terça-feira, 13 de dezembro de 2016

O QUE ESPERAR DO NYUSI?



Egidio Vaz
6 h ·



ESTADO DA NAÇÃO: O QUE ESPERAR DO NYUSI?

Os informes do chefe do Estado sobre a situação geral da nação nunca foram consensuais. Se até nos anos aparentemente menos conflituosos, como os de 2011 e 2012, os discursos do Presidente apenas “convenceram “ as mesmas pessoas. Assim, para este ano, teremos uns (os mesmos de costume) a dizer que o discurso foi “pedagógico, claro, eloquente, tendo sido feita uma radiografia real ao país” e outros a dizerem que não correspondeu às expectativas.

Uma das razões da falta do consenso reside justamente nos termos de referência e na resistência à mudança. Outras razões prendem-se com o conteúdo e o (des)interesse dos cidadãos.

Comecemos pelo conteúdo: o informe do chefe do estado é o somatório das actividades realizadas pelo seu governo num determinado ano. Normalmente estas actividades, realizadas ou não, não gera nenhum novo interesse nos cidadãos. É um relatório sobre o passado já vivido e é justamente por causa disso que o discurso perde interesse. Muitas vezes, a única declaração que gera interesse dos cidadãos é quando o Presidente afirma categoricamente se o ESTADO DA NAÇÃO É BOM ou não. Uma vez o Presidente Guebuza não disse categoricamente se o Esatdo da Nação era bom. E isso levou a que alguns o criticassem pela falta de clareza. Outra vez o mesmo PR afirmou categoricamente que o estado da nação era BOM. Alguns críticos lamentaram a conclusão tendo o acusado de ser insensível aos problemas do povo e de viver um mundo que só ele entende.

O que a maioria dos analistas e governantes não entende é que os informes do Estado Geral da Nação só serão úteis e interessantes se forem capazes de cumprir três objectivos estratégicos:

1. Mobilizar e galvanizar o espírito da unidade nacional

2. Orientar o povo para os desafios e prioridades seguintes

3. Informar retrospectivamente o ano que ora finda.

Ora, informar retrospectivamente não significa amontoar realizações do governo num determinado período. Significa reflectir sobre o ano, sobre as decisõs tomadas, extrair ilações na base das quais se esboçam novas possibilidades futuras. Os discursos sobre as realizações não interessa a maioria da população simplesmente porque já aconteceu e foi interessante no momento que se ralizou. Para ser mais concreto, grande parte da informação constante nos informes do PR deveria pertencer ao informe do governo apresentado pelo Primeiro-ministro na AR e sujeita a interpelação.

Ao PR deveria concentrar-se na reflexão de grandes temas, nomeadamente defesa e segurança, economia e relações internacionais onde aproveitaria o ensejo para nos antecipar o tipo do país que 2017 nos reserva. Na verdfade, o que muitos, inclusive os próprios diigentes não entendem é que o verdadeiro estado da nação que o povo quer ouvir não é o que passou. Mas o que está por vir, pois só esse é que o intressa. O passado só se torna útil se este servir para devolver o dividendo aos legítimos cidadãos.

Para ser ainda claro, o interesse do Discurso a Nação deve(ria) centrar-se na audiência e não no autoelogio. As estórias de sucesso deve(ria)m ser reais e centradas no beneficiário final e não apenas aos contabilistas e planificadores e a mensagem final deveria servir para reanimar os prospectos de um futuro melhor. Em teoria de comunicação, postula-se que para que um discurso seja persuasivo o suficiente, ele precisa de atender a dois tipos de factores: factores relativos a audiência e factores relativos a mensagem.

Dos factores relativos à audiência temos que compreender (1) o interesse das pessoas em obter a informação [conhecer os conteúdos], (2) a noção da exposição selectiva das diversas camadas de população aos conteúdos noticiosos [conhecer a audiência]; (3)a atenção selectiva [conhecr os determinantes da atenção da audiência] (4) a percepção seletiva [nível de cognição política](5) a memorização selectiva [o impacto do word of mouth e as generalizações/interpretações subsequentes]. Por sua vez, quanto aos factores relativos a mensagem temos que atender a (a) a ordem da argumentação [o que vai dizer antes e depois], (b) a explicitação das conclusões e (c) a integridade dos argumentos.

Se nada mudar, vai ser desafiador convencer a opinião pública sobre a situação geral da nação principalmente se continuar a centrar-se no próprio governo e nas suas realizações. Vai ser necessário não só alterar profundamente a estrutura das argumentações, a explicitação das conclusões e a integridade dos argumentos.

