terça-feira, 20 de dezembro de 2016

MANICA / RENAMO ATACA E LIBERTA 48 RECLUSOS

Um grupo de homens armados da Renamo, o maior partido da oposição em Moçambique, atacou na madrugada de segunda-feira a cadeia aberta de Inhazonia onde libertou 48 reclusos e roubou diversos bens no posto administrativo de Honde, distrito de Báruè, na província central de Manica.

Os homens da Renamo também vandalizaram o centro de saúde local onde saquearam medicamentos e a farma da Companhia de Vanduzi, uma empresa do ramo agrícola. Na farma, os bandidos roubaram quatro motorizadas e vários instrumentos de trabalho. 

A porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM) em Manica, Elsídia Filipe, que revelou o facto a jornalistas esta terça-feira, disse que na cadeia aberta, os homens da Renamo levaram fardamento dos guardas prisionais, algemas, telemóveis, bem como facilitaram a fuga de prisioneiros. 

O ataque aconteceu na madrugada da última segunda-feira. Assaltaram o campo penitenciário aberto e introduziram-se numa unidade sanitária. No campo libertaram 48 reclusos e roubaram vários bens. No hospital levaram medicamentos e na Companhia do Vanduzi saquearam material agrícola e motorizadas usadas para campo, disse Filipe, em conferência de imprensa. 

A fonte afirmou ainda que na Companhia de Vanduzi os bandidos dispararam vários tiros durante um tempo prolongado, mas sem causar vítimas humanas.  Não tivemos registo de mortes. Na verdade eles disparam muito na farma. Os trabalhadores fugiram, explicou.

Elsídia Filipe disse que uma unidade das Forças de Defesa e Segurança (FDS) já foi enviada ao terreno para neutralizar os bandidos que continuam a semear um clima de terror na zona de Honde, sobretudo ao longo da Estrada Nacional número sete (EN7) que liga a Manica vizinha província de Tete. 

Estão lá membros das FDS para repor a ordem e, se possível, levar à responsabilização todos envolvidos nesse crime, sublinhou a fonte.  Enquanto isso, prosseguem as operações de busca e captura dos reclusos foragidos.

Estamos a trabalhar para devolver todos fugitivos à cadeia. Agora temos seis já recapturados. Temos pistas para a recuperação de outros. O trabalho prossegue nas comunidades para trazê-los de volta a justiça, disse. 

A cadeia aberta de Inhazonia pertence é parte integrante da Penitenciaria Agrícola Regional de Manica. Os reclusos praticam actividade de produção de alimentos e outras tarefas de carácter social.

A Renamo continua a perturbar a vida normal dos residentes na zona de Honde, uma zona produtiva e considerada um dos celeiros do distrito de Báruè e da província de Manica em geral. Por isso, muitas famílias acabaram abandonando a região.

Nestor Magado (colaboração) /sg 

AIM – 20.12.2016

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook