quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Dirigente da Renamo assassinado a tiro no norte de Moçambique


RENAMO


1
Um dirigente da Renamo foi assassinado a tiro por desconhecidos no norte de Moçambique, no segundo dia da trégua temporária declarada pelo maior partido de oposição.

Antonio Cotrim/LUSA
Autor
  • Agência Lusa
Um dirigente da Renamo foi assassinado, esta quinta-feira, a tiro por desconhecidos na cidade de Nampula, norte de Moçambique, no segundo dia da trégua temporária declarada pelo maior partido de oposição, disse à Lusa o porta-voz da força política.
António Muchanga informou que José Naitela — membro da comissão política provincial e chefe da secção de relações exteriores em Nampula da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo) — foi assassinado ao início da tarde no seu carro num mercado negro de venda de combustível. Contactado pela Lusa, o porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM) em Nampula, Zacarias Nacute, confirmou o homicídio, que ocorreu entre as 12h e as 13h locais, num lugar movimentado da cidade. O porta-voz da PRM desconhecia mais detalhes sobre o caso, referindo que as perícias de balística estão a decorrer e que a polícia vai investigar.
Segundo Muchanga, o crime foi cometido com “o mesmo modo de atuação” dos esquadrões da morte que a Renamo alega estarem a operar no centro e norte de Moçambique, visando a eliminação de dirigentes do partido de oposição. “As informações que vêm do terreno indicam isso, a não ser que a polícia traga as pessoas que fizeram o crime”, disse o porta-voz da Renamo sobre a possibilidade de motivações políticas para o homicídio.
Muchanga não quis porém estabelecer uma relação entre o caso e a trégua de uma semana declarada pelo presidente da Renamo, Afonso Dhlakama, após uma conversa telefónica com o Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, e que entrou em vigor às 24h de quarta-feira. “O dia de ontem foi bom e estava a correr tudo bem até às 12h de hoje [quinta-feira]”, limitou-se a comentar.
Antes de tomar conhecimento deste homicídio, o porta-voz do Comando-Geral da PRM disse à Lusa que a situação era calma. “Não registámos qualquer perturbação e, até ao momento, as pessoas transitam normalmente nestes pontos”, afirmou Inácio Dina, referindo-se às principais estradas do centro de Moçambique e que têm sido as mais atingidas pelo conflito.
Inácio Dina disse, no entanto, que, apesar da calma registada, as escoltas militares obrigatórias vão continuar nos troços das vias mais ameaçadas, para garantir a segurança das populações. “Este processo faz parte do nosso trabalho. Continuaremos a fazer o que vinha sendo feito”, reiterou o porta-voz da PRM.
Na terça-feira, o líder da Renamo anunciou uma trégua de uma semana como “gesto de boa vontade”. Por sua vez, o Presidente moçambicano defendeu, na quarta-feira, que a trégua de uma semana deve servir para encorajar o diálogo visando uma paz duradoura.
Moçambique atravessa uma crise política e militar, marcada por confrontos, no centro e norte do país, entre o braço armado do principal partido de oposição e as Forças de Defesa e Segurança, além de denúncias mútuas de raptos e assassínios de dirigentes políticos das duas partes. A Renamo acusa a Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo) de ter viciado as eleições de 2014 e exige governar em seis províncias onde reivindica vitória no escrutínio.
Os trabalhos da comissão mista das delegações do Governo e da Renamo pararam em meados de dezembro sem acordo sobre o pacote de descentralização, um dos temas essenciais das negociações de paz, e os mediadores abandonaram Maputo, referindo que só regressarão se forem convocados pelas partes.
O Presidente moçambicano propôs à Renamo a criação de um grupo de trabalho especializado, “sem distinção política” nem a presença do atual grupo de mediadores para discutir o pacote de descentralização, mas Dhlakama já disse que não vai ceder na presença da mediação internacional.
