segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Porque tanta Desinformação sobre o Atum

Gabriel Muthisse
December 18, 2014 ·


Em Moçambique, a pescaria do atum sempre ocorreu off shore, nas nossas aguas territoriais, por pesqueiros de vários países, sem que a mesma contribuísse para as contas nacionais. Cerca de 200 embarcações de vários países e continentes eram licenciadas para pescarem nas nossas aguas sem que, sequer, tivessem a obrigação de virem buscar as tais licenças nos nossos portos. Estas costumavam ser enviadas por fax, para os países de origem dos pesqueiros.

Vindo, pelo menos, buscar as licenças nos nossos portos, esses pesqueiros poderiam, eventualmente, ver-se forçados a se reabastecerem de agua, combustível, produtos frescos e outros. Com estes eventuais reabastecimentos poderiam, de algum modo, contribuir para a economia de Moçambique.

Qual é a origem da campanha de desinformação em curso, de que alguns dos nossos intelectuais se fazem porta-vozes? A razão radica no facto de o Governo te decidido internalizar esta pescaria. Isto significa que, de maneira paulatina, as embarcações que pescam atum terão que estar baseadas no país. Terão de contratar a tripulação dentro de Moçambique. Terão de pagar impostos em Moçambique. Terão de desembarcar e processar o pescado e a fauna acompanhante em Moçambique, influenciando deste modo as contas nacionais. Tudo isso terá um efeito tremendo sobre a economia, sobre o emprego, sobre os impostos e sobre o controlo dos níveis de captura.

A EMATUM aparece, neste sentido, como um catalisador destas alterações. Pretende-se que todos os que querem explorar este recurso alterem as suas práticas e se mocambicanizem.

Esta alteração prejudica interesses que, ao longo de varias décadas, se habituaram a fazer e a desfazer nas nossas águas. Trata-se de interesses poderosos, com enorme influência na imprensa internacional e em algumas organizações.

A campanha contra a EMATUM é, na verdade, uma campanha contra uma medida que tem uma grande transcendência no processo de exploração dos nossos recursos. Estranhamente, projecta-se a ideia de que um governo que pretende internalizar a exploração dos seus recurso só pode estar a ser corrupto. E, nesta campanha, participam (inadvertidamente?) personalidades prestigiadas do país. Sem o saberem, colocam-se ao lado daqueles que gostariam de continuar a delapidar os nossos recursos sem, sequer, contribuir na economia moçambicana.

Já vi, inclusivamente, atoardas de que nao haveria atum em Moçambique. Que as embarcações adquiridas são pequenas demais para a pescaria de atum (onde aprenderam isso?). Ora, se não há atum, o que fazem as mais de 200 embarcações estrangeiras que navegam, pescando, nas nossas aguas? Como se pesca atum em locais como Indonésia, Taiwan, Japao e outros locais? Só com embarcações grandes?

Para terminar, talvez dizer que mesmo os pescadores artesanais participam, em muitos países, neste tipo de pescaria

Share
124124
18 shares
70 Comments
Comments


Egidio Vaz "Ora, se não há atum, o que fazem as mais de 200 embarcações estrangeiras que navegam, pescando, nas nossas aguas? " Perfeita pergunta. Eu também comento sobre atum apensar de nunca ter comido atum na minha vida; a cara do atum, só nos filmes ou desenhos e fotografias. Provavelmente não coma porque perdi vontade por saber é muito caro. Entretanto, por se tratar de um assunto público, estou muito estimulado para que o negocio de resultados e contribua para riqueza nacional. Fui o primeiro a colocar fotografias que documentam o exercicio pratico da EMATUM em Moçambique, apesar de noticias contrarias darem a indicaçao de que a EMATUM anda a pescar especies proibidas ou protegidas. Quando finalmente tivermos uma loja de venda de atum nacional, talvez os TOMAZES de espírito irão baixar o seu espirito ceptico ou pessimista. Avante com o trabalho. Viva o ATUM!
December 19, 2014 at 7:28am · Edited · 13


Elisio Macamo o problema pode não ser apenas a vontade de desinformar. o maior problema parece-me o de marcar pontos fáceis, algo que está cada vez mais na moda entre nós. as pessoas não se informam devidamente, ou aceitam apenas aquilo que lhes convém. eu não entendo nada deste assunto da ematum, mas deploro o tipo de "discussões" que se fazem em seu torno.
December 18, 2014 at 4:59pm · 13


Gilberto Chamango No meu entender os diversos questionamentos sobre este assunto surgiram logo com o aparecimento brusco desta instituicao. A forma como procedeu sua constituicao, os segredos deste negocio do Estado, a pouca informacao sobre os dinheiros envolvidos para formar o capital de investimento, etc, fezeram ferver a opiniao publica sobre o assunto. Bem, ja eh passado. Cabe agora propia Ematum aparecer e parecer transparente sobre quem sao eles, o que fazem e como o fazem. Acho que estao comecando a levantar o voo.
December 18, 2014 at 5:17pm · 6


Chakil AbooBacar Caro Egidio Vaz .... O problema é que a sua intervenção veio carregada de muita mistura! Faça o seguinte, saúde ( como fizeste) a iniciativa da EMATUM e depois num outro momento , critique (se necessário) a pesca de espécies protegidas! Assim como fizeste, retira o mérito duma grande conquista dos Moçambicanos! Quanto ao comer atum, prometo logo que chegar a Nacala farei uma encomenda para ti e enviarei a partir do Aeroporto Internacional de Nacala...
December 18, 2014 at 5:18pm · 8


Hortencio Lopes Na minha opiniao julgo que o problema nao esta na desinformacao, mas sim na falta de clareza e transparencia de como foi tratado este assunto, na medida em que o governo ocultou o assunto criou espaco para a desinformacao. Lembrem-se que ficamos a saber deste assunto atraves de fontes estrangeiras. Julgo que ninguem esta contra a internalizacao da pescaria, alias, de facto muitos nao sabiam que Mocambique tem atum, e era responsabilidade do ministerio das pescas informar o que o pais tem como recursos marinhos. A falta de informacao cria espaco a especulacoes.
December 18, 2014 at 5:22pm · 4


Egidio Vaz Chakil AbooBacar, não vejo nada de mau no que escrevi. E não sou responsável pelos comentarios dos outros. Eu jamais seguiria teu cardápio por achá-lo estranho. Quem vê a carga de mistura é você, sei-la porquê. Apenas informei, citando fontes.
December 18, 2014 at 5:24pm · 5


Manuel J. P. Sumbana Bom francamente toda a gente questiona a maneira 'fishy' (talvez por ser assim) como a EMATUM surgiu e as muito 'atrapalhadas' declaraçoes dos governantes quando questionadas sobre o assunto. O envolvimento da 'bufaria', uma instituição nada vocacionada na prestaçâo de contas também adiciona um certo nervosismo. E recentemente parece que há um paralelismo com o recém-arquivado caso dos submarinos na Tuga (fabricados na terra adotiva do Elisio). Sempre 800 milhões...;-)
December 18, 2014 at 5:24pm · 6


Benjamim Tomas E caro irmão Chakil Chakil AbooBacar, não te esqueça que eu também quero Atum! Envie pra mim também!
December 18, 2014 at 5:25pm · 1


Gito Katawala Boa bola Cda Gabriel Muthisse. Boa jogada!!
December 18, 2014 at 5:26pm · 2


Zé Joel Eu tambem não me revejo muito no tipo de debate que muitas das vezes se promove nesses forum, não abstante a isso, alio-me aos que denuciam a ausencia, quase que institucionalizada de informação com relção a temas de grande vulto e interesse nacional quanto este, Dr Mutisse agradecemos por seres o reformista, a antitese da ausencia de comunicação e transparencia no consulado do tio Guebuza, deixaras um legado, so aa sua presença aqui já é tida como lunática pra os apostolos do silencio e da unanimidade doentia, todavia, pedimos mais transparencia nos negocios públicos so assim evitaremos situações de desinformação. Tenho dito. Gabriel Muthisse
December 18, 2014 at 5:53pm · 11


Mablinga Shikhani Hehehehehehehehe...
December 18, 2014 at 5:56pm · 1


Gilberto Correia Creio que se questiona mais a falta de transparência deste processo, principalmente envolvendo as significativas quantias envolvidas e o ónus do erário público, do que o seu próprio mérito. Mérito e transparência não devem ser incompatíveis. Os primórdios deste assunto da EMATUM foram um hino à nebulosidade, e à contradição. E sobre este aspecto particular só consigo ver um responsável: O Governo. Neste tipo de negócios há que ser como a mulher do Imperador: não basta ser, é preciso também parecer.
December 18, 2014 at 6:34pm · Edited · 13


Alfredo D. Baltazar Gilberto Chamango, quero lhe lembrar que antes de se falar da EMATUM, leu-se noticias sobre a compra de 30 embarcações francesas. Na tentativa de se explicar ao povo, devido a pressão da imprensa, o governo foi se contradizendo, ao ponto de anunciar a EMATUM. Em suma, houve falta de transparência (que infelizmente ninguém quer assumir).
December 18, 2014 at 6:38pm · 2


Manuel J. P. Sumbana Na mosca, Gilberto. E insistentemente os parceiros de cooperação passam a vida a pisar neste aspecto. Ok, o governo nâo trabalha para eles (bom, deles só queremos a mola barata), mas sim para os Moçambicanos. Quando os Moçambicanos (que pen6samente pagam o imposto) questionam sâo desinformadores...
December 18, 2014 at 6:47pm · 5


Arnaldo Vequina Mueha Foi boa idea mas gostaria que houvesse mais fiscalizacao das embarcacoes piratas
December 18, 2014 at 6:49pm


Alfredo D. Baltazar Chaki AbooBacar, já tinhas comido atum em Nacala? Desculpa a minha curiosidade...
December 18, 2014 at 6:49pm


Gabriel Muthisse Caros amigos Gilberto Correia a Alfredo D. Baltazar, uma coisa é critica e verberar a falta de transparencia e outra coisa é opor-se à iniciativa como um todo, ridicularizando-a, publicando desinformações e alegando que não existe atum em Moçambique. Nestes casos há um dito muito feliz que recomenda que não se deve deitar a água suja da bacia com o bebé. Ademais, no que muitos vêm falta de transparencia (propositada), eu vejo inepcia de comunicação. Não tenho dificuldades de reconhecer que comunicamos mal neste e em outros aspectos. Era bom ver que nós viemos de uma sociedade opaca, fechada e com um culto exacerbado do secretismo. e não é só o governo que padece dessas mazelas. Os Partidos, as organizações da sociedade civil, a sociedade toda precisa de evoluir neste aspecto. E isso não se faz por decreto. é um processo muito complexo. Por exemplo, alguém conhece as contas das nossas mais prestigiadas organizações da sociedade civil? Porquue nao as conhecemos? Mas insisto, no caso do atum, não devemos deitar fora o bebé junto com a água suja
December 18, 2014 at 6:51pm · 12


Gabriel Muthisse Questionar é uma coisa Manuel J. P. Sumbana. Ridicularizar a iniciativa, insistir até à exaustão que não há atum em Moçambique é outra coisa. Por acaso o Sumbana conhece as entidades que se beneficiam da pesca off shore do atum? É capaz de distinguir, no azedume das suas denúncias, o despeito por se estar a alterar o modus operandi de d
December 18, 2014 at 6:55pm · 2


Gabriel Muthisse décadas das justas tiradas contra a falta de transparência?Muitos dos tais "parceiros" estão a destilar veneno, simplesmente porque, a prazo, a pesca do atum terá de ser feita por empresas registadas e baseadas em Moçambique. E eles não querem isso. Tão simples como isso.
December 18, 2014 at 7:06pm · Edited · 5


Manuel J. P. Sumbana Nâo subscrevo a ridicularizaçâo do Egidio. Mas admito que esta situaçâo de falta de transparência cria falta de informação e suspeitas. E quem desconfia pode usar a criatividade para satiriyar e/ou caricaturizar. Principalmente quem lida com informação. Eu acho que se nâo hà nada 'fishy' o governo pode daqui em diante manter uma postura de transparência e neutralizar os desinformadores.
December 18, 2014 at 7:04pm · 3


Alfredo D. Baltazar Fico feliz pelo assumir (nem que seja de forma involuntária) a falta de transparência, sobretudo no caso EMATUM. Isso revela outro nível de carácter no seio dos nossos governantes e dirigentes no geral. É ainda verdade que o dilema "falta de transparência" abrange outros quadrantes, incluindo o nível familiar, mas se isso não é à eles obrigatório, não temos usá-los para nos desculpar.
December 18, 2014 at 7:04pm


Alfredo D. Baltazar Mas também me entristece a relação segundo a qual, o ministério das pescas mão foi funcional, ao ponto de licenciar 200 embarcações via fax. Haverá responsabilização aos que receberam salários e outras mordomias, mesmo sem fazer de forma correcta as suas tarefas, ou a descrição de trabalho não estava clara...
December 18, 2014 at 7:12pm · 1


Alfredo D. Baltazar Quis dizer a REVELAÇÃO
December 18, 2014 at 7:13pm


Gabriel Muthisse Moçambique está na vanguarda na internalização da pescaria do atum. Grande parte dos paises que licenciam atum para embarcações estrangeiras seguem, ainda, as práticas que descrevi aqui: (i) licenças enviadas por fax; (ii) pesqueiros que não entram nos portos dos paises licenciadores; (iii) tripulações dos pesqueiros que nao contam com nenhum nacional; (iv) produto da pesca que não é contado no PIB do país "dono dos recursos"; (v) vendas do atum, pelos barcos licenciados, sem que isso influenciasse em nada a balança de pagamentos do "dono dos recurso". Praticamente todos os países subdesenvolvidos seguem este padrão no que se refere à pescaria do atum. Poder-se-ia dizer que é um paradigma mundial. Não se trata de "mau funcionamento" do Ministério das Pescas. É esta realidade que iniciativas como a da EMATM pretende alterar. E isso que provoca o veneno dos "parceiros" apoiados por Manuel J. P. Sumbana
December 18, 2014 at 7:20pm · 2


Manuel J. P. Sumbana Jà está a ser ligeiramente mais transparente e devo congratulá-lo por isso, Gabriel. Só que a operaçâo de 'formaçâo', estruraçâo e financiamento da Ematum continua para mim nebulosa. E eu gosto de fiscalizar quem toma iniciativas com os meus impostos. Se este sentimento coincide com o dos outros (de dentro e/ou de fora) embora me alegre não assumo a responsabilidade.
December 18, 2014 at 7:33pm · 2


Alfredo D. Baltazar Se esses esclarecimentos fossem atemlados, nenhuma boca se abreria, tal como se abriram as de quase todos moçambicanos, quando leram a notícia francesa. Mesmo assim, sugiro que se enalteça o esforço do Ministro Gabriel Muthisse, que mesmo respondendo por outra área, tenta limpar a nódoa...
December 18, 2014 at 7:33pm · 1


Manuel J. P. Sumbana E sempre vigiarei o governo. É meu papel como cidadão responsável que nâo acredita no Estado-papå ou Estado-vaca leiteira.
December 18, 2014 at 7:35pm


Gabriel Muthisse A grande diferença entre nós os dois é que, para ti, tudo o que vem dos "parceiros" só pode ser bom. "Porque apoiam o orçamento"! Já eu procuro descortinar o que estará por de trás de cada "exigência", de cada "acusação", de cada "lista". E, caro Manuel J. P. Sumbana, muitas vezes concluo que não há necessariamente altruismo por trás de cada grito. E digo-o.
December 18, 2014 at 7:37pm · 2


Antonio Martins Ha ha haaaa o leão e as gaselas, que bonita história é esta. Ler e calar bem caladinho pá.
December 18, 2014 at 7:44pm


Manuel J. P. Sumbana Tem essa prerrogativa. Tal como o Egidio Vaz. Mas tal como nâo subscrevo a dele, nâo subscrevo a sua. E viva a diversidade.
December 18, 2014 at 7:45pm · 1


