segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Governo turco fecha canais de televisão e despede trabalhadores

Antigo presidente da Gâmbia é acusado de saquear cofres do Estado

Yahya Jammeh teria roubado 500 milhões de Dalasis, equivalentes a 800 milhões de meticais
O novo Governo da Gâmbia acusa o antigo presidente, Yahya Jammeh, de ter saqueado, nas últimas duas semanas 500 milhões de Dalasis, moeda local, o correspondente a perto de 800 milhões de meticais dos cofres do Estado. A denúncia surge dias depois de Jammeh ter cedido o poder a Adama Barrow, na sequência de uma forte pressão para que o antigo estadista deixasse a presidência.
 “Cerca de 500 milhões de Dalasis foram levantados pelo antigo presidente. Trata-se de muito dinheiro”, afirma Mai Ahmad Fatty, conselheiro do novo presidente, Adama Barrow.
Yahya Jammeh teria mesmo tentado levar até as viaturas de luxo da presidência, fotografadas na madrugada desta segunda-feira no aeroporto da capital, Banjul. As novas autoridades bloquearam a saída dos veículos.
As acusações surgem num momento em que o novo presidente da Gâmbia, Adama Barrow, rejeita regressar imediatamente ao país, depois de ter tomado posse exilado no Senegal. Barrow evoca questões de segurança, tendo pedido aos principais responsáveis dos serviços do Estado gambiano que se aliem a ele.
As forças senegalesas, integradas numa operação apoiada pela União Africana e pelas Nações Unidas deverão permanecer no país para assegurar a transição pacífica do poder.

  • Redacção VOA

Tayyip Erdogan já despediu milhares de pessoas e fechou vários meios de comunicação
Tayyip Erdogan já despediu milhares de pessoas e fechou vários meios de comunicação
O Governo da Turquia encerrou nesta segunda-feira, 22, dois canais de televisão e despediu 367 funcionários por, segundo o despacho presidencial, colocarem em perigo a segurança nacional.
A agência de notícias Anadolu indicou que a maioria dos trabalhadores despedidos pertence ao Ministério do Interior, principalmente de Governos municipais, e à Direcção de Assuntos Religiosos.
O Kanal 12 e on4 TV, foram acusados de "trabalharem contra a segurança nacional do Estado" e a sua propriedade foi transferida para a tesouraria do Estado.
Desde 15 de Julho de 2016, o Governo turco despediu milhares de funcionários e encerrou centenas de organizações, incluindo vários meios de comunicação

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.