Além do pacote de descentralização e da cessação dos confrontos, a agenda do processo negocial integra a despartidarização das Forças de Defesa e Segurança, e o desarmamento do braço armado da oposição e sua reintegração na vida civil.
Assassinado mais um membro da Renamo em Nampula volvidas duas semanas
Escrito por Júlio Paulino  em 30 Dezembro 2016
Share/Save/Bookmark
Em menos de 48horas da cessação das hostilidades militares decretada pelo líder da Renamo, um membro da Assembleia Provincial de Nampula (APN) pertencente a esta formação política foi mortalmente alvejado a tiros na tarde desta quinta-feira (29). É segunda vítima do mesmo partido em duas semanas.
Trata-se de José Naitela, que também era membro da Comissão Política Provincial e chefe da Secção de Relações Exteriores em Nampula da “Perdiz”.
O assassinato, supostamente perpetrado por pessoas desconhecidas, aconteceu por volta das 14h00, a escassos metros da sua residência, no bairro de Namutequelia, arredores da cidade de Nampula.
Segundo testemunhas, José Naitela regressava à casa, tendo sido interpelado por indivíduos em número não apurado, munidos de uma arma de fogo, com a qual abriram fogo contra si sem dizer nada e puseram-se em fuga numa viatura.
A vítima encontrou a morte no local, bastante movimentado, e desconhecem-se ainda as causas do baleamento.
O primeiro elemento do maior partido da oposição em Moçambique, também afecto à APN, foi crivado de balas, na noite da última quinta-feira (15), na sua própria casa, naquela urbe, por pessoas ainda não identificadas. Trata-se de José Almeida Mureveia, de 49 anos de idade.
Em todos os casos, a Polícia da República de Moçambique (PRM), fez-se imediatamente ao local para recolher vestígios que provavelmente possam ajudar no esclarecimento.
O assassinato de José Naitela acontece horas depois de o presidente da Renamo, Afonso Dhlakama, ter anunciado uma trégua provisória – a partir de 00h00 de terça-feira (27) – de confrontos entre os seus guerrilheiros e as Forças de Defesa e Segurança (FDS).
A medida resultou de uma conversa telefónica mantida com o Presidente da República, Filipe Nyusi.
Outros assassinatos ainda sem explicação em 2016
A 02 de Novembro passado, um outro membro da “Perdiz”, de nome Abílio Baessa, escapou da morte após ser ferido a tiro, no distrito de Mocuba, província da Zambézia, acção alegadamente perpetrada por pessoas desconhecidas.
A vítima é docente e já desempenhou funções de director provincial adjunto do Secretariado Técnico de Administração Eleitoral (STAE) na Zambézia.
Mas a 30 de Outubro passado, Juma Ramos, também da Renamo e chefe desta bancada na Assembleia Provincial de Sofala, foi morto em casa, na cidade da Beira (Sofala).
A 27 do mesmo mês, outro membro influente da Renamo, identificado pelo nome de Luciano Augusto, foi crivado de balas na sua casa, no distrito em Gúruè, província da Zambézia.
A 22 de Setembro passado, o membro da Assembleia Provincial (AP) de Tete e delegado político distrital da Renamo, Armindo António Ncuche, de 55 anos de idade, foi também morto a tiros, em plena luz do dia, na vila de Moatize, por indivíduos ainda desconhecidos.
Ainda 08 de Outubro, Jeremias Pondeca, membro do Conselho de Estado, eleito pela Assembleia da República (AR) em representação da Renamo, e membro da Comissão Mista do Diálogo Político, foi igualmente baleado mortalmente por indivíduos também não identificados, em plena manhã, na cidade de Maputo.
A 18 do mesmo mês, dois membros do maior partido da oposição em Moçambique foram eliminados à queima-roupa, no distrito de Ribáuè, em Nampula, igualmente por gente desconhecidas e que se pôs ao fresco.
Trata-se de Flor Armando, de 45 anos de idade, delegado político distrital em Ribáuè e membro da Assembleia Provincial de Nampula, e Zeca António Lavieque, de com 25 anos.

