sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Armando Guebuza – Um Encontro com a História


Gabriel Muthisse


A pedido do Embaixador Duarte escrevi, ha mais de um ano, o texto que se segue. Foi inserido num livro que as autoridades portuguesas publicaram em homenagem a personalidades mocambicanas que, ate aa altura, haviam sido condecoradas pelo Estado portugues.

Publico-o aqui como minha homenagem pessoal, no dia de hoje, por mais um aniversario do Presidente Guebuza.

Parabens, Chefe.

Armando Guebuza – Um Encontro com a História

A primeira vez que vi pessoalmente Armando Guebuza foi em princípios de 1975, quando ele veio a Xai-Xai, cidade onde eu na altura vivia e frequentava a escola. Ia apresentar ao primeiro governador moçambicano da província de Gaza, no caso, o saudoso Fernando Matavele. Armando Guebuza era, na altura, Ministro da Administração Interna no Governo de Transição, resultante dos Acordos de Lusaka entre a FRELIMO e o governo português, a primeira de várias outras funções que ele iria assumir ao longo duma carreira política pós-independência de exatamente 40 anos. Ele foi, sucessivamente, Ministro do Interior, Vice-Ministro da Defesa, Governador de Cabo Delgado, Governador de Sofala, Ministro sem Pasta, Ministro dos Transportes e Comunicações, Chefe da Bancada Parlamentar da FRELIMO, Secretário-geral da FRELIMO, Presidente da República e Presidente da FRELIMO.
Voltando a 1975: Para quem frequentava o ciclo preparatório do ensino secundário o nome de Armando Guebuza já era familiar. A revista Tempo, fundada em 1973 por sectores mais avançados da sociedade colonial em Moçambique, já o havia colocado como figura de capa, logo a seguir a Joaquim Chissano que era o Primeiro-Ministro do governo de transição. Sabia que tinha nascido a 20 de Janeiro de 1943, em Murrupula, no norte do país. Sabia também que em 1948 se mudara para o Sul, mais concretamente para Lourenço Marques (hoje Maputo) aquando da transferência do pai. Sabia também que foi nessa cidade onde ele não só frequentou o ensino primário, no Centro Associativo dos Negros da Colónia de Moçambique, também conhecido como Ntsindya, no Bairro de Xipamanine, como também fez o ensino secundário. Enquanto estudante secundário, foi Presidente do Núcleo dos Estudantes Secundários Africanos de Moçambique, forja de líderes de topo no nacionalismo moçambicano.
Entusiasta que era do processo político em curso, não poderia deixar de ser profundamente impactado pela vitalidade, mensagem e apelo das figuras que a FRELIMO havia encarregue de preparar a independência do nosso país. Mas sobretudo pela sua juventude. Em 1975 Guebuza tinha apenas 32 anos! Em pouco mais de30 anos de vida ele já tinha sido líder estudantil, guerrilheiro, quadro dirigente do movimento de libertação e agente activo e de pleno direito da proclamação duma Nação. Quando eu, quase 30 anos depois de o ver pela primeira vez em Xai-Xai, me juntei à sua equipa aquando da sua eleição para Secretário-Geral da FRELIMO e candidato para as eleições de 2004, fi-lo com um misto de satisfação e reverência perante o privilégio de trabalhar com uma individualidade com tamanho percurso! Era um autêntico encontro com a história. Eu estava, afecto ao sector de estudos e análise.
A característica que então me marcou nele foi a profundidade das suas convicções. Isso, assim como o facto de ser enfático e incisivo na maneira como articula as suas ideias. Provavelmente provenha daqui o equívoco que o descreve como pessoa pouco dialogante. Ele tem uma personalidade marcante que pode facilmente intimidar quem é menos seguro de si próprio. Mas como podia ser diferente em alguém que sacrificara a sua juventude e toda a sua vida adulta no altar do serviço público em nome duma nacionalidade que ele ajudara a criar? A sua personalidade marcante era o documento duma vida de líder em prol de ideais nobres.
Líder marcante, mas surpreendentemente dialogante. Nas discussões dentro da equipa de estudos e análise enfatizávamos o facto de sermos um órgão de aconselhamento à direção do Partido. Era nossa convicção que deveríamos fugir da propensão de dizermos apenas aquilo que pensávamos ser do agrado da liderança. Insistíamos no que as nossas pesquisas, análises e avaliações nos mandavam dizer. Dissemos muitas coisas pouco ortodoxas, mas, para nosso espanto, tivemos um Guebuza atento, dialogante e afável, mesmo nos casos em que não concordava connosco. Descobri, assim, no dia-a-dia, quão falaciosa era a ideia de que Armando Guebuza era fechado e adverso ao diálogo. O equívoco diz mais sobre quem o entretém do que sobre Guebuza. De qualquer maneira, e como iria ainda aprender mais tarde no trabalho governativo com ele, essa personalidade marcante revelava também um estilo de liderança específico. O espaço que havia para o debate franco tornava mais fácil a formulação clara e decisiva de orientações para a acção que todos tomávamos a peito e procurávamos implementar ao serviço de objectivos comuns.
