quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

A firmeza do PR

Lenon Arnaldo

A firmeza do PR

Não é segredo para ninguém que Nyusi tomou posse como o quarto presidente, em volta de uma contestação pôs eleitoral, tendo resvalado para uma guerra não declarada. A juntar a essa crise pôs eleitoral, a revelação dos empréstimos contraídos pelo anterior executivo "as célebres dívidas ocultas", o que ditou o congelamento das ajudas que as organizações ou parceiros financeiros internacionais prestavam ao país, colocando a nossa frágil economia de joelhos.

Nestas condições, poucos teriam o discernimento e coragem demostrada até então pelo presidente Nyusi, que no lugar de fazer caça as bruxas como muitos pretendiam ou pretendem, decidiu seguir os passos que julgou serem conducentes para a paz e o restabelecimento da confiança com os parceiros nacionais e internacionais e quiçá, uma verdadeira reconciliação nacional, entre a família moçambicana.

Mesmo quando os seus detratores quiseram deixá-lo nervoso ou rebaixa-lo, a ponto de dizer que ele não passava de menino de recado ou porque ele não mandava é que era um YES MAN, ele manteve-se FIRME nos seus propósitos: paz efectiva, reconciliação nacional e retoma econômica.

E hoje, já são visíveis alguns sinais dessa perseverança, mutismo ou calculismo politico.

A título de exemplo: desde que assumiu de forma FIRME o leme desta pérola do Índico, e contra aquilo que pretendiam os FALA FALA ou NOMOS, ele não optou pela rotura, caça as bruxas, mais sim, dar o seu tempo as coisas e o passo quando fosse necessário. Sem dar nas vistas, e nem muito alarido já vai montar a sua própria máquina governativa, constituída por gente anônima que estão a dar conta do recado ou de quadros com créditos firmados. E quando despertarem a quadratura já estará formada.

Nesta volta Olímpica, resta mexer o poder Judiciário (mais mediático depois da Policia), e acertar algumas agulhas em alguns sectores chaves, pois, o essencial lá está (só molada-los). Até porque o problema não está necessariamente nas pessoas, esta no sistema. E essa forma de estar ou mentalidade tem que ser combatida por forma que os funcionários públicos resgatem os seus valores e princípios ora em parte INCERTA, devolvendo deste modo a credibilidade e confiança as instituições do estado. O estado não deve continuar a ser COVIL de incompententes e lambe-botas, e nem partidário. A palavra passe deve ser competência e meritocracia.

A reconciliação e a paz que continue a ser o seu principal objectivo. Depois o resto.

Estás no caminho certo senhor presidente.

Avança não recua. A vitória é certa.
Comentários


Francey Zeúte Um reparo grande Lenon Arnaldo, o conflito militar vem ainda antes de Nyusi tomar posse. Portanto, tanto o conflito militar como as ocultas tudo é de muito antes do reinado de Nyusi. As ocultas são são descobertas ele já no comando mas também contraídas antes da sua subida à chefia da nação.
Gosto · Responder · 5 · 4 h · Editado


Lenon Arnaldo Sim ilustre. Parece-me o comente acima, foi nesse sentido.

Abraço
Gosto · Responder · 2 · 4 h


Rogério Nhamue Cara Francey...as ocultas de que comentas...foram CULTAS quando ele MINISTRO...
Gosto · Responder · 2 · 2 h


Francey Zeúte Como sabemos,caro Rogério, as mesmas não fora de conhecimento de todo executivo. O que o facto de ter sido ministro na altura não pode significar que saiba do mesmo. Até porque nesse espinhoso processo há muitas coisas que não foram canalizadas. Para a área da defesa que era respondida pelo próprio PR de hoje.
Gosto · Responder · 2 h


Rogério Nhamue ...sinceramente, meu caro...a primeira coisa que deveria ter acontecido depois d'ELE ter sido MINISTRO da DEFESA e se tornado PRESIDENTE deste país seria ABRIR uma SINDICANCIA...
Gosto · Responder · 1 · 2 h


Francey Zeúte É um ponto de vista, meu caro. Mas o meu meu comentário deixo uma outra questão. Do conhecimento do executivo.
Gosto · Responder · 2 h


Rogério Nhamue ...Então devemos começar a ter medo do EXECUTIVO...
Gosto · Responder · 2 h


Francey Zeúte Isso que diz não sou eu.
Gosto · Responder · 2 h


Rafael Ricardo Dias Machalela Rogério pá Hehehhe
Gosto · Responder · 26 min


Escreve uma resposta...





Gilda Mamuquele Lenon Arnaldo estamos firmes
Gosto · Responder · 1 · 4 h


Homer Wolf O nome do camarada Presidente da República é Filipe Nyusi... NyuSi, com UM "S"...
Ainda temos que dar aulas a certos camaradas... tsc
Gosto · Responder · 3 · 3 h · Editado


Francey Zeúte LoL
Gosto · Responder · 3 h


Lenon Arnaldo Kkkkkkkkkkkkk
Gosto · Responder · 2 h


Escreve uma resposta...





Homer Wolf Eu farto-me de rir com este tipo de análises "pendulares". Se Nyusi náo tivesse mexido no Gvt. também arranjarias argumentos para sustentar a sua dita firmeza...

Quanto a «O estado não deve continuar a ser COVIL de incompententes e lambe-botas, e nem partidário. A palavra passe deve ser competência e meritocracia», a oposição está careca de lutar por isso, e o amigo vem aqui hoje tipo "acaba de descobrir a pólvora"... tsc
Gosto · Responder · 4 · 3 h


Lenon Arnaldo Uma coisa é descobrires e não teres antídotos para potenciar, exponenciar bla bla; e mais, a nossa oposição em especial a Renamo, sempre lutou pela partidarização do estado ou órgãos afins.

Queres exemplos: a cartilha posta a mesa nas presentes negociações.

Mesmo a dita oposição a que fazes referência, nada inventou, ou melhor, não descobriu a pólvora.

Então não venha com tetra porque não tem.
Gosto · Responder · 2 h


Homer Wolf "Antídotos" é style "meios, mecanismos, estratégia"?...
Gosto · Responder · 1 · 2 h


Lenon Arnaldo Homer Wolf kkkkkkk "antão"
Gosto · Responder · 2 h


Homer Wolf tsc... temos que continuar as aulas

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.