quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

“Moçambique está entregue ao gangsterismo organizado”, Samo Gudo


Debate sobre as propostas do PES e OE 2017
O deputado da Renamo, que há pouco interveio no Parlamento, não tem dúvidas nenhumas, o paísestá entregue ao gangsterismo organizado, com gangsters actuando ao estilo al capone, num Estado contaminado com vírus da corrupção. Samo Gudo sustentou a sua tese focando-se nos vários nomes da administração que aparecem nas listas de pessoas corruptas, tendo, nesse capítulo, referindo-se às empresas EMATUM, MAM e os novos casos que envolvem as LAM .
Mas o deputado não ficou nisso. Ao longo do seu discurso, revelou uma percepção: “constatamos que o Governo eleva a paz como factor para garantir o alcance dos seus objectivos, mas no dia-a-dia faz o contrário, porque não está nada interessado com a paz, mas em eliminar o filho mais querido da nação moçambicana, Afonso Dhlakama, quem faz tremer os alicerces do regime”, disse Samo Gudo, acrescentando que a proposta do PES não é mais que um aglomerado de palavras, com erros infantis e cheios de truques para enganar as pessoas.
Não obstante, Ana Sithole, da Frelimo, na sua reacção, disse que as propostas do PES e OE devem ser analisadas tendo em conta o contexto actual que o país atravessa, com cultura de paz, de modo que os desestabilizadores do país se juntem por um objectivo comum, a luta contra pobreza, como tem feito o Governo.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.