglo-saxão não é comparável à portuguesa! Não sei se Portugal com atitude Latina, e nostálgica tinha condições de negociar melhor !! Enquanto os colonos portugueses admitiam os assimilados até 4a classe, os ingleses permitiam acesso aos estudos... isso fez com que Mandela tivesse a oportunidade de estar preso com toda uma formação muito mais alta do que qualquer um hoje em MOCAMBIQUE, isto é mais apto a negociações inteligentes e consensuais...3• houve portugueses como o Conde, Dr. Carlos Bobone da companhia de Madal por exemplo, e muitos outros, que ficaram no jovem 🇲🇿 independente a pesar dos erros da transição. Não estragaram as máquinas deliberadamente recusando ser governados pelos negros... e na altura quem quisesse ficar e continuar a sua actividade económica tinha essa escolha...Acho que ouve uma amálgama bem mais complexa e vários são os factores que escreveram a nossa história comum; Portugal & Mocambique. É essencial tirarmos lições e correções para melhor avançar, pois o tempo não volta para trás! E se MS não tivesse a visão de Portugal na CEE de certeza que Portugal estaria também em..... (use a expressão que lhe convém) são vários os factos, por isso não basta ser simplista na análise da história...
Like · Reply · 17 · Yesterday at 10:36am · Edited


Schauque Spirou Mas não esqueça o famoso dizer que levou a que os portugueses saíssem a correr : deram 24h ou algo de género pra saírem daqui.. nacionalizaram tudo... pois na África do Sul e Zimbábue por exemplo não foi assim..portanto há culpa pra ambos lados m
Like · Reply · 1 · Yesterday at 10:30am


Mauro Pacule Mesmo no presente em que nos matamos a torto e a direito, vamos chorar amanha pelo disperdicio de tempo...!
Like · Reply · 1 · Yesterday at 10:30am


Marcelo Mosse Uaou. Folgo imenso em ver nossa cantora lirica, a grande soprano Stella Mendonca, a comentar estas coisas com a liberdade ə independencia que muitos artistas em Moz fingem nao tər.
Like · Reply · 9 · Yesterday at 11:01am · Edited


José de Matos Nao devemos confundir os colonos com os que ja nasceram em Moçambique! Muitos desses tais colonos trabalhavam para o Estado, com a independencia nao ficaram em Moçamboque, foram transferidos! Uma das falacias é que os brancos nascidos em Moçambique nao queriam a independencia, nao é verdade, muitos ficaram e colaboraram! O facto é que o periodo de transiçao foi muito complicado e aconteceram coisas desagradaveis!
Like · Reply · 2 · Yesterday at 1:46pm


Schauque Spirou Oh José a colonização tem uns 500 anos..então os que chegaram nessa época e seus descendentes se consideravam o que?Ademais na altura (1975) foi lhes dada a oportunidade de ficar et ser moçambicanos ou então ficassem mesmo mas como estrangeiros que eram. Moçambique como estado surge em 1975 então era só decidirem o que optavam : penso que 99% decidiram fazer as malas e foram pra a metrópole onde foram mal recebidos e na África do Sul e por aí fora.
Like · Reply · 1 · Yesterday at 1:51pm · Edited


José de Matos Schauque Spirou , verdaeiramente falando nao foram 500 anos de colonizaçao e a maioria dos brancos nao eram naturais de Moçambique, os funcionarios do Estado simplesmente foram transferidos para Portugal onde continuaram as suas carreiras! Alguns ficaram, outros decidiram nao ficar, sao opçoes pessoais!
Like · Reply · 1 · Yesterday at 1:54pm


Schauque Spirou Por isso disse tem uns 500 pois sei que não é bem o que dizem os livros... mas a questão coloca - se ainda mais fundo; os que saíram nunca viram Moçambique como sua terra mas como colónia eterna da metrópole. Os que ficaram e devem ser uns poucos milhares sim se identificaram com a terra... então não vejo a zanga dos que apartaram senão que eram colonialistas de coração e não nacionalistas de verdade.
Like · Reply · Yesterday at 1:57pm


