quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Supostos criminosos barbaramente assassinados pela polícia em Maputo


PRM diz que três indivíduos assassinados no Zimpeto são criminosos perigosos

Duas viaturas ligeiras em alta velocidade, acompanhadas de tiros, invadiram a Estrada Nacional Número 1 (EN1), em Maputo. De seguida, três corpos espalhados no chão, e todos ensanguentados, bem ao lado oposto ao Armazém Nacional de Medicamentos, no bairro de Zimpeto. Este foi o cenário vivido por volta das 19:00h de ontem naquele bairro.
Quando a nossa equipa de reportagem chegou ao local, apesar dos corpos já terem sido retirados, ainda eram visíveis poças de sangue e fragmentos do corpo humano, o que mostrava a violência do acto.
Na ocasião, nenhuma testemunha aceitou gravar entrevista, alegando temer represálias.
Hoje, a nossa equipa de reportagem voltou ao local e testemunhas descreveram o cenário como terror e pânico. As nossas fontes contaram que viram uma viatura ligeira a interceptar uma outra, cujas marcas não conseguiram descrever, tendo, de seguida, a mesma iniciado os disparos que resultaram na morte dos três indivíduos.
Os nomes das vítimas ainda não foram revelados. As nossas fontes, que preferiram falar na condição de anonimato, contaram que minutos depois do caso cinco pessoas vestidas à civil e com armas de fogo bem como colectes à prova de bala desceram da viatura da qual os disparados foram efectuados e começaram a isolar o local. Por sua vez, outros carros da Polícia, com agentes de protecção civil, começaram a chegar e a remover os corpos após uma perícia.
A situação gerou congestionamento por pouco mais de uma hora uma vez que os corpos das vítimas estavam estatelados quase na EN1, à espera de remoção.

PRM diz tratar-se de criminosos perigosos e reincidentes
Entretanto, o porta-voz do comando da PRM, ao nível da capital do país, disse, hoje, que as pessoas mortas faziam parte de uma quadrilha que trocou tiros com agentes após serem descobertas a tentar sequestrar alguém no centro da cidade. Aliás, Orlando Mudumane disse que ao todo eram quatro elementos pelo que um outro conseguiu escapulir-se. Mudumane explicou ainda que dois dos mortos são foragidos da cadeia de Mabalane, localizada na província de Gaza e que já fizeram parte de várias quadrilhas que se dedicavam a assaltos a mão armada. Mudumane disse também que a intenção não era matar mas os agentes agiram em legítima defesa.

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook