quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

"... o inimigo pode falar a nossa língua, vestir a nossa farda, comer da mesma maneira que nós


Zenaida Machado
19 de Outubro de 2016 ·

"... o inimigo pode falar a nossa língua, vestir a nossa farda, comer da mesma maneira que nós, pode dar vivas à FRELIMO, até gritando mais do que nós. O que ele nunca pode, não é capaz, é de ter o nosso comportamento, viver a nossa linha política. Não pode o inimigo abandonar os vícios que o caracterizam. Vejamos quais: o desprezo pela mulher, o espírito de conforto, a ambição pessoal, o alcoolismo. Não é capaz de respeitar o Povo. Não pode deixar de ser tribalista, não pode deixar de ser regionalista, confusionista, divisionista, racista. Essa é a característica do inimigo. Não pode ter uma vida simples, praticar a modéstia. Não é capaz de abandonar a arrogância, o culto da intriga, da calúnia e do boato. A sua moral, repetimos, oiçam bem, a sua moral, a sua civilização, é a corrupção.
(...)
E quando os grandes estão corrompidos, os pequenos seguem o exemplo. Criam-se redes de comprometimento, de amiguismo, de nepotismo. Cria-se um Estado de padrinhos, um Estado de cunhas, um Estado de sócios. Criam-se redes cujo objectivo é o roubo, a corrupção, a violação da legalidade. Quando a situação chega a este ponto, está já instalada a infiltração ideológica. E estão criadas as condições para a infiltração física. A porta está aberta para o inimigo." (Samora Machel, comício de 1981)
Samora Moisés Machel morreu a 19 de Outubro de 1986 (faz hoje, 30 anos) num acidente de avião. Até hoje, as circunstâncias que deram origem a queda do avião presidencial, não são claras.



Vakitheee
Ocorre-me pensar que, depois de 67 dias de PAZ, muitos guerrilheiros da Renamo, terão visitado muita familia e eles mesmos visitados por outras pessoas. Que eles terão percebido das vantagens da enxada, comparada à arma, terão desfrutado de festas, um churrasco aqui e outro acolá, terão até se apaixonado novamente pelas suas mulheres e alguns até mesmo contraído matrimónio. Terão jogado algumas partidas de futebol, de Xadrez, de Ntxuva, terão bebido 2M, bem gelada e outras bebidas da época, terão aprendido a tocar um instrumento musical ou até mesmo participado de uma gravação musical sobre a Paz, terão dançado e suado ao ritmo de Mr.Bau e outro ‘’hiteiros’’ deste nosso tempo.
Se eu estiver certo, a PAZ terá vindo para ficar pois, ninguém, depois de desfrutar das inúmeras vantagens dela, se arriscaria a pô-la em causa.
Obrigado Senhor Presidente da República pela sua estratégia em curso para o alcance da Paz em Moçambique.
Obrigado Senhor Afonso Dlhakama, por aceitar o que quer que lhe tenha sido proposto no quadro da estratégia presidencial.
Obrigado a todos aqueles que, pertencendo a uma ou outra organização, alguma coisa fizerem para que dos 67 dias de tréguas, avancemos para uma PAZ DEFINITIVA.
Deixa-me terminar dizendo que: quem curte paz de 7 dias, sente o gosto e depois a prolonga por 60 dias, vai sentir ainda mais gosto e vai deixar que seja definitiva, porque ela anima.
Eu acredito e tú?
Vakitheeeee
Gosto
Comentar
Comentários
Percida Langa
Percida Langa Que venha a paz definitiva
Isac Tsamba
Isac Tsamba k seja prolongada tregua por mais 100 anos
Vitorino David
Vitorino David também ACREDITO
Cidy Magaia
Cidy Magaia Que a Paz seja eterna. Como é tão bom viajar do Zumbo ao Índico de carro desfrutando da "PAZ de espírito e política"
Gosto · Responder · 2 · 9/1 às 10:22
Gilberto Correia
Gilberto Correia Filimao Suaze bom ano de 2017. Só não percebo porque te custa dar mérito ao Presidente da Renamo( no quadro da estratégia presidencial? ). Já diz um velho ditado se um não quer dois não fazem.
Gosto · Responder · 3 · 9/1 às 10:43
Filimao Suaze
Filimao Suaze mano, dei sim, eventualmente a minha escrita nao tenha deixado isso claro. dei sim, logo depois do paragrafo em que dou Merito ao PR, dei a ele tambem. Nao ha Milando aqui mano Betinho. Estou alinhado com os dois e consigo tambem. kakakakakak
Gosto · Responder · 4 · 9/1 às 10:51
Antolinho André
Antolinho André Vivaa PR pela sua maneira visionária. ..
Rafael Pedro
Rafael Pedro Idem... A maneira visionaria do PR! Vivaaaa
Dino Dulá
Dino Dulá "Obrigado Senhor Afonso Dlhakama, por aceitar o que quer que lhe tenha sido proposto no quadro da estratégia presidencial." 

No ponto acima 👆🏾👆🏾👆🏾, parece que ao Dlhakama foi-lhe proposta a ampliação do período da trégua (+mais 2 meses), não fo
i o que me ocorreu e já estava confuso, contudo, o ponto abaixo clareou a minha dúvida, a paz temporária é graças ao líder da Renamo, unicamente e exclusivamente...
👇🏾👇🏾👇🏾👇🏾👇🏾👇🏾👇🏾👇🏾

"Deixa-me terminar dizendo que: quem curte paz de 7 dias, sente o gosto e depois a prolonga por 60 dias, vai sentir ainda mais gosto e vai deixar que seja definitiva, porque ela anima."
Antolinho André
Antolinho André Anima mesmo por isso vamos!... Paz para sempre.
Efraimo Neves
Efraimo Neves Atenção não podemos dormir a sombra de bananeira temos que assumir compromissos e honra los e nada de fintas, pois saibam meu irmão Filimao Suaze que partimos da Paz para guerra e não será deficil retomar até porque não sabemos por onde andam os HAR, então aqui não deve se tratar de estratégias mais sim compromissos
Sebastiao Conceiçao
Sebastiao Conceiçao 👏👏👏👏👏👏👏👏👏quem pode dá quando quer. Que seja para sempre.😂😂😂😂😂😂💃
Nilza Lizete Madoele
Nilza Lizete Madoele Que a paz seja duradoura. Eu acredito!
Damiao Cumbane
Damiao Cumbane Mais do que nos contentamos com os 67 dias de paz, é preciso que, sem remorsos nem recalcamentos, busquemos as causas da constante instabilidade. De contrário, hoje é com Dlhakama e amanhã poderá ser um outro. Em África não falta gente para fazer guerra porque as causas das guerras são tantas: a intolerância, miséria, desigualdades no acesso às oportunidades que o país oferece, as fragilidades institucionais que levam as pessoas a não acreditarem no Estado, dentre várias outras.
Kino Mboana
Kino Mboana Não deveria existir Paz de 7 ou 60 dias, a Paz tem que ser efectiva para um povo que merece
Antero Manhica
Antero Manhica Do jeito que as coisas acontecem no nosso país leva me a pensar que a PAZ é propriedade exclusiva de duas pessoas (refiro me ao PR e ao PR) e vão nos dando a medida e consoante as suas vontades.
23 milhões de pessoas merecem viver em paz e não alternar paz e guerra de acordo com vontade de duas pessoas!