José de Matos Schauque Spirou , isso é uma generalizaçao. ficar ou sair foi uma opçao pessoal no contexto da situaçao politica naquela altura e que tambem tem a ver com segurança da carreira profissional! Para alem de que muitos foram forçados a sair, por exemplo, com o tal 24/20, muitas vezes por motivos futeis!
Like · Reply · 2 · Yesterday at 2:03pm


Schauque Spirou Pois...isso também chamei à colação que houve essa política. Os que ficaram sabem o que estavam a fazer entretanto...
Like · Reply · 1 · Yesterday at 2:05pm


Marcelo Mosse 500 anos foi o tempo de presenca. A ocupacao efectiva foi de uns meros 100 anos mas so se torna forte com o Estado novo em Portugaal, ja no Sec XX.
Like · Reply · 2 · Yesterday at 2:32pm

Write a reply...



Inacio Fernando Triunfou a revolucao
Like · Reply · Yesterday at 1:38pm


Luis Mucave Marcelo,Soares foi de uma lucidez incrível.
Like · Reply · 2 · 22 hrs


Luís Loforte Marcelo Mosse, com quase 10 anos nas masmorras da PIDE, achas que o Dr. Arouca não "...gastou sangue, suor e lagrimas"? Lê ou relê o depoimento do Dr. Ruy Baltazar feito na homenagem ao Arouca, feita por amigos, entre os quais se contavam nacionalistas da primeira hora. Misturar alhos com bugalhos quase sempre desprestigia quem o faz. E o Marcelo tem arcaboiço para evitar o olvidar da História de Mocambique. Um abraço!
Like · Reply · 4 · 19 hrs · Edited


Marcelo Mosse Fiz uma generalizacao apressada. Errei em toda a linha e dou a mao a palmatoria. Obrigado pelo reparo.
Like · Reply · 5 · 18 hrs · Edited


Write a reply...





KingKinho Vasquinho Luís Loforte Eu também concordo que Defacto o nacionalismo e luta de libertação não só foi pela via armada os Nacionalistas de Lourenço Marques deram um grande impulso a liberdade os heróis mas masmoras da Pide Arouca, Manganhela, Mutemba, poetas e escritores da mafalala os comando que conteram a revolta dos colonos em 74 São forças que merecem destaque nesta epopoia liberatoria pelo que temos que dar o seu devido lugar estes herois
Like · Reply · 3 · 20 hrs


Luís Loforte Concordo, Vasco. Às vezes penso que se também valorizassemos esses homens e essas mulheres talvez tivéssemos uma sociedade mais justa e democrática. Os mais novos não sabem, mas poucos duvidam que no fim da guerra de libertação, e em Angola de forma ainda mais agressiva, houve que encontrar um novo "inimigo" para substituir o colonialista: os chamados ex-presos políticos. Estes não tiveram vida fácil, e só relativamente há pouco tempo tiveram plena reintegração política. Infelizmente, é uma parte da História pouco ou nada explorada em Moçambique. Provavelmente por medo ou porque os nossos historiadores se resumem a variantes da história oficiosa.
Like · Reply · 5 · 19 hrs · Edited


Manuel Chipeja Marcelo Mosse estou a ver uma interessante e documental entrevista na SIC NOTICIAS - que ainda está a me privar de ir dormir - de Mário Soares de 1994 (Presidente de Portugal na altura) e é simplesmente fenomenal. Faz uma resenha de todo esse processo e mais. Em Moçambique falaste um bocado mas tem mais contornos descritos aqui....mas em Angola existia a UNITA e segundo os factos arrolados aqui Mário Soares entregou o poder ao MPLA. Em Cabo Verde e São Tomé onde não houve resistência armada outros reclamam que podia se ter posto a possibilidade de livre escolha como algumas colónias francesas e inglesas.
E mais as nacionalizações nas ex - colónias Portuguesas uma nódoa que atribuem a acção errónea de Mário Soares no processo de descolonização.
Uma entrevista muito didáctica.
E no final um reconhecimento dele de que ele poderia ter feito diferente.
E mais este documento devia em anexo fazer parte da história de Mocambique, Angola e outras colónias.
Unlike · Reply · 2 · 9 hrs · Edited


Marcelo Mosse Pois. ..e no observador.pt tem um resumo do livro de Joaquim Vieira sobre Mario Soares e que recupera o capitulo da descolonizacao com pormenores interessantes incluindo aquele abraco entre Machel e Soares que quebrou o protocolo də Kaunda.
Unlike · Reply · 1 · 9 hrs · Edited


Manuel Chipeja Talvez chamar o Eusébio A. P. Gwembe para juntar a colecção dele da pesquisa da História de Mocambique esses documentos importantes. As futuras gerações precisam saber a nossa história com todos os anexos.
Elvino Dias
2 h ·



O REINADO DE DAVID ( Parte 1 - EDITADO)

Nb. Publiquei esse texto há 2 anos. Mas os acontecimentos do nosso quotidiano em Moçambique, tornam-no actual.

Reza a Bíblia que quando o Povo de Deus chegou a Terra Prometida, a sua primeira preocupação foi clamar a Deus por um Rei que conduzisse os destinos das 12 tribos que constituíam Israel. Deus, vendo o clamor do seu Povo, enviou o Profeta Samuel para ungir Saul, Rei de Israel.

Saul governou muitos anos, mas o seu reinado prosseguia fins pessoais, em benefício dele e da sua família, facto esse que não agradou a Deus, e muito menos ao seu Povo.

Por virtude disso, o Povo clamou por um novo Lider, tendo Deus escolhido David, um jovem de baixa estatura, humilde pastor e guerreiro, que pertencia à família de Jese.

A escolha de David para Rei de Israel não agradou Saul, porque este já tinha experimentado o Poder e queria manter-se nele mesmo contra a vontade de Deus e do seu Povo. Afinal, o poder anima. Tenho certeza que se houvesse eleições naquela altura Saul roubaria votos para se manter no poder.

Mas, apesar da sua insistência em manter-se no poder, uma coisa incomodava o Rei Saul: a popularidade de David, o amor que o Povo de Deus demonstrava para a este, facto esse que corroia a sua legitimidade cada dia que passava. A única solução era matar David e tira - lo da sua vida porque assim o seu reinado continuaria.

Para lograr os seus intentos, Saul engendrou duas grandes emboscadas da magnitude de Zimpinga, tendo David milagrosamente se livrado delas. Alias, David detinha conhecimentos técnico-militares ao mais alto nível, e Deus estava com ele.

David com medo de ser morto, refúgiou-se no Deserto de En Guedi, num local cuja posição geográfica transmitia-lhe segurança, tendo na fuga levado os seus melhores soldados.

Saul não estava satisfeito com a fuga de David, era preciso encontrá -lo onde quer que este estivesse, porque este constituía, no seu entender, um perigo ao seu reinado, tendo por virtude disso reforçado o seu exército e o espalhado em todos os cantos do seu reinado a procura de David.

Reza a Biblia que numa dessas perseguições no Deserto de En Gedi, Saul que estava proxino do seu inimigo e não sabia. Entretanto devido ao cansaço de tanto andar , pegou num profundo sono.

Quando David se aproximou do local os seus homens instaram-lhe a acabar de uma vez com a vida daquele que dia e noite o perseguia para lhe matar. Mas Davi que tinha o coracao moldado com a palavra de Deus recusou a faze-lo, pois para ele, Saul era o ungido do Senhor e que as suas maos jamais matariam o ungido do Senhor.

Para mostrar a sua presença David levou a jarra de agua do Rei que ainda dormia um sono profundo, tendo se deslocado para uma montanha próxima do local e ali chamado o Rei em voz alta. Saul meu Rei meu pai, porque me persegue? Veja que Deus o colocou nas minhas mãos e eu poupei a sua vida. Tendo no mesmo instante exibido a jarra de água do rei.

Saul, com, lágrimas nos olhos disse em resposta, David meu filho , você é mais justo do que eu. Ninguém na face da terra encontra o seu inimigo e o deixa ir livre e com vida. Você, será o futuro rei de Israel.

É engraçado que em Moçambique, vivemos um episódio quase idêntico ao descrito no livro do Profeta Samuel. Por isso, precisamos de Teólogos em Moçambique para decifrarem o conteúdo dessas escrituras para os nossos dirigentes.

Continua

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.