Nas manhãs dão um copo de papa e a tarde um quarto de prato de farinha e feijão a agua e sal.
Antes de ontem houve revista de maior escala, onde levaram tudo aos reclusos como ventoinhas plasticas, panelas e alguns telemóveis.
A B.O é um centro de corrupção, desvalorização, abusos e muitos outros maus tratos.
Afinal os que estão lá deixaram de ser seres humanos?
Por: Afonso Chicuare

Gosto
Comentários
Nandinha Injala Náo sei o queres dizer com isso.cadeia e pra ter luxo?
Gosto11 h
Sidonio Joao Mabunda Mabunda Mas tnbm nao e pa ter maus tratos
Gosto1 h
Telma Lopes Não é para luxo, nas sim buscar a liberdade interior que é o Espírito Humano e também a convivência no seio da Sociedade.
Mas não é o que acontece nas cadeias do País.
Nandinha Injala Tenho uma amiga foi morta por bandido.e ele mereçe toda liberdade e luxo na cadeia nem?faça me favor...
Gosto150 minEditado
Zef MaCamo Vocês gostam muito d evocar direitos humanos quando se trata d criminosos! Mas quando são eles a matar ninguém repodia, por isso, na cadeia ñ é pra se viver d luxo, tem k ter um púcaro d chá sem pão d manhã e 21h ter um jantar k pesa 0,5kg incluíndo xima/arroz e caril, este ao sair vai ter medo d cometer crimes.
Gosto346 min
Nandinha Injala Kkkk essa me matou....kkk
Colaço Colaço Cadeia nunca corrigiu ninguem. Quem entrou na cadeia como bandido a probabilidade de sair pior do k entrou é maior. O lugar de um individuo que tem comportamento desviado da sociedade é entrega-lo aos psicologos, neurologistas para tratamentos com vista a resolver a patologia. Trancar o individuo e deixa-lo a deriva da liberdade nao o torna bom cidadao. Os que estao na cadeia nao sao inuteis, prende-los é torna-los mais inuteis ainda.
Nandinha Injala Tira tu estes cursos e me diz depois quantos curaste.,..faço questao ate de ir ver pessualmente.ontras coisas.
Amadeu Moreira Uma pessoa que viola uma criança de 3 anos. Uma pessoa que mata outra para roubar 1 telemóvel etc, etc. Qual o tratamento psicológico que resoltaria? Não sejam hipócritas, se fosse a vossa filha a ser violada, qual seria o vosso veredicto?
Zito Manuel Ernesto Isso ate se passa nos hospitais, é tudo uma podridao por culpa d pessoas bem identificadas e q continuam intocáveis plo corrompido sistema judiciário!
Gosto11 h
Pedro Nogueira Queria que os reclusos tomassem café la na BO? Quem não sabe que não é permitido o uso de telemóveis na cadeia?
Gosto258 min
Roy Sunshine Tem sim de tomar café e alimentacao saudavel. O senhor por acaso sabe que o corpo tem de ser alimentado? Ou acha que se está a julgar o individuo e seu corpo? Estude mais
Gosto455 min
Pedro Nogueira Parabenizo vc que estudou. No dia que derem café nas cadeias faça o favor de me avisar.
Roy Sunshine Claro que no teu país nao dao e claro que o teu pais é o exemplo de tudo nao?
Pedro Matsinhe Q triste 
......
Abdul Hafido Carlos Mecanico ESTE PAIS NAO TEM BEM.
Nandinha Injala Mas tambem digo.ja nao tem nada pra reclamar? Vai nas zonas e vais ver quem merece reclamacao de ajuda.se cadeia for de luxo eu vou matar alguem k me incomuda e nao me arenpedo de ir no chilidro por que lá e aqui fora terei mesmo estilo de vida.
Hardway Armindo O facto de estar na cadeia, não implica que devem ter uma vida péssima e privados de outros direitos. Uma vez que a liberdade deles já estão condicionadas.
Gosto251 min
Manuel Inacio Paulino Joaquim Esta muito bom pork os criminosos merecem estes maus tratos até devia haver pena de morte pra todos esses gatunos k estão lá no BO
Gosto251 min
Nandinha Injala Falou uma pura verdade e veja que haveriamos de viver ar puro e livres puxa...
Augusto Madinga Pitroce Permenos para de campanha No's queromos ouvir tambem boas coisas simple fala coisas que doe porque ?Sera governo tava fazer mal tudo so renamo é que ta fazer bem ? Continua este é seu paid
Gosto151 min
Colaço Colaço E os que acordam cedo para trabalhar e ganhar a vida honestamente deixam de ser humanos, hey Unay Cambuma? Se nos preocupassemos pela humanizaçao da vida ca fora, no nosso dia-a-dia, talves nao teriamos esses irmaos la na cadeia, mas nem por isso nós optamos por roubar, matar, violar e estuprar so porque as condiçoes de vida nao sao humanas.
Gosto348 min
Quizito Domingos Jo Este bavax pringuiso gatuno pente fino
Zito Manuel Ernesto Uma coisa é oq sentimos nas nossas almas(pontos d vistas), outra coisa é oq xta legislado e q nao temos como confrontar, apesar dessa lei so funcionar p os "anónimos", na verdad ao recluso merecia aplicar a "lei d Amurabi", dsculpa, nao disse!
Joao Augusto Joao Agora e k nao estou a t perceber unay cambuma se esta na BO ja foi confirmado pela justica k e cumplice por me melhor de nao dessem comida esses malandros preguicosos.
Gosto142 min
Zito Pacule D€via s€r pior ainda, gatuno nunca produz, ap€nas r€tarda a vida dos pobr€s.
Tomas Mbalika Haaaa voce nao tem razao, cadeia é um lugar de castigo, deixa assim pra melhor aprender, ate qui nao podiam ter cama, e deviam receber comida uma vez por dia.
Tarcísio Azevedo Direitos Humanos mermão (...)
Gosto2 min
Nandinha Injala Essa vez se deu mal com teu poste.fiquei se taco pras festas porque tive que dar prioridade a gradear a minha casa e nao foi barato.porque? Com medo dos teus amigos cidadáo nas visitas alheias....agora me vens reclamar oque?
Martins Sulvai Kkkk,(medo de teus amigos).
Gosto29 minEditado
Linda Dailda Dailda Nao sintam pena sao criminosos e ladroes eles merecem
Gosto133 min
Vera Velho Que os mandem fazer machamba, oficinas de trabalho. Nossos impostos para pagar criminosos, basta!
Golden Boy Diamond Muito trist
Melissa Gonçalo Meu nem sei o que pensar. Voces assustam sabe.
A ideia de cadeia era para reabilitar dar uma nova chance escolha, mas desse way vala pena capital nem?
Fausto Quinhas Lamentavel
Ibraimo Braimo Nem todo que esta na cadeia é criminoso.
Joakim Neves Neves Kkkk eis Linda eles merecem uma segunda chance
Gosto8 min
Mbalamanje Uzende Chanunkha Só sinto pena daqueles inocentes que nem tem como se arrependerem porque naõ fizeram nada.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.