sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Companhia aérea LaMia tinha apenas um avião e 15 funcionários


Avião que despenhou na terça-feira na Colômbia, causando 71 mortes
A Línea Aérea Mérida Internacional de Aviación (LaMia), companhia aérea do avião que despenhou, transportando a equipa do Chapecoense, na passada terça-feira, tinha apenas 15 funcionários (familiares e amigos) e um avião em actividade, sendo que depois do ocorrido, a empresa ficou com apenas 9 funcionários.
Com o acidente do avião que tirou a vida a 71 pessoas, a actividade da companhia foi suspensa pelo regulador do sector de aviação na Bolívia, a Direção Geral de Aeronáutica Civil, de acordo com o Notícias ao Minuto.
Miguel Quiroga, de 36 anos, piloto do avião, era também um dos donos da empresa. Durante anos, tentou entrar no circuito de voos comerciais para África e Europa, sem sucesso. A LaMia dedicava-se, por isso, ao transporte de equipas de futebol, tendo, inclusive, como clientes as selecções da Bolívia, Argentina e Colômbia.
O avião Avro RJ85 que caiu perto de Medellin era o único em funcionamento, a empresa adquiriu outros dois mas estavam a ser alvo de reparações e nunca foram usados. O Avro RJ85 era personalizado conforme a equipa que fosse transportar, com alteração de cores e logos tanto no interior como no exterior.
Antes de se tornar sócio da LaMia, Miguel foi instrutor de uma escola de aviação. "Foi a paixão dele a vida inteira. Quando surgiu a oportunidade de comprar uma companhia aérea, ele aproveitou", contou à BBC Osvaldo Quiroga, primo do piloto.
Há quem acuse Miguel Quiroga de abastecer o seu avião apenas com o estritamente necessário, para poupar dinheiro, e de não ter comunicado a falta de combustível como uma emergência para evitar multas, porém, o primo sai em sua defesa.
“Nenhum piloto vai arriscar a própria vida, nem a das pessoas que está a transportar. Não faria sentido colocar a própria vida em risco, ele tinha acabado de ser pai", disse Osvaldo Quiroga.
Miguel vivia com a mulher e os filhos: a bebé recém-nascida, de três meses, um menino de 13 anos e uma menina de nove.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.