Como membro do governo e como membro da equipa que ele constituiu para dialogar com a Renamo, no contexto da tensão política em 2013, tive muitas oportunidades para interagir com Guebuza e confirmar esta primeira impressão. Talvez seja oportuno abrir um parêntesis aqui para referir que este diálogo tinha um significado político e emocional muito forte para ele. Afinal, foi ele que durante dois anos inteiros negociou, em Roma, o fim da guerra fratricida, cujo resultado, a paz, estava a ser de novo posto em causa. Muitas vezes, portanto, interagi com ele no contexto das equipas de que era parte e outras vezes fi-lo individualmente. Sempre disse-lhe o que pensava, mesmo quando sabia que iria chocar com o que eu achava serem as suas convicções. Escutou-me sempre atentamente. Ouvia a minha argumentação e dizia-me o que pensava. Algumas vezes concordávamos, outras nem tanto. Se é possível ser tão afirmativo num aspecto como este posso dizer que desta troca sincera de ideias nasceu uma amizade para durar. O respeito pelas convicções do outro constitui, em minha opinião, a base para uma amizade sólida.
Outra característica marcante de Armando Guebuza é o conhecimento profundo que ele tem do país, incluindo no aspecto geográfico, e a importância que ele lhe atribui. Moçambique é um país muito extenso, com pouco mais de 800.000 km2. Tendo-o calcorreado todo quando foi Comissário Político Nacional, Ministro e Secretário-Geral do seu Partido, ele conhecia-o como a palma da sua mão, como soe dizer-se. Guebuza não concebia um seu ministro que não tivesse um conhecimento similar do país. A este propósito, pouco depois de me nomear Vice-Ministro das Obras Públicas e Habitação, em 2007, chamou-me ao seu Gabinete. Preparei-me a preceito, estudando todos os dossiers que me pareciam relevantes e, inclusivamente, levei algumas cábulas. Chegado ao seu gabinete de trabalho, e na companhia de outros membros do seu governo, fomos nos sentar numa pequena mesa de trabalho. Lá perguntou-me se eu havia trazido o mapa. E eu para com os meus botões, “mapa? Qual mapa?”. Era óbvio que esse aspecto não tinha sido parte da minha preparação para o encontro. De seguida perguntou-me em que situação se encontrava uma estrada que, partindo de Montepuez, passava por um conjunto de aldeias que ele nomeou, passava por Balama e se embrenhava em direção ao Niassa. Estando eu preocupado pelas estradas mais mediáticas, nunca tinha prestado atenção à via a que o Presidente se referia, tão secundária me parecia. Prosseguiu, durante uns longuíssimos 15 minutos, perguntando-me por estradas, localidades e povoados de que eu nunca tinha ouvido falar. Para uma pessoa que julgava haver-se preparado tão bem para esse encontro, foi uma tortura. E ainda por cima em frente de colegas! Jurei, de mim para mim que, doravante, ninguém iria conhecer as estradas, localidades, povoados e gentes do meu país melhor do que eu. De maneira didática, quiçá dura, Armando Guebuza persuadiu-me a estudar mais, para melhor conhecer o país que pretendia ajudar a governar.
Armando Guebuza possui aquele magnetismo que transmite a ideia de que nós somos especiais. De que aquela abertura só acontece connosco. No meu caso, pareceu-me que o elemento de empatia era o meu nome. Ele teve um irmão mais velho também chamado Gabriel. Ele tem formas especiais de me lembrar isso continuamente. Um dia em sua casa, por ocasião de uma cerimónia fúnebre, chamou alto pelo meu nome, do modo único como o fazia usualmente. Claro que lá me levantei, aproximei-me de onde estava e, para o gaudio dos circunstantes, me informou que não era a mim que chamava, mas, sim, a um sobrinho com o mesmo nome que eu...
Patriota de convicções inabaláveis, Armando Guebuza defendeu sempre, como todos os que forjaram o pensamento político da FRELIMO, o estabelecimento de relações de amizade com todos os povos do mundo. Ele, à semelhança dos seus correligionários, viu a própria luta de libertação nacional como parte da luta de todos os povos do mundo, incluindo do português, contra a opressão. Guebuza é amigo de Portugal e as honrarias que recebeu do Estado Português fazem jus a essa relação que, de resto, se estende aos dois povos do Índico e do Atlântico. Arrisco neste ponto um reparo em jeito de conclusão: da mesma forma que a convicção marca a personalidade de Guebuza e se torna na base do respeito mútuo, o reconhecimento de que foi alvo por parte da República Portuguesa sintetiza tudo por quanto ele se bateu em toda a sua carreira política: o respeito pela dignidade do seu povo.

