domingo, 29 de janeiro de 2017

Primeira ação contraterrorista de Trump termina com um oficial americano morto

PRESIDENTE TRUMP

143
29
Uma operação antiterrorista conduzida no centro do Iémen terminou com a morte de um comandante norte-americano e outros quatro feridos. Foi a primeira ação militar autorizada por Donald Trump.

A operação terrestre fazia parte de uma ação maior que envolveu um raide aéreo contra supostos esconderijos da Al Qaeda
Getty Images
A primeira operação antiterrorista autorizada por Donald Trump terminou com a morte de um comandante norte-americano, atingido mortalmente por terroristas da Al Qaeda, no centro do Iémen. Outros quatro militares ficaram feridos.
A notícia está a ser avançada pelo The New York Times. De acordo com aquele jornal, que cita fonte oficial da Casa Branca, a operação contraterrorista aconteceu durante a madrugada de domingo. O alvo era um edifício ou uma série de edifícios que as autoridades norte-americanas acreditavam albergar jihadistas com informações privelegiadas sobre futuros ataques terroristas.
Com base nestas informações, o Presidente norte-americano autorizou a investida terrestre contra os alvos. O tiroteio entre os militares norte-americanos e os militantes da Al Qaeda terá durado cerco de uma hora. Segundo um comunicado entretanto divulgado pela Casa Branca, continua o The New York Times, as forças especiais dos Estados Unidos terão conseguido neutralizar 14 membros da organização terrorista, o que levou à “captura de informações que provavelmente vão fornecer pistas importantes” sobre a organização de células terroristas.
Durante a operação, um avião militar que foi enviado para o local para garantir o transporte das vítimas, foi atacado e teve de ter aterrar de emergência, deixando um quarto militar ferido.
A operação terrestre fazia parte de uma ação maior que envolveu um raide aéreo contra supostos esconderijos da Al Qaeda. Nessa ataque, e de acordo com a Agence France Presse (AFP), trinta pessoas identificadas como membros da organização terrorista foram mortas, incluindo três líderes locais do grupo extremista.
Há relatos de que entre as vítimas mortais estão mulheres e crianças civis, uma informação que um alto quadro da Casa Branco já veio refutar, sublinha, ainda, o The New York Times.
Observador
6 h · 
A operação terrestre fazia parte de uma ação maior que envolveu um raide aéreo contra supostos esconderijos da Al Qaeda.
Uma operação antiterrorista conduzida no centro do Iémen terminou com a morte de um comandante norte-americano e outros quatro feridos.
OBSERVADOR.PT|DE OBSERVADOR
Comentários
Luís André Gonçalves
Luís André Gonçalves Como realmente a comunicação manipula e destaca só para o lado que lhe interessa (a quem?!!!) 

"conseguido neutralizar 14 membros da organização terrorista, o que levou à “captura de informações que provavelmente vão fornecer pistas importantes” sobre a organização de células terroristas." 

Isto não é importante....
Gosto · Responder · 43 · 6 h
Rogério Martins
Rogério Martins Não meu caro! Isso são peanuts. 
Interessa é responsabilizar o novo presidente pela morte de um oficial.
Todos lamentamos essa morte, mas isso faz parte da guerra.
Gosto · Responder · 7 · 6 h
Tiago Basilio
Tiago Basilio E os oficiais que morreram nas administrações Bush e Clinton? pois.. isso não interessa!
Gosto · Responder · 8 · 5 h
Luís André Gonçalves
Luís André Gonçalves Entao deixemos os terroristas lá quietinhos e não haja investidas destas.
Gosto · Responder · 4 · 5 h
Luís Revez
Luís Revez Vietname, Laos; Somália; Iraque; Afeganistão; Ruanda; Líbia; etc, etc, etc...anda tudo esquecido! Até Hollywood fez filmes sobre o que as tropas americanas fizeram ou deixaram de fazer nestes países nos últimos 50 anos. Muito sangue correu e muitas presidências democratas ou republicanas vigoraram! Isto agora pegou moda falar mal do popinhas porque vão todos atrás da onda! Os meios de comunicação social, suportados pelos opinion makers de esquerda, observam para que lado a balança cai e toca de soprar para o lado que o vento corre!
Gosto · Responder · 6 · 5 h · Editado
Sofia Fonseca L. Simoes
Sofia Fonseca L. Simoes É a C Social feita por Jornaleiros dominados por interesses. 
Trump está a deixar a CS em estado de obsessão paranoico-depressiva e tudo por um simples facto: Trump não é de esquerda, Trump está a afrontar lobys instalados, Trump não agrada à Maçonaria
Gosto · Responder · 4 · 3 h
Tiago Basilio
Tiago Basilio O Obama causou mais mortes em 8 anos que as administrações Bush juntas. Mas o Observador deve pensar que foram só abraços e beijinhos lol
Gosto · Responder · 15 · 5 h
Carlos Alberto Abreu
Carlos Alberto Abreu Começa a dar-me vómitos este"jornalixo".Oh "Observador", não sejas doentiamente tendencioso,faz uma retrospectiva,e coloca aqui quantos mortos houve, nas várias guerras sob a administração de outros presidentes.
Gosto · Responder · 13 · 5 h
Paulo Baptista
Paulo Baptista Este Pasquim mais o seu Jornaleiro de bosta parece agora apontar o dedo a algo que acontecia com alguma frequência no tempo de Obama sem que nada nem ninguém o apontasse com o mesmo repudio!
Não era um soldado de tanques ou do dedo no gatilho. O major-
general Harold J. Greene era o homem da tecnologia, descrito como um dos responsáveis por integrar smartphones e videoconferências na cultura militar. Em 30 anos de carreira, nunca tinha visto a guerra. No início do ano, foi promovido e enviado para o Afeganistão. Quem não sabe fica a saber já que este pasquim está mais interessado em criticar o TRUMPa que já em 2014 um General norte-americano tinha sido morto num ataque no Afeganistão mas não em igual circunstância mas muito pior pois este já tinha sido o segundo ataque do género em 2014, após a morte em fevereiro desse mesmo ano de dois soldados da missão da ISAF, abatidos por conhecidos que envergavam o uniforme das forças de segurança afegãs.
Só nesta promiscuidade de convivência forçada nas mesmas bases militares com a corja Afegã em 2012 foram registados mais de 50 ataques deste género, atribuídos a militantes talibãs infiltrados nas forças armadas afegãs, mas a tendência diminui a partir de 2013 quando foi anunciada a progressiva retirada do contingente militar internacional do Afeganistão.
Gosto · Responder · 6 · 4 h · Editado
Mário Pimenta
Mário Pimenta Depois dos milhões de pessoas que morreram durante as guerras promovidas pela administração Obama, a maior parte delas escondidas da opinião pública.
Gosto · Responder · 27 · 6 h · Editado
Paulo Baptista
Paulo Baptista Este Pasquim mais o seu Jornaleiro de bosta parece agora apontar o dedo a algo que acontecia com alguma frequência no tempo de Obama sem que nada nem ninguém o apontasse com o mesmo repudio!
Não era um soldado de tanques ou do dedo no gatilho. O major-
general Harold J. Greene era o homem da tecnologia, descrito como um dos responsáveis por integrar smartphones e videoconferências na cultura militar. Em 30 anos de carreira, nunca tinha visto a guerra. No início do ano, foi promovido e enviado para o Afeganistão. Quem não sabe fica a saber já que este pasquim está mais interessado em criticar o TRUMPa que já em 2014 um General norte-americano tinha sido morto num ataque no Afeganistão mas não em igual circunstância mas muito pior pois este já tinha sido o segundo ataque do género em 2014, após a morte em fevereiro desse mesmo ano de dois soldados da missão da ISAF, abatidos por conhecidos que envergavam o uniforme das forças de segurança afegãs.
Só nesta promiscuidade de convivência forçada nas mesmas bases militares com a corja Afegã em 2012 foram registados mais de 50 ataques deste género, atribuídos a militantes talibãs infiltrados nas forças armadas afegãs, mas a tendência diminui a partir de 2013 quando foi anunciada a progressiva retirada do contingente militar internacional do Afeganistão.
Gosto · Responder · 4 h
César Serradas
César Serradas Agora sim está na hora de começar a criticar Trump. Não por causa das trivialidades do seu discurso mas porque já começou a matar pessoas além fronteiras. 

Acho que agora é que ele vai começar a reunir a simpatia das pessoas porque o Obama também matou milhares e a opinião pública adora-o.


Já agora, o Observador costumava publicar notícias dos vários mortos pela administração Obama?
Gosto · Responder · 12 · 4 h · Editado
Nunes Da Silva Indiana
Nunes Da Silva Indiana e 14 elementos da Al-quaeda...um titulo de noticia á boa maneira portuguesa
Gosto · Responder · 19 · 6 h · Editado
Madalena Fonseca
Madalena Fonseca A media está louca. A boa politica de Obama Clinto n não matou só oficiais matou um embaixador para além de ter morto milhares com is seus drones
Gosto · Responder · 1 · 3 h · Editado
João Castro
João Castro Também morreram 14 terroristas, entre os quais o líder local da Al-Qaeda.

Vocês são lixo.
Gosto · Responder · 2 · 3 h
Bruno Mariz
Bruno Mariz Matam 3 líderes da célula local da Al-Qaeda, mais alguns militantes, mas a notícia vem com título faccioso.
Gosto · Responder · 10 · 6 h
Tiago Bartolomeu
Tiago Bartolomeu Isso quer dizer que estão a fazer alguma coisa. Ao contrário da administração Obama, cujo objetivo era o enfortecimento dos rebeldes
Gosto · Responder · 11 · 6 h
Carlos Diogo Salgueiro
Carlos Diogo Salgueiro Quantos morreram no tempo Obama?
Alguem divulgou?
Sera efeito do premio nobel paz?
Gosto · Responder · 9 · 6 h
Alexandre Pinho
Alexandre Pinho Em 8 anos da administração Obama o combate ao terrorismo não levou à morte de ninguém! Foi só abraços e beijinhos.
Gosto · Responder · 8 · 6 h
José Martins De Zinolhos
José Martins De Zinolhos E pronto, Trump já é responsável por uma morte... Coitado do homem.
Gosto · Responder · 3 h
Ana Rita Bivar
Ana Rita Bivar Mas o que é que aconteceu ao Obervador foi comprado pelo Soros? Miserável...
Rui Duarte
Rui Duarte O que é que foram fazer para o Iémen ? Não estavam bem em casa nos EUA ?
Gosto · Responder · 3 h
Carlos Fontes
Carlos Fontes Jornalixo como de costume deste jornal
Gosto · Responder · 5 · 5 h
Vitor Felicissimo
Vitor Felicissimo Tenham medo, muito medo. Os " Trumpistas" são cada vez mais.
Gosto · Responder · 4 h
António Pedro Maco
António Pedro Maco Claro porque com o Obanana, incluindo a Guerra do Iraque, vieram de lá todos vivos! ahahahaahhaha
Gosto · Responder · 4 · 5 h · Editado
Rafael Nevado
Rafael Nevado Excelente cabeçalho, como sempre...
Gosto · Responder · 3 · 6 h
Luis Salles
Luis Salles Quantos sangue de civis europeus nas mãos de Madre Merkel de Berlim?
Gosto · Responder · 2 · 5 h
Tonny Silva
Tonny Silva Quantos foram mortos na administração Obama ?
Gosto · Responder · 1 · 4 h
Pedro Fragoso
Pedro Fragoso Civis, muito poucos.
Gosto · Responder · 2 h
Zé Pedro Miranda
Zé Pedro Miranda Vocês são nojentos.
Gosto · Responder · 2 · 6 h
Paulo Baptista
Paulo Baptista A ESQUERDALHA sempre à espera do Tropeção!
Gosto · Responder · 2 · 5 h
Henrique Horta
Henrique Horta Adeus, Jornal de Sarjeta de Esquerda, passar bem.
Gosto · Responder · 2 · 5 h
Carlos Silva
Carlos Silva E. ..?
Gosto · Responder · 4 h
Albano Carvalho
Albano Carvalho bom começo????????
Gosto · Responder · 2 h
Luís Figueira
Luís Figueira Com as operações do Obama não morreu nenhum.
Gosto · Responder · 6 · 6 h
Carla Ferreira Silva
Carla Ferreira Silva Soldados!!Carne pra canhão enquanto este porco se satisfaz
Gosto · Responder · 5 h
Alexandre Pinho
Alexandre Pinho E com o Obama não foram carne para canhão?
Gosto · Responder · 4 · 5 h
Carla Ferreira Silva
Carla Ferreira Silva Claro que foram,não há governantes santos,em qualquer parte do mundo são todos psicopatas
Gosto · Responder · 5 h
Luís Revez
Luís Revez Ossos do ofício!!!

