quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Sentido de Estado: Uma Cultura em Degeneração


Tenho lido alguns comentários pelo Whatsapp e Facebook e vejo alguns com os seguintes dizeres a pessoa "X ou Y" não tem cultura de Sentido de Estado, eu coloco a seguinte questão porquê estes não tem Sentido de Estado? E a resposta não tarda, não tem Sentido de Estado, porque vivem criticando o Governo de Moçambique, o Governo que dia-pós-dia luta para tornar Moçambique num Estado de referência.
Caríssimos, é preciso deixar bem claro que, não foi a pessoa "X ou Y" quem perdeu a cultura de Sentido de Estado, mas sim o Governo, pois se formos as razões que levam o "X ou Y" a tecer duras críticas ao Governo é porque elas tem sua razão de ser.
Essas razões não são fictícias ou utópicas, elas existem e foram causadas pelo Governo, e que fizeram do Governo o grande culpado pela degeneração acelerada da cultura do Sentido de Estado.
E na minha opinião este Sentido de Estado foi violado de cinco maneiras a destacar:
Quando temos um Governo, que permite que o seu meio seja transformado num cativeiro de protecção dos que violaram a soberania do Estado, quem não tem o Sentido de Estado, não é o "X ou Y", mas sim o Governo.
Sendo que, um Governo que tem a consciência do poder que lhe foi conferido por um Presidente democraticamente eleito, jamais permite que o seu meio se torne num covil de corruptos;
Quando temos um Governo, que pela sua renitência politicamente condicionada ou orientada, permite o bloqueio da Ajuda Externa ao Orçamento Geral Estado, colocando em causa a sustentabilidade financeira do próprio Estado, quem não tem o Sentido de Estado, não é o "X ou Y", mas sim o Governo.
Sendo que, um Governo que tem a consciência das implicações que este bloqueio pode trazer sobre o povo, racionalmente saberia muito bem posicionar-se;
Quando temos um Governo, que pela sua composição politicamente feita, limita o seu poder de actuação e coloca em causa a sua própria independência, e desta forma permitindo com que um punhado de pessoas protegidas pela história em nome duma segurança ficticía contraia dívidas sem consentimento do povo, quem não tem o Sentido de Estado, não é o "X ou Y", mas sim o Governo.
Quando temos um Governo, que permite que o Estado Moçambicano no seu todo seja sequestrado, despido, usurpado a sua soberania e deixando-o nú a nível do Sistema internacional e tornando-o cada vez mais dependente e mendigo no concerto das Nações, quem não tem o Sentido de Estado, não é o "X ou Y", mas sim o Governo.
Pois permite que certos a pipites privados dalgumas elites nossas também protegidas pela história reduzam o poder de intervencionismo e de barganha do Estado Moçambicano nas suas relações internacionais;
Quando temos um Governo, que permite que um punhado de ambiciosos, que não controlam a gravidade que o nível das suas ambições causa ao Estado, que até chegam ao ponto de privatizarem a riqueza nacional e a essência da nossa luta de libertação nacional, submetendo desta forma o povo a um processo de esfomiatização e mendicidade colectiva, quem não tem o Sentido de Estado, não é o "X ou Y", mas sim o Governo.
Compete ao actual Governo resgatar a cultura de Sentido de Estado e não é a pessoa "X ou Y" que não tem cultura de Sentido de Estado.
Atenciosamente
IgrejaMaputo, Moçambique
6945 pessoas visitaram este local
GostoMostrar mais reações
Comentar
14 comentários
Comentários
Jaime Chambule Boa observação meu caro Bitone!
GostoResponder6 h
Josue Mucauro Na verdade ilustre Bitone Viage, os dois lados (fulano X ,Y e governo), tem défice da cultura do sentindo do estado...
GostoResponder36 h
Ariel Sonto Ntsém.... ja aqui é de vinho pra água ou água pra vinho, Rogerio Antonio
GostoResponder15 h
Rogerio Antonio Aqui só pode ser de vinho pra água. O meu broda já tinha virado vinho. Aos poucos está a voltar a água.
GostoResponder1 minEditado
Fahardine Sualehe Sualehe Dois lado da mesma moeda. Obrigado Ilustre, cada vez mais me tornando lúcido.
GostoResponder5 h
Uaide Talamudine Caro #bitoneviage, devemos interiorizar nos nossos egos que manifestar desagrado ou tecer críticas, mesmo que duras, aos que democraticamente nos representam não faz de nos cidadãos sem sentido de Estado, muito pelo contrário, pode ser a prová do cometimento intrínseco de cada cidadãos com o Estado ao qual é pertencente. 
Quem é carente de sentido de Estado é quem impede que os outros critiquem e condenem a pustura vergonhosa de alguns agentes da nossa liderança.
GostoResponder25 hEditado
Egas Andre Andre Meu caro Bitone, a crítica social é que contribui para a boa governação de um Estado, caso não o governo fazia e desfazia por não ter quem fazer prestação de contas.
GostoResponder15 h
Juma Mutualibo Assino por baixo e volto mais tarde para reforçar este post sábio,Lucido e oportuno .
GostoResponder4 h
Eurico Nhassengo Ainda estou DUUUUUUU, porque este jovem nos trouxe uma grande reflexao, porem preciso de mais alguns subsidios para concluir o meu raciocineo,
GostoResponder4 h
Eunice Jessica Niku dummmmm tsemmmmm
pensando...
GostoResponder3 h
Saide Chacala OXALÁ que essa critica chegue aos "governo"
GostoResponder2 h
Rafaeldavidcossa Cossa Parabens meu caro, pela visao, o teu "post" vai ao encontro da situaçao actual do Estado moçambicano.
GostoResponder2 h
Carlos Mabjeca Sabias palavras ilustre bitone, bem falado e bem pensado. Quem diz que criticar um governo que comete essas falcatruas todas é falta de cultura de estado. É porque a pessoa sai a ganhar com esse cenario todo e o país sai a perder beneficiando bolsos de alguns dirigentes e somos mal visto a nível internacional.
GostoResponder2 h
Rogerio Antonio Interessante a sua visão. Não podemos nos iludir por um nacionalismo fiticio para não criticamos as acções do governo. Na verdade estas pessoas que assim pensam são nocivas para a construção do estado de direito.
Donaldo Chongo Bitone Viage, não te estou a reconhecer.
Rogerio Antonio Seja claro meu irmão, não estás a reconhecer-lhe como? A reflexão dele não faz sentido?

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.