quarta-feira, 22 de março de 2017

Polícia suspende buscas para resgatar corpo do jogador morto por crocodilo


PRM admite hipótese do corpo ter sido devorado
A Polícia em Tete suspendeu as buscas com vista a encontrar o corpo do jogador de futebol morto na semana passada por um crocodilo, disse fonte da Polícia, citada pela agência Lusa. “Foi feito um trabalho junto com a marinha. As buscas cessaram hoje (ontem) e não foi possível encontrar o corpo do jogador”, precisou Leonel Muchano, porta-voz do comando da Polícia em Tete. “As buscas iniciaram na quinta-feira à noite, nas margens do rio Zambeze, e na sexta-feira foram alargadas ao longo do rio. Mas cessaram, admitindo a hipótese de o corpo ter sido devorado”, explicou Leonel Muchano.
Estêvão Gino, 19 anos, que actuava como central no clube da segunda divisão de futebol, foi atacado no princípio da noite de quinta-feira por um crocodilo, perto do campo do clube, nas margens do rio Zambeze, quando ia lavar as mãos.
O treinador da equipa explicou que o jogador participou na sessão de treinos, na quinta-feira à noite, e depois foi lavar as mãos no rio Zambeze, na companhia de dois colegas do clube, quando foi agarrado e levado para a água pelo crocodilo. “Os dois amigos que estavam com ele afirmam que o crocodilo era de cerca de cinco metros e não eram capazes de dominar o animal”, disse à Lusa Eduardo Carvalho, descrevendo a perda como um “choque duro” para o clube.
Os ataques de crocodilos são frequentes ao longo do rio Zambeze e afectam, sobretudo, a população que recorre ao rio com vista a buscar água para consumo ou limpeza, uma vez que a água potável é um bem escasso naquela província.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.