Vuvu Kwa Nzambi Um homem raro!
Gosto · 19 de Outubro de 2016 às 13:33


Andre Manhica Sabias palavras!
Gosto · 19 de Outubro de 2016 às 13:55


Mario Nunes Um homem de um charisma extraordinario. Sabedoria e conhecimento sao duas coisas distintas. Gracas a sua sabedoria ele deixou um legado que hoje continua a ser seguido por muitos Mocambicanos e nao so.
Gosto · 19 de Outubro de 2016 às 13:55


Mario Albano Mário Nunes sério continua ser seguidos por miutos moçambicano. Jura ! Onde isso cá ou na diáspora?
Gosto · 1 · 19 de Outubro de 2016 às 15:27


Mario Nunes Eu convivi com Mocambicanos durante muitos anos estive a residir em Mocambique de 2012 a 2015. Nao digo que seja a maioria mas pelo menos as pessoas com quem trabalhei e que faziam parte do meu circulo de amigos e aquelas com quem eu tive contacto tinham Samora Machel como um exemplo a seguir. Ate alguns mais jovens o admiravam e faziam comentarios sobre as suas realizacoes como estadista. E claro que encontrei alguns que nao compartilhavam da mesma opiniao. Talvez a minha apreciacao seja um pouco distircida da realidade mas foi isso que eu percebi. Trabalhei com uma equipe de Mocambicanos de 2007 a 2010 em tres paises e eles consideravam Samora Machel e Joaquim Chissano os presidentes que o povo Mocambicano jamais esquecera pelos seus feitos. Para mim eram muitos mas pode ser que se considerasse a nivel nacional talvez tivesse uma opiniao diferente.
Gosto · 1 · 19 de Outubro de 2016 às 16:21


Mario Nunes Gostaria de acrescentar que tive muito orgulho de trabalhar com Mocambicanos. Gracas a sua dedicacao conseguimos alcancar muitos resultados.
Gosto · 1 · 19 de Outubro de 2016 às 16:41


Mario Albano O meu poste foi no sentido irônico da situação em que nos encontremos hoje em Moçambique, concordo consigo eu só um deles que tento seguir os ideais de Samora aqueles que se enquadra com a realidade. Mas é bem verdade que os servidores públicos os gestores estes so falam de Samora como "moda" por que as suas acções são totalmente adversa ao princípio de Samora.. Fala de Samora, vivem com rei de Arábia Saudita ... ou seja falam de uma coisa fazem. Muito dos discurso de Samora assenta como uma luva para os dirigentes actuais.
Gosto · 1 · 21 de Outubro de 2016 às 9:07


Pedrowski Teca Posso copiar a publicação?
Gosto · 2 · 19 de Outubro de 2016 às 14:04


Bone Waka DEVES... lol
Gosto · 19 de Outubro de 2016 às 22:15


Zenaida Machado A vontade...
Gosto · 4 · 19 de Outubro de 2016 às 14:05


Pedrowski Teca
Traduzido do Inglês
Obrigado.Ver Original
Gosto · 19 de Outubro de 2016 às 14:05


Custódio João Sabonete Tudo que ele vaticinou está a acontecendo, até ao mais pequeno pormenor.
Ele foi um profeta de outra galáxia.
Gosto · 2 · 19 de Outubro de 2016 às 14:14 · Editado


Artur Jordao Matope Mufume Era um grande profeta pensando bem tudo o que proferiu é que esta acontecendo hoje.
Gosto · 1 · 19 de Outubro de 2016 às 14:19


Salomão Mambo Chegados aqui, quais são os tais ideiás que hoje são exaltados?
Gosto · 19 de Outubro de 2016 às 14:33


Evaristo Cumbane Profeta Samora...estamos mergulhados nestes males
Gosto · 2 · 19 de Outubro de 2016 às 14:36


Eduardo Chichava Ouvia esse homem durante horas a fio, muitas vezes de baixo do sol escaldante. Com a idade que tinha na altura não enxergava nada, não imaginava que essas coisas existiam ou que podiam existir. Visionário, este sim.
Gosto · 3 · 19 de Outubro de 2016 às 14:51


Zeca Sawasawa Grande profeta.Os seus ditos agora sao observados.
Gosto · 2 · 19 de Outubro de 2016 às 15:02


Julinho Taimo Doi mais ñ a ausencia dele, mais de ñ ter nenhum sucessor altura dele... Pior com essa crise, doi ainda mais.
Gosto · 2 · 19 de Outubro de 2016 às 16:57


Martha Baloi Que saudades presidente do povo...
Gosto · 2 · 19 de Outubro de 2016 às 17:16


Assofina Rodrigues Com uma grande visão do k se tornaria Moçambique,
Gosto · 19 de Outubro de 2016 às 17:44


Leta da Silva Grande bandido criminoso louco asacino de um povo
Gosto · 1 · 19 de Outubro de 2016 às 17:44


Félix Luabo Esses atibutos tdos diz respeito a k figura do país sra Leta???
Gosto · 20 de Outubro de 2016 às 15:07


Paciencia Tio Um descobriu o fogo. Na altura afogentar Ferras e aquercer nas noites do inverno eram os maiores problemas. O homem entendeu que deveria espalhar a boa nova. Passou duma aldeia himilde foi bem recebido e todos queriam que ele ficasse ali, o que recusou. Noutro povoado, foi tambem bem recebido, mas os chefoes viram o seu poder diminuido e o mataram, e para alegrar os subditos ergueram estatuas dele como Deus do fogo, por todos venerado...
Gosto · 19 de Outubro de 2016 às 18:25


Joaquim João Grande discurso! Mereço partilhar o pensamento, mana Ze?
Gosto · 19 de Outubro de 2016 às 18:59


Rui Costa Que anos fantásticos. duros, a roçar o excesso, mas sempre no interesse das pessoas, do Rovuma Ao Maputo, Do Zambeze ao Limpopo, na postura de negociar com o apartheid, por nós todos , do
exemplo de carácter e integridade que salpicava e contaminava a grande maioria. Grande Samora. 30 anos .Faz nos muita falta.
Gosto · 2 · 19 de Outubro de 2016 às 19:04 · Editado


Ismael Cassamo Samora ja tinha a lucas bem estudada, conheci a os Seus companheIros Seus habitos e tendencia... Nao era. Imaginacao..
Gosto · 1 · 19 de Outubro de 2016 às 19:33


Octavio Jaime Este homem foi um grande profeta
Tudo que ele profetizou se cumpre hoje
Gosto · 2 · 19 de Outubro de 2016 às 23:44


Joaquim Martinho Henrique Já estava adiantado um século, n tempo. Será que podemos o chamar de profeta?
Gosto · 1 · 19 de Outubro de 2016 às 23:48


Paulo Soares E por isso eles o mataram com apoio dos sulafricanos, para se saciarem na corrupção...
Gosto · 20 de Outubro de 2016 às 1:31


Gertrudes Estevao Este homem era um Profeta porque.....
Gosto · 20 de Outubro de 2016 às 1:37


Paul Lhamaio Grande homem
Gosto · 1 · 20 de Outubro de 2016 às 6:19


Paul Lhamaio Grande homem
Gosto · 1 · 20 de Outubro de 2016 às 6:19


Beco Beckham Muiambo Fazendo uma relação com a vida actual ta mais que claro que o homem foi morto
Gosto · 4 · 20 de Outubro de 2016 às 6:40


Sousa Jamba Estava a falar do Donald Trump?
Gosto · 20 de Outubro de 2016 às 8:52


Augusto Jesus Sobral Bastos Homem com uma visão utópica
Gosto · 20 de Outubro de 2016 às 12:02


Gomes Cuma Não estou minimamente de acordo. O homem e a circunstância. E espaço e o tempo. A primeira componente do homem é a sua cultura, e a cultura é tudo quanto absorvemos e memorizamos em vida. Politicamente, aos 20 anos todos somos revolucionários. Aos 40 confrontamos a realidade de forma diferente, tornamo-nos mais tolerantes e até somos capazes de aceitar o erro. A humildade faz parte da longevidade de um político, como a determinação faz parte da participação nela, a ética e a moral, aliados ao respeito pela coisa pública, é que devem ser transversais nos tempos e na preservação da dignidade. De resto, já Plínio, dizia no Senado Romano, que em política só não mudam os burros...!!!
Gosto · 20 de Outubro de 2016 às 13:11


Maria Dos Prazeres Prazeres Tarde ou cedo saberemos kem matou Samora Machel
Gosto · 20 de Outubro de 2016 às 15:23


Chande Talaquichande Grande Senhor esta tudo dito
Gosto · 20 de Outubro de 2016 às 16:46


Silvestre Goleador Manoco Messias,o enviado do Deus.
Gosto · 20 de Outubro de 2016 às 18:55


Antonieta Rothemberger Teria pedido para ler o meu futuro mas.....
Gosto · 20 de Outubro de 2016 às 19:33


Fatima Mendonça Que me perdoe o Elisio Macamo ...
Gosto · 1 · 21 de Outubro de 2016 às 17:15


Elisio Macamo já te perdoei...
Gosto · 1 · 22 de Outubro de 2016 às 12:27


Adelaide Macamo este sim é um verdadeiro herói do povo! Falava p o povo se esforçar mais p vencer eqto ele tbem trabalhava e lutava pla igualdade! Ele respeitava o património do estado,a ambição dele era plo bem d povo!
Gosto · 1 · 21 de Outubro de 2016 às 23:49


Eugenia Augusto
Gosto · 6 de Novembro de 2016 às 3:07


Washissa Papelane Lá se foi o grande homem! Este foi o braço direito do Povo. AAAAAA LUUUUTAAA CONNNNNTIIIINNNNUUUAAAA! Saudades. Descanse em paz pai Samora!


Zenaida Machado

17 de Dezembro de 2016 às 16:04 ·



A semana começou com a publicação de um estudo da UEM: 6 em cada 10 mulheres em Maputo (capital) já foi vítima de abuso sexual. Evitei comentar aqui. Estou cansada de ler coisas como "já viram como elas se vestem". Dias depois, a fase mais dramática da violência contra a mulher, mostrou a sua face. Valentina Guebuza, a mulher que a Forbes escolheu como a mais poderosa do país, foi assassinada, em casa, a noite, durante discussão com o marido. Levou 4 tiros de uma arma que terá sido manuseada pelo homem que ela mais amava, e que jurou protegê-la. Eu não vou comentar sobre o que os outros andaram por ai, em tom arrogante, a chamar e a representar de "sentimento" do povo mocambicano em relação ao incidente e a vítima. Não quero comentar. Quero apenas avisar-vos: não falem por mim. Vocês não me representam. Eu sou moçambicana, e na minha casa, na minha família, na minha igreja, nos meus vizinhos, aprendi a ter compaixão - não ódio. Aprendi a celebrar a vida, não a morte. Aprendi a abraçar o perdão, não a vingança.
A Valentina representa muitas outras mulheres vítimas de violência. Representa todas aquelas mulheres que por não saberem cozinhar, por falarem alto, por desrespeitarem o marido, por vestirem mal, por terem amigas e/ou amigos, por terem segredos... merecem aquilo que alguns chamam de "uma correção". A correção pode custar a vida. A filha da Valentina, de um ano apenas, vai crescer a ser dita na escola, em casa, pelos jornais... que o pai manuseou a arma que disparou os tiros que mataram a mãe.
Na sexta feira, outro caso mediático de violência contra a mulher, esteve em tribunal. Devia ter sido o início do julgamento do ex - parceiro da Josina Machel, que durante uma briga, terá alegadamente, espancado a mulher até que ela ficasse cega de um olho. Provavelmente, estivesse a dar "uma correção" por ela ser teimosa e respondona. Demorou um ano pra se marcar uma data de julgamento, e não faltaram pessoas - incluindo mulheres - a pedir pra que ela resolvesse o assunto "amigavelmente". O início do julgamento foi adiado pra Janeiro porque ele não compareceu no tribunal, por motivos de trabalho.
Estas duas senhoras são filhas de ex-presidentes. São as mulheres mais protegidas de Moçambique. Já imaginaram quantas outras mulheres "anónimas" vivem os mesmos problemas todos os dias? Se pra a Josina, a marcação da data de julgamento levou um ano, o que acontece com a Maria, de Chidenguele? São 6 em cada 10 mulheres que são vítimas de abuso sexual porque são mulheres. Gostaria de ver as estatísticas das que são vítimas de outras formas de violência... vítimas da chapadinha, vítimas de insultos, vítimas de espancamento...em casa, na rua, e sob a indiferença cínica dos vizinhos, familiares e/ou daqueles que dizem "ahhh...mereceu aquela. Era teimosa... era malcriada...Não foi bem preparada pra o lar" ou ainda..."o lar é assim mesmo. É preciso ter paciência."
Esta semana, ouvi várias vezes, de homens de outros países: "Afinal o que se passa com os homens moçambicanos?" Respondi que não sabia. Acho que o problema é maior do que os homens. O problema é da sociedade que coloca o homem num pedestal importante, sem que ele o tenha conquistado. A mulher tem que ser bonita, limpa, educada, meiga, obediente, humilde, bem-vestida, boa cozinheira, boa de cama, gostada pela família dele... para poder conquistar o estatuto de ser esposa...de um marido, que muitas vezes, de homem só possui as características fisicas.
Para as familias que são vítimas de violência, os meus votos de muita paz e harmonia.
Valentina, descansa em paz!
* Este texto foi reeditado, após solicitações de partilha. O texto original estava partilhado com os meus amigos apenas. Este está com a "privacidade" modificada pra "Público".
Se for COPIAR para outro fórum (sem a minha autorização), em vez de partilhar aqui no Facebook, não se esqueça de dizer que isto é um post de Facebook que representa a minha opinião individual.

GostoMostrar mais reaçõesPartilhar
339339
47 partilhas
81 comentários
Comentários


Danilo da Silva Espero que não te acusem de aproveitamento para avançar agendas... ouvi aqui no FB quando algumas feministas quiserem levantar o assunto... eu só 🤐🤐🤐🤐
Gosto · 8 · 17 de Dezembro de 2016 às 16:14


Zenaida Machado Podem ir a m****
Gosto · 5 · 17 de Dezembro de 2016 às 16:22


شيلا ابراهيم Um xi-💖 mana Z
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 8:15


Joao Antonio Que rica reflexao
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 16:15


João Guerreiro R. I. P.
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 16:16


Rashel Sidumo Não há palavras suficientes para descrever tamanha frustração.
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 16:18


Fernando Costa Um abraço de solidariedade Zenaida Machado
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 16:20


Raimundo Salvador Beijo na alma e no coração, Zenaida Machado. Aprendo muito com a sua postura
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 16:23


Egidio Pascoal Tufa Zenaida Machado. Gostei
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 16:31


Rebeca Cipriano Pois é Zenaida Machado. Incrível como alguns celebram a desgraça alheia.
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 16:35


Alfredo Muianga Enquanto continuarmos a olhar o homem como principal culpado na violência domestica, mais nos afastamos para o seu fim. Não devemos nos esquecer que as mulheres são igualmente as principais promotoras para que haja violência domestica. 90% das mulheres violentam psicologicament os seus parceiros e como consequencia levam tau tau.
Gosto · 8 · 17 de Dezembro de 2016 às 17:12 · Editado
Ocultar 17 respostas


Delfina Navaia Picardo Violencia n se resolve com violencia .....
Gosto · 2 · 17 de Dezembro de 2016 às 16:43


Alfredo Muianga Mana Delfina Navaia Picardo concordo plenamente contigo mas é preciso olhar para este aspecto. Todos devemos prevenir a violência doméstica e não olhar se o homem como o mau da fita. Devemos questionar porque o homem avança para a violência, será que ele do nada começa a violentar a sua esposa? Nada justifica a violência física e psicológica.
Gosto · 2 · 17 de Dezembro de 2016 às 16:50


Linette Olofsson Alfredo Muianga concordo consigo,não devemos olhar para o Homem como principal culpado da violência doméstica , a violência domestica não tem sexo, idade, religião, raça ou etnia, em parte, qualquer tipo de violência tem as suas raízes " na forma " como somos/ fomos educados, sociedade em que vivemos , distúrbios genéticos, insegurança entre outros factores, por outro lado a violência pode também nascer na conivência, dentro da relação entre 2 seres humanos, nestes casos a violência pode partir de violência psicológica, onde um dos conjugues consente por várias razões...independentemente de ser homem ou mulher. Violência psicológica prolongada é muitas vezes o caminho para agressão, destruição e auto destruição. O factor auto-estima tem grande influência nas relações humanas /homem -Mulher, penso que, nenhum ser humano gosta de ser agredido, violentado quer seja psicologicamente /fisicamente, muitas vezes por várias razões ou motivos não consegue ver isso, viver num ambiente violento torna-se uma "normalidade ", optando pela permanência ao em vez da libertação. Nada se justifica para uma acção macabra como esta, como se chegou até a este ponto? O sobrevivente irá naturalmente ser julgado , em certos Países antes do julgamento nestes casos, é observado por um psicólogo, psiquiatra só depois é levado a barra do tribunal, posteriormente julgado e condenado ! lamentar o sucedido e que a sua alma descanse em paz
Gosto · 5 · 17 de Dezembro de 2016 às 18:30


Alima Hussein E será que a mulher nunca tem motivos para dar tau tau ao seu parceiro? Porque q não o faz? Haaa pois, fisicamente ele é maior e por isso tira a vantagem....para demonstrar quem é o homen....a sua musculatura...a sua masculinidade. Homens que agridem as suas companheiras são homens fracos, recorrem a maneira menos justa de resolver o assunto, deixando o diálogo e outras alternativas de resolução de peobelma para traz
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 18:52


Alfredo Muianga Kkkkk Alima Hussein tens certeza que as mulheres não batem em seus maridos? No dia em que o governo criar o gabinete de atendimento do homem vitima de violência domestica os homens não terão vergonha de participarem os casos de abusos protagonizados pelas mulheres.
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 19:17


Zenaida Machado Porque é que a questão da violência contra o homem só é levantada quando há um caso de violência contra a mulher. O ano tem 365 dias e os homens possuem mais vozes poderosas do que as mulheres. Juntem-se...escolham um dia(ou dias) pra falar daquilo quesão as vossas preocupações. Algumas de nós que somos contra violência de todo o tipo, teremos muito gosto em apoiar-vos...
Desta vez, o assunto é a violência contra a mulher... e é sobre isso que nós estamos a insurgir
Gosto · 2 · 18 de Dezembro de 2016 às 19:28 · Editado


Alfredo Muianga E as mulheres que violentam psicologicamente e fisicamente os seus parceiros que nome darias? Não estou a favor da violência o que defendo é que questão da violência deve ser criticada quando ocorre tanto contra a mulher assim como contra o homem e não se deve olhar o homem como o mau da fita. Acredito que o homem do nada não pode agredir a sua esposa. Assim como a mulher não iria fazer isso a toa. Mas muitas vezes o homem é condenado sem aprofundar o assunto dai que a violência acaba sendo cíclica.
Gosto · 2 · 18 de Dezembro de 2016 às 19:26 · Editado


Alfredo Muianga Mana Zenaida Machado se o assunto é exclusivamente violência contra a mulher porquê se referem ao homem? Acho importante os assuntos serem analisados simultaneamente.Vamos ao fundo do problema e retirarmos tudo que possa gerar violência entre os casais. Mulheres não tenham medo da critica e tanto como os vamos vamos mudar de atitude sabermos falar sem ferir para sermos escutados, nada de gritos e berros porque isso gera pancadaria. As vezes devemos baixar a crista mesmo sabendo que temos razão.
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 19:38 · Editado


Zenaida Machado Os gritos e berros geram pancadaria? Aie? Pode explicar essa ciência?
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 19:39


Alfredo Muianga Estou a falar de uma situação em que tanto a mulher assim como o homem perdem cabeça ai começam os gritos, berros , insultos e ninguém escuta a ninguém, sem duvidas isso gera a pancadaria.
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 19:47 · Editado


Linette Olofsson Depois desses gritos, berros, insultos, o caminho é mesmo pancadaria, já não há respeito
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 19:57


Zenaida Machado Eu consigo berrar até perder a voz, cansar-se e ir dormir ou beber água, sem chegar a pancadaria... e conheço muita gente como eu. Devemos ser especiais...
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 19:59


Linette Olofsson A leitura que faço desta tragédia, é de que já havia um processo de violência entre o casal. Esta reação não é normal.... Triste.
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 20:05 · Editado


Zenaida Machado ...e que na sua opinião, cara Linette, justificaram a acção final?
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 20:00


Linette Olofsson Não, Nunca! Há que ouvir a outra parte, com apoio de um psiquiatra, psicólogo. Sociólogo.
Gosto · 2 · 18 de Dezembro de 2016 às 20:06 · Editado


Alfredo Muianga Se a mana Zenaida Machado berra então o cunhado encurrala se e não ouve os berros deve ser a salvação. Mas quando todos entram na senda ai sim a coisa azeda.
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 20:04 · Editado


Linette Olofsson Antes do julgamento este senhor tem que, ou deveria passar pela mão destes especialistas.
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 20:24


Luis Silva Fred ...só Deus para nos salvar!
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 16:36


Egidio Pascoal
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 16:37


Marques Abdala A melhor maneira da resolução de um problema é o diálogo.
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 16:42


Carlos Graca ... "" de um marido , que de homem só possui as caracteristicas fisicas.."" . Bem hajas amizada...
Gosto · 5 · 17 de Dezembro de 2016 às 16:45


Lorena Massarongo Tantas vezes, de Homem, só possui características físicas e nada mais vem acrescentar, contrastando com os inúmeros requisitos/exigências que não perdoa à parceira...
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 21:22 · Editado


Carlos Graca Exacto Lorena ...Ver Tradução
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 17:26


Fauzio Mussagy Fernandes Violência doméstica...
Física e psicológica frequente na sociedade...
Se a mais rica jovem mulher perdeu a vida
Imagino a mal informada é formada nos lugares bem longe desse grande país...
Paz a sua alma Valentina
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 16:51


Jose Alexandre Faia
Traduzido do Inglês
Lady z mostrando a aula!!!Ver Original
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 16:54


Augusto Macie Boa reflexão. Culpa da propria Sociedade. A Sociedade é cada um de nós e todos devemos inverter o cenário a longo prazo.
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 16:56


Dino Tualufo Nao ha ocasião onde o homem demonstra sua maior fraqueza masculina do que quando ele usa de violencia física, verbal, emocional para fazer valer sua opinião diante de sua esposa, filhas e irmãs.
É horrivel, sujo e nojento quando alguns homens usam de dotes de Bruce Lee no seu lar, isso é terrorismo doméstico. Esses tipos não me representam.
Estou grato pelo amor e carinho que nutro pela minha esposa. Ja tivemos momentos de divergencias de opinioes, mas o dialogo simbolo da Maturidade foi o melhor caminho.
"SE VOCE AMA SEUS FILHOS, POR FAVOR CUIDE BEM DA MÃE DELES".

homem cuide da sua esposa, como gostarias que seu cunhado cuidasse da sua irmã, sim como seu genro cuidasse de sua filha e como seu Pai cuidaria de sua mãe.

Infelizmente isso ainda vai continuar porque temos filhos criados por pais nao exemplares e que sao autenticos espelhos quebrados.

WE SHOULD STOP THE VIOLENCE
Gosto · 9 · 17 de Dezembro de 2016 às 17:04 · Editado


Freide Cesar Cara Zenaida Machado para perceber a prevalência dos outros tipos de violência sugiro que veja o estudo que tem estado a citar. Tem mais detalhes e pormenores pouco abordados sobre violência. Embora o enfoque do estudo em causa seja vilencia no espaço público e não doméstica ou a cometida em ambiente privado!
Gosto · 3 · 17 de Dezembro de 2016 às 16:58


Schauque Spirou ...bom, não é porque um ou dois homens moçambicanos fazem o que fazem, que temos o homem moçambicano no pior nível.
Ha coisas que de certeza nao sabemos entre eles que levou a este nivel de violência. Condenável, diga-se!
Gosto · 10 · 17 de Dezembro de 2016 às 17:03


Dino Nove Como tenho visto na tv: "sao casos isolados".
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 17:11


Zenaida Machado Aie? São casos isolados?
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 17:15


Ana Delgado Isolados??? Como????
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 22:51


Pelembe King Pelembe Muito isolados
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 0:25


Boa Monjane
Traduzido do Inglês
Maravilhoso!Ver Original
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 17:09


Mário Manhiça Pisou fundo o acelerador mana Zenaida Machado. É sempre bom falar o que devemos ouvir e não o que queremos ouvir, aliás, como lhe é característico. Sempre que intervém é mesmo para levantar orelhas
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 17:25


Al Felix A maioria dos homens angolanos não são nada diferentes destes abusadores moçambicanos!
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 17:40


شيلا ابراهيم Infelizmente. ..
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 8:17


Belarmino A. Lovane Bem dito... Sinceramente, o machismo ainda prevalece na nossa sociedade e é visível em várias ocasiões, até em situações públicas. Triste. Grande reflexão mana Zenaida Machado
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 17:45 · Editado


Zenaida Machado Zenaida.... com "e"
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 17:44


Sonito Wana Guiamba Faço das suas palavras as minhas.
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 18:26


Cândido Langa Caso sério para reflexão.... Subscrevo
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 18:46


Chil Emerson David Com os meus copos n cabeça, parei para te ler e, como sempre, nao me arrependo!!!!
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 18:57


Antolinho André Lamentável situação mas por favor que se diferencie pois não se trata de característica de homem moçambicano mas sim alguns homens moçambicanos. Violência é quase em todo o lado e é praticada por gente de autoestima baixo não deve ser generalizado. Faço parte dos homens moçambicanos mas condeno veementemente qualquer tipo de violência doméstica. Convido aos homens moçambicanos a mostrarem a diferença distanciando se deste flagelo baixo e inconfessável.
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 19:06


Raúl Nhagumbe As pessoas nuncam se deram a massada se colocarem no lugar dessas beldades. Outra coisa que não compreendo é que se os autores de certos comentários são pais e como se sentiriam se a tragedia caissem nos seus lares.
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 19:11


Antolinho André Acredite que muitos deles são seres calastrados, sem filhas, sem sobrinhas, sem irmãs, sem tias, sem avos e se calhar não tiveram mães.
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 19:41


Zenaida Machado Nós sempre olhamos pra o problema como se fosse coisa dos outros. Os nossos egos são tão grandes, que nos damos ao luxo de achar que as "outras coisas" só acontecem aos que merecem. . Olhamos para o problema como uma coisa sobrenatural que só chega se formos amaldiçoados ou enfeitiçados. Enganamo-nos. Os problemas existem. E o nosso carácter é testado na forma como lidamos com eles...
Gosto · 9 · 17 de Dezembro de 2016 às 19:47


Danilo da Silva Zenaida Machado obrigado
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 19:48


Danilo da Silva Essas pessoas que estão a ser vítimas, nunca lhes vimos em nenhuma trincheira a lutar contra este mal. Pelo contrário, assistem os /as outras a serem rotuladas de mal amadas, frustradas, mercenários etc... fiz uma pergunta no Meu mural... onde andam está gente que não lhes vemos?
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 19:51


Sergio Buque Gosto e gostei logo no inicio quando diz : não falem por mim , continuei a gostar até ao fim .
A minha esposa só sofrerá a violência de eu chegar tarde nas sextas , só isso .
Gosto · 2 · 17 de Dezembro de 2016 às 19:13


Hermes Sueia Obrigado Zeinada por este grande hino à Paz.........afinal a matriz estruturante da harmonia de uma sociedade constrói-se primeiro no núcleo familiar. HAJA PAZ.
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 19:37


Fenias Mazive Bem dito
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 20:10


Emidio Beula Profundas palavras, as tuas!
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 21:40


Fatima Mimbire Este post é top. Enquanto eu lia sentia a profundidade delas. Deixe-me acrescentar que as vezes nem precisa fazer nada para merecer as correções: ficar calada no teu canto, dizem " a ni Mona" e o machao deve corrigir pq a família n corrigiu.
Gosto · 3 · 17 de Dezembro de 2016 às 22:22


Emidio Beula Pois é, Fátima! Grande texto, este! Enquanto lia, eu ia me sensibilizando sobre a gravidade da violência... Está de parabéns a autora por ter conseguido ir para além do populismo que avulsa na nossa esfera pública...
Gosto · 3 · 17 de Dezembro de 2016 às 22:48


Fatima Mimbire Este é um debate muito actual. Só quem é averso a violência e experiencia actos de violência na sua circunferência sabe o q o texto diz. Muito bem conseguido de facto. E eu tbm acho q VG e JM são os rostos da violência doméstica perpetrada contra a mulher, sendo q o primeiro caso é daqueles c consequência extrema.
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 23:16


Zenaida Machado Obrigada... acho que o meu texto era a minha tentativa de forçar algumas pessoas que eu conheço, a abrirem os olhos... aquilo que hoje chamam de "correcção e acertos matrimoniais porque o lar é assim..." amanhã, pode se transformar em tragédia. A nossa sociedade exige muito das mulheres, e muito pouco dos homens. É só prestar atenção aos conteúdos da cerimónia de xiguiane
Gosto · 2 · 17 de Dezembro de 2016 às 23:30


Fatima Mimbire P mim começa no kulaya. O foco são mulheres e o q se diz lá? Respeite o marido, faça tudo q ele quiser, engula sapos, aceite maus e destratos e bla blá blá.. e ao homem o q é dito? Nada. Aliás, nem há kulaya p eles e durante a sua criação também não há muitos momentos de aprendizado senão pelo exemplo, e mau exemplo dos pais. E o resultado é aquele pergunta de sempre: aonde falamos? R: Laaaa... no início, qdo deixaram q A sociedade (sem valores, materialista, selvagem, egoísta e violenta) educasse os meninos, desse o (mau) exemplo de o q é ser homem.
Gosto · 3 · 17 de Dezembro de 2016 às 23:48


Zenaida Machado Pois... sempre me perguntei, em que parte da formação dos homens, lhe ensinam a ser satisfazer sexualmente a sua parceira, a ser carinhoso, a cozinhar pra mimar a mulher, a tomar conta das crianças, a cuidar e respeitar, a proteger a mulher...
Gosto · 6 · 19 de Dezembro de 2016 às 0:27 · Editado


Fatima Mimbire Vamos fazer diferente c os nossos meninos (filhos, irmãos, sobrinhos, primos e netos).
Gosto · 3 · 18 de Dezembro de 2016 às 0:34


Zenaida Machado Vamos, sim.
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 18:20


Ivo Jona Precisamos educar ainda melhor a sociedade, porque a violencia domestica em todas as suas formas eh tanto de homem para mulher assim como o inverso. RIP.
Gosto · 17 de Dezembro de 2016 às 22:48


Inocencio Banze Excelente ponto de partida pra uma reflexão introspectiva! !!
De facto há valores sérios que precisam ser resgatados!!!
Recuso me a acreditar que todo homem Moçambicano é violento. Temos maus exemplos , mas não podemos generalizar. O processo de formação do homem novo ainda vai ao adro!!!! Ainda há muito por se fazer. ..
Gosto · 1 · 17 de Dezembro de 2016 às 22:58


Carlos Matusse Se para a mulher não se faz nada ou faz-se mas tardiamente, imagine quando é o homem que sofre violência doméstica, toda gente põe-se a rir. Assim estamos a resolver o problema?
Gosto · 2 · 17 de Dezembro de 2016 às 23:56


Pelembe King Pelembe Bem dito
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 0:30


Maria Odete da Conceicao Bem falado Zenaida Machado. Paz à alma da Valentina
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 1:47


Abel Philip parabens Zenaida, mas uma vez cpm palavras de reflexaçao para a nossa sociedade...
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 3:19


Sergio Zimba Bonito texto Zenaida. Parabéns
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 7:35


Sizaltina Cutaia Mana Zenaida Machado vou partilhar. As vezes fico sem saber como falar sobre esse tema. O seu texto me representa completamente. Obrigada!
Gosto · 2 · 18 de Dezembro de 2016 às 7:40


Dilermando Quive Permita-me compartilhar... Q
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 8:15


Nelsoncarlos Tamele Parabens pela brilhante reflexao. Paz a alma da Valentina Gueza.
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 8:33


Ivan Maia 👏🏾👏🏾👏🏾👏🏾
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 8:34


Macandja Felix Não sabemos o que acontecia dentro do lar mas nada justifica tamanha violência. Que este não seja o meio de resolver os problemas, que acaba não resolvendo, mas destruindo. À Valentina, paz à sua alma.
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 9:25


Sonia Matinada 👏👏👏👏👏👏
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 9:39


Tiago Tendai Chingore No coment sister bad for shure
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 10:03


Mabanwane Zukulo A minha vénia para este post. Como outros teus Zenaida Machado este está cheio de conteúdo que pode preencher uma aula de sapiência de violência doméstica contra a mulher. Sinto vergonha, como homem que sou, de todos os homens que violentam a mulher. Não se corrige ninguem dando-lhe chapadinhas nem chapadas (quem é o correcto? Onde está o modelo)? Nao se corrige tirando a vida de quem quer que seja - aliás nós como humanos nunca deveríamos ter concebido a vida como algo disponível, que podemos desfazer-nos dela quando entendermos e como entendermos - nós não somos de nós. A vida não é nos dada por ninguém e, por isso, a ninguém assiste razão de tirá-la, seja a sua própria, seja a de outra pessoa....e ainda mais se essa outra pessoa for a esposa/esposo porque é a pessoa mais indefesa que temos....epah Apocalipse é isto!
Gosto · 4 · 18 de Dezembro de 2016 às 11:16 · Editado


Eduardo Chichava Peço permissão para partilhar. Há muita gente que precisa ler este belíssimo texto.
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 11:43


Zenaida Machado Partilhe
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 16:26


Eduardo Chichava Obrigado
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 17:07


Paula Matusse Profundamente D +.
Gosto · 2 · 18 de Dezembro de 2016 às 11:49


Wylsony Dos Santos Lamentável. Wpsd
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 11:58


Bosse Hammarström Bem pensado, dito e escrito. Obrigado.
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 12:29


Fernando Milice Pra mim as estatisticas sao muito viciadas, a verdade ee que em 10mulhers, 9 sao vitimas. Essas sao estatisticas mundias
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 12:58


Rildo Rafael

Gosto · 3 · 18 de Dezembro de 2016 às 13:30

Ver 1 resposta


Elidio Massimbe Cara Zenaida Machado,

Simplesmente lindas e didaticas as suas palavras, mas por favor da próxima que te perguntarem o que se passa com os homens moçambicanos, diga lhes que não são todos que tem esse comportamento de quadrúpedes e deplorável, porque a maioria de nós homens moçambicanos sabemos ser e estar respeitando o próximo principalmente as nossas belas moçambicanas.

Abraço.
Gosto · 4 · 18 de Dezembro de 2016 às 16:20


Daniel Ukuesunga Dusck Bela reflexão e a apoio completamente sem mais nada a acrescer!
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 16:40


Ana Guedes De facto não é problema de homem mas da sociedade que fecha os olhos, os ouvidos e faz de conta que não vê. Acontece em toda a parte. Temos muito caminho a percorrer.
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 18:28


Alima Hussein Precisamos de mais mulheres assim, a gritarem alto pelos valores e apelar por uma sociedade melhor. As mulheres têm que ser mais unidas, deixar o medo, a vergonha do que é que o vizinho, a tia ou colegas vão achar e dizer se partilhar ou meter uma queixa contra o marido que a agrediu. Temos que passar a olhar para isso de uma forma seria, caso contrário mais vidas serão tiradas. Parabéns pelo post. Posso partilhar?
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 18:50


Zenaida Machado Partilhe, a vontade
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 18:57


Hélder Bata O problema é mais grave mana Z. Tenho vizinhas que quando chegam em minha casa e me veêm a descarcar alho, a ajudar minha companheira na cozinha, falam grosserias que nem imaginas. Há que ver a questão de todas as vertentes. É a realidade que temos.
Gosto · 3 · 18 de Dezembro de 2016 às 19:18

Ver 1 resposta


Zenaida Machado Pois é, Hélder. Infelizmente! Mas você pode fazer a sua parte e explicar as vizinhas que você gosta de partilhar as tarefas da casa... e que isso não lhe incomoda nem um pouco.
Gosto · 3 · 18 de Dezembro de 2016 às 19:24


Hélder Bata A nossa sociedade perdeu-se, naqueles anos em que a igualidade era quase efetiva. Agora só restam choros e lamentos. Perdemo-nos não sei aonde...
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 19:57


Helder Rodrigues
Traduzido do Inglês
Eu concordo!!Ver Original
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 20:01


Tuvanjipano Joao Focas Marino Zeneida Machado! Grande reflexão se a bbc estivesse em vida, Farias um grande programa naquela estação radiofônica. Programa ESPACO MULHER parabéns peço seu contacto grande mulher ZM.rwpouse em paz Valentina guebuza
Gosto · 2 · 18 de Dezembro de 2016 às 20:30

Ver todas as 2 respostas


Sabado Chambisse Partilhei mesmo sem sua permissão se fosse chefe da redacção do notícias mandava publicar. O texto é forte. Obrigado
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 21:05


Ana Koluki https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=772315039589455&id=100004328986353&pnref=story

Zenaida Machado
17 de Dezembro de 2016 às 16:04 ·



A semana começou com a publicação de um estudo da UEM: 6 em cada 10 mulheres em Maputo (capital) já foi vítima de abuso sexual. Evitei comentar aqui. Estou cansada de ler coisas como "já viram como elas se vestem". Dias depois, a fase mais dramática da violência contra a mulher, mostrou a sua face. Valentina Guebuza, a mulher que a Forbes escolheu como a mais poderosa do país, foi assassinada, em casa, a noite, durante discussão com o marido. Levou 4 tiros de uma arma que terá sido manuseada pelo homem que ela mais amava, e que jurou protegê-la. Eu não vou comentar sobre o que os outros andaram por ai, em tom arrogante, a chamar e a representar de "sentimento" do povo mocambicano em relação ao incidente e a vítima. Não quero comentar. Quero apenas avisar-vos: não falem por mim. Vocês não me representam. Eu sou moçambicana, e na minha casa, na minha família, na minha igreja, nos meus vizinhos, aprendi a ter compaixão - não ódio. Aprendi a celebrar a vida, não a morte. Aprendi a abraçar o perdão, não a vingança.
A Valentina representa muitas outras mulheres vítimas de violência. Representa todas aquelas mulheres que por não saberem cozinhar, por falarem alto, por desrespeitarem o marido, por vestirem mal, por terem amigas e/ou amigos, por terem segredos... merecem aquilo que alguns chamam de "uma correção". A correção pode custar a vida. A filha da Valentina, de um ano apenas, vai crescer a ser dita na escola, em casa, pelos jornais... que o pai manuseou a arma que disparou os tiros que mataram a mãe.
Na sexta feira, outro caso mediático de violência contra a mulher, esteve em tribunal. Devia ter sido o início do julgamento do ex - parceiro da Josina Machel, que durante uma briga, terá alegadamente, espancado a mulher até que ela ficasse cega de um olho. Provavelmente, estivesse a dar "uma correção" por ela ser teimosa e respondona. Demorou um ano pra se marcar uma data de julgamento, e não faltaram pessoas - incluindo mulheres - a pedir pra que ela resolvesse o assunto "amigavelmente". O início do julgamento foi adiado pra Janeiro porque ele não compareceu no tribunal, por motivos de trabalho.
Estas duas senhoras são filhas de ex-presidentes. São as mulheres mais protegidas de Moçambique. Já imaginaram quantas outras mulheres "anónimas" vivem os mesmos problemas todos os dias? Se pra a Josina, a marcação da data de julgamento levou um ano, o que acontece com a Maria, de Chidenguele? São 6 em cada 10 mulheres que são vítimas de abuso sexual porque são mulheres. Gostaria de ver as estatísticas das que são vítimas de outras formas de violência... vítimas da chapadinha, vítimas de insultos, vítimas de espancamento...em casa, na rua, e sob a indiferença cínica dos vizinhos, familiares e/ou daqueles que dizem "ahhh...mereceu aquela. Era teimosa... era malcriada...Não foi bem preparada pra o lar" ou ainda..."o lar é assim mesmo. É preciso ter paciência."
Esta semana, ouvi várias vezes, de homens de outros países: "Afinal o que se passa com os homens moçambicanos?" Respondi que não sabia. Acho que o problema é maior do que os homens. O problema é da sociedade que coloca o homem num pedestal importante, sem que ele o tenha conquistado. A mulher tem que ser bonita, limpa, educada, meiga, obediente, humilde, bem-vestida, boa cozinheira, boa de cama, gostada pela família dele... para poder conquistar o estatuto de ser esposa...de um marido, que muitas vezes, de homem só possui as características fisicas.
Para as familias que são vítimas de violência, os meus votos de muita paz e harmonia.
Valentina, descansa em paz!
* Este texto foi reeditado, após solicitações de partilha. O texto original estava partilhado com os meus amigos apenas. Este está com a "privacidade" modificada pra "Público".
Se for COPIAR para outro fórum (sem a minha autorização), em vez de partilhar aqui no Facebook, não se esqueça de dizer que isto é um post de Facebook que representa a minha opinião individual.
Gosto · 2 · 18 de Dezembro de 2016 às 21:37


Ramiro Manjate Tens roda razão, ninguem merece ser violentado, seja homem, mulher, idoso, criança, etc.
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 21:53


Ramiro Manjate Agora também tem que ficar claro que cada um traça o seu destino. Se eu vivo matando pessoas, assaltando à mao-armada, roubando, violando, ja sabe qual poderá ser o meu fim, e isso nao é culpa de ninguém, senao minha.
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 21:54


Maimuna Luis
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 22:18


Maimuna Luis Lamentável o que nos as mulheres vivemos nos nossos lares.
Gosto · 18 de Dezembro de 2016 às 22:19


Zava Alberto Joaquim Zava Fiquei muito horrorizado, quando por vias de um canal da TV, Chegou me a informação de que : na Inglaterra, dois homens brancos "médicos" com mais de 60 anos de idade, no seu consultório , violarão sexualmente a uma menor Afro inglesa de 15 anos de idade, e quando o pai da menor soube da situação, procurou os para tirar satisfação e fazer valer a justiça, ele foi espancado pelos dois ate a morte ! E' coisa de homens deficientes, e não de Moçambicanos!!!
Gosto · 1 · 18 de Dezembro de 2016 às 23:55 · Editado


Hervé Salvador Sábias Palavras.
Gosto · 19 de Dezembro de 2016 às 3:23


Mubutu Mubutu Fui tocado profundamente pelo texto. Peço autorização pra partilhar no mural do meu Facebook.
Gosto · 19 de Dezembro de 2016 às 9:51


Odo AC Wandira Carine de Almeida
Gosto · 19 de Dezembro de 2016 às 10:53


Vânia Joel Baptista Bonito texto.
Vamos repudiar a violência
Gosto · 19 de Dezembro de 2016 às 14:27


Mario Mendes amiga zenaida, li todo o que aqui escreveste e fiquei sem palavra. eis o motivo pela qual eu penso que as mulheres devem ser elas a mostrar os seus valores e desagrado para com o que passa com a violência domestica, mas por outros lado tu sozinha sentes esse dor, quantas delas neste momento estão a fazer com tudo isso continua e vai continuando? é triste ser o/a advogado/a de quem não procura ser o que deveria ser. não porque a mulher não tem o direito como qualquer ser humano. eu partilho a tua dor e revolta, sem a mascara, se é que tu me entendes.
Gosto · 1 · 19 de Dezembro de 2016 às 15:48


Nicette De Amor Violência doméstica não discrimina...basta ser mulher 😪
Gosto · 19 de Dezembro de 2016 às 17:32


Kufasse Cumbe Muita verdade, obrigada grande mulher...
Gosto · 1 · 19 de Dezembro de 2016 às 22:56


Janeth Laice E Hamela Recebi este texto no watssap, com assinatura "autor anónimo" e o reconheci em dois parágrafos. Tirando a não citação da fonte, gostei de ver que as mulheres se revêem no teu pensamento....sinal de começamos a acordar relativamente alguns valores perdidos.
Gosto · 19 de Dezembro de 2016 às 23:48

Ver 1 resposta


Armenio Naene Eu aposto no tipo de crimes acobertados pelo manto da violência domestica. Aqui cai em flagrante o fraco papel dos padrinhos, a cobardia da análise feminista em busca da razão, outro esquema em desuso é o distanciamento da discussão dos problemas conjugais e o branquiamento de sinais de poligamia ou adúltero. o que interessará discutir ou banir, todos papéis penso que são relevantes. Amigos o que estara falhar será o diálogo ou o egoísmo na relação?
Gosto · 20 de Dezembro de 2016 às 5:20


Jesus Carrera Barreto Zenaida Machado a resposta pa tua reflexao encontra-se na escassez de valores morais e éticos no seio da nossa patria amada. De elevarmos o machismo, alimentar o materialismo ignorando principios basicos de convivencia. Penso eu que quando começarmos a compreender que devemos respeitar a tristeza ou situaçao emocional de cada um teremos mais uma porta aberta para a mudança.
Gosto · 1 · 20 de Dezembro de 2016 às 7:53

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.