Fernando Goncalves
11 m
Observador: assim vamos mesmo muito mal.
Fernando Goncalves
11 m
O Observador passou a analisar e adiar a publicação de tudo o que escrevo?
José António Rodrigues Carmo
2 h
Convinha  que a peça jornalística, que parece ter o subliminar objectivo  de embarcar no folcore do "blame Trump", informasse que uma acção deste tipo não foi desencadeada out of the blue, mas que obviamente estava a ser planeada há muito tempo. O Presidente, qualquer que ele seja, apenas assina um plano que lhe é apresentado pelos militares , ordenando a sua execução. Tal como fez Obama quando se lançou a operação para neutralizar Bin Laden.
josé maria
4 h
Com Trump, é só o reino da competência.Tem tudo sob controlo, a começar pela proibição judicial de deportações e com os americanos a pagarem a taxa de 20% das importações do México.
Melhor que os 40% que se pagam cá por mandar vir livros da Russia...
josé mariaMike Az
3 h
Vocês, aqui, multiplicam os nicks, para parecerem muitos.

Para a próxima aquisição de produtos estrangeiros, faço votos que você  ajude a sua mulher a  não ser tão ingénua.

Pelos menos, ficaram a perceber que as taxas de 20% ou 40% são pagas pelos importadores, já não é mau.

Trump e Putin estão bem um para o outro. E à espera que os patinhos e patinhas caiam na sua esparrela.

O combustível dos bombardeamentos russos de Alepo deve ter ficado muito caro, Putin anda à procura de otários que lhe paguem as despesas.
... Ler mais
Ah, ah, ah.
Não é a minha mulher.
É a mulher do Rui Da Costa Gomes.

Eu apenas comentei também nessa notícia.

Tu, se em vez de seres apenas uma cassete a debitar comentários repetitivos, tomasses mais atenção àquilo que os outros respondem, talvez tivesses entendido isso logo.

Aconselho-te a ir a essa notícia novamente e leres os comentários todos com mais atenção.

Assim talvez não faças tantas figuras destas e sejas tomado mais a sério pelo pessoal que aqui anda, não achas?
... Ler mais
Quanto aos bombardeamentos,, realmente não sei quais ficaram mais caros.

Se foram os do Putin ou os do Obama.

Se calhar os do Obama, ao ser nobel da paz, devem ter tido um desconto qualquer por parte da Onu, não?
Rui Da Costa Gomesjosé maria
1 h
Oh Maria José...

Adquirir produtos "estrangeiros" da Rússia é bom e não podemos ser ingénuos....por acaso a minha mulher é tão ingénua que é russa  e gosta de ler russo

Já para as Marias Josès desta vida os americanos já podem ser ingénuos á vontade e deixarem entrar produtos de outros Países sem as respectivas taxas de 20% de taxas 


... Ler mais
maria perry
4 h
Termina com baixas e apreensão de material possivelmente importante. Ele prometeu acabar com o terrorismo e não é de braços cruzados que o conseguirá
Dark Prince II
4 h

... e é o prémio nobel da paz, imagine-se se não fosse 😆

... mas há mais:
https://www.thebureauinvestigates.com/category/projects/drones/drones-graphs/

Com isto o mundo conviveu bem, não chamou o Hussein de perigoso psicopata, as mulheres não se manifestaram, os Silicon Valley não piaram, a Merryl Strip meteu a cabeça na areia e os imbecis europeus pactuaram com tudo.

Quanto á generalidade dos mainstream media?! Bem, vale um absoluto ZERO e Trump faz por expô-los pelo que são ... FAKE NEWS e Jornalixo.
... Ler mais
Miguel Bacelar
4 h
E um corrector ortográfico Srs do Observador, não? "privelegiadas"
Mike Az
4 h
Ainda está muito longe das dezenas de milhares de civis que o Obama matou...
Shiri Biri
5 h
"Há relatos de que entre as vítimas mortais estão mulheres e crianças civis..." corresponde ao que al Qaeda in the Arabian Peninsula afirmou. AQAP (acrónimo em inglês) não provou essa afirmação nem nenhuma outra fonte relatou tal coisa.

Se recorressem a outras fontes que não o NYT, o Observador era capaz de fazer bom jornalismo.
João SousaShiri Biri
5 h
NYT de Carlos Slim diga-se. 
João Sousa
5 h
Esta história não deixa de ser interessante na medida em que a "emoção" dos factos pode ser transmitida de forma completamente oposta dependendo do humor do jornalista. 

Foi o jornalista que escolheu dar o enfase à baixa americana, e ligá-la à administração Trump. Podia muito bem ter dado enfase aos terroristas abatidos, mas não, isso ficou para o fim da noticia. 

Não sou um defendor do Trump em termos da pessoa, mas se a imprensa continua a ser tão parcial contra ele, vai perder credibilidade.
... Ler mais
Francisco Pinto
5 h
Em oito anos de administração Obama só morreu um militar americano. Consta que de tédio, sentado no contentor onde operava drones.
Manuel Barroso
6 h
Trump já destronou o próprio Demo...
Fodelício dos SantosManuel Barroso
6 h
Está protegido pelo Darth Vader e quando assim é.....
Fodelício dos Santos
6 h
Do outro lado lerparam 30 e 14 foram capturados............MAS só interessa o oficial yankee morto!!


Zé Maria, vem já a correr colocar uma catrefa de links para limpar a face aos teus colegas !!
A Maria José tem cada vez mais dificuldades em acudir a todas as frentes...! Consta, inclusive, que já solicitou / exigiu a contratação de um(a) assistente, ameaçando com greve acaso isso não se concretizar!
Fodelício dos SantosAgos Sil
6 h
Pobre assistente!!

A recibos verdes - verdes não, rosa -, salário mínimo actual, férias népia, Natal idem idem, segurança social à pala do esmifrado......e ainda obrigatoridade de se inscrever no partido e pagar quotas de pelo menos um ano à cabeça.

E mesmo assim não vão conseguir dar conta do recado, o partido está falido e de ressaca querem falir o País.

Não permitiremos.
... Ler mais
Fernando SilvaFodelício dos Santos
5 h
Sim,mas eles dizem 30 e 14 e tu vens logo confirmar,vai na volta e vem-se a saber que os 30 eram todos americanos ou inocentes civis,os americanos têm destas coisas.
Manuel BarrosoFodelício dos Santos
5 h
O Zé Maria é uma anedota caricatural. O que passará pela cabeça de quem lhe paga e pelo meio neurónio dele quando se olha ao espelho? Um triste...
Fodelício dos SantosAgos Sil
5 h
Uup's.....perrmita - me uma correcção: 

- Por caridade e solidariedade que tal baptizámo-la doravante de " Zezinha " ?

Parece-me que fica mais enquadrado com a sua menopausa e nós brilhamos na foto.

... Ler mais
Secundo a proposta!
Fodelício dos SantosJB Dias
4 h
'Tá feito, registado, exarado e promulgado em acta pública desta pública publicação para o público.

Cumpra-se.

A Bem da Nação. Nada contra a Nação.
JB Dias
6 h
Todas as operações durante a administração Obama foram um sucesso ...
e durante a 1ª e 2ª Guerras nenhum americano sofreu fosse o que fosse ... e durante a administração ....

Não têm vergonha de se olharem ao espelho de manhã ...?  
João Sousa
6 h
Antes do Trump não morria um unico americano....

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.