quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Médico acusado de filmar pacientes enquanto se despiam para a consulta

SOCIEDADE


O Ministério Público de Santa Maria da Feira deduziu acusação contra um médico de família por suspeitas de que tenha filmado pacientes nem roupa durante consultas de rotina.
O médico está impedido pelo MP de continuar a exercer
Hugo Delgado/LUSA
O Ministério Público (MP) de Santa Maria da Feira deduziu esta quarta-feira acusação contra um médico que alegadamente filmava as jovens que se consultavam no seu gabinete, enquanto elas se se despiam para serem auscultadas, através de um telemóvel escondido dentro de um estojo transparente que deixava poisado em cima da secretária.
Uma nota publicada na página oficial da Procuradoria-Geral Distrital (PGD) do Porto, informa que o médico terá incorrido em crime pelo menos em cinco situações, em 2014 e 2015, nas instalações de um Centro de Saúde do distrito de Aveiro. As alegadas vítimas são raparigas com idades entre os 11 e os 18 anos.
O comunicado da PGD refere que o médico começava a consulta, solicitando às pacientes levantassem a camisola até à parte de cima do soutien, e que “seguidamente, ele próprio desapertava o soutien das jovens expondo os respetivos seios, prosseguindo as manobras de auscultação, sempre em posições que permitissem o registo das imagens pela câmara do telemóvel”.
Ainda segundo informações divulgadas pelas autoridades, foram encontrados no computador e em outros dispositivos de armazenamento eletrónicos imagens e filmes de caráter pornográfico, alguns deles relativos a jovens adolescentes do sexo feminino. O Ministério Público impediu entretanto que o médico continuasse a exercer, quer no serviço público quer no privado, até ao início do julgamento.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.