Trata-se de optar ou por uma inovação disruptiva ou pela contínua inovação.
Comentários


Tocova Amisse Vamos ouvir a lingua a pontar o dedo de quem quer ouvir se o estado da naçao esta hospitalizada ou morto.
Gosto · 6 h


Altino Mungoi O que esperamos é que se faca um relatório realistico,que sirva de base para reflectirmos todos sobre a nossa bela patria.Mas para todo o caso o chef d estado deve no animar com esperaca de um 2017 de recuperação
Gosto · 5 h


Joaquim Tesoura O PR não deve/devia cingir as realizações governativas, devia quanto a mim se debruçar sobre o plano quinquenal(o que se propôs fazer), o fez e o que não fez, as razões e os constrangimentos. Devia ainda rebater as funções e os fins do Estado que estão a ser cumpridos, como, por quem é qual é o nível de satisfação do Governo/ Estado, o que o PR faz, fez e irá fazer para melhorar e ou manter: emprego, corrupção, criminalidade...concordo com o ilustre EV.
Gosto · 2 · 5 h


Francisco Wilson ''.......os discursos do presidente a convencerem sempre as mesmas pessoas...''----gostei dessa passagem
Gosto · 5 h


Antonio Romao Cossa Havemos de ouvir discursos demagogicos como: a economia nacional retrocedeu pork a renamo ataca populacoes civis, ora a crise é conjuntural. E quanto às divisas nyusse vai dizer k instamos os sectores de justiça pra trabalharem anficadamente no caso. E o ùnico ponto k vai afastar nyusse cada vez mais do povo é o DIALOGO POLITICO k n ta a surtir efeitos desejados. Neste ponto havemos de ouvir discursos de sempre k a renamo deve respeitar a constituiçoes pork n se coloca regras depois do jogo ter terminado. Em suma a situaçao actual do pais coloca o nyusse e a frelimo como os unicos responsaveis pelo sofrimento do povo. No ano findo o byusse tera dito k estava orgulhoso com o k havia sido feito nakele tempinho. Mas n stava feliz com o rumo dos acontecimentos. Sou espero k desta vez diga k n esta a conseguir governar este pais e pedir ao povo para fazer justiça.
Gosto · 5 · 5 h


Valter Chiziane aplausos... bem falado
Gosto · 5 h


Álvaro Xerinda Sem dúvidas António
Gosto · 3 h


Valter Chiziane Eu pessoalmente infelizmente nao espero tanto desse governo/PR, concerteza vai ser o mesmo blá blá blá do PR dos anos passado. afinal d conta todo peixe podre da mesma bacia.
Gosto · 1 · 5 h


Mario Carlos Tete O ESTADO DA NAÇÃO É BOM! Pese embora haja algumas situações como a crise económica e alguns focos de bandidismo armando perpétrado por um grupo de fantoches,não há pais algum no mundo q não tenha problemas e MOZ não é uma ilha
Gosto · 1 · 4 h · Editado


Fauzio Mussagy Fernandes Moz tem problemas demais e pouco sucessos...
O maior PROBLEMA são criados por velhos GANANCIOSOS, uns criam dívidas, outro vai ao mato provocar Guerra...
Outros velhos ambiciosos, arrogantes, seguem o mesmo e arrastam jovens p mesmo ERRO
Gosto · 2 h


Nelo Cuna "...ESTADO DA NAÇÃO É BOM ou não..." Se a ideia e somente ir discursar, pois o ESTADO DA NACAO estara BOM mesmo no discurso que sera apresentado.
Gosto · 4 h · Editado


Hobety Luys Muhamby O Presidente da República devia aproveitar esta oportunidade para demitir-se
Gosto · 1 · 4 h


Marcos Manejo Pakhonde Pakhonde O informe nunca sera consensual, pois nao somos iguais, mesmo os Siameses pensam diferente, daí que a divergencias. A atensao e percepcao selectiva aliado ao clubismo, roça na veracidade da analise.
Gosto · 4 h


Wilson Mondlane Muito claro a sua explanação Dr Egidio Vaz! Simplesmente isso..
Gosto · 4 h


Francisco De Assis Cossa Devia adiar pk nao tem nada para falar e que o povo queira ouvir.kkk
Gosto · 3 h


Nelson Junior ............................Mas,voces ainda nao notaram de que o simples Moçambicano está saturadissimo com o Nysui e pra ser mais preciso nao é so com o Nyusi mas sim com toda classe politica... so blablas e "paleios"nao trazem a desejada paz...O simples povo,tem pedido ha mais de 2 anos que haja o fim dos tiros...estes( os tiros) ainda continuam nas zonas de Morrumbala,etc etc...mas, a midia moçambicana, mais uma vez está à espera da midia internacional pra correntes informçoes...Esse sr. se tivesse respeito ao povo moçambicano,acho que este ano seria melhor nao abrir a sua boca...o que ele vai dizer de novo??????...O Estado da Naçao é simples: é um Caos!............
Gosto · 3 h


Nelson Junior Existe esta triste percepçao da parte dos dirigentes de Mocambique e dos politicos moçambicanos com a excepçao de uns poucos politicos, de que a sociedade moçambicana é "burra"o ,ignorante e ingenua...esses dirigentes e os tais politicos estao errados pois os factos nos provam de que os diigentes e a maioria dos politicos moçambicanos sao uns grandes corruptos ( quase todos eles) falabaratos,futeis e acima de tudo feios seja externamente que internamente...estes dirigentes e politicos no Ocidente nem serviriao para limpar as casas de banhos dos restaurantes.......
Gosto · 1 · 3 h