Catarina Nhoane Com todo respeito excia deixe o Vaz postar o que quiser ele esta desnorteado;pk ora vejamo ele nunca tem postes falando das coisas boas do governo
December 18, 2014 at 8:09pm


Alexandre Zerinho A mim também me parece que o actual problema não tem a ver com a maneira como a EMATUM surgiu, a maneira como está estruturada etc e sim com as informações que são levantadas em alguins posts que indicam que os barcos não tem capacidade, que o ATUM não será pescado nas nossas aguas etc.
December 18, 2014 at 8:24pm


Alexandre Zerinho É como se a questão de transparencia tivesse ficado ultrapassado e actualmente a ideia fosse de desinformar acerca do funcionamento deste projecto
December 18, 2014 at 8:25pm


Manuel J. P. Sumbana Tsc. Zerinho.See Translation
December 18, 2014 at 8:29pm


Muzila Wagner Nhatsave Não queria me alongar e nem comentar este assunto, mas quero concordar com os que dizem que houve falta de comunicação e até transparencia aquando da formação da empresa,ha que dar a mão a palmatória nisso.Mas questionar e redicularizar a existencia da...See More
December 18, 2014 at 8:54pm · 6


Manuel J. P. Sumbana Obrigado, Muzila. Juntos fazemos a diferença. Qual é o bife?
December 18, 2014 at 8:59pm


Eusébio A. P. Gwembe Eu só queria dizer que a transparência e a defesa da soberania nacional não andam juntos. A EMATUM tem que ser vista como assunto de segurança nacional. É bem vinda, em todos os sentidos. Os que tentaram manchar a iniciativa o fizeram conscientes de que os dias de usurpação dos nossos recursos já estavam contados. Basta referenciar que o assunto não saiu de Moçambique, mas de lá da terra dos principais beneficiários das nossas fragilidades. Valeu o esclarecimento, Gabriel Muthisse
December 18, 2014 at 9:03pm · 1


Muzila Wagner Nhatsave nenhum Manuel J. P. Sumbana, o que me irrita é o bota baixo nosso.não questionamos antes de acusar e mentir e muitas vezes acabamos fazendo papel ridículo e de ignorantes.concordo eu que se questionem coisas, mas não que as distorçam. ha muita má fé nesta coisa toda
December 18, 2014 at 9:03pm · 2


Manuel J. P. Sumbana Eusébio. Vou-te bloquear. You can do better than that.:-(
December 18, 2014 at 9:09pm · 1


Muzila Wagner Nhatsave he he he voce pa
December 18, 2014 at 9:10pm · 1


Manuel J. P. Sumbana Escreve outra vez sem pressa, Eusébio. Daqui a pouco 'oiço' mal à noite já sabes...3-100:-P
December 18, 2014 at 9:14pm · 1


Patrício Munhepe Tenho que concordar que a criacao de uma empresa nacional como forma de comecarmos a dominar e controlar os nossos recursos pesqueiros foi uma decisao acertada e sabia.Tambem subscrevo que houve falta de informacao lancada p a sociedade por parte do governo no q converne a importancia deste investimento, para mim vital p a industria pequeira nacional.Pronto,aconteceu e so falha quem trabalha.Devemos nos focar naqueles que serao os beneficios que a Ematum trara p a economia do pais,nao somente atraves das suas contribuicoes fiscais e empregos criados,mas tambem pelo controlo estrategico deste pescado(Atum)que como disse o camarada Gabriel Muthisse,estava sendo "legalmente usurpado" por companhias estrangeiras, e ai acho q p muitos ficaria bem se tal situacao perdurasse.So quero acrescentar q actualmente o preco por kilo do Atum ronda os 40 a 50usd,e o mesmo pesa por volta de 350 a 500kg,resumindo,um Atum pode render uns bons 13000usd em media.E' um excelente negocio sem duvidas,e os valores envolvidos foram elevados,mas se os recursos existentes sao abundantes e a qualidade excelente, temos entao uma receita p o sucesso.O q posso sugerir e' q o governo comece a divulgar mais afincadamente a importancia deste investimento e os seus beneficios p os cidadaos e q o retorno do mesmo esta garantido pelo volume da procura internacional q o pescado tem.Podemos comecar a pensar em atacar outras areas para alem do acucar e atum,de modo q exploremos nacionalmente as mesmas.Bem hajam
December 18, 2014 at 9:57pm · 4


Manuel J. P. Sumbana Patricio, este é um assunto de camaradas?
December 18, 2014 at 10:02pm · 1


Zé Joel Amados, sugiro em nome da sensatez e da concordia que coloquemos término a esse assunto, para tal tirando as ilações mais relevantes do mesmo, reiterando e retirando o que for necessário e por fim pedindo mais uma vez a V Exc O Sr Ministro que sirva do nosso interlucutor junto do Conselho de Ministro, nos devemos ser sóbrios quando estamos diante de alguem que tem acesso directo ao centro de decisões deste país. Deixemos de banalizar tudo e usemos os trez pedidos a lampada magica sabiamente. Tenho dito. Boa noite.
December 18, 2014 at 11:10pm · 1


Muzila Wagner Nhatsave NAO desconversa Manuel J. P. Sumbana assunto de camaradas como assim? Patricio meu irmão ainda na Beira?abraço ai
December 18, 2014 at 11:13pm · 2


Manuel J. P. Sumbana Vocé é que está a desconversar. Camaradagem é em forum proprio. Bebeste outra vez?
December 18, 2014 at 11:22pm · 1


Muzila Wagner Nhatsave voce pa
December 18, 2014 at 11:48pm · 1


Manuel J. P. Sumbana Amanhã, Muzila. Vamos ao muthluthlu. E falamos da nossa camaradagem.;-)
December 18, 2014 at 11:53pm · 1


Muzila Wagner Nhatsave he he he ok Sumbana não ha macas
December 18, 2014 at 11:55pm · 1


Alívio Jopela Elucidativo. ....See Translation
December 19, 2014 at 12:04am


Patrício Munhepe Nao Manuel,e' um assunto da nacao mas nao tenho porque nao tratar um membro do mesmo partido q o meu poe camarada.
December 19, 2014 at 12:20am


Patrício Munhepe Ainda tou na Beira Muzila.
December 19, 2014 at 12:22am


Muzila Wagner Nhatsave que bom saber mano. tenho vindo ai mas sempre por pouco tempo
December 19, 2014 at 12:24am


Domingos Gove Com a liberdade das tecnologias de informação sempre fico na dúvida se a verdade vinga por si só ou com a capacidade de articular as palavras. Fiz a minha licenciatura abordando a pescaria de atum em Moçambique no Departamento de Ciências Biologicas da UEM em 1991. Actualmente estou plo destino a trabalhar de novo a 3 anos na promoção da gestão sustentável da pescaria do atum a nível de todo o Oceano Índico. A injustiça na distribuição dos benefícios da pescaria de atum entre os países distantes k pescam este recurso nas nossas águas e um facto. O desenvolvimento de uma frota nacional por parte dos paises costeiros em desenvolvimento do Oceano Indico e uma obrigação pra os Estados membros da Comissão de Atum do Oceano Indico. Que essa acção põe em causa os interesses de Países Estrangeiros e inquestionável. Que o k Moçambique fez outros países já fizeram como Seychelles, Maurícias e África do Sul e verdade; e k serve de de incentivo para outros países da região também seguirem e Verdade. Polémica sobre a transparência ou comunicação sobre a Ematum e uma coisa; agora, o seu estabelecimento foi a melhor coisa de todas pra o nosso Pais exercer a sua soberania e maximizar os benefícios socioeconómicos. Isso implica a abordagem da sustentabilidade ambiental desta pescaria e o país ta a avançar neste sentido. Oxala k este esforço continue
December 19, 2014 at 1:25am · 7


Egidio Vaz Manuel J. P. Sumbana, de que ridicularização se refere? Eu ridicularizei o quê em relação a EMATUM? Mostrar fotografias de uma reportagem? Dizer que a EMATUM mostrou o marlin e não o atum na sua apresentação pública? Provar que a EMATUM tem PCA e directora-geral? Isto começa a cheirar perseguição. Pensando que estou a contribuir para a clarificação da dúvida acabo sendo acusado de estar a ridicularizar a EMATUM. Este mundo é mesmo muito injusto.
December 19, 2014 at 7:33am · 5


Telma Almeida Joel Lameco
December 19, 2014 at 8:10am


Imtiaz Vala Tanta desinformação em tudo!Agora são as nossas embarcações a explorarem os nossos recursos pesqueiros e contribuírem para o crescimento económico.Forca EMATUM!
December 19, 2014 at 9:11am


Humberto Poio Esta bem dito meu camarada...!!!
December 19, 2014 at 9:23am


Anatercia Vicente verdd das verdades
December 19, 2014 at 10:56am


Manuel J. P. Sumbana Bom, penso que hà duas pergunta para fechar o assunto, no que a mim concerne.

Porque é que o governo nâo foi aberto e foi o governo Francês (que é da UE) a revelar este business?

Porquê a inclusâo do SISE na estrutura accionista da EMATUM? Como é que vâo ser 'fiscalizados' os dividendos, isto é para a sua utilizaçâo. Lembro-me dos problemas que jacinto Veloso teve com a SOCIMO...
December 19, 2014 at 2:59pm


Charles Viagem e a madeira?
December 20, 2014 at 2:02am


Ze Carlos INFO: Ver Projecto "Pesca de Atum c/ vara, c/ navio Pedra Badejo", c/ resultados positivos; definicao "off-shore" entre aguas territoriais e juridicionais, legislacao e requisitos de exploracao; Inspeccao obrigatória c/ embarque de Inspectores nos navios licenciados e descargas/ controle de capturas em Porto Pesqueiro; a ex-Inspeccao Geral de Pescas desempenhava papel fundamental/actual organismo c/ mesmas funcoes...alguns aspectos que fazem parte da historia de pesca de atum em Mocambique, recurso pelágico, sazonal, migratório e de alto valor comercial!
December 21, 2014 at 1:52am · Edited · 3


Altino Mandlaze Hhhhhhhh Egidio Vaz calma. Talvez seja pelo facto de ser conhecido como quem vem sempre para ridicularizar o governo e chamar Messias a DHL acaba sendo irónica a leitura da tua escrita parcial. Eu vi o teu poste e não achei nada de errado porém há que não acreditar num pão vindo de te, suspeita -se que esteja envenenado e ninguém irá servir.

Nós temos esse grave problemas de adorar o estrangeirismo e ridicularizar o que é nosso. Perguntaram Ministro Chang porque o País se individava e eis que este responder. Estamos a investir. Incrível é que há quem não vê isso. Há quem não sente isso é nunca saudou de viva voz nenhum êxito do governo. Os que pensam que ser analista é apenas estar contra e para subir na vida é sempre necessário contrariar. Ematum pode ter seus erros como refere -se num dos comentários quem trabalha erra. Mas que o projecto como tal é necessário até quem escreve no face book e diz na televisão que não. sabe bem que sim.
December 21, 2014 at 10:53am · 3


Elvino Dias Dr. Gabriel Muthisse, o problema não é o atum e a respectiva pesca, mas o secretismo excessivo que rodeou o negócio. Por mim, o estado foi feliz na iniciativa e infeliz no procedimento
December 21, 2014 at 3:51pm · Edited · 1


Fernando Muianga Ematum ja come começou mal com seu surgimento. socorro
December 21, 2014 at 3:59pm


Manuel J. P. Sumbana Por isso, Elvino, para um governo a interrogação 'ARE WE DOING THE RIGHT THING?' deve ser sempre complementada por 'ARE WE DOING THE THING RIGHT?' sob o risco de andarmos sempre banidos de espaços aéreos e cantarmos que estamos a progredir.
December 21, 2014 at 3:59pm · 2


Fernando Muianga Tudo falácias
December 21, 2014 at 4:00pm · 2


Fernando Muianga Mano Gabriel Muthisse, eu te considero muito pela capacidade de ouvir vários actores, sobre a sensibilidade do desempenho das instituições que V.Excia dirige.Por isso Makissimusse yahombe ni lembe dza yuani
.
December 21, 2014 at 4:07pm · 2


Fernando Muianga O resto ceterius paribus

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook