sexta-feira, 17 de março de 2017

As Autarquias e as suas Dificuldades/Problemas.


Depois de muito refletir sobre este assunto, do muito que tenho lido, presenciado in loco, para além do que tenho observado através dos media, constato que a quarta revolução Industrial está a emergir rapidamente no contexto mundial.
Neste sentido, decidi avançar com algumas reflexões muito próprias sobre esta matéria.
Como sabemos, Moçambique é um País que desde a sua independência mais que duplicou a sua população, sem que as autoridades competentes se preocupassem verdadeiramente sobre esta questão extremamente delicada.
É um País que se tornou Independente há relativamente poucos anos, sem qualquer tipo de políticas infraestruturais necessárias, que possibilite a existência de estudos estatísticos sérios e fiáveis, para que se possa tornar numa base de trabalho que permita a modernização e alavancagem da nossa economia.
Ao falar em autarquias estarei a falar em princípios autárquicos, os quais irão servir na minha opinião todas as autarquias, sejam elas grandes ou pequenas, estando sempre presente a proatividade de qualquer pessoa eleita para as mesmas, seja ela de que partido for.
Sem essa proatividade e sem o conhecimento do que é necessário ter sempre presente, não irá evoluir independentemente de um bom orçamento e de possíveis apoios financeiros vindos do Estrangeiro.

Há que tentar fazer o melhor dentro das limitações existentes, não desperdiçando os escassos recursos financeiros do País.
De seguida irei tentar enumerar as principais necessidades de uma autarquia, tendo em vista o bem estar das populações e estimular o desenvolvimento social e económico das mesmas.
A partir de hoje irei refletir junto de vós sobre o meu sentir relativamente a questões que preocupam profundamente a população Moçambicana, procurando sempre que possível ir ao encontro de situções do dia a dia de quem necessita de orientação/ajuda por parte das respetivas (futuras) autarquias.

A intenção destas minhas reflexões é indicar um caminho que nos leve a atingir o tão desejado objetivo de um Moçambique igual para Todos, onde prevaleça a tolerância e o respeito pelos principios que norteiam a Democracia.
O que necessita uma Autarquia, ou seja o povo residente?:
Saúde, Educação, Habitação, Infraestruturas, tais como: Saneamento básico - Vias de comunicação - Transportes Urbanos -Transportes Suburbanos - Transportes de Longo Curso, ou seja, Rodoviário, Ferroviário, Aéreo, Marítimo e Fluvial se estiver perto desses recursos naturais, lembrando o mar e os rios ou lagos. Agricultura, Comércio Indústria.
Cada um destas assuntos irá ser objecto de desenvolvimento e interacção, para os quais desde já agradeço a vossa participação!!.
O mundo em que vivemos está em constante evolução, pelo que é fundamental ajudarmos Moçambique a criar bases sólidas no presente para podermos sonhar e construir um futuro ainda melhor alicercado em políticas, económicas, sociais e humanas que nos orgulhem como Moçambicanos.
Depois desta breve apresentação, irei numa primeira reflexão falar sobre o Sistema de Saúde, como primeiro tema de debate.
António Chichone
Mario Barbito Venha o assunto!
Buene Boaventura Paulo
Buene Boaventura Paulo Quando começa a palestra?
António Chichone
António Chichone Ai esta a primeira reflexão da palestra, Buene Boaventura Paulo
Vasquinho Gimo
Vasquinho Gimo Estamos a espera do debate...
Manuel Maleve
Manuel Maleve Mas oque tera falhado depois da independencia?
Na verdade a populacao quase duplicou, mas o serviços basicos nao acompanham o crescimento demografico.
Parece que as infra-estruturas são construidas sem acompanhar a evoluicao industrial (Estradas).

Nos precisamos d acompanhar a dinamica mundial.
António Chichone
António Chichone Para começar temos que acabar com o ataque a democracia, e as instituições.
António Chichone
António Chichone Temos que ser pró-activos, facilitar os investimentos, e seguindo as regras de boa governação.
Jose Majasse Dombe
Jose Majasse Dombe Espero que as medidas tomadas sejam cumpridas,tudo para a preservação de uma paz duradouro em Moçambique
Eduardo Domingos
Eduardo Domingos Os problemas de autarquias so se resolvem com a proactividade das estruturas politicas e da massa autarquica. Soluçoes locais e inovadores podem ser facilmente assumidos por maioria esmagadora. Enfatizo que uma autarquia deve um espaço com leis proprias para o seu funcionamento pleno. Nao se entende como uma escola ou um hospital dentro duma autarquia nao possam beneficiar de financiamentos mobilizados pelas autoridades autarquicas?
Felizberto Pinto
Felizberto Pinto As dificuldades das autarquias e problemas surgidos devem-se não só á falta de competência mas também de humildade e humanidade com o povo, existem diversos casos de furtos de doações, quer a nível financeiro e económico ou até mesmo a própria alimentação, temos ainda o problema da fome e do emprego nas diversas cidades do pais que á mais de uma década não são resolvidos, os problemas urbanos e rurais devem-se não só ao gov. mas também ás próprias pessoas que andam desmotivadas com a situação do pais, os investidores nacionais e estrangeiros têm receio de investir no pais e ver os seus esforços a serem desvalorizados tanto pela pessoas do próprio pais que depois das coisas feitas mostram com osadia uma certa arrogância para com os investidores como os próprios nacionais, para a resolução financeira sugiro que se abra um inquérito a nível internacional e que as provas reunidas quer a nível da imprensa quer a nível dos serviços secretos nacionais e internacionais seja mostradas no T.P.I. (tribunal penal internacional) e que o dinheiro seja devolvido ao pais, ainda deve haver uma investigação aprofundada dentro do estado e ver quem compactua ou compactuou com os crimes cometidos assim como nas impresas que investiram no pais, na educação deveria ter-se em conta a negação de casamentos entre menores e pessoas da mesma idade ou mais velhos e até as crianças que deveriam estar a estudar em vez de estarem a capinar, a restruturação do meio ambiente pode ser um dos meios de refazer as florestas assim como os guardas florestais deveriam andar armados caso haja furtos de madeira ou de marfim de maneira com a precaução de não degradação do meio ambiente e da valorização da vida, quer das pessoas ou dos animais, todos estes fatores podem ser medidas que o próprio cidadão comum pode efetuar por conta própria sem armamento e denunciar ás identidades competentes relatanto os fatos, com tudo os jovens desempregados poderiam unir-se e ajudar no reflorestamento das zonas rurais, nas zonas urbanas poderiam trabalhar limpando as cidades de maneira a serem mais convidativas para os mesmos e para os estrangeiros que podem ou não investir no pais, o meu conselho é que o pais faça verdadeiramente parte de um mundo democrático e globalizado em diversos aspetos, chamando desta maneira uma paz duradoura, pois se o estado tiver limpo de corrupção certamente haverá melhorias no povo, a despartidarização do estado ainda é uma das coisas que bloqueia os investimentos devido a burocracias que são apresentadas, para isso será necessário chegar a um consenso urgentemente para que o povo em geral seja beneficiado.

Sem comentários:

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.