Muchuquetane Guenjere Sem Sombra de DUVIDAS, isto eh verdade Dr,#EgidoVaz: "Se até nos anos aparentemente menos conflituosos.... , os discursos do Presidente apenas “convenceram “ as mesmas pessoas. Assim, para este ano, teremos uns (os mesmos de costume) a dizer que o discurso foi “pedagógico, claro, eloquente, tendo sido feita uma radiografia real ao país” e outros a dizerem que não correspondeu às expectativas."
Gosto · 3 h


Evaristo Cumbane Todos conhecemos o actual estado da nação.
Gosto · 3 h


Fauzio Mussagy Fernandes Estado da nação MUITO BOM... 😂😂😂😂😂😂
Gosto · 3 h


Fauzio Mussagy Fernandes Ele vai repetir e sem questões de fundo
Gosto · 3 h


Domingos Cherene Ele ja tirou fotocopia do ultimo informe. O Nuisy defraudou o povo. Nenhum presidente teve cotacao e referencias tao baixas como ele. Nem o criador de patos.
Gosto · 1 · 2 h


Fauzio Mussagy Fernandes CRIADOR DE PATOS só afundou o país...e trouxe maldade, todas crises até de caraçter social....
O PR NYUSI apenas tentando limpar sujeira e sujando mais
Gosto · 2 h · Editado


Raúl Nhagumbe O ser BOM ou MAU do ESTADO da NAÇÃO não muda nada em minha vida.
Gosto · 1 · 2 h


Armando Nzucule Jr. Normalmente é no segundo mandato que as coisas se estragam (complicam). Mas, no caso deste governo, sinseramente, logo de início "meteu água". Muitos votaram, na esperança de ver mudanças e, de facto há, mas para o pior. Resumindo, o estado da nação é #péssimo, porque ano passado foi mau, agora piorou.
#Nb: quanto a luz no fundo do túnel, tenho más notícias, a lâmpada fundiu, e não há dinheiro para a sua reposição.
Gosto · 2 h


Arlindo Chissale Eu espero ouvir do presidente sobre todo o tipo de impasse reportado pela TVM, por exemplo, (impossibilidade dos alunos frequentarem as salas de aula e solucoes /posicoes tomadas por ele, abordagem honesta e com alguma novidade , sobre a actual "dívida pública" e o seu posicionamento, nível de preparação para as eleições que veem), principalmente...

Se puder, tinha que espelhar quantas perdas humanas se foram neste conflito político.

Tenho dito!

Boas saídas
Gosto · 2 h · Editado


Otilio Beijo Com a crise enconomica, migratoria ou politica em sua conjuntura internacional eu penso que nenhum estado do mundo, desde africa a Asia, europa a america, esta' em condicoes particulares de afirmar o seu estado da nac,ao como sendo bom. Agora cabera' a cada nac.ao determinar o grau de sua enificiencia numa escala negativa de 0 a 9.
Gosto · 1 h


Felismino Amós Nada de novo de espera se não o que tem caracterizado os anteriores estados da nação, o PR irá mais uma vez cumprir o dever que lhe é reservado pela constituição, Egídio Vaz, o povo esta farto de ouvir discursos demagógicos e sensacionalistas, é preciso converter os muitos discursos em ações concretas. O povo clama por respostas e soluções sobre os vários problemas como a visão PAZ, O CUSTO DE VIDA a CRIMINALIDADE Entre outros problemas?
Gosto · 1 h


Felismino Amós Nada de novo de espera se não o que tem caracterizado os anteriores estados da nação, o PR irá mais uma vez cumprir o dever que lhe é reservado pela constituição, Egídio Vaz, o povo esta farto de ouvir discursos demagógicos e sensacionalistas, é preciso converter os muitos discursos em ações concretas. O povo clama por respostas e soluções sobre os vários problemas como a visão PAZ, O CUSTO DE VIDA a CRIMINALIDADE Entre outros problemas?
Gosto · 58 min


Salomao Jaime Eu aguardo para ver ouvir depois comento. Mas espero sinceramente as pessoas usem a sua prolpria cabeca para reflectir sobre o estado de nacao nao com cabecas de um grupinho que lhes impoe ideologias. Eu penso que o PR nao ira' dizser que o estado da nacao e' bom, porque ja' se sabe esta' pe'ssimo. Acredito que ele falara' dos problemas/desafios enfrentados em cada a'rea e apontar possiveis solucoes para ultrapassar esses desafios/problemas a me'dio longo prazos. O custo de vida subiu bastante num ano apenas, pessoas mortas com essa crise politico-militar sem fim a vista, etc. Nao vejo que por onde o PR vai vislumbrar um estado de nacao bom. Ele vai apontar desafios/problemas e respectivas solucoes, creio eu.
Gosto · 48 min


Nando Chimene É muito bom ver Moçambicanos a falar sobre a nossa bela patria,força este é bom caminho pra futuro dos nossos filhos.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.