sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

A MÂE DO OUTRO NÂO ENVELHECE

CONCLUSÂO DO POST DE ONTEM, 05 DE JULHO, SOBRE A ATITUDE, COMPORTAMENTO E ETICA DOS MILITARES TENDO COMO REFERÊNCIA “ A INDISCIPLINA E DESMANDOS DAS FADM/ FIR “ PROTAGONIZADOS POR ESTES NA VILA DO MUXUNGUE, NA NOITE DO DIA 01 DE JULHO, NUMA DAS BARRACAS, ONDE UM GRUPO DAS FORÇAS CONJUNTAS FADM/FIR EXECUTOU A QUEIMA- ROUPA DOIS DOS SEUS COLEGAS E FERIU GRAVEMENTE OUTROS TRÊS. RECORDO AOS INTERNAUTAS QUE ESTA TRAFULHICE TEVE COMO ORIGEM A DISPUTA ENTRE MEMBROS DESTE GRUPO DAS FADM/FIR POR UMA PROSTITUTA LOCAL.
A MÂE DO OUTRO NÂO ENVELHECE

Ontem contamos e debatemos duas das três histórias que fazem parte das histórias e do meu passatempo na altura em que eu fui membro das FPLM durante a guerra dos 16 anos. Falamos da história sobre a matrecada dos BIQUINIS, CAMISETAS E CALÇÕES da antiga UNIÂO DAS REPÚBLICAS SOCIALISTAS SOVIETICAS (URSS) e do famoso KHONHO militar.

Hoje vamos concluir com a última sugestão, que tem como o título “A MÂE DO OUTRO NÂO ENVELHECE”.

Sempre é bom relembrar-vos que as expressões KHONHO E A MÂE DO OUTRO NÂO ENVELHECE, são duas das inúmeras expressões que fazem parte do calão e da gíria militar em Moçambique. Agora acabo de me recordar de mais duas. Uma delas, só os que falam macua vão entender. No quartel quando se cozinhasse carne de porco dizia-se que cozinharam KUMANHOCO. E quando fosse o dia de recebermos o nosso subsídio, para que as nossas pitas não se apercebessem que já recebemos, dizíamos: CASOU A FILHA DO CHISSANO. Ai é? Não estão a entender esta do Chissano? Vocês não sabem que quando alguém se casa há oferta de presentes? Então, como o Chissano era Presidente e Comandante em Chefe das FDS quando casasse a filha, saibam que a mesma filha casava-se todos os meses, ele, como era o nosso BOSS era quem nos distribuía presentes. Agora entenderam? Okey!

Agora vamos a história de hoje. Isso mesmo, A MÂE DO OUTRO NÂO ENVELHECE!

Os militares quando saíssem em missão de serviço juntavam o útil ao agradável principalmente depois de realizarem as suas operações combativas. Depois de combates, as tropas recolhiam ao posto de concentração previamente planificado para que a partir desse lugar pudessem ser enviadas ao seu local de proveniência (seus quartéis de proveniência).
Geralmente, esses lugares de concentração eram localizados nas sedes de localidades ou vilas, onde o inimigo poderia ter dificuldades de perseguir e atacar as tropas que tinham ido fazer estrago nas suas bases.
Ai, as tropas começavam com os seus momentos de lazer: beberetes, comeretes, dançar nas discotecazinhas locais, assistir partidas de futebol dos vilarejos, e sobretudo engatar mulheres. Em fim, os militares ambientavam-se nesses locais assimilando em pouco tempo os hábitos e costumes da população ai restdente.
Ai havia um problema! Os militares estavam em efectivos muito superiores. Talvez mais de um Batalhão (o batalhão tem mais ou menos 300 homens) mas todo o soldado que fosse a um local, e como regra do soldado esperto, não podia voltar ao quartel SEM TER MARCADO O TERRITÓRIO E CONHECER SUAS COORDENADAS GEOGRAFICAS.
O que significa SIGNIFICA MARCAR TERRITÓRIO E CONHECER AS SUAS COORDENADAS GEOGRAFICAS?
Marcar território e conhecer as suas coordenadas geográficas significa conquistar uma mulher desse local e fazer relações sexuais com ela.
O soldado que não conseguisse marcar território e conhecer as coordenadas desse lugar era como se não tivesse saído em missão de serviço e se os colegas descobrissem que o gajo não conseguiu conhecer as coordenadas, o tipo estava lixado e todos iriam gozar com ele.Chamavamos esse soldado de Nanga (tapado, não serve pra nada, só da para ser cozinheiro no quartel, isto é, os verdadeiros homens vão trabalhar e o maricas fica a cozinhar ou a tomar conta dos doentes).kikikikikikii.
Mas para ter sucesso nisto tudo não era tarefa fácil porque os militares eram muitos e a procura da mesma cena.
Dai, o soldado esperto arranjou solução.O soldado esperto dizia consigo próprio: A MÂE DO OUTRO NÂO ENVELHECE.
Com esta concepção, O soldado esperto se não tivesse outra alternativa chegava a engatar mulheres duma idade igual ou superior a da mãe dele. Dai surgiu essa expressão.
Mas atenção! Tudo era de comum acordo e as sardinhas catalisavam a aceitação rápida para que a mulher deixasse o soldado esperto MARCAR TERRITÓRIO E CONHECER AS SUAS COORDENADAS GEOGRAFICAS.
Já entenderam o fio da meada?
Amanha, iremos debater a FUNÇÂO DA PSICOLOGIA MILITAR na formatação da ATITUDE, COMPORTAMENTO E ETICA DOS MILITARES EM MANOBRAS MILITARES.
BOM DIA! UM ABRAÇO DO TAMANHO DA SERRA DE GORONGOSA!

Sem comentários:

Windows Live Messenger + Facebook