Gabriel S. Muthisse

Comentários

Zé Martins Em perfeita sintonia Estimado Gabriel .Estamos perante um pré-Guião de um documentário que adorava fazer. Ab
Gosto · Responder · 3 · 16 h

Milva Santos wow, linda homenagem.. conheci gracas a este texto alguns pontos da personalidade do Presidente Guebuza. Obrigada
Gosto · Responder · 3 · 16 h

Gabriel Muthisse Quando quiser, Zé Martins! Conta comigo
Gosto · Responder · 2 · 16 h

Milton Machel Mais velho, sê dzixile! Me esqueceu!? O texto em word ou pdf pra o email, quê!?
Gosto · Responder · 2 · 16 h

Dulce Canhemba Cuna Feliz aniversário papa Guebuza. Muitas felicidades, saúde e longa vida
Gosto · Responder · 2 · 16 h

Milton Machel Parabéns Camarada Presidente Armando Emilio Guebuza. Hanya, Tchembeni!
Gosto · Responder · 2 · 16 h

Júlio Mutisse Conheci um pouco deste AEG. Atento e metódico... por isso o admiro.
Gosto · Responder · 2 · 16 h

Felizardo Casimiro Feliz aniversário Presidente Armando Guebuza
Gosto · Responder · 2 · 16 h

Adelino Buque Feliz aniversário para si Excia. Que tenha mais anos de vida e muita saúde.
Gosto · Responder · 3 · 16 h

Jeck Alcolete Feliz Aniversário Presidente AEG.
Gosto · Responder · 2 · 16 h

Egas Nhantumbo Parabéns ao presidente Armando Guebuza. Aprendendo de quem o conhece, e limpando pouco a pouco a imagem que nos é incutida pelas pessoas que nem teveram privilégio de um dedo de conversa com ele.
Gosto · Responder · 2 · 15 h

Bernardete Paulo Feliz aniversario presidente
Gosto · Responder · 2 · 15 h

Leonel Jaime Wachave Happy Birthday mr guebuzaVer Tradução
Gosto · Responder · 2 · 15 h

Filho Do Sr Chico Parabéns ao cda Armando Emilio Guebuza. Aprendendo de quem o conhece, e limpando a imagem que nos é incutida pelas pessoas que nem tiveram privilégio de um dedo de conversa com ele e muito menos entendem de politica e governação....
Gosto · Responder · 3 · 15 h

Necas Langa Muito bem...
Gosto · Responder · 2 · 15 h · Editado

Dalfino Hóster Guila Feliz aniversário Presidente. E parabéns pelo eloquente texto GM.
Gosto · Responder · 2 · 15 h

Dinis Chembene Lindo texto. Parabens Sr. Presidente.
Gosto · Responder · 2 · 15 h

Gilberto Correia Um contributo para conhecermos um lado pouco conhecido do Presidente Guebuza. Parabéns Gabriel Muthisse
Gosto · Responder · 7 · 15 h

Antonio Carlos Pinto Ferreira Mutisse, bela descricao do tio Armando. So faltou dizer que quande decide o assunto esta resolvido e nao volta para tras. Parabens.
Gosto · Responder · 5 · 15 h

Eugezio Mario Belo texto. Ilustre Dr Gabriel Mutisse escreve muito bem. Admiro pessoas que escrevem e articulam bem a lingua portuguesa. Deveria assessorar muitos Drs de hoje que nao conhecem a importancia das virgulas, vocativos, etc....
Gosto · Responder · 5 · 15 h

Lenon Arnaldo Parabéns camarada Presidente.
Gosto · Responder · 2 · 15 h

Gabriela Das Neves Santos HBD AEG
Gosto · Responder · 1 · 15 h

Dias Cardoso Tuchu Feliz aniversário Presidente Guebuza!
Gosto · Responder · 3 · 15 h

Arone Chilengue Happy birthday Mr. President Guebuza.Ver Tradução
Gosto · Responder · 2 · 15 h

Ussene Valgy Parabéns pelo seu aniversário camarada Armando Emílio Guebuza. Muitas felicidades...
Gosto · Responder · 2 · 15 h

Ussene Valgy Obrigado pelo texto camarada Gabriel Muthisse.
Gosto · Responder · 2 · 15 h

Anacleto Duvane Excelente homenagem ao Presidente Guebuza e torna-se especial por se publicar mais uma vez num dia em que completa mais um ano de vida, contrariando a pratica de reconhecer os feitos de alguem quando nao estiver entre nos. Parabens pelo texto e Feliz aniversario ao Presidente Guebuza.
Gosto · Responder · 4 · 14 h

Elisio Macamo apesar de seres naturalmente suspeito, Gabriel, é deste tipo de intervenções que a esfera pública precisa para sair da sua zona de conforto. eu que nunca privei com ele vejo alguns dos meus palpites ganharem contornos mais fortes.
Gosto · Responder · 3 · 14 h

Henrique Jeremias Um homem, uma obra, bela descricao ilustre

Feliz aniversario camarada Guebuza.
Muitos anos de vida
Gosto · Responder · 2 · 14 h

Carlos Mindo Nao sabia dessa bagagem do Mr President. Feliz aniversario
Gosto · Responder · 3 · 14 h

Lomelino Mario Matavele Feliz aniversário Cda Presidente Guebuza, votos de muita saúde e longa vida. Parabéns pelo texto Cda Mutisse.
Gosto · Responder · 3 · 14 h

Pene Mausse Parabens a V.Exa que Deus lhe abençoe
Gosto · Responder · 2 · 14 h

Solomone Manyike Parabens Cda Presidente!
Gosto · Responder · 2 · 14 h

Muzila Wagner Nhatsave Parabens meu camarada Presidente. Um dia vao te perceber. Longa vida.
Gosto · Responder · 3 · 13 h

Angelina Guita respondeu · 1 resposta


Jose Luis Barbosa Pereira Parabens Cda Armando Guebuza
Gosto · Responder · 2 · 13 h

Zaza Zacarias Huuuuummmmm, Parabens
Gosto · Responder · 1 · 13 h

Sérgio Neto Nemba Bem haja, Mr. President.
Gosto · Responder · 2 · 13 h

Gito Katawala Me fez lembrar de Maúa, Niassa! haha!!
Gosto · Responder · 2 · 13 h

Ivan Bond Sirvo - me desta para felecitar os dois ao Camarada Presidente Guebuza pelo aniversário , com votos de longos e abençoada vida. E a si estimado amigo Gabriel Muthisse pelo excelente depoimento .
Gosto · Responder · 2 · 13 h

Ivan Bond " ...Dizia longos anos e abençoada vida .
Gosto · Responder · 2 · 13 h

Hari Domingos Parabéns Camarada Presidente.
Gosto · Responder · 2 · 13 h

Angelina Guita Camarada Presidente Guebuza, Feliz aniversario.
Gosto · Responder · 1 · 12 h

Angelina Guita Parabéns pelo lindo Texto Camarada Gabriel Mutisse
Gosto · Responder · 1 · 12 h

Angelina Guita Queria dizer Gabriel Muthisse
Gosto · Responder · 1 · 12 h

Ivan Emanuel Obedias Esse texto é carregado de emoções! Parabéns presidente Guebuza pelo aniversário e obrigado Gabriel Muthisse por partilhar connosco um Guebuza que muitos de nós não conhecia.
Gosto · Responder · 2 · 12 h · Editado

Zeca Nhanala Nhanala Emocione-me com a grande homenagem. Parabens Camarada Presidente e ao Dr Gabriel Muthisse
Gosto · Responder · 2 · 12 h

Felisberto Massingue Gabriel Muthisse, parabéns por ilustrar parte da dimensão humana do presidente Guebuza, algo que sempre fez falta no retrato que o povo tem deste estadista. A ele, votos de Feliz Aniversário e longa vida!
Gosto · Responder · 2 · 11 h

Jose Almeida Saize Parabens e feliz aniversario Cda Presidente Guebuza e que esta data se repita por muitos e longos anos de vida. Abraços
Gosto · Responder · 2 · 11 h

Olivia Govene Sigauque Parabéns câmara presidente
Gosto · Responder · 2 · 11 h

Moz Alar
Gosto · Responder · 2 · 10 h
Jose Mariano Nicumua mais